Arquivo para Surpresas

Energias positivas

Posted in Astral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16/10/2013 by Joe

Energias positivas

Diz a famosa parábola: “Diga-me com quem andas, e te direi quem és”! Nunca uma frase foi tão atual, mesmo com mais de 2.000 anos de existência.

Criar em volta de si uma atmosfera positiva, com pessoas voltadas às energias positivas do universo, é o caminho mais curto para quem busca a satisfação plena, tanto no plano profissional como no pessoal.

Estar cercado de energias e pessoas positivas é como criar uma proteção muito forte contra as oscilações e as surpresas que a vida nos reserva. A energia positiva do homem é tão poderosa que contraria e quebra uma lógica da física: mentes carregadas positivamente atraem mentes positivas!

Portanto, sorria! Mas não se esconda atrás desse sorriso…

Mostre aquilo que você é, sem medo. Existem pessoas que sonham com o seu sorriso. Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos. Deles depende a sua felicidade completa. Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome! Não faça dos defeitos uma distância, e sim uma aproximação.

Você já fez alguém feliz hoje? Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo? Não corra tanto… Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você, sonhe, mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.

Chore, lute, faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você. E, principalmente, ouça… Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante.

Suba, faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo, mas não se esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida. Descubra tudo aquilo que há de bom em você. Viva e sorria!

Pratique isso em sua vida e construa um mundo bem melhor para as próximas gerações.

Desconheço a autoria.

Sempre é bom mudar

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/01/2013 by Joe

Seja a mudança

A vida está pedindo para você mudar, sabia? Isso não é mais novidade! E quando a vida pede, não adiante resistir! Você tem que ir em frente e visualizar o que é necessário mudar. Tente, pelo menos…

Tente mudar mesmo contra aquela sua resistência chata! Pense na mudança ocorrida! Pense como a sua vida será melhor. Anime-se olhando para trás e observando as fases de sua vida, as suas conquistas…

Ah, como você mudou… Por dentro e por fora!

O bom de toda mudança é que ela traz consigo vida e competência. Você admite que ficou mais competente ao longo de sua vida? Sim… E como você ficou competente quando optou por ter convicções fortalecedoras!

Por mais desconfortável que seja a mudança, vale a pena se esforçar. Vale a pena estar sempre disposto, aberto…

Porque a vida é assim sempre: dinâmica, diferente a cada dia, cheia de surpresas, cheia de oportunidades. Mantenha-se livre, aberto e disposto a jogar fora gradualmente as velhas e antigas amarras, as antigas ideias, antigos conceitos.

As mudanças já estão ocorrendo em sua vida. Queira ou não!

Sabe onde começam as maiores dificuldades? No apego! Quanto mais apego, maior será o desafio. Por isso, encare toda mudança que precisar fazer em sua vida como um degrau para revelações maiores e mais maravilhosas, que estão guardadas pra você!

Deixe o velho, prefira o novo! Mude enquanto você tem força e poder! Mude pela dor ou mude pelo amor! Ou então saiba que alguém ou alguma situação poderá pilotar o seu processo de mudança e de transformação!

Vamos! Coragem! Você pode! Você é capaz até de se superar, certo? Mude já! Mude agora! Mude depressa! Por você! E por Ele também! Sabe de Quem estou falando, né?

Bom Dia! Bom Divertimento! Fique com Deus!

E pare de querer acrescentar dias à sua vida. Acrescente vida a seus dias!

By Luiz Carlos Mazzini.

O Resgate do Tigre

Posted in Livros with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/09/2012 by Joe

Livro: O Resgate do Tigre
By Colleen Houck
Editora Arqueiro

Fé. Confiança. Desejo. Até onde você iria para libertar a pessoa amada?

Neste segundo volume (veja detalhes do primeiro volume, A Maldição do Tigre, neste link) da Saga dos Tigres, a autora nos leva de volta a India e à jornada de Kelsey na busca pelos presentes da deusa indiana Durga, necessários para acabar com a maldição dos dois príncipes, que fez com que Dhiren e Kishan vivessem durante séculos aprisiona- dos na forma de tigres – um branco e outro negro.

Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas!

Além de lutar contra macacos d’água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos.

Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca – desta vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren – a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey.

Um livro repleto de romance, ação e surpresas que fluem com uma velocidade incrível, tornando maravilhosa a leitura deste segundo volume! Sem contar os diversos momentos em que a autora nos apresenta detalhes sobre a cultura da China e da India, tudo de uma forma didática, sem ficar cansativo para o leitor.

Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.

A épica Saga dos Tigres já foi lançada em 18 países e ocupou os primeiros lugares na lista dos mais vendidos do The New York Times e cujos direitos para adaptação cinematográfica já foram comprados pela Paramount.

“Colleen nos seduz com seu conto de fadas ágil e original que tem como exótico pano de fundo a cultura e a religião indianas.” – MTV.com.

By Joemir Rosa.

A viagem

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/04/2012 by Joe

Um dia destes eu li um livro que comparava a vida a uma viagem de trem. Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada.

Interessante, porque nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques…

Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que,  acreditamos, farão conosco a viagem até o fim: nossos pais! Não é verdade. Infelizmente, em alguma estação eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto…

Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão a ser especiais para nós: são os nossos irmãos, amigos e amores!

Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outras fazem a viagem experimentando somente tristezas. E no trem há, também, outras que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa.

Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe…

Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros acomodam-se em vagões diferentes do nosso, o que nos obriga a fazer essa viagem separados deles. Mas isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles. O difícil é aceitarmos que não podemos sentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar…

Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques. Só sabemos que esse trem jamais volta…

Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos, procurando em cada um o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto, poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos entender isso. Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E, certamente, alguém nos entenderá…

O grande mistério é que não sabemos em qual estação desceremos. E aí fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim…

Deixar meus filhos viajando sozinhos será muito triste. Separar-me dos amigos que fiz, do amor da minha vida, será para mim muito dolorido. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.

E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que essa bagagem tenha crescido e se tornado valiosa.

Agora, neste momento, o trem diminui sua velocidade para que  pessoas embarquem e desembarquem. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade…

Quem entrará? Quem sairá?

Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo ínfimo, deixaram desmoronar.

Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de “todos os passageiros”.

Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem e, por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo!

Desconheço o autor desse texto, mas com certeza foi alguém que captou o real sentido do que é viver e não, simplesmente, um turista passivo que ficou olhando a vida passar pela janela…

A vida é um palco

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 16/01/2012 by Joe

Imagine você sendo um ator ou uma atriz, fazendo o papel de um personagem numa peça. A peça está em cartaz há muito tempo. Você já conhece muito bem os diálogos e como a historia se desenrola.

Todas as noites, a mesma história. Não há mais surpresas. Você sabe muito bem seu papel e dos outros também. Sabe exatamente o que deve falar, quando e o que o outro vai responder e assim por diante…

Tudo previsível,  “perfeito”.

Imagine agora que a peça está perdendo público e logo vai sair de cartaz. Você terá de procurar outra peça para continuar atuando. Aí você recebe um convite para uma nova peça, onde fará um papel bem diferente, totalmente novo.

Você, como um ator responsavel, irá naturalmente estudar o novo personagem. Irá treinar as falas, os gestos, os movimentos. Irá estudar eventualmente o contexto histórico, a cultura, etc.

Talvez faça aulas de dança, de artes marciais, de canto, etc. para dar maior credibilidade à sua atuação. E, assim, você terá maiores chances de se sair bem na nova peça.

Isso parece uma atitude sensata e até óbvia.

Mas na vida real tem muita gente que faz diferente…

A pessoa tem um papel muito bem ensaiado. Está perfeitamente encaixada na “peça”. Faz algo e é criticada por uma pessoa próxima – há muito tempo essa cena se repete.

Mas, em algum momento, sente-se insatisfeita com aquele papel. Quer fazer mudanças. Mudanças significam assumir um novo personagem para poder atuar em uma outra peça.

É de se esperar, então, que ela estude bem esse novo personagem. É também esperado que ela estude o contexto histórico, a cultura, etc. Que aprenda e desenvolva novas habilidades para dar mais credibilidade ao personagem.

No entanto, prefere estudar o passado da personagem antiga, da peça que está saindo de cartaz. Faz isso perguntando: por que aquilo não deu certo? O que levou aquele personagem a ter aqueles sofrimentos? Quem foram os culpados?

E, assim, acaba negligenciando a preparação para o novo papel. Com as mesmas características do papel que representava na peça anterior… Não sendo bem preparada, sua atuação será desastrosa…

Mas esse não seria o papel antigo dela, justamente o que quer abandonar?

Pense bem nisso tudo. Veja como, na maioria das vezes, ficamos presos a um determinado papel, esperando que o teatro mude ao nosso redor.

Será que não é hora de você mudar de papel? Mudar o personagem?

By Mizuji.

Feliz Começo Novo!

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 31/12/2011 by Joe

2011 foi um ano de encontros, desencontros, reencontros, perdas, vitórias, empates… muitos ficaram pelo caminho, procurando uma bússola, um porto seguro… outros encontraram seu porto, sua bóia e, até mesmo, suas muletas! Enfim, cada um viveu seus momentos particulares e reagiu de acordo com seu “mapa”, com seus “moldes”!

No final, muita gente percebe que repetiu velhos padrões, agiu de acordo com os moldes de sempre e, consequentemente, não chegou ao final do ano como gostaria. Em outras palavras, não obtiveram os resultados desejados.

Para que tudo seja diferente e, ao final de 2012, as pessoas possam obter resultados diferentes, é preciso que ajam de formas diferentes. A palavra-chave aqui é “mudança”! Sem mudanças não obtemos resultados diferentes. Já falei sobre isto em posts anteriores… e também não quero parecer o dono da verdade e nem ditar fórmulas. Cada um deve procurar saber como chegou até os resultados obtidos no ano que agora se finda e mudar atitudes, padrões, caminhos. Assim, poderá atingir outros objetivos.

Usando uma linguagem própria da informática, eu quero, para o Ano Novo, que nossos dias sejam encontrados nos googles da vida através das tags:

Amor, Esperança, Perdão, Agradecimento, Carinho, Felicidade, Sorrisos, Mudanças, Atitudes, Temperos, Conforto, Surpresas, Compaixão, Empatia, Tolerância, Superação, Conquistas, Descobertas, Respeito, Acertos, Sucesso, Compartilhamento, Tesão, Cores, Ternura, Sonhos, Fantasias, Entusiasmo, Generosidade, Delicadeza, Trocas, Alegrias, Generosidade, Atenção, Oração, Otimismo, Coragem, Paz, Luz, Energia, Contentamento e muitas outras!

Desejo, enfim, que o Novo Ano seja construído dia a dia, que a cada manhã possamos iniciar um novo ano, uma nova vida! Afinal, amanhã é o primeiro dia do resto de nossas vidas!

E como você vai construir a sua?

Desejo que cada um receba segundo a sua obra, ou seja, que cada um colha exatamente aquilo que plantar a cada dia, porque essa é a maneira como o Universo atua em tudo.

Que cada um de nós faça as escolhas mais convenientes, segundo suas atitudes, crenças, valores, sem esquecer o princípio das mudanças contínuas!

Beijos e abraços a todos os amigos, visitantes e paraquedistas deste blog!!!

E um Feliz Começo Novo!!!!

By Joemir Rosa.

Se você ama, diga que ama!

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/02/2011 by Joe

Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro já sabe. Se sabe, maravilha … mas esse é um conhecimento que nunca está concluído. Pede inúmeras e ternas atualizações.

Economizar amor é avareza. Coisa de quem funciona na frequência da escassez. De quem tem medo de gastar sentimento e lhe faltar depois. É terrível viver contando moedinhas de afeto. Há amor suficiente no universo. Pra todo mundo. Não perdemos quando damos: ganhamos junto. Quanto mais a gente faz o amor circular, mais amor a gente tem. Não é lorota. Basta sentir, nas interações do dia-a-dia, esse nosso caderno de exercícios.

Se você ama, diga que ama. A gente pode sentir que é amado, mas sempre gosta de ouvir e ouvir e ouvir. É música de qualidade. Tão melodiosa que muitas vezes, mesmo sem conseguir externar, sentimos uma vontade imensa de pedir: diz de novo? Dizer não dói, não arranca pedaço, requer poucas palavras e pode caber no intervalo entre uma inspiração e outra, sem brecha para se encontrar esconderijo na justificativa de falta de tempo. Sim, dizer, em alguns casos, pode exigir entendimentos prévios com o orgulho, com a bobagem do só-digo-se-o-outro-disser, com a coragem de dissolver uma camada e outra dessas defesas que a gente cria ao longo do caminho e, quando percebe, mais parecem uma muralha. Essas coisas que, no fim das contas, só servem para nos afastar da vida. De nós mesmos. Do amor.

Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá…

By Ana Jácomo.

A viagem

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/07/2010 by Joe

Um dia destes, eu li um livro que comparava a vida a uma viagem de trem. Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada.

Interessante, porque nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques…

Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que,  acreditamos, farão conosco a viagem até o fim: nossos pais!

Não é verdade. Infelizmente, em alguma estação, eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto.

Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão a ser especiais para nós: são os nossos irmãos, amigos e amores!

Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outras fazem a viagem experimentando somente tristezas. E no trem há, também, outras que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa.

Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe…

Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros acomodam-se em vagões diferentes do nosso, o que nos obriga a fazer essa viagem separados deles. Mas isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles. O difícil é aceitarmos que não podemos sentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar…

Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques. Só sabemos que esse trem jamais volta…

Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos, procurando em cada um o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto, poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos entender isso.

Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E, certamente, alguém nos entenderá.

O grande mistério é que não sabemos em qual estação desceremos.

E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim…

Deixar meus filhos viajando sozinhos será muito triste. Separar-me dos amigos que fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.

E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que essa bagagem tenha crescido e se tornado valiosa.

Agora, neste momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade…

Quem entrará? Quem sairá?

Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo ínfimo, deixaram desmoronar.

Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de “todos os passageiros”.

Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo!

Autoria desconhecida, mas, com certeza foi alguém que captou o real sentido do que é viver e não, simplesmente, um turista passivo que ficou olhando a vida passar pela janela …

Dizer o amor

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , on 03/06/2010 by Joe

Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro já sabe. Se sabe, maravilha, mas esse é um conhecimento que nunca está concluído. Pede inúmeras e ternas atualizações. Economizar amor é avareza. Coisa de quem funciona na frequência da escassez. De quem tem medo de gastar sentimento e lhe faltar depois. É terrível viver contando moedinhas de afeto. Há amor suficiente. Há amor para todo mundo. Há amor para quem quer se conectar com ele. Não perdemos quando damos: ganhamos junto. Quanto mais a gente faz o amor circular, mas amor a gente tem. Não é lorota. Basta sentir nas interações do dia-a-dia, esse nosso caderno de exercícios.

Se você ama, diga que ama. A gente pode sentir que é amado, mas sempre gosta de ouvir e ouvir e ouvir. É música de qualidade. Tão melodiosa, que muitas vezes, mesmo sem conseguir externar, sentimos uma vontade imensa de pedir: diz de novo? Dizer não dói, não arranca pedaço, requer poucas palavras e pode caber no intervalo entre uma inspiração e outra, sem brecha para se encontrar esconderijo na justificativa de falta de tempo. Sim, dizer, em alguns casos, pode exigir entendimentos prévios com o orgulho, com a bobagem do só-digo-se-o-outro-disser, com a coragem de dissolver uma camada e outra dessas defesas que a gente cria ao longo do caminho e quando percebe mais parecem uma muralha. Essas coisas que, no fim das contas, só servem para nos afastar da vida. De nós mesmos. Do amor.

Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá.

By Ana Jácomo.

Feliz Começo Novo!

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 31/12/2009 by Joe

2009 foi um ano de encontros, desencontros, reencontros, perdas, vitórias, empates … muitos ficaram pelo caminho, procurando uma bússola, um porto seguro …. outros encontraram seu porto, sua bóia e, até mesmo, suas muletas …. enfim, cada um viveu seus momentos particulares e reagiu de acordo com seu “mapa”, com seus “moldes” ….

No final, muita gente percebe que repetiu velhos padrões, agiu de acordo com os moldes de sempre e, consequentemente, não chegou ao final do ano como gostaria. Em outras palavras, não obtiveram os resultados desejados.

Para que tudo seja diferente e, ao final de 2010, as pessoas possam obter resultados diferentes, é preciso que ajam de formas diferentes. A palavra-chave aqui é “mudança”! Sem mudanças não obtemos resultados diferentes. Já falei sobre isto em posts anteriores … e também não quero parecer o dono da verdade e nem ditar fórmulas. Cada um deve procurar saber como chegou até os resultados obtidos no ano que agora se finda e mudar atitudes, padrões, caminhos … e, assim, atingir outros objetivos.

Usando uma linguagem própria da informática, eu quero, para o Ano Novo, que nossos dias sejam encontrados nos googles da vida através das tags …

Amor, Esperança, Perdão, Agradecimento, Carinho, Felicidade, Sorrisos, Mudanças, Atitudes, Temperos, Conforto, Surpresas, Compaixão, Empatia, Tolerância, Superação, Conquistas, Descobertas, Respeito, Acertos, Sucesso, Compartilhamento, Tesão, Cores, Ternura, Sonhos, Fantasias, Entusiasmo, Generosidade, Delicadeza, Trocas, Alegrias, Generosidade, Atenção, Oração, Otimismo, Coragem, Paz, Luz, Energia, Contentamento e muitas outras!

Desejo, enfim, que o Novo Ano seja construído dia a dia, que a cada manhã possamos iniciar um novo ano, uma nova vida … afinal, amanhã é o primeiro dia do resto de nossas vidas!

E como você vai construir a sua?

Desejo que cada um receba segundo a sua obra, ou seja, que cada um colha exatamente aquilo que plantar a cada dia … porque essa é a maneira como o Universo atua em tudo. Que cada um de nós faça as escolhas mais convenientes, segundo suas atitudes, crenças, valores … sem esquecer o princípio das mudanças contínuas!

Beijos e abraços a todos os amigos, visitantes e paraquedistas deste blog!!!

Um Feliz Começo Novo!!!!

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: