Arquivo para Vampiros

Vampiros

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/01/2014 by Joe

Vampiros

Eu não acredito em gnomos ou duendes, mas vampiros existem!

Fique ligado, eles podem estar numa sala de bate-papo virtual, no balcão de um bar, no estacionamento de um shopping. Vampiros e vampiras aproximam-se com uma conversa fiada, pedem seu telefone, ligam no outro dia, convidam para um cinema. Quando você menos espera, está entregando a eles seu rico pescocinho e mais (este “mais” você vai acabar descobrindo o que é com o tempo).

Vampiros tratam você muito bem, têm muita cultura, presença de espírito e conhecimento da vida. Você fica certo que conheceu uma pessoa especial. Custa a se dar conta de que eles são vampiros, parecem gente. Até que começam a sugar você.

Sugam todinho o seu amor, sugam sua confiança, sugam sua tolerância, sugam sua fé, sugam seu tempo, sugam suas ilusões. Vampiros deixam você murchinha, chupam até a última gota.

Um belo dia você descobre que nunca recebeu nada em troca, que amou pelos dois, que foi sempre um ombro amigo, que sempre esteve à disposição, e sofreu tão solitariamente que hoje se encontra aí, mais carniça do que carne.

Esta é uma historinha de terror que se repete ano após ano, por séculos. Relações vampirescas: o morcegão surge com uma carinha de fome e cansaço, como se não tivesse dormido a noite toda, e você se oferece para uma conversa, um abraço, uma força.

Aí ele se revitaliza e bate as asinhas. Acontece em São Paulo, Manaus, Recife, Florianópolis, em todo lugar, não só na Transilvânia. E ocorre também entre amigos, entre colegas de trabalho, entre familiares, e não só nas relações de amor.

Doe sangue para hospitais. Dê seu sangue por um projeto de vida, por um sonho. Mas não doe para aqueles que sempre, sempre, sempre vão lhe pedir mais e lhe retribuir jamais.

By Martha Medeiros.

Vampirismo energético

Posted in Ciência with tags , , , , , , , , , , , , , on 20/05/2010 by Joe

Nestes tempos em que vampiros são os personagens principais em grande parte de livros e cinemas, é preciso estar atento a outros tipos que também nos sugam de forma séria e perigosa.

Existem pessoas que basta chegarem perto da gente para que nos sintamos mal. A sensação que temos é a de que elas nos roubam energia, nos deixam para baixo, desanimados, tristes.

E isso existe mesmo, esse roubo de energia! É o que costumo chamar de “vampirismo energético”! É quando uma pessoa consegue nos tirar do nosso equilíbrio normal e nos sentimos mal, irritados com essa pessoa, cansados da presença dela, enfim, a nossa frequência cai drasticamente!

Percebemos que nos roubaram energia quando sentimos um dos “sintomas” citados acima.

Esse vampirismo energético ocorre de forma inconsciente. Roubamos energia porque desaprendemos a nos energizar na Natureza … então buscamos energia nos outros seres humanos, em animais e até mesmo nas plantas e ambientes!

Para que bloqueemos isso, para não permitir que as pessoas nos roubem energia, em primeiro lugar é preciso que nos conscientizemos como isso acontece, e treinarmos nossa percepção para detectar quando alguém está tentando nos “vampirizar”!

Segundo o Dr. James Redfield, autor do best-seller “A Profecia Celestina”, existem quatro tipos básicos de “vampiros energéticos”:

1) Intimidador – é aquele indivíduo que causa medo nas outras pessoas, porque ele grita, berra, não deixa ninguém argumentar, enfim, todos têm medo dele. As pessoas se sentem mal (desenergizadas) bastando a presença dele num ambiente!!!

2) Interrogador – é a pessoa que até te ouve, te permite dizer o que você pensa, enfim, parece que há diálogo. Mas, na verdade, ela está apenas colhendo informações que irá usar contra você. A última palavra é sempre a dela, você está sempre errado!

3) Distante – é uma espécie de “cria” do Interrogador. Imagine uma criança que tem um pai Interrogador que vive dizendo que ela (a criança) está sempre errada, que ela faz tudo errado e acaba impondo suas opiniões e vontades. Então, essa criança acaba se “distanciando”, mantendo-se sempre calada, como se tivesse medo de se abrir, de emitir sua opinião. Ela fica “distante” de tudo e de todos, ficando, como se diz por aí, “na dela”! Para saber sua opinião você precisa meio que arrancar dela e, com isso, você se sente desenergizado, se sente mal (vampirizada)!

4) Vítima – este é o pior de todos os tipos de “vampiros”! É a “cria” do Intimidador, aquela pessoa que se aproxima de você apenas para dizer que tudo está mal, que tudo está ruim, que a vida é uma droga, que tudo de mal só acontece com ela, etc. Isso faz com que você se sinta mal e até passa pela sua cabeça aquela velha frase: “Poxa! Eu fico reclamando de barriga cheia! Tem tanta gente em pior situação que eu!”. Pronto! Você sentiu-se mal por isso …. portanto, foi vampirizado por essa pessoa! Além de roubar-lhe energia, ela ainda te deixa com um grande peso na consciência!

A melhor forma de bloquear a ação desses “vampiros” é, em primeiro lugar, nos conscientizarmos como isso acontece. Depois, identificar esses tipos de pessoas e dos papéis que as elas exercem! É como se fosse um teatro com quatro personagens e uma única trama: roubar energia uma das outras!

Sabendo de tudo isso, quando alguém chegar perto de você, fique atento e identifique qual desses papéis ela exerce com você. Mesmo que ela chore e diga que a vida dela está uma droga, que pensa até em se matar, NÃO entre nessa conversa! Ajude-a, se for possível, mas jamais sinta-se mal por ela. Como eu aprendi com um terapeuta com quem eu fazia supervisão, “Eu posso chorar COM VOCÊ ….. mas jamais chorar POR VOCÊ!”.

Entendeu?

Ahhh … e não esqueça que você também exerce um desses papéis em relação às demais pessoas! Portanto, trate de identificar qual papel você exerce também e pare de vampirizá-las!

Para finalizar,  um detalhe importante: nada disso que comentei neste texto tem a ver com esoterismo ou qualquer outra crença sem nexo. Isso é pura ciência e pode ser comprovado através dela. Você percebe claramente nos joguinhos de poder, controles e outras formas de relacionamentos entre pessoas, em qualquer nível.

Mais informações você obtém no livro “A Profecia Celestina”, de James Redfield, uma aventura muito louca que explica tudo isso e muito mais sobre nosso mundo energético.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: