Arquivo para Serviço

Vire o jogo

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/12/2015 by Joe

Vire o jogo

Ficarmos presos ao passado a situações que, eventualmente, não deram certo é um retrocesso. Nossos trajetos são repletos de oscilações e intempéries.

Ninguém em sua história de vida alcançou algum objetivo sem antes ter passado por diversos percalços.

É bem verdade que alguns acontecimentos abalam nossa estrutura psicológica, nos deixando para baixo e, muitas vezes, desanimados. Também é normal que, em alguns momentos, sintamos vontade de largar tudo e não fazer mais nada.

Provavelmente, você não viveu no período da II Guerra Mundial, onde vários judeus foram assolados e massacrados pelo nazismo.

Talvez também não nasceu na Etiópia, África, e viu muitos morrerem de fome e até mesmo serem alimentos para os abutres e serem explorados pelos poderosos do país.

Imagino também que não viveu na época da escravidão, onde pessoas de cor eram negociadas como um produto qualquer e tratada como um bicho do mato.

O seu mundo sempre foi pequeno?

Se você é uma daquelas pessoas que levanta todos os dias às 4:00 da manhã para trabalhar, enfrenta um ônibus ou metrô lotado, ficando até 2 horas ou mais em pé, até chegar ao seu serviço, depois ao voltar pra casa repete o mesmo percurso, chegando 9:00 da noite, cansado e sem forças para querer fazer algo proveitoso que lhe traga crescimento para sua vida, você faz parte de um número elevado de brasileiros que estão em situações parecidas ou até mesmo iguais.

Talvez você tenha nascido em um lar desestruturado, onde seu pai nunca esteve presente em sua vida, sua mãe teve que se desdobrar para cuidar da casa e dos filhos, ou talvez você nunca tenha tido pai e mãe, foi criado por sua avó ou tia, ou até mesmo sozinho.

Como consequência, teve uma vida sem privilégios, seus estudos foram precários, sua qualidade de vida também, nunca teve condições de viajar e conhecer lugares.

Mas de tudo na vida podemos tirar lições!

Nem tudo o que acontece de ruim tem somente um lado negativo.

As derrotas e os fracassos fazem parte das nossas vidas. É preciso saber extrair as lições que nos ajudarão a errar cada vez menos.

O que passou, passou, não volta jamais, só fica na memória. O seu papel neste momento é olhar pra frente; esquecer o que aconteceu é impossível, mas trabalhar a sua mente para que tudo sirva como um grande aprendizado, isto sim, é possível!

Se soubermos usar os nossos fracassos e derrotas para aprimorar nossos sentimentos, seremos pessoas mais preparadas para enfrentar os grandes desafios da vida.

Lamentar não irá resolver sua vida; então, levante a cabeça, junte os “cacos” das derrotas e fracassos e transforme tudo isso em uma nova jornada de conquistas.

Vire o jogo, você consegue!

By Leonardo Nunes.

Anúncios

Descomplicando

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 09/04/2015 by Joe

Descomplicando

A vida é simples, simples e muito bonita… nós é que complicamos.

Alguma dúvida?

Aparece alguém em nossa vida, chega de mansinho e entra em nossa vida, percebemos que é possível acontecer algo bonito, lindo… mas o que fazemos?

Colocamos todas as nossas esperanças, expectativas, frustrações e desejos nas costas da pessoa! Então, o peso é demais e a relação, que tinha tudo para ser legal, vai para o brejo. E ai a gente sofre, sofre e reclama:

– “Meu Deus! Por que será que eu não acerto uma? Por que tudo dá sempre errado para mim?”

Sai de baixo que o drama vai começar, haja cebola para tanto choro…

Ah, mas não é só no amor, não, viu? No dia-a-dia também acontecem essas transferências! Veja no trabalho: você arrumou um emprego, ficou feliz, aí transfere suas expectativas para o emprego, já sonha com uma promoção, um aumento, gente legal… e o que acontece?

Ora, o de sempre! Todo lugar tem gente boa e gente que não vai com a nossa cara; então, você tem no serviço vinte pessoas que te adoram, uma delas não te suporta, para quem que você liga? Qual a opinião que mais te interessa?

Não foge não! É aquela pessoa que não vai com a tua cara que te preocupa, e aí o emprego já virou uma porcaria!

Mais exemplos? Ok, aqui vão mais alguns:

Você quer conquistar alguém, certo? O que você faz? Se arruma ao máximo, perfuma-se, checa o hálito, masca um chicletinho, penteia o cabelo, roupa nova, enfim, você se prepara para a conquista. Conquistou? Aí relaxa: a roupa já não é a melhor, o hálito é o de ontem, para se arrumar agora é só nos dias de festa, quer dizer, arrumar-se agora é só para os outros (estou errado?).

E na fé então? Você pede para Deus um milagre para te tirar daquela montanha de dívidas que você mesmo criou. Aí Deus, em um dia inspirado, manda um maluco aqui na Terra te parar na rua e entregar-te um pacote de dinheiro, o cara ganhou na loteria e prometeu que se ganhasse entregaria uma parte do dinheiro para o primeiro que encontrasse na rua (juro que isso já aconteceu!). E você, o que faz? Simplesmente, não faz… não pega o pacote com medo de que tenha sido roubado e fica trancado na sua casa, reclamando da vida, achando que Deus se esqueceu de você!

Olha, vamos parar de complicar a vida? Vamos tentar exercitar pelo menos a praticidade! Seja simples, seja objetivo! Aquela pessoa que você sonha não aparece há não sei quanto tempo e você ainda mantém esperanças? Está jogando vida fora…

Aquela Megasena acumulada que você quer ganhar sozinho não aparece, esquece, vamos batalhar um novo emprego, vamos estudar, vamos melhorar nosso aprendizado!

Aquela pessoa que você se apoiava foi embora? Sinal que não te merecia; tem mais de trocentos milhões de pessoas sozinhas, pessoas maravilhosas como você e você vai ficar aí chorando?

Por favor, pelo menos hoje seja simples, arrume as gavetas, abra as janelas da sua vida, deixe a luz entrar.

Se pedir a Deus, acredite que será atendido. Se quer mudar de vida, comece agora, pinte os cabelos de verde, sei lá, pelo menos vai chamar a atenção pra caramba!

Você está rindo? É para rir mesmo, pois a vida é assim, alegre, feliz, para cima! Acompanhe a vida, simplesmente seja feliz se aceitando como você é, com todas as suas qualidades e seus defeitinhos (tudo coisinha pouca)!

Seja mais você!

Você ainda está rindo? Que bom! Isso é um bom começo, e eu acabei de ganhar mais um amigo feliz!

Eu continuo acreditando na vida e em você, principalmente!

Desconheço o autor, mas concordo plenamente com o texto!

Normais

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 20/03/2015 by Joe

dv1992021

Normais levantam, reclamam, vestem, irritam-se, xingam e se cumprimentam sempre da mesma forma.

Dão as mesmas respostas para os mesmos problemas.

Têm o mesmo humor no serviço e em casa.

Petrificam sorrisos no rosto, dão presentes sempre nas mesmas datas.

Enfim, têm uma vida estafante e previsível. Fonte para vazios e enfados.

Normais não surpreendem, não encantam.

Deus, livra-me dos normais!

By Augusto Cury.

Imaginação e criatividade

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/12/2014 by Joe

Imaginação e criatividade

A imaginação e a criatividade proporcionam uma maior sensibilidade, além de estarem sempre atentas a novas possibilidades.

Existem muitos profissionais no mercado, e o que mais observamos é que cada produto ou serviço anunciado, cada empresa ou negócio que surge, nada mais é do que imitações e réplicas de algo existente.

Poucos têm a coragem de ousar e criar algo novo. É claro, pode ser um risco ou um fiasco. Imaginem personagens importantes da história, como Leonardo da Vinci, Galileu, Einstein, Thomas Edison, dentre outros, se pensassem da mesma forma!

A imaginação é algo pertencente à criança, pouco trabalhada na adolescência e quase extinta na fase adulta.

“O homem que não tem imaginação não tem asas” (Muhammad Ali).

A correria do dia-a-dia nos envolve tanto que nem conseguimos perceber aquilo que nos falta. Ter imaginação e criatividade são privilégios para poucos, não porque a maioria não possa tê-los, mas porque poucos as desenvolvem, pois são qualidades que podem ser adquiridas com treino e muita persistência.

“Um aspecto essencial da criatividade é não ter medo de fracassar” (Dr. Edwin Land).

Quem tem medo de enfrentar as intempéries da vida estará distante de conseguir se estabelecer como uma pessoa de sucesso. Por mais que o mundo impõe regras e padrões para se viver, quem investir em criatividade e imaginação estará a frente de muitos.

Quanto mais eficazes seríamos se soubéssemos usá-las… várias oportunidades surgiriam, mais possibilidades de trabalho, o mundo seria outro!

Desconheço a autoria.

Faça hoje

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 27/06/2014 by Joe

Faça hoje

Diz o preguiçoso: “Amanhã farei.”
Exclama o fraco: “Amanhã terei forças.”
Assevera o delinquente: “Amanhã regenero-me.”

É imperioso reconhecer, porém, que a criatura, adiando o esforço pessoal, não alcançou ainda a noção real do tempo. Quem não aproveita a bênção do dia vive distante da glória do século.

A alma sem coragem de avançar cem passos não caminhará vinte mil. O lavrador que perde a hora de semear não consegue prever as consequências da procrastinação do serviço a que se devota, porque, entre uma hora e outra, podem surgir impedimentos e lutas de indefinível duração.

Muita gente aguarda a morte para entrar numa boa vida. Contudo, a lei é clara quanto à destinação de cada um de nós. Alcançaremos sempre os resultados a que nos propormos.

Se todas as aves possuem asas, nem todas se ajustam à mesma tarefa nem planam no mesmo nível. A andorinha voa na direção do clima primaveril, mas o corvo, de modo geral, se consagra, em qualquer tempo, aos detritos do chão. Aquilo que o homem procura agora surpreenderá amanhã, à frente dos olhos e em torno do coração.

Cuida, então, de fazer, sem delonga, o quanto deve ser feito em benefício de tua própria felicidade, porque o amanhã será muito agradável e benéfico somente para aquele que trabalha no bem, que cresce no ideal superior e que aperfeiçoa nas abençoadas horas de hoje.

Desconheço a autoria.

Somos todos responsáveis

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/04/2014 by Joe

Somos todos responsáveis

Passava do meio-dia, o cheiro de pão quente invadia aquela rua, um sol escaldante convidava a todos para um refresco.

Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou:

– “Pai, to com fome!”

O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência…

– “Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu to com muita fome, pai!”

Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na padaria à sua frente. Ao entrar, dirige-se a um homem no balcão:

– “Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome. Não tenho nenhum tostão, pois saí cedo para buscar um emprego e nada encontrei. Eu lhe peço que, em nome de Jesus, me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino… em troca, posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o senhor precisar”.

Amaro, o dono da padaria, estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho. Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro que, imediatamente, pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF – prato feito – com arroz, feijão, bife e ovo. Para Ricardinho era um sonho comer após tantas horas na rua. Para Agenor, uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá.

Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada. A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um manjar dos deuses, e a lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de dois anos de desemprego, humilhações e necessidades.

Amaro se aproxima de Agenor e, percebendo a sua emoção, brinca para relaxar:

– “O, Maria! Sua comida deve estar muito ruim! Olha o meu amigo aqui… está até chorando de tristeza desse bife… será que é sola de sapato?”

Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer.

Amaro pede, então, que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho. Mais confiante, Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas…

Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da padaria, onde havia um pequeno escritório. Agenor conta, então, que há mais de dois anos havia perdido o emprego e, desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de pequenos “bicos aqui e acolá”, mas que há dois meses não recebia nada.

Amaro resolve, então, contratar Agenor para serviços gerais na padaria e, penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos uns quinze dias. Agenor, com lágrimas nos olhos, agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho.

Ao chegar em casa com toda aquela “fartura”, Agenor é um novo homem – sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso. Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta… era toda uma esperança de dias melhores!

No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da padaria, ansioso para iniciar seu novo trabalho. Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia por que estava ajudando. Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes; mas algo dentro dele chamava-o para ajudar aquele homem.

E ele não se enganou – durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres.

Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para alfabetização de adultos um quarteirão acima da padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar.

Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta…

Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula.

Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros, advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro. Ao meio dia, ele desce para um café na padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o “antigo funcionário” tão elegante em seu primeiro terno.

Mais dez anos se passam e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida na hora do almoço. Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho, o agora nutricionista Ricardo Baptista.

Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionava a todos que conheciam um pouco da história de cada um. Contam que, aos 82 anos, os dois faleceram no mesmo dia, quase que na mesma hora, morrendo placidamente, com um sorriso de dever cumprido.

Ricardinho, o filho, mandou gravar na frente da “Casa do Caminho”, que seu pai fundou com tanto carinho, uma placa que dizia:

– “Um dia, eu tive fome e você me alimentou. Um dia, eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia, acordei sozinho e você me deu Deus, e isso não tem preço. Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma! E que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar”.

Não se esqueçam: somos todos responsáveis por um mundo melhor! Todos nós podemos fazer uma parte que irá ajudar o todo!

E você, quando você começa?

Desconheço a autoria.

O permanente e o provisório

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/01/2014 by Joe

Permanente e provisório

O casamento é permanente, o namoro é provisório.
O amor é permanente, a paixão é provisória.
Uma profissão é permanente, um emprego é provisório.
Um endereço é permanente, uma estada é provisória.
A arte é permanente, a tendência é provisória.

De acordo? Nem eu.

Um casamento que dura 20 anos é provisório. Não somos repetições de nós mesmos; a cada instante somos surpreendidos por novos pensamentos que nos chegam através da leitura, do cinema, da meditação. O que eu fui ontem, anteontem, já é memória. Escada vencida degrau por degrau, mas o que eu sou neste momento é o que conta, minhas decisões valem pra agora, hoje é o meu dia, nenhum outro.

Amor permanente… como a gente se agarra a esta ilusão! Pois se nem o amor pela gente mesmo resiste tanto tempo sem umas reavaliações… Por isso nos transformamos, temos sede de aprender, de nos melhorar, de deixar para trás nossos imensuráveis erros, nossos achaques, nossos preconceitos, tudo o que fizemos achando que era certo e hoje condenamos.

O amor se infiltra dentro de nós, mas seguem todos em movimento: você, o amor da sua vida e o que vocês sentem. Tudo pulsando independentemente, e passíveis de se desgarrar um do outro.

Um endereço não é pra sempre, uma profissão pode ser jogada pela janela, a amizade é fortíssima até encontrar uma desilusão ainda mais forte, a arte passa por ciclos, e se tudo isso é soberano e tem valor supremo, é porque hoje acreditamos nisso, hoje somos superiores ao passado e ao futuro, agora é que nossa crença se estabiliza, a necessidade se manifesta, a vontade se impõe – até que o tempo vire.

Faço menos planos e cultivo menos recordações. Não guardo muitos papéis, nem adianto muito o serviço. Movimento-me num espaço cujo tamanho me serve, alcanço seus limites com as mãos, é nele que me instalo e vivo com a integridade possível. Canso menos, me divirto mais, e não perco a fé por constatar o óbvio: tudo é provisório, inclusive nós.

By Martha Medeiros.

%d blogueiros gostam disto: