Arquivo para Tecnologia

Cinco conselhos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/06/2013 by Joe

Sucesso

Dizem que água e conselho só se dão a quem pede. Mas aqui vão alguns conselhos importantes para vencer na vida. São cinco conselhos do Professor César Souza, dados a uma turma que se formou na USP.

Não confie no convencional! Estratégias de carreira que foram vitoriosas no século XX podem não servir para os dias de hoje. Fuja das carreiras lineares dentro de uma mesma empresa. Não desperdice seu talento perpetuando burocracias. Inovação, flexibilidade e agilidade serão as novas marcas registradas.

Nunca pare de crescer! O aprendizado é fundamental para o sucesso, pois o conhecimento virou um bem perecível. A única competência durável que cada um poderá dispor daqui para frente será a capacidade de aprender e de aplicar no dia-a-dia seus conhecimentos.

Concilie a vida profissional com a vida pessoal e familiar. O sucesso profissional não é tudo. Um profissional bem-sucedido também o é nas outras esferas da vida. Não deixe em segundo plano o exercício da cidadania nas comunidades onde você vive.

Sonhe alto e persiga os seus sonhos. O desejo e a determinação são a força essencial para vencer nos dias de hoje. E vão ser cada vez mais no futuro, quando as capacidades de sonhar e de criar serão vantagens competitivas.

Não siga os conselhos de ninguém, nem mesmo estes, caso não acredite neles. Siga sua intuição. Cada um sabe melhor do que ninguém o que é bom para si. A tecnologia muda diariamente, mas a chave do sucesso continua a ser escrita com seis letras: P-A-I-X-Ã-O! Apaixone-se! Caso contrário, mude, pois, de outra forma, jamais alcançará o sucesso.

By Professor César Souza.

Sobrevivendo às mudanças

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/05/2013 by Joe

Mentes sem fronteiras

Já é consenso que a modernidade, a globalização e a tecnologia acarretam necessárias e constantes mudanças, com velocidade antes desconhecida.

Talentos surgem e desaparecem, a tecnologia de ponta torna-se obsoleta em poucos dias e as relações já não são mais as mesmas. Sabemos disso, é fato. E até buscamos acompanhar, entender e absorver. Mas, quando estas mudanças estão relacionadas com aspectos pessoais de nossas vidas, parece ser mais difícil aceitá-las com tanta “naturalidade”.

Abrir mão de uma zona de conforto, que já conhecemos tão bem e dominamos este “terreno”, provoca insegurança, nos faz sentir medo e confusão. Nestes momentos, identificar o que está sendo mudado, buscar compreender “a novidade” que chega, e identificar nossa nova posição neste contexto, pode fazer com que sintamos o “chão mais firme”. Assim, impedimos que fantasias com monstros e com príncipes tomem o espaço do que realmente existe.

Muitas vezes, tendemos a supervalorizar aquilo que está findando, não recordando que havia falhas, erros ou insatisfação, seja no emprego que estamos deixando ou uma relação amorosa que acabou. Nos apegamos ao que era bom, somente ao que era bom.

Mudar significa desejar, acreditar e buscar o melhor. Corrigir erros do passado pode ser impossível, mas não cometê-los novamente é um desafio presente na mudança.

Olhe para a possibilidade de mudar como uma nova oportunidade, e com grandes chances de acertos. Pois a cada mudança que você viveu, tornou-se mais experiente.

Então, viva esta mudança!

Desconheço a autoria.

Seu corpo pode ajudá-lo a conhecer-se melhor

Posted in Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 29/04/2013 by Joe

Relaxamento

Apesar do constante avanço das ciências médicas, as doenças ainda apresentam aspectos desconhecidos para nós. A existência de outra dimensão, a mental, além das três que são captadas por nossos sentidos, mostra que a ciência e a tecnologia de nada ajudam sem o conhecimento das leis naturais do Universo.

O cérebro pode ser programado e ficar preso a crenças pré-concebidas por nós mesmos ou pelos outros. Essas crenças podem ser mudadas. A saúde, bem como todos os outros aspectos da vida, depende do equilíbrio entre a razão e a emoção. Por isso é necessário conhecer as emoções.

A cura não depende da capacidade intelectual e sim da percepção de seu próprio sistema interior. A doença se origina na mente e não no físico, por isso a cura precisa ser encontrada na mente, para materializar-se no corpo, e não ao contrário.

Todas as doenças podem ser curadas, pois sua causa, na maioria das vezes, segundo recentes estudos da psicanálise, é o sentimento de culpa e contrariedades profundas, ou seja, causas psicossomáticas.

– Doenças ou acidentes no lado direito do corpo, significam, por exemplo, conflito com mulheres.

– A cabeça, sendo o centro da razão, fala de nossa flexibilidade ou falta dela, da nossa relação com a autoridade, com os pais. Daí as dores de cabeça.

– A coluna vertebral é o suporte do corpo. Representa nossas raízes genealógicas e tudo que suportamos dos obstáculos da vida.

– As articulações simbolizam a flexibilidade ou falta dela com relação à mudanças e a outras pessoas. Os ossos simbolizam a estrutura e a formação da personalidade.

– Ossos quebrados significam quebra de relacionamento ou da autoridade.

– Os braços, a ambição, o trabalho, o desejo de realização profissional e de perseguir ideais.

– As pernas, o nosso caminhar pela vida.

– A pele, a proteção da nossa individualidade.

– A gordura é uma proteção que a pessoa cria contra problemas externos.

– Problemas cardíacos resultam de sofrimento contido, medo de perdas, sentimento de vingança.

– Intestino preso é retenção de coisas do passado.

– Quando uma mulher é dependente de alguém que a tolhe em sua criatividade e é obrigada a deixar de fazer o que gosta, seu útero reage com dores, atraso menstrual, etc.

– A pessoa que sofre de problemas nos pulmões demonstra bloqueio na motivação de vida.

– Pessoas que não estão suportando mais os seus aborrecimentos, passam a ter dificuldades com a bexiga, que simboliza “suportar”.

– O câncer, que é um distúrbio celular, é resultado de tumores mentais, formados por orgulho excessivo e intransigências.

By Cristina Cairo, escritora, autora do livro “Linguagem do Corpo”, onde exercícios de relaxamento podem ser encontrados, que ajudam a alcançar o reequilíbrio do organismo.

Aprenda a dominar seus pensamentos

Posted in Astral, Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/02/2013 by Joe

Yoga

Estudamos, aprendemos a exercer uma profissão, treinamos para dirigir carros e muitas outras coisas, mas não somos treinados para governar nossa própria mente. Não aprendemos a administrar nossas emoções e nossos problemas. E, assim, os pensamentos nos dominam, as emoções nos controlam. Ficamos perdidos dentro da turbulência da mente e das emoções perturbadoras.

Os estudos, a educação, a ciência ocidental nos preparam para vivermos no mundo externo. Porém, não somos preparados para descobrir e comandar nosso mundo interno. Podemos dominar a tecnologia, mas não somos treinamos para vencer os medos, as angústias, para descobrir a coragem e o contentamento dentro de nós.

Muitas pessoas vivem sem objetivos, sem metas, sem ideais. Algumas foram preparadas somente para vencer e não sabem lidar com suas fragilidades e erros. Vivem presas ao perfeccionismo e, por causa disso, não sabem criar, inovar, ousar, fazer mudanças positivas. Não se valorizam. Acham que apenas os outros têm valor e conseguem sucesso. Não acreditam no próprio potencial.

Para superar os padrões mentais negativos, é importante conhecer a si mesmo. Aprender a lidar com a mente e ter autocontrole sobre as emoções.

Porém, quem consegue entender ou controlar a emoção plenamente? Será possível ter pleno autodomínio?

Como a energia emocional é sempre flutuante, não podemos ter domínio completo de nossas emoções. Entender isso nos liberta do peso do perfeccionismo. Não precisamos ser perfeitamente equilibrados. O importante é saber voltar ao equilíbrio.

Precisamos dissolver as emoções doentias do mau-humor, da ansiedade, do negativismo. Quem tem emoções doentias é instável e desprotegido, e qualquer problema ou ofensa o perturba.

Existem muitas emoções poderosas como raiva, ódio, inveja, insensibilidade, desejos e apegos que escravizam as pessoas.

Alguns pensam: “Se eu conseguisse ser rico, seria completamente feliz”. “Se eu comprasse o que desejo, seria feliz”. “Se eu fosse feliz no amor, não sofreria…” Mas muitos ricos e felizes no amor sofrem com as emoções descontroladas.

Quem tem emoções saudáveis é tranquilo, contente, sente-se protegido. É capaz de superar os desafios e administrar melhor seus problemas.

Para ter paz de espírito, mais saúde e alegria, é necessário aprender a não ser aprisionado pelos pensamentos e emoções doentias. Precisamos aprender a ser líderes de nós mesmos. Para isso, temos que entender o nosso ego negativo, que é o conjunto das emoções doentias e conflitos internos como: depressão, pânico, pensamentos obsessivos, fobias, timidez, arrogância, complexo de inferioridade, preocupação exagerada com a própria imagem ou com o futuro.

Ao tomarmos consciência da prisão interna que vem das emoções negativas, precisamos ter a resolução de nos libertarmos. Não podemos mais permitir sermos dominados por esse lixo mental, pelos entulhos psíquicos que se acumulam em nossa mente.

Não podemos ser pessoas passivas e submissas dominadas pelas frustrações, pelos conflitos emocionais que destroem nossa paz. Não podemos acreditar nos pensamentos negativos, nas fantasias e medos criados pela mente, que geram tanto sofrimento, nos paralisam, tirando a alegria de viver.

Para vencer o ego negativo é necessário aprendermos a ser humildes. Reconhecer os erros e aprender com eles. Entender que é humano, com defeitos e imperfeições, que pode falhar, chorar, ter inseguranças.

Os agressivos, intolerantes e arrogantes parecem fortes, mas são frágeis e infelizes, porque eles têm medo de reconhecer sua limitações e falhas, têm medo de chorar, de perdoar.

Quem é gentil, humilde e paciente conquistou as emoções negativas, tem autodomínio e a força do espírito. Tem a vontade hábil da alma.

Encontrar esse equilíbrio é um grande desafio. Uma das ferramentas que pode nos proporcionar esse caminho é a Yoga.

A yoga nos ensina que a gentileza pode parecer frágil, mas ela vence o ego negativo.

A yoga nos diz para sermos fortes como um aço e, ao mesmo tempo, macio como a manteiga. Duro como um diamante e suave como uma pétala de rosa.

Essa é a meta da yoga: viver o dourado caminho do meio, dominando os medos imaginários sobre o futuro, gerados pelas lembranças do passado. Isso gera inquietação, ansiedade e insônia.

Libertar-se da prisão da preocupação, da insegurança, da angústia, por causa da falta de tranquilidade da mente!

O caminho é fácil? Com certeza que não. Há que ter muita determinação, perseverança e disciplina nas práticas de meditação, no canto dos mantras, na prática da hatha yoga, no trabalho altruístico. Muita devoção a Deus e autoesforço.

Aos poucos vamos conseguindo o equilíbrio das emoções, o domínio dos pensamentos e a construção de uma mente positiva, repleta de arquivos positivos!

Construa. você também uma mente positiva, com arquivos positivos. Quando um pensamento negativo ‘assaltar’ sua mente, afaste-o com determinação. Não acredite nele. Duvide dele.

Quando surgir aquele arquivo negativo, aquela emoção subterrânea, que vem de memórias guardadas, volte-se para os pensamentos positivos e sentimentos positivos.

Seja o autor de sua própria vida. Aprenda a governar seus próprios pensamentos. Reedite sua história. Mude o curso de sua vida!

By Emilce Shrividya Starling.

Avanços tecnológicos

Posted in Humor with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/02/2013 by Joe

Máquina de escrever

A gente esvaziando a casa da tia neste carnaval. Móvel, roupas de cama, louça, quadros, livros. Aquela confusão toda, quando ouço meus filhos me chamarem.

– Mãe!

– Faaala…

– A gente achou uma coisa incrível. Se ninguém quiser, pode ficar para a gente? Hein?

– Depende. O que é?

Os dois falavam juntos, animadíssimos:

– Ééé… uma máquina, mãe. É só uma máquina meio velha.

– É, mas funciona, está ótima!

Minha filha interrompeu o irmão mais novo, dando uma explicação melhor.

– Deixa que eu falo: é assim, é uma máquina, tipo um… teclado de computador, sabe só o teclado? Só o lugar que escreve?

– Sei.

– Então. Essa máquina tem assim, tipo… uma impressora ligada nesse teclado, mas assim, ligada direto. Sem fio. Bem, a gente vai, digita, digita…

Ela ia contando e se animando, os olhos brilhando.

– … e a máquina imprime direto na folha de papel que a gente coloca ali mesmo! É muuuito legal! Direto, na mesma hora, eu juro!

Eu não sabia o que falar. Eu juro que não sabia o que falar diante de uma explicação dessas, de uma menina de 12 anos, sobre uma máquina de escrever. Era isso mesmo?

– … entendeu mãe? Zupt, a gente escreve e imprime, a gente até vê a impressão tipo na hora, e não precisa essa coisa chata de entrar no computador, ligar, esperar hooooras, entrar no Word, de escrever olhando na tela, mandar pra impressora, esse monte de máquina, de ter que ter até estabilizador, comprar cartucho caro, de nada, mãe! É muuuito legal, e nem precisa de colocar na tomada! Funciona sem energia e escreve direto na folha da impressora!

– Nossa, filha…

– … só tem três coisas ruins: não dá para trocar a fonte, nem aumentar a letra e nem apagar, mas não tem problema. Vem, que a gente vai te mostrar. Vem…

Eu fui, parei e olhei, pasma, a máquina velha. Eles davam pulinhos de alegria.

– Mãe… Será que alguém da família vai querer? Hein? Ah, a gente vai ficar torcendo, torcendo para ninguém querer pra a gente poder levar lá pra casa, isso é o máximo! O máximo!

Bem, enquanto estou aqui, neste “teclado”, estou ouvindo o plec-plec da tal máquina, que, claro, ninguém da família quis, mas que aqui em casa já deu até briga, de tanto que já foi usada. Está no meio da sala de estar, em lugar nobre, rodeada de folhas e folhas de textos “impressos na hora” por eles. “Incrível!”, eles dizem, plec-plec-plec, “muito legal”, plec-plec-plec. Eu e o meu marido estamos até pensando em comprar outra, uma para cada filho.

Mas, pensa bem se não é incrível mesmo para os dias de hoje: sai direto do teclado para o papel, e sem tomada!

Céus! Que coisa!!

Desconheço a autoria.

A vida não é uma corrida

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20/12/2012 by Joe

A vida não é uma corrida

Está chegando o fim do ano e é momento de reflexão de como foi este e como será o que ano que chega. É tempo de estratégia pessoal. O que quero para mim e para minha família? Qual são meus sonhos? Estou realizando-os ou postergando-os? Ou nem tive tempo para pensar sobre eles?

A tecnologia trouxe facilidades técnicas, mas trouxe também dificuldades de lidar com o tempo. Tudo é muito rápido, tudo é para ontem, e assim o ano passa veloz e nem “sentimos”.

Para aprofundar um pouco o tema, trago uma carta de uma menina com uma doença terminal, internada em um hospital em Nova York. Não tenho notícias atuais dela. Mas o que ela diz é profundo e cada frase merece uma parada para meditação.

“Alguma vez você já viu crianças brincando de roda? Ou ouviu o som da chuva batendo no chão? Já seguiu o voo errático de uma borboleta? Ou olhou para o sol dando lugar à noite?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Você passa batido por cada dia? Quando você pergunta “como vai você?” ouve a resposta? Quando acaba o dia, você se deita em sua cama com a próxima centena de tarefas percorrendo sua cabeça?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Alguma vez disse a seu filho “pode ser amanhã?” e, na sua pressa, percebeu a tristeza em seu rosto? Já perdeu contato e deixou morrer um amigo porque nunca teve tempo de ligar e dizer “oi”?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Quando você corre para chegar a algum lugar, perde metade da graça em chegar lá. Quando se preocupa e atropela seu dia é como um presente que vai para o lixo sem ser aberto.

A vida não é uma corrida, vá devagar. Ouça a música antes que ela acabe.”

Desconheço a autoria.

Breve visão de um futuro próximo

Posted in Tecnologia with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/06/2012 by Joe

A tecnologia evoluiu mais nos últimos 50 anos do que desde a invenção da roda até metade do século passado!

A cada dia somos surpreendidos por novas invenções (eu diria, evoluções!), novos componentes são desenvolvidos, novos materiais são pesquisados e incorporados à nossa rotina!

Nem bem acabam de lançar um novo modelo de celular e, 3 meses depois, já temos uma nova versão, com mais funcionalidades, mais leve e menor. A nanotecnologia (ou nanotech) é o estudo da matéria num nível atômico e molecular, ou seja, ela é que nos permite construir estruturas e novos materiais a partir dos átomos, chegando a aparelhos cada vez menores, com microchips quase invisíveis a olho nu e maior capacidade de armazenamento de dados e velocidade de processamento.

Nos vídeos abaixo, exemplos de como nossa vida poderá ser em um futuro muito próximo. Empresas estão pesquisando o uso de materiais translúcidos (vidros e plásticos) associados à tecnologia moderna da ciência da computação, eletrônica e outras), trazendo-nos uma nova forma de nos relacionarmos com o mundo e com as pessoas.

%d blogueiros gostam disto: