Arquivo para Salmão

Quiche de salmão e espinafre

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 09/11/2013 by Joe

Quiche de salmão e espinafre

Apesar de atualmente a quiche ser considerada um prato tradicional francês muito saboroso, prático e fácil de preparar, sua origem é alemã, de uma região medieval chamada Lothringen. A palavra “quiche” vem do alemão “kuchen”, que significa “torta”.

Posteriormente, os franceses a batizaram de Lorraine, cuja origem remonta ao século XVI e era uma torta aberta recheada com creme feito de leite e ovos, acrescido de bacon defumado. Somente tempos depois foi acrescentado queijo à quiche Lorraine. Adicionando cebolas, obtém-se a quiche Alsaciana.

A quiche se tornou popular na Inglaterra logo após a Segunda Guerra Mundial e nos Estados Unidos na década de 1950. Hoje pode-se encontrar uma grande variedade de quiches, desde a original e deliciosa quiche Lorraine, até aquelas com frango, alho-poró, champignon, espinafre e mesmo peixes, como o salmão.

E, aliado ao salmão, a receita de hoje traz ainda o espinafre, um alimento muito nutritivo, que reúne nutrientes da mais alta qualidade. Rico em ácido fólico, essencial para o sistema nervoso, protege contra a doença de Alzheimer. Possui alto teor de potássio e baixo de sódio, o que auxilia no controle da pressão arterial; vitamina K, cálcio e fósforo, ótimos para a saúde dos ossos; luteína, um pigmento benéfico à visão; ferro, vitamina C, vitamina A, além de antioxidantes que defendem a pele contra o envelhecimento e as células contra o câncer.

O consumo constante (pelo menos, 3 vezes por semana) é um ótimo combustível para os músculos, aumentando sua eficiência.

Informações aprendidas, vamos à receita, lembrando que existem inúmeras variações nos recheios! A receita a seguir é uma dessas variações.

Quiche de salmão e espinafre

Ingredientes da massa

300 gr de farinha de trigo
125 gr de manteiga sem sal gelada cortada em padacinhos
1 ovo
1/2 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de água gelada
mais manteiga e farinha de trigo para untar a forma

Ingredientes para o recheio de salmão

400 grs de salmão
suco de 1 limão
1/4 xícara de vinho branco seco
3 dentes de alho picadinhos
1 colher (sopa) de mostarda
azeite a gosto
pimenta do reino a gosto
sal a gosto

Ingredientes para o recheio de espinafre

300 grs de espinafre
1/2 xícara (chá) de vinho branco seco
pimenta do reino a gosto
azeite
sal a gosto

Ingredientes para a cobertura

4 ovos
400 ml de creme de leite fresco
pimenta do reino a gosto
sal e noz-moscada a gosto

Modo de preparo da massa

Faça uma farofinha com a manteiga gelada e com a farinha de trigo. Bata o ovo, acrescente o sal e a água. Coloque essa mistura na farofinha e junte tudo até ficar uma massa homogênea, que não grude nas mãos.

Unte uma forma de fundo removível com manteiga e farinha de trigo e forre o fundo e as laterais com a massa. Com o auxílio de um garfo, fure toda a massa para evitar que se formem bolhas na hora de assar e a massa se quebre. Leve a forma à geladeira por uns 20 minutos, ou até que o recheio esteja pronto.

Modo de preparo do salmão

Tempere o salmão com o suco de limão, o alho picado, o vinho branco, a mostarda, a pimenta do reino e o sal gosto. Leve o salmão temperado à geladeira por 30 minutos para tomar gosto.

Aqueça uma panela com um pouco de azeite e doure o salmão de ambos os lados. Depois que o salmão estiver pronto, desfie-o usando um garfo e uma faca. Reserve.

Modo de preparo do espinafre

Lave bem as folhas do espinafre e esprema para tirar o excesso de água. Em uma panela, coloque um pouco de azeite e doure o alho. Acrescente o espinafre, o vinho branco e mexa bem. Tempere com pimenta do reino e sal a gosto e deixe cozinhando por mais 3 minutos. Desligue o fogo e reserve.

Modo de preparo da cobertura

Em uma tigela, junte os ovos, o creme de leite e bata com o auxílio de um fouet ou garfo até ficar bem homogêneo.Tempere com pimenta do reino, sal e noz-moscada a gosto.

Montagem

Retire a forma da geladeira, espalhe o salmão desfiado sobre a massa. Por cima dele, espalhe o espinafre e, por último, despeje a cobertura por cima de todo o recheio. Leve a quiche ao forno pré-aquecido a 180° C por aproximadamente 35 minutos, ou até que o recheio esteja firme e dourado por cima.

By Joemir Rosa.

Caldeirada de sardinhas

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/05/2013 by Joe

Caldeirada de sardinha

Que tal, neste Dia das Mães, você surpreendê-la e preparar um delicioso almoço para homenagear a sua?

O prato sugerido hoje é bem fácil e rápido de preparar, além de muito saboroso e nutritivo: uma deliciosa caldeirada de sardinhas!

As sardinhas costumavam nadar em grandes cardumes pelos mares da Sardenha, ilha localizada no Mediterrâneo, daí a origem do seu nome. Aventureiras, navegaram quilômetros e quilômetros até disseminar populações de sua espécie pelos vários oceanos do mundo.

Ao longo de sua missão desbravadora, vieram parar nas águas – e no prato – dos brasileiros, formando a família Sardinella brasiliensis, a típica iguaria nacional. Por ser tão comum e ter um baixíssimo custo, nem todo mundo se dá conta de que a sardinha esconde uma riqueza inestimável!

Ela é riquíssima em ácido graxo ômega-3, um tipo de gordura acumulada no corpo desse peixe, em quantidades que não deixam nada a desejar a parentes estrangeiros como o salmão, que levam a fama de serem as melhores fontes da substância.

No corpo humano, essas gorduras do bem minimizam a ação nociva de compostos inflamatórios, ajudam na prevenção de uma série de males, principalmente no coração, intestino e articulações. Sem falar que ainda entram na constituição da retina e da massa cinzenta.

Além do ômega-3, ela é fonte de proteínas de excelente qualidade, ideal para manter os músculos em dia, e o fósforo, um mineral que participa da mineralização dos ossos. Portanto, não faltam motivos para que se inclua essa aventureira dos mares no cardápio. Duas ou três vezes por semana é o suficiente. A versão em lata é uma alternativa válida de vez em quando, até pela praticidade. Só preste atenção em um detalhe: em conserva, o peixe geralmente vem imerso em óleos ou molho de tomate. Evite a primeira opção!

Informações em dia, vamos à receita de um prato que vai agradar a todos, além de fazer bem à saúde da família!

Aproveito para desejar a todas as mamães, um Feliz Dias das Mães, repleto de alegrias juntos aos seus filhos!

Caldeirada de sardinhas

Ingredientes

12 sardinhas inteiras limpas
3 colheres (sopa) de azeite
1 cebola picada
2 tomates picados, sem pele e sem sementes
1 pimentão amarelo cortado em tiras
1 alho-poró cortado em rodelas
sal a gosto
pimenta-do-reino moída a gosto
2 1/2 xícaras (chá) de caldo de legumes
3 colheres (sopa) de salsa picada

Modo de preparo

Em uma panela grande, aqueça o azeite e doure a cebola. Acrescente o tomate e refogue por uns dois minutos. Junte o pimentão, o alho-poró, sal, pimenta e refogue durante cinco minutos.

Acrescente o caldo de legumes e, assim que levantar fervura, abaixe o fogo para brando. Disponha as sardinhas delicadamente sobre o cozido, tampe a panela e cozinhe durante dez minutos sem mexer. Desligue o fogo e salpique a salsa.

Sirva com arroz branco e salada verde.

Dica: este prato fica mais saboroso se preparado de véspera, podendo ser servido frio.

By Joemir Rosa.

Salmão ao molho holandês

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/09/2012 by Joe

Peixe é, sem dúvida alguma, um elemento fundamental na nossa alimentação. Seja qual for a nossa faixa etária, ele deve estar presente na nossa dieta, pelo menos duas vezes por semana, pois o seu consumo ajuda a prevenir várias doenças como as que são provocadas pelo stress, as cardíacas e as de hipertensão.

Além de ajudar no desenvolvimento escolar, o peixe ajuda a diminuir o cansaço mental e, consequentemente, reduz também o risco de desenvolvimento da doença de Alzheimer em adultos e idosos.

Surpreendidos com a baixa taxa de acidentes cardiovasculares entre a população de esquimós da Groenlândia, cuja dieta alimentar se caracteriza por um elevado teor de gordura, os cientistas concluíram que a sua longevidade e boa saúde se devia exatamente ao elevado consumo de peixes ricos em ômega 3 (um tipo de gordura, conhecido como ácido graxo essencial, e não produzido pelo corpo humano, muito importante para uma boa saúde).

Segundo os especialistas, o seu consumo frequente ajuda ainda a controlar o colesterol e a hipertensão. O omega 3 é um ácido graxo polinsaturado que se encontra em várias espécies de peixes como o salmão, o atum, a sardinha, a garoupa, a truta ou o peixe-espada.

Este ácido gordo, ao contrário do que possa parecer, ajuda na redução das doenças cardiovasculares, formação de coágulos e acidentes vasculares cerebrais, protegendo ainda o organismo contra determinados tipos de câncer (mama, cólon e próstata), facilita o desenvolvimento correto da retina e do cérebro em crianças, e é terapêutico em doenças inflamatórias da pele. Além disso, como atua diretamente nas células nervosas, é também aconselhado no tratamento de problemas de sono, ansiedade e depressão.

Deve-se, no entanto, ter alguma atenção na sua preparação para que, durante o preparo, o peixe não perca as suas propriedades originais tão benéficas. Prefira-o grelhado ou assado, evitando as frituras.

A receita de hoje é especialmente preparada dessa forma, para manter todos os nutrientes essenciais do salmão. Para acompanhar, batatas cozidas, puxadas na manteiga e salsinha!

Bom apetite!

Salmão ao molho holandês

Ingredientes

4 postas generosas de salmão
1 cenoura picada
1 cebola grande picada
1 xícara (chá) de salsão picado
1 folha de louro
1 xícara (chá) de ervas finas a gosto
10 grãos inteiros de pimenta do reino
1 copo (200 ml) de vinho branco seco
2 copos (400 ml) de caldo de legumes
sal a gosto

Molho holandês

6 gemas
6 colheres (chá) de suco de limão siciliano
3 colheres (sopa) de água
1 xícara (chá) de manteiga sem sal derretida
sal a gosto
pimenta do reino branca a gosto

Acompanhamento

12 batatas bolinhas
1 xícara (chá) de salsinha picadinha
2 colheres (sopa) de manteiga com sal

Modo de preparo

Tempere as postas de salmão com parte das ervas, sal, cebola, e deixe descansar na geladeira por meia hora. Enquanto isso, em uma frigideira larga e funda, prepare o caldo de legumes com o vinho, a cenoura, as ervas, cebola, salsão, louro, pimenta do reino e sal. Deixe ferver por uns dez minutos (se necessário, coloque um pouco de água).

Retire o salmão da geladeira e acomode-os na frigideira sobre o caldo, tampe e deixe cozinhar por uns 15 ou 20 minutos. Prove o sal e acerte, se necessário.

Nesse meio tempo, prepare o molho holandês. Coloque, no liquidificador, as gemas, o sal, a pimenta, o suco de limão e bata tudo por dois minutos. Em seguida, vá despejando lentamente – e sem parar de bater – a manteiga derretida até o ponto de um molho espesso. Cuidado para não deixar o molho desandar!

Retire com cuidado as postas de salmão da frigideira, arrume-as em pratos individuais ou em uma travessa. Cubra com o molho e decore com uma rodela de limão retorcida. Coloque as batatas bolinhas cozidas e passadas na manteiga e cobertas com salsinha.

Um bom vinho branco é o acompanhamento ideal!

By Joemir Rosa.

Quiche de frango

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16/06/2012 by Joe

Apesar de atualmente a quiche ser considerado um prato tradicional francês muito saboroso, prático e fácil de preparar, sua origem é alemã, de uma região medieval chamada Lothringen. A palavra “quiche” vem do alemão “kuchen”, que significa “torta”.

Posteriomente, os franceses a batizaram de Lorraine, cuja origem remonta ao século XVI e era uma torta aberta recheada com creme feito de leite e ovos, acrescido de bacon defumado. Somente tempos depois foi acrescentado queijo à quiche Lorraine. Adicionando cebolas obtém-se a quiche Alsaciana.

A quiche se tornou popular na Inglaterra logo após a Segunda Guerra Mundial e nos Estados Unidos na década de 1950. Hoje pode-se encontrar uma grande variedade de quiches, desde a original quiche Lorraine, até aquelas com frango, alho-poró, champignon, espinafre e mesmo peixes, como o salmão.

A preparação de uma boa quiche é relativamente fácil, porém alguns segredos podem fazer toda a diferença no resultado final. Antes de passarmos à receita, vamos detalhar esses segredos:

1. Após a preparação e abertura da massa em forma própria (sim, ela é tão chique que tem uma forma especial!), a quiche deve ser toda furada no fundo para evitar bolhas e também deverá permanecer na geladeira por meia hora  antes de ir ao forno. Isso fará com que sua massa amanteigada não diminua nas laterais da forma.

2. A manteiga usada na preparação da massa deve ser sem sal e estar gelada.

3. De preferência use forma de fundo removível, pois isso impedirá que a quiche quebre. E asse em fogo pré-aquecido em torno de 180º C.

Segredos aprendidos, vamos à receita, lembrando que existem inúmeras variações nos recheios! A receita a seguir é uma dessas variações.

Quiche de frango

Ingredientes

Massa

300 g de farinha de trigo
1/2 colher (café) de fermento em pó
1 pitada de sal
180 g de manteiga gelada cortada em pedaços grandes
1 gema (reserve a clara)
1 ovo inteiro

Recheio

1/2 xícara (chá) de azeite extra-virgem
1 cebola picada
2 dentes de alho
1 peito de frango cozido e desfiado
2 colheres (sopa) de extrato de tomate
1 lata de ervilhas
1 lata de milho verde
1 copo de requeijão light
salsa picada a gosto
sal a gosto
farinha de rosca para polvilhar

Modo de preparo

Coloque no processador a farinha de trigo, o fermento, o sal e a manteiga e bata até virar uma farofa grossa. Junte o ovo inteiro e a gema e bata até que vire uma grande bola dentro do processador. Caso a massa esteja muito seca, vá pingando gotas de água gelada até a massa se unir e virar uma grande bola dentro do processador.

Retire e abra a massa na forma de quiche, sem untar. Fure toda a massa com a ponta de um garfo, pincele a clara batida na massa e leve à geladeira por 30 minutos.

Enquanto isso, em uma panela, adicione o azeite, refogue a cebola, o alho e adicione o peito de frango desfiado. Refogue, sempre mexendo bem, e adicione o extrato de tomate. Continue mexendo e, em seguida, adicione as ervilhas e o milho verde. Assim que a mistura ficar bem homogênea, desligue o fogo, misture o requeijão e finalize com a salsa picada. Corrija o sal, se necessário, e reserve.

Cubra toda a forma da quiche com este recheio e polvilhe ligeiramente com farinha de rosca, o que deixará um aspecto crocante e com menos gordura. Leve ao forno por 30 ou 40 minutos e sirva em seguida.

Deixo aqui mais um segredo: se o recheio que você for usar for mais molhado, que contenha molhos, é conveniente pré-assar sua quiche por, pelo menos, 25 minutos antes de colocar o recheio. Caso o recheio seja mais seco, não é necessário que asse a quiche previamente; neste caso você pode assar junto com o recheio por 40 minutos.

By Joemir Rosa.

Casquinhas de siri

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , on 30/04/2011 by Joe

A casquinha de siri é um prato muito tradicional na cozinha popular brasileira. Em geral são receitas de frutos do mar e peixes feitas na casca do siri. Não se sabe a origem da casquinha de siri como recipiente para elaborar receitas gastronômicas, mas outros países como a Espanha, Portugal e França também as usam com as espécies de crustáceos marinhos de lá. Sendo um produto marinho 100% natural, o efeito visual do prato fica atraente e prático na hora de saborear a entrada.

A título de curiosidade, o siri é encontrado em mangues, estuários, lagunas costeiras e na plataforma continental em profundidades de até 90 metros.

Nas receitas mais tradicionais, a carne do siri azul é usada como base, que tem uma carne branca muito delicada e saborosa. Além da carne de siri, podem ser usados outros produtos nobres como base na sua preparação, tais como: camarão, lagostim, bacalhau, cação, salmão e qualquer tipo de carne de peixe desfiada. Estes produtos podem ser combinados com alcaparras, azeitonas, verduras refogadas, etc. Podem ser levadas ao forno, gratinar ou fritar.

Uma casquinha é composta de quitina cristalizada com carbonato de cálcio, são produtos 100% naturais, neutros. Devidamente higienizadas não possuem odor, nem transferem sabor algum. Na teoria, poderiam ser ingeridas sem nenhum risco para a saúde.

É muito importante que as casquinhas de siri sejam muito bem higienizadas. Isto é, a remoção dos restos orgânicos e a esterilização da casquinha.

Mas, se não quiser ter esse trabalho todo, podem ser usadas casquinhas descartáveis, feitas de material plástico.

Histórias à parte, a casquinha de siri é uma prato saborosíssimo, que pode ser servido como entrada ou até mesmo como petisco, acompanhado de uma cerveja estupidamente gelada!

Aqui, uma receita muito prática e fácil de preparar, cujo resultado final é surpreendente! Só experimentando pra dizer!!!

Casquinhas de Siri

Ingredientes

250 g de carne de siri
suco de 1 limão
1 cebola bem picadinha
2 dentes de alho bem picados
6 colheres de sopa de azeite
4 tomates picados, sem pele e sem sementes
1 xícara (chá) de leite de coco
páprica picante a gosto
sal a gosto
salsinha picada
6 colheres de sopa de farinha de rosca
4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
pedacinhos de manteiga

Para acompanhamento

manteiga a gosto
farinha de rosca a gosto

Modo de preparo

Tempere a carne de siri com o limão e deixe descansar por 5 minutos. Doure a cebola e o alho no azeite, junte os tomates picados e o siri, misture bem e refogue por 10 minutos.

Acrescente o leite de coco e tempere com a páprica picante, o sal e a salsinha picada. Junte 4 colheres de farinha de rosca e retire do fogo. Recheie 10 a 12 casquinhas (podem ser casquinhas de plástico ou do tipo descartáveis), e cubra com uma mistura de 2 colheres de sopa de farinha de rosca e o queijo parmesão ralado. Coloque pedacinhos de manteiga e leve ao forno médio até gratinar.

Derreta manteiga em uma outra panela e doure a farinha de rosca. Sirva como acompanhamento.

By Joe.

Atum grelhado

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/02/2011 by Joe

Peixe é, sem dúvida alguma, um elemento fundamental na nossa alimentação. Seja qual for a nossa faixa etária, ele deve estar presente na nossa dieta, pelo menos duas vezes por semana, pois o seu consumo ajuda a prevenir várias doenças como as que são provocadas pelo stress, as cardíacas e as de hipertensão.

Além de ajudar no desenvolvimento escolar, o peixe ajuda a diminuir o cansaço mental e, consequentemente, reduz também o risco de desenvolvimento da doença de Alzheimer em adultos e idosos. Surpreendidos com a baixa taxa de acidentes cardiovasculares entre a população de esquimós da Gronelândia, cuja dieta alimentar se caracteriza por um elevado teor de gordura, os cientistas concluíram que a sua longevidade e boa saúde se devia exatamente ao elevado consumo de peixes ricos em omega 3 (um tipo de gordura, conhecido como ácido graxo essencial, e não produzido pelo corpo humano, muito importante para uma boa saúde).

O atum é um peixe rico em omega 3, por isso torna-se uma opção saudável e nutritiva que deve ser consumida com regularidade. O atum é uma das espécies provenientes das águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos e é uma importante fonte de proteínas (fundamentais para a nossa estrutura muscular), vitaminas ( A, B e D), omega 3 e sais minerais (magnésio, cálcio e fósforo que fortalecem os ossos).

Segundo os especialistas o seu consumo frequente ajuda ainda a controlar o colesterol e a hipertensão. O omega 3 – um ácido gordo polinsaturado que se encontra também em outras espécies como a sardinha, o salmão, a garoupa, a truta ou o peixe-espada – é o verdadeiro tesouro do atum. Este ácido gordo, ao contrário do que possa parecer, ajuda na redução das doenças cardiovasculares, formação de coágulos e acidentes vasculares cerebrais, protegendo ainda o organismo contra determinados tipos de câncer (mama, cólon e próstata), facilita o desenvolvimento correto da retina e do cérebro em crianças, e é terapêutico em doenças inflamatórias da pele. Além disso, como atua diretamente nas células nervosas, é também aconselhado no tratamento de problemas de sono, ansiedade e depressão.

Deve, no entanto, ter alguma atenção na sua preparação para que durante o preparo o atum não perca as suas propriedades originais tão benéficas. Prefira-o em saladas, grelhados ou assados e evite os fritos.

A receita de hoje é especialmente preparada dessa forma, grelhada, para manter todos os nutrientes essenciais do atum. Para acompanhar, batatas cozidas, regadas com um delicioso molho holandês!

Espero que gostem e comentem!!!!

Atum grelhado

Ingredientes

2 filés grandes de atum fresco
4 folhas de alface
4 fatias médias de limão
2 ramos de salsinha
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
sal a gosto
4 batatas

Para o molho holandês

2 gemas
2 colheres de água
5 colheres de manteira derretida
1 colher (chá) de suco de limão
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Pincele os filés de atum com o azeite de oliva e salpique o sal em toda a superfície. Coloque em cada um deles um ramo de salsinha e 2 fatias de limão. Depois embrulhe-os nas folhas de alface e deixe tomar gosto por 2 horas.

Enquanto isso cozinhe quatro batatas em água com uma pitada de sal, tomando o cuidado para não deixá-las muito moles. Reserve.

Desembrulhe o atum, e despreze a salsinha, a alface e as fatias de limão. Disponha o atum em uma frigideira e leve ao fogo, deixando grelhar por uns 10 minutos, virando de lado na metade do cozimento. Retire assim que o peixe estiver no ponto.

Prepare o molho holandês, colocando, em um refratário, as duas gemas e a água. Bata com um batedor manual por 3 minutos, ou até que a mistura fique “esponjosa”.
Coloque o refratário dentro de uma panela com água fervente, tomando o cuidado de não encostar o refratário na água. Continue batendo por mais 1 minuto, ou até obter um creme. Aos poucos, vá adicionando, colher a colher, a manteiga derretida sem parar de bater.

Retire o refratário da panela e coe em uma peneira bem fina. Junte o suco de limão, o sal e a pimenta-do-reino, misturando bem. Despeje sobre as batatas e sirva a seguir com o atum grelhado.

Bom apetite!

By Joe.

Lasanha de panqueca

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/08/2010 by Joe

Dizem que a Itália reclama para si a paternida (ou maternidade?) da lasanha! Porém, existem algumas evidências de um prato muito parecido, que era apreciado na antiguidade greco-romana, onde o filósofo Cícero escreveu os primeiros relatos textuais sobre o prato.

Do mundo antigo aos costumes medievais, a lasanha ganhou destaque principalmente em terras italianas, ainda Roma, durante o crescimento das cidades no final da idade média. Também na corte do Rei Ricardo II, no século XIV, o tal prato era conhecido como “loseyns” (lê-se “lasan”), e constou do primeiro livro de receitas editado na Inglaterra. Nele é citado um prato preparado em camadas de massa lisa, porém sem tomates, uma vez que estes ainda não eram conhecidos na Europa.

Nos séculos XIX e XX houve muitas mudanças radicais em todo mundo no que se refere à culinária. Em primeiro lugar, a indústria assumiu um importante papel no ramo alimentício. Nos Estados Unidos, por exemplo, as massas ganharam um formato mais ondulado, que é o tipo de massa mais consumido hoje em dia.

Inclusive no Brasil, a propagação das receitas de lasanha ocorreu nessa época, pois o país foi foco de imigrantes italianos em grande número. Não somente as receitas de lasanha, mas também os outros pratos que envolviam massas viraram rapidamente comidas muito apreciadas e largamente consumidas pelos brasileiros. Logo, a lasanha alcançou grande diversidade em tipos e modos de preparo.

Pode-se destacar, dentro dessa variedade: a lasanha de berinjela, a lasanha de frango e a lasanha de carne moída. Esta última é uma das mais tradicionais, e é feita com molho à bolonhesa. Como existem inúmeras receitas com esse prato, indicam-se também as lasanhas de peru, de frango e de salmão.

Acredito que todos tenham uma receita infalível e deliciosa de lasanha. Todas ótimas!

Então, seguindo a tendência deste blog de apresentar sempre um prato diferente, ou uma variação sobre o mesmo tema, trago hoje uma receita de lasanha com uma massa um pouco diferente!

Espero que curtam! Garanto que fica saborosíssima!

Lasanha de panqueca

Ingredientes

300 g de presunto cortado em fatias
400 g de queijo mussarela cortado em fatias
queijo parmesão ralado grosso a gosto

Massa

1/2 litro de leite
2 ovos
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
óleo para untar a frigideira

Molho de tomate

2 colheres (sopa) de óleo de soja
1/2 quilo de carne moída
1/2 xícara (chá) de bacon picado
1/2 cebola picada
4 xícaras (chá) de molho de tomate
1 xícara de chá de água
1 colher (sobremesa) de vinagre
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Molho branco

4 colheres (sopa) de manteiga
1/2 cebola processada ou finamente ralada
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
1/2 litro de leite
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Em um liquidificador, bata o leite, os ovos, a farinha de trigo e o sal até que fique homogêneo. Coloque uma porção desta mistura em uma frigideira untada e espalhe até formar uma panqueca redonda. Deixe cozinhar dos dois lados. Faça o mesmo com o restante da massa. Reserve.

Prepare o molho vermelho. Aqueça o óleo em uma panela e refogue a carne e o bacon. Acrescente a cebola e refogue-a. Em seguida, acrescente o molho de tomate, a água, o vinagre, o sal, a pimenta-do-reino, misture e deixe apurar por 5 minutos no fogo médio. Reserve.

Prepare o molho branco. Aqueça a manteiga em uma panela e refogue a cebola. Acrescente a farinha de trigo e doure-a. Despeje o leite lentamente e, sem parar de mexer, deixe apurar no fogo médio até que engrosse. Por fim, acrescente o sal, a pimenta-do-reino e misture.

Em um refratário, coloque uma camada de molho de tomate, a massa, o molho branco, o presunto e o queijo. Repita a sequência finalizando com o queijo. Salpique o queijo parmesão e leve ao forno pré-aquecido (220 ºC) por cerca de 15 minutos.

Um vinho tinto encorpado é um ótimo acompanhamento!

Bom apetite!

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: