Arquivo para Virilidade

Precisamos voar juntos!

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/09/2014 by Joe

Precisamos voar juntos

Para cada mulher forte cansada de ter que aparentar fragilidade, há um homem frágil cansado de ter que parecer forte.

Para cada mulher cansada de ter que agir como uma tonta, há um homem desesperado por ter que aparentar saber de tudo.

Para cada mulher cansada de ser qualificada como ‘fêmea emocional’, há um homem a quem se negou o direito de chorar e de ser ‘delicado’.

Para cada mulher catalogada como pouco feminina quando em competição, há um homem obrigado a competir para que não se duvide da sua masculinidade.

Para cada mulher cansada de ser um objeto sexual, há um homem preocupado com a sua virilidade.

Para cada mulher que não tem acesso ao trabalho ou a um salário satisfatório, há um homem obrigado a assumir a responsabilidade econômica de outro ser humano.

Para cada mulher que desconhece os mecanismos do automóvel, há um homem que não aprendeu os segredos da arte de cozinhar.

Para cada mulher que dá um passo para a sua própria libertação, há um homem que redescobre o caminho para a liberdade.

A humanidade tem duas asas: uma é a Mulher, a outra é o Homem.

Até que as duas asas estejam igualmente desenvolvidas, a humanidade não poderá voar.

Precisamos voar! Necessitamos de uma nova humanidade!

Desconheço a autoria.

Manjar de abóbora com coco

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/12/2012 by Joe

Manjar de abóbora com coco

A abóbora é, em termos botânicos, uma planta rasteira da família das cucurbitáceas, a mesma da melancia e do pepino. Vulgarmente classificada como hortaliça, a abóbora possui diferentes denominações no Brasil, como moranga, na região Sul, e jerimum, na região Norte e Nordeste.

Segundo pesquisadores, ela é originária da América, e fez parte da alimentação de muitos povos, como os astecas, incas e maias. Posteriormente, teria sido levada à Europa por colonizadores portugueses e espanhóis.

Em sua composição nutricional encontramos carboidratos, proteína, cálcio, sódio, potássio, fósforo, ferro, magnésio, vitamina A, C, E e outras vitaminas. Possui também bastante água e fibras e pouquíssima gordura.

Por toda essa composição, a ela é atribuída a propriedade de reduzir o risco de certos tipos de câncer, doenças do coração, derrames e problemas de visão.

Além da polpa, devemos aproveitar também as sementes, pois nelas estão 40% do óleo que dela aproveitamos. As sementes de abóbora são excelentes vermífugos no combate aos áscaris e às tênias, com a vantagem de não serem irritantes nem tóxicas. Há centenas de anos, os camponeses europeus usam as sementes de abóbora para manter a virilidade em idade avançada e evitar as doenças da próstata.

As sementes são, ainda, ricas em fitoestrógeno, outra substância funcional que pode auxiliar na redução dos sintomas da menopausa e TPM, além dos níveis de colesterol. O óleo feito dessa semente possui efeitos antioxidantes, que previnem o envelhecimento celular devido à concentração de vitamina E. São boas fontes de zinco e gorduras insaturadas.

O suco natural de abóbora age como estimulante suave dos rins, diminuindo a retenção de água, sem efeitos colaterais. A seiva obtida das folhas da aboboreira é aplicada sobre o corpo para tratamentos de pneumonia, erisipela, verrugas e queimaduras. Para combate à bronquite, moi-se as sementes descascadas, misturando-se mel à pasta e ingerindo-se várias colheradas por dia. Por sua natureza alcalinizante, seu suco é excelente para os que sofrem de artrite.

Por ser muito versátil, a abóbora pode ser consumida de diversas formas, como ingrediente em saladas, pratos quentes, refogados, sopas, pães, bolos, doces, etc. Suas sementes, ricas em ferro, também podem ser torradas e consumidas como aperitivo. Na hora da compra, é aconselhável optar por abóboras sem sinais de ferimentos e que apresentem cascas lisa, sem brilho, visto que isso significa que elas já amadureceram.

As receitas mais deliciosas que podemos preparar à base de abóbora são os doces, geralmente com a adição do coco ralado em suas composições. Hoje eu escolhi um desses doces, um tanto diferente no preparo, mas muito saboroso também! Espero que gostem!

Manjar de abóbora com coco

Ingredientes

500 g de abóbora picada
¾ de xícara (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de leite
5 colheres (sopa) rasas de amido de milho
50 g de coco ralado

Modo de preparo

Cozinhe a abóbora no vapor, escorra bem e leve a uma panela com apenas ½ xícara (chá) de açúcar. Cozinhe até a mistura ficar bem seca e reserve.

Em outra panela, coloque o leite, o amido de milho dissolvido em um pouco de leite, o coco e o açúcar restante. Vá mexendo até engrossar. Tire do fogo e misture com o doce de abóbora reservado de modo que fique um creme bem homogêneo.

Coloque em uma forma untada com óleo e água fria e leve à geladeira até endurecer.

By Joemir Rosa.

Precisamos voar juntos!

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 09/05/2011 by Joe

Para cada mulher forte cansada de ter que aparentar fragilidade, há um homem frágil cansado de ter que parecer forte.

Para cada mulher cansada de ter que agir como uma tonta, há um homem desesperado por ter que aparentar saber de tudo.

Para cada mulher cansada de ser qualificada como ‘fêmea emocional’, há um homem a quem se negou o direito de chorar e de ser ‘delicado’.

Para cada mulher catalogada como pouco feminina quando em competição, há um homem obrigado a competir para que não se duvide da sua masculinidade.

Para cada mulher cansada de ser um objeto sexual, há um homem preocupado com a sua virilidade.

Para cada mulher que não tem acesso ao trabalho ou a um salário satisfatório, há um homem obrigado a assumir a responsabilidade econômica de outro ser humano.

Para cada mulher que desconhece os mecanismos do automóvel, há um homem que não aprendeu os segredos da arte de cozinhar.

Para cada mulher que dá um passo para a sua própria libertação, há um homem que redescobre o caminho para a liberdade.

Até que as duas asas estejam igualmente desenvolvidas, a humanidade não poderá voar.

A humanidade tem duas asas: uma é a Mulher, a outra é o Homem. Precisamos voar! Necessitamos de uma nova humanidade!

Desconheço a autoria.

%d blogueiros gostam disto: