Arquivo para Tiziano

Carpaccio

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , on 05/09/2009 by Joe

Carpaccio SaladaDécada de 50, um beco sem saída perto da Piazza San Marco, em Veneza. Endereço: Calle Vallaresso, 1232, Harry´s Bar. O dono, Giuseppe Cipriani, costumava receber gente famosa em seu pequeno bar. Por lá passaram Charles Chaplin, Orson Welles, Ernest Hemingway, Aristóteles Onassis, Somerset Maugham, Truman Capote, Maria Callas, entre outros. Para eles, Cipriani criava drinks exclusivos, os quais fizeram o maior sucesso, como o “Tiziano” ou o “Bellini”.

Nessa época, Cipriani recebeu um pedido inusitado. A Condessa Amália Nani Moncenigo confidenciou-lhe que estava sofrendo de uma severa anemia e que o médico havia recomendado que consumisse pratos preparados com carne crua, por ser rica em ferro.

Porém, nessa época, havia um grande preconceito em relação às carnes cruas, o que tornava a tarefa de Cipriani ainda mais difícil.Mas ele não poderia deixar de atender ao pedido de sua amiga, a Condessa e, assim, acabou preparando um prato que se tornaria um grande sucesso. Havia nascido o Carpaccio, nome escolhido em homenagem ao pintor renascentista Vittore Carpaccio (1460 – 1525), cujos quadros estavam em uma exposição St Augustine in his study, by Vittore Carpaccio, 1511 na cidade. O detalhe que inspirou Cipriani a dar o nome do famoso artista ao seu prato foi o fato dele usar tons vermelhos em todos os seus quadros luminosos. Tons que lembravam a carne crua.

O tempo foi passando, a receita ganhou o mundo e também muitas variações, algumas usando lâminas de peixe, frutos do mar, legumes, etc. E o molho que acompanha o carpaccio também ganhou ares nacionalistas. No Brasil, o mais comum é um molho feito com azeite, mostarda, limão, alcaparras, sal e pimenta, polvilhado com lâminas de queijo parmesão.

Ah, sim … Giuseppe Cipriani morreu em 1980 e seu filho, Arrigo Cipriani assumiu a direção do Harry´s. O bar cresceu, tornou-se restaurante também e tem algumas filiais espalhadas pela Europa, Asia e EUA.  Se quiser conhecer mais, acesse www.cipriani.com.

Servido como entrada ou refeição leve, o carpaccio é sempre uma boa pedida.

No post de hoje apresento a receita que eu considero a mais saborosa. Para aqueles que não tem muito tempo, sugiro comprar o carpaccio já fatiado, congelado, à venda nos supermercados.

Carpaccio

Ingredientes

300 gramas de filé mignon ou lagarto bem limpo
50 gramas de alcaparras enxaguadas
azeite de oliva extra-virgem
4 colheres (chá) de mostarda (Dijon, de preferência)
2 colheres (chá) de suco de limão
sal e pimenta-do-reino moída a gosto
Alface, rúcula ou agrião (salada de folhas) a seu gosto
100 gr queijo parmesão em lâminas
cogumelos em lascas

Modo de preparo

Pincele a carne com azeite, sal e pimenta. Embrulhe em papel filme, o mais apertado possível para dar um formato arredondado. Deixe no congelador por umas 2 horas até que fique com a consistência de um salame.

Corte a carne em lâminas bem finas. Coloque cada fatia entre dois pedaços de papel-manteiga e, com cuidado para não rasgar os pedaços, bata a carne com o batedor ou com a lateral de um rolo de massas. Regue com um pouco de azeite e salpique sal e pimenta-do-reino moída. Deixe na geladeira até a hora de servir.

Enquanto isso, prepare o molho colocando o azeite de oliva, a mostarda e o suco de limão numa tigela pequena (acerte o sal e a pimenta-do-reino a seu gosto) e misture bem até incorporar todos os ingredientes.

Disponha as lâminas de carpaccio em pratos individuais, espalhando as alcaparras, os cogumelos e o queijo parmesão em lâminas. Disponha a salada de folhas (sugiro fatiar bem fininho o alface) e espalhe fartamente o molho sobre tudo. Sirva imediatamente.

Um bom vinho tinto leve (Chianti jovem, Bardolino ou Beaujolais) e torradas completam o cenário.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: