Arquivo para Terreno

Tem dor que vira companhia

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 08/05/2015 by Joe

Tem dor que vira companhia

Tem dor que vira companhia. Olhando de perto, faz tempo que deixou de doer, só tem fama, mas a gente não solta.

Quem sabe, pelo receio de não saber o que fazer com o espaço, às vezes grande, que ficará desocupado se ela sair de cena. Vazio é também terreno fértil para novos florescimentos, mas costuma causar um medo inacreditável.

Quando, finalmente, criou coragem e deixou de dar casa, comida e roupa lavada para a tal dor, ela desapareceu.

By Ana Jácomo.

A mudança é uma obrigação!

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/02/2015 by Joe

Mudança

A mudança não é uma necessidade, não é uma opção; é uma obrigação!

É uma obrigação para nós que temos a convicção necessária de que só com uma mudança podemos empreender a evolução e o crescimento que precisamos para atrair felicidade, amor, prosperidade e progresso em todos os âmbitos das nossas vidas.

E esclareço: quando digo que é uma “convicção” é porque a decisão de aceitar ou não a mudança é um poder absoluto que cabe só a nós, pois ela se inicia nos nossos modelos mentais, na nossa maneira de pensar e, sobre isso tudo, só nós temos o controle. Quando digo “necessária”, refiro-me a que quando não aceitamos esta realidade, quando não aceitamos a mudança, ficamos encerrados em ciclos de contínuas experiências repetitivas que nos perturbam ou acabam por encerrar-nos na mediocridade e no conformismo, ou na tristeza e na desesperança.

E quando falo de “evolução” não estou falando da possibilidade de que saiam “asinhas” nas nossas costas; as asas se desenvolvem nos nossos pensamentos e elevarão as nossas ambições e a visão das nossas próprias vidas por ilimitados e abundantes espaços do universo. E lá encontraremos nossos próprios espaços individuais onde desenha definida e claramente nossos objetivos e metas, nossa visão de vida; definir nossos sonhos.

Então, falo de crescimento, mas crescer não significa chegar às alturas esticando nossos corpos, senão fazer crescer a força dos nossos corações, a riqueza da nossa personalidade, a determinação e a coragem das nossas ações, para assim conseguir o crescimento que nos leve para a altura de todos nossos sonhos, sem importar quão altos eles estejam, e poder alcançá-los. Estou convencido destas ideias e por isso hoje quero compartilhá-las.

Em algumas ocasiões tenho recebido mensagens – e estou ciente desta posição – em que me dizem que o que escrevo é irreal, que são palavras que pertencem a um mundo de ilusão e fantasia. Eu mesmo, às vezes, tenho pensado isso. Sei que antigamente algumas pessoas liam minhas propostas e em algum momento se sentiram “enjoadas” de tanto ler sobre “céus despejados” quando realmente as nuvens não param de aparecer nas nossas vidas.

É por isso que estou escrevendo isto, pois também tenho que encarar muitos problemas e sinto tristeza ao ver a dor e a frustração, e inclusive os momentos de fraqueza de pessoas que aprecio, algumas ao meu redor, outras conhecidas nos espaços que a Internet nos oferece, mas todas próximas em carinho e sentimento.

Desde a perspectiva de quem tem encarado e ainda encara muitos desafios e inseguranças, adversidades e contradições, só me resta insistir em compartilhar aquilo no que acredito e que tive que experimentar. A única maneira de alcançar mudanças positivas nas nossas vidas é aceitando a mudança, com todo o desconforto e todas as turbulências que isso possa representar. Comecemos pelos menores detalhes, comecemos por nossos pensamentos. A mudança é movimento e o movimento atrai oportunidades para nossas vidas.

Todos merecemos, podemos e devemos ser felizes, viver em prosperidade e abundância, amar e ser amados. Cultivemos no nosso entorno e, sobre tudo, no nosso interior, o terreno fértil para aceitar estas benções nas nossas vidas.
Iniciemos a mudança imediatamente!

Desconheço a autoria.

Não perca o barco

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/01/2015 by Joe

Não perca o barco

Não perca o barco! Cada oportunidade pode ser única em nossas vidas.

Lembre-se de que estamos todos no mesmo barco. Nossa sobrevivência muitas vezes depende da sobrevivência do nosso próximo.

Planeje para o futuro. Não estava chovendo quando Noé construiu a arca.

Muitas vezes, não podemos pressentir o que nos aguarda; precisamos aprender a confiar em Deus!

Mantenha-se em forma quando tiver 60 anos, alguém pode lhe pedir para fazer algo realmente grande!

Enquanto Noé construía a arca, todos zombavam dele por construir um barco no meio do deserto. Não dê ouvidos aos críticos, apenas continue a fazer o trabalho que precisa ser feito.

Construa seu futuro em terreno alto. Quando olhamos para o horizonte, vemos o infinito.

Por segurança, viaje em pares. Todos com Noé entraram aos pares.

A velocidade nem sempre é uma vantagem: os caramujos estavam a bordo com os leopardos!

Temos muitas diferenças, mas o importante é que somos essenciais uns para os outros e podemos chegar juntos, mesmo com diferenças gritantes!

Quando estiver estressado, dê um tempo… Muitas vezes, esperar é a melhor estratégia. Há coisas que fogem do nosso controle, relaxe e espere o “dilúvio” passar.

Lembre-se: a arca foi construída por amadores. O Titanic, por profissionais.

Desconheço a autoria.

Wi-Fi: fidelidade sem fio

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/11/2014 by Joe

Wi-fi - fidelidade sem fio

Acho que foi em 1993. Numa entrevista histórica para a MTV, Renato Russo disse a Zeca Camargo que achava lealdade mais importante que fidelidade. Eu era menina, mas lembro que gravei a entrevista numa fita VHS e revi inúmeras vezes, me intrigando sempre nessa parte.

Eu entendia pouco acerca do amor, dos afetos, da durabilidade das relações. Mas Renato Russo me influenciava numa época em que meu pensamento ainda estava sendo moldado e eu tentava, imaturamente, entender aquela declaração.

Isso foi há vinte anos. De lá pra cá, relações se construíram e desconstruíram na minha frente. E, vivendo minha própria experiência, finalmente consigo entender, e de certa forma concordar, com Renato Russo.

A fidelidade é permeada por regras, obrigações, compromisso. É conexão com fio, em que te dou uma ponta e fico com a outra. Assim, ficamos ligados, mas temos que manter a vigília para o fio não escapar e nosso aparelho não desligar.

Já a lealdade permeada pelo vínculo, vontade e emoção é o pacto que se firma não por valores morais, e sim emocionais. É conexão “wi-fi: fidelidade sem fio”, que faz com que eu permaneça unida a você, independente da existência de condutores ou contratos. Permaneço em pleno funcionamento por convicções permanentes e duradouras, invisíveis aos olhos.

Amor nenhum se atualiza sozinho. O tempo passa, a gente muda, o amor modifica. E, nessa evolução toda, a única tecla capaz de atualizar e permitir a duração do amor, é a tecla da lealdade. É ela que conta ao outro que estou mudando, que não gosto mais daquele apelido, ou que aquela mania de encostar os pés gelados em mim embaixo do cobertor ficou chata. É ela que diz que eu gosto tanto do seu cabelo jogado na testa, por que é que não deixa sempre assim?

Ou que traduz que tenho medo de te perder, mas ainda assim preciso lhe contar que na época da faculdade usei drogas, pratiquei magia ou fiz um aborto. É ela que permite que coisas ruins ou não tão bonitas encontrem um refúgio, um lugar seguro onde possam descansar em paz. É ela que faz o amor se atualizar e durar!

Lealdade é não precisar solicitar conexão. É conectar-se sem demora, reservas ou desconfianças. É compartilhar a senha da própria vida, com tudo de bom e ruim que lhe coube até aqui.

Leal é quem conhece as fraquezas, revezes, tombos e dificuldades do outro e não usa isso como álibi na hora da desavença; ao contrário, suporta sua imperfeição e o ajuda a se levantar.

Leal é quem lhe defende na sua ausência. É quem prepara seu terreno, se preocupa com sua dor, antecipa a cura.

Leal é aquele que é fiel por opção, atento ao amor que possui, zeloso com o próprio coração; é quem não omite o próprio descontentamento, mas aponta o que pode ser feito pra não se perder.

Então, sim, eu concordo com Renato Russo e acho que deslealdade separa mais que infidelidade. Pois não adianta não trair por fora, se traio o amor por dentro; se tenho medo de arriscar e polpo meu afeto de se conhecer por inteiro; se não tolero meu caos e vivo uma mentira imaculada; se não absolvo minha história nem perdoo meu enredo, desejando fazer dele uma fábula fantasiosa aos olhos de quem amo; se contrario minha vontade e disposição e omito minhas intolerâncias pra não ferir, me afastando silenciosa e gradativamente até a ruptura; se me apresento por partes – as melhores ficam aparentes, as nem tanto eu omito e não permito ser conhecido.

Finalmente, se não confio a ponto de compartilhar a poltrona do carona ao meu lado reservando apenas o banco de trás (e olhe lá!) à minha companhia nessa viagem!

By Fabíola Simões, do blog “A Soma de Todos Afetos“.

Viver vale a pena

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/06/2014 by Joe

Viver vale a pena

Este dia, que chamamos de hoje, significa o quê exatamente, para você? Ele é um começo? Um meio? Um final? Só mais um dia, ou é realmente “O DIA”?

E você por acaso já parou para observar que todos os começos são entusiasmados?

Por exemplo, no começo do ano, as crianças, jovens e adultos retornam às aulas, ou iniciam cursos de qualquer natureza, e todos têm uma carga positiva de entusiasmo. Todo mundo animado.

Para algumas pessoas, começar uma nova semana também tem essa qualidade. No entanto, para outras, isto não acontece. Por que será? Será que existe alguma fórmula para fazer de cada novo dia uma nova esperança? Existe alguma maneira de ser otimista diante de tantos desafios que o mundo tem aí fora? Tem alguma maneira de carregar uma reserva de entusiasmo para os momentos em que parece terrível recomeçar?

Se existem fórmulas, mágicas ou maneiras para isto, eu não sei! Sei apenas que o resultado do que será meu dia, depende muito mais de mim mesmo, do que das circunstâncias que tenho disponíveis, a favor ou contra.

Por isso eu proponho que você faça uma promessa a si mesmo, logo no inicio do dia! Assim, você irá preparar um terreno onde poderá semear as esperanças de um dia melhor. Pelo menos de encará-lo de forma mais corajosa e otimista.

Algo assim:

Prometo a mim mesmo, que somente hoje, serei forte, para que nada venha perturbar minha paz de espírito. Assim não serei atingido pelo desânimo.

Hoje, ao encontrar com as pessoas, vou falar de saúde, felicidade e prosperidade, evitando comentar as últimas tragédias vistas nos noticiários.

Hoje, procurarei mostrar para as pessoas que estão próximas de mim que elas têm grande valor. Que sua existência é importante na minha vida.

Hoje, ao olhar para os lados, vou procurar ver o lado bom das coisas, fazer com que o otimismo se torne realidade.

Hoje, vou pensar o melhor das pessoas, trabalhar para o melhor e esperar apenas que o melhor aconteça.

Hoje, sentirei o verdadeiro entusiasmado tanto pelo sucesso dos outros quanto pelo meu próprio.

Quanto aos erros que eu tenha cometido no passado, vou procurar esquecê-los, pelo menos por hoje, e me empenhar para obter melhores realizações no meu futuro.

Ao encontrar alguém que não esteja tão animado, vou lhe oferecer meu melhor sorriso.

Também vou me esforçar para aprender algo novo, que me ajude a melhorar a mim mesmo.

Evitarei todas as formas de criticar os outros.

Hoje, prometo a mim mesmo, ser maior que as preocupações, e não me irritar, e nem ter medo de ser feliz.

Portanto, se você conseguir fazer esta pequena autopromessa, eu desejo que você viva com mais entusiasmo, hoje, mas só hoje, com toda alegria e entusiasmo que lhe é permitido pelo Criador do Universo.

Afinal de contas, amanhã já é outro dia, onde todas as promessas deverão se renovar.

Tenha certeza que isto criará um ciclo de otimismo em sua vida. Reforçando em você, cada vez mais a coragem para encarar a vida de frente, dia após dia.

E lembrando que “viver vale a pena, sempre”!

By Sigmar Sabin.

Mãos no volante

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/07/2013 by Joe

Mãos no volante

Ninguém se arriscaria a dirigir em uma estrada sem ter as mãos no volante. Ainda assim, com frequência andamos pela estrada da vida com as mãos fora do volante. A mente é o volante da vida. A vida segue obediente para onde a mente a direciona. Quando falhamos em controlar nossa mente, a vida se descontrola.

Em vez de mantermos as mãos firmes no volante e dirigirmos nossos pensamentos a um propósito específico, deixamos que nossa mente gire em todas as direções. Os resultados são frequentemente desastrosos. Nossas vidas vão no contrafluxo e batemos de frente.

Muitas vezes somos jogados para fora da estrada e caímos em terreno esburacado, que nos sacode e chacoalha até nos quebrar. Na vida, como na direção, o progresso mais suave e seguro se consegue mantendo-se firmemente no controle.

Para isso, devemos saber aonde queremos ir, planejar a rota e, acima de tudo, ter disciplina para manter as mãos firmes no volante.

Desconheço a autoria.

Sobrevivendo às mudanças

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/05/2013 by Joe

Mentes sem fronteiras

Já é consenso que a modernidade, a globalização e a tecnologia acarretam necessárias e constantes mudanças, com velocidade antes desconhecida.

Talentos surgem e desaparecem, a tecnologia de ponta torna-se obsoleta em poucos dias e as relações já não são mais as mesmas. Sabemos disso, é fato. E até buscamos acompanhar, entender e absorver. Mas, quando estas mudanças estão relacionadas com aspectos pessoais de nossas vidas, parece ser mais difícil aceitá-las com tanta “naturalidade”.

Abrir mão de uma zona de conforto, que já conhecemos tão bem e dominamos este “terreno”, provoca insegurança, nos faz sentir medo e confusão. Nestes momentos, identificar o que está sendo mudado, buscar compreender “a novidade” que chega, e identificar nossa nova posição neste contexto, pode fazer com que sintamos o “chão mais firme”. Assim, impedimos que fantasias com monstros e com príncipes tomem o espaço do que realmente existe.

Muitas vezes, tendemos a supervalorizar aquilo que está findando, não recordando que havia falhas, erros ou insatisfação, seja no emprego que estamos deixando ou uma relação amorosa que acabou. Nos apegamos ao que era bom, somente ao que era bom.

Mudar significa desejar, acreditar e buscar o melhor. Corrigir erros do passado pode ser impossível, mas não cometê-los novamente é um desafio presente na mudança.

Olhe para a possibilidade de mudar como uma nova oportunidade, e com grandes chances de acertos. Pois a cada mudança que você viveu, tornou-se mais experiente.

Então, viva esta mudança!

Desconheço a autoria.

%d blogueiros gostam disto: