Arquivo para Receitas

Manjar de laranja

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/11/2014 by Joe

Manjar de laranja

Há tempos eu contei a história um tanto curiosa do manjar e, com ela, pudemos compreender como as mudanças na cozinha ocidental ocorreram.

Interessante também é percebermos como as receitas foram se adaptando aos costumes, preferências e gostos regionais, principalmente no Brasil, um país onde a fartura de variedade de frutas, principalmente, é imensa.

Entre as mudanças na gastronomia, o manjar é uma caso típico: de salgado, logo se transformou numa das mais delciosas sobremesas!

Caso queira conhecer a história desse prato e duas dessas receitas, sugiro dar uma olhada na de Manjar Branco e de Manjar de Abóbora com Coco!

E hoje trago mais uma dessas delícias, fácil de preparar e com aquele gostinho de laranja que todo mundo curte!

Manjar de laranja

Ingredientes

6 colheres (sopa) de amido de milho
1 litro de suco de laranja natural
1 lata de leite condensado
1 vidro de leite de coco (200 ml)
50 g de coco ralado

Calda

1 colher (sobremesa) de amido de milho
2 xícaras (chá) de suco de laranja natural
1/2 xícara (chá) de açúcar
Gomos de laranja e frutas para decorar

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o amido de milho dissolvido no suco de laranja, o leite condensado, o leite de coco e o coco ralado. Leve ao fogo brando, mexendo sempre até engrossar. Coloque em uma forma, umedecida com água. Deixe esfriar e leve a geladeira até firmar.

Calda

Em uma panela coloque o amido de milho dissolvido no suco de laranja, o açúcar e leve ao fogo brando mexendo sem parar até incorporar. Deixe esfriar. Desenforme o manjar, decore com as frutas e sirva com a calda.

By Joemir Rosa.

Coxinha de brigadeiro

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 01/11/2014 by Joe

Coxinha de brigadeiro

Nos últimos dias, uma novidade invadiu as redes sociais e encheu de água os olhos e as bocas de muita gente: a coxinha de brigadeiro!

Já contei aqui, anteriormente, a origem da coxinha de frango e deixei uma receita muito saborosa. Também já contei a história do brigadeiro (ou negrinho, como é chamado no sul do Brasil) e postei diversas receitas (variações) desse delicioso docinho!

Não há muito mais que explicar, até porque o brigadeiro de morango já existia; o que inventaram foi apenas juntar duas delícias presentes em qualquer festa, o próprio brigadeiro e a coxinha!

Então, o melhor é partir direto para a receita desta novidade!

Coxinha de brigadeiro

Ingredientes

2 latas de leite condensado
1 caixinha de creme de leite
1 colher de sopa de manteiga
4 colheres de sopa de cacau em pó
gotas de baunilha (opcional)
20 morangos lavados e secos
granulado ou coco ralado para decorar

Modo de preparo

Antes de começar a preparar a receita, uma dica: mantenha o cabo dos morangos para que eles não liberem o sumo interno e estraguem o doce. Para isso, corte os talos bem perto da polpa, mantendo os morangos bem fechados.

Em uma panela antiaderente média, coloque o leite condensado, o creme de leite, o cacau em pó peneirado e a manteiga. Se quiser dar um sabor e aroma mais gostoso, adicione algumas gotas de essência de baunilha à mistura. Leve ao fogo brando e mexa sem parar até que a massa comece a desprender do fundo da panela, naquele ponto meio puxa-puxa. Desligue o fogo, unte um prato com manteiga e despeje a massa. Espere esfriar.

Depois de fria, unte as mãos com manteiga e comece a trabalhar a massa. Com a ajuda de uma colher de sopa, pegue pequenas porções da massa e abra na palma da mão. Coloque um morango no centro da massa, deixando a parte mais larga da fruta na palma da mão para poder dar o formato mais alongado, como o de uma coxinha salgada.

Passe no granulado ou no coco ralado e coloque em forminhas de papel. Está pronto!

Caso queira variar, use uvas, cerejas, damascos ou outras frutas da sua preferência no lugar do morango. Outra ideia é usar o brigadeiro branco recheado com coco ou morango, por exemplo. Para fazer o brigadeiro branco não tem segredo: é só não acrescentar o chocolate em pó.

By Joemir Rosa.

Bom-bocado

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/10/2014 by Joe

Bom-bocado

Como já comentamos anteriormente em algumas receitas, a utilização de ovos – principalmente muitas gemas – é uma característica dos doces portugueses, normalmente aqueles criados pelas freiras, em conventos. Para agradar os nobres que as visitavam, usavam uma grande quantidade de gemas que sobravam – as claras eram utilizadas para manter as roupas delas sempre bem “engomadas”.

E muitos desses doces chegaram até o Brasil e foram sendo adaptados aos novos ingredientes: coco, queijos, mandioca, frutas típicas, etc. Entre essa grande quantidade, o bom-bocado é um desses doces que foi sendo adaptado aos gostos, costumes e ingredientes locais, indo parar nas mesas de festas de aniversários, batizados e até festas juninas.

Originalmente, era preparado com uma grossa calda de açúcar, à qual misturavam muitas gemas, farinha, manteiga, amêndoas trituradas, levando-se para assar em forminhas, em banho-maria.

Da receita original, restaram apenas os ovos, o açúcar e o leite. A farinha deu lugar ao fubá e à mandioca. O queijo foi trocado pelo coco (e até mantendo uma boa convivência), e as amêndoas sumiram da receita, uma vez que era um produto importado, muito caro para os nossos padrões.

Como era um doce vendido nas ruas do Rio de Janeiro pelas escravas que as sinhás liberavam para fazer pequenos negócios, logo caiu no gosto popular e começou a rivalizar com o doce original, produzido nas cozinhas senhoriais.

Por curiosidade, Pedro I era amante de furrundum, doce de cidra ralada, gengibre macerado e rapadura; Pedro II, se amarrava no de figo feito em tacho; Rui Barbosa elegia entre os preferidos o de batata; Deodoro, bom nordestino, não resistia à compota de caju; Juscelino empregava uma doceira especializada em baba-de-moça; Tancredo Neves revelava predileção por queijadinhas e quindins.

Na literatura, Jorge Amado fez da cozinha de Gabriela e de Dona Flor a extensão de sua mesa, onde quer que estivesse morando: são muitos os doces citados por ele e atribuídos às qualidades culinárias de suas inesquecíveis personagens. Já o bom-bocado aparece nas páginas de Machado de Assis.

E a receita de hoje é justamente a citada nas obras de Machado de Assis, muito prática e fácil de preparar, e é um exemplo de como o doce adaptou-se bem aos costumes e ingredientes locais!

Bom-bocado

Ingredientes

3¼ xícaras (chá) de açúcar
1¼ xícara (chá) de água
2½ xícaras (chá) de coco fresco ralado
½ xícara (chá) de queijo parmesão ralado
5 colheres (sopa) rasadas de manteiga
½ xícara (chá) de farinha de trigo
6 ovos

Modo de preparo

Em uma panela, leve a água e o açúcar ao fogo, mexendo sempre até o açúcar dissolver bem. Cozinhe bem até a calda ficar em ponto de fio. Retire do fogo, acrescente o coco, o queijo, os ovos batidos, a manteiga e vá adicionando a farinha, mexendo com cuidado para não empelotar.

Mexa sempre até que fique uma mistura bem homogênea. Deixe esfriar um pouco.

Depois, distribua em forminhas de empada untadas e asse no forno pré-aquecido até dourar.

Retire do forno, deixe amornar para que solte das forminhas (se for preciso, utilize a ponta de uma faca, com cuidado) e sirva em temperatura ambiente.

By Joemir Rosa.

Creme caramelo

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/10/2014 by Joe

Creme caramelo

O caramelo é um desses doces cuja origem se perde no tempo. De qualquer forma, suas características “maleáveis” permitem uma variada gama de usos na cozinha, seja na preparação de caldas ou de pudins, chocolates industrializados e até para decoração de pratos.

Ele é produzido a partir do aquecimento lento do açúcar até que se obtenha um ponto pastoso que chamamos de caramelo. À medida que o açúcar vai derretendo e se aproximando da temperatura de 170ºC (ou 340ºF), as moléculas vão se quebrando em compostos que dão a cor e o sabor característicos.

Na indústria de alimentos, o corante de caramelo é um dos aditivos mais antigos conhecidos utilizados na obtenção de cores, que vão do amarelo-palha até o quase negro (utilizado nos refrigerantes tipo Cola).

A receita deste sábado é muito simples: uma sobremesa rápida e prática de se preparar, onde o caramelo é utilizado para dar cor e até mesmo uma decoração às taças onde será servida.

Creme caramelo

Ingredientes

1/2 litro de leite
2 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de amido de milho
1 ovo (gema e clara separadas)
2 colheres (sopa) de açúcar para o caramelo
1/2 xícara de açúcar para o creme
1 colher (sopa) de açúcar para a clara em neve
1 pitada de sal
1 colher (chá) de essência de baunilha

Modo de preparo

Derreta as duas colheres de açúcar, prepare o caramelo e espalhe nas laterais e bordas de taças individuais.

Reserve 1/2 xícara de leite e leve o restante ao fogo junto com a manteiga. Dissolva o amido e a gema no leite reservado, junte ao leite da panela e mexa sem parar. Adicione, sem parar de mexer, ½ xícara (chá) de açúcar, o sal e a baunilha. Ferva por cinco minutos até obter ponto de creme (mingau).

Bata a clara em neve, juntando uma colher (sopa) de açúcar. Incorpore a clara ao creme, misturando rapidamente. Retire do fogo e distribua entre as taças. Deixe esfriar e leve à geladeira.

Sirva bem gelado.

By Joemir Rosa.

Frango com iogurte e bacon

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 27/09/2014 by Joe

Frango com iogurte

O frango é a ave mais comum utilizada na culinária e atualmente seu consumo está emparelhado ao de carne bovina. A carne de frango é considerada uma carne branca, assim como a dos peixes; possui menor teor de gordura que a carne vermelha e é mais macia.

Entretanto, o que genericamente se chama de frango pode ter quatro classificações, como: galeto, frango, frango caipira e frango capão. É muito importante saber qual o tipo de frango utilizado, uma vez que cada um possui um modo de preparo característico, influenciando no sabor da carne.

O Brasil é um dos países que mais consome carne no mundo, e os números não param de crescer. Em 2011, o brasileiro consumiu em média 47 kg de carne de frango, 15 kg de carne de porco e 35 kg de carne de boi, um aumento de 7,5%, 7% e 9%, respectivamente, comparado a 2010.

Tanto a carne branca quanto a vermelha têm excelente valor nutritivo. As carnes são ricas em proteínas, fornecem minerais como zinco, ferro, potássio, cobre e fósforo, além de boas doses de vitamina B12, exclusiva em alimentos de origem animal, e de outras vitaminas do complexo B, como B3, B5 e B6.

Porém, não podemos exagerar. Os alimentos de origem animal são ricos em gorduras saturadas, que aumentam os níveis de LDL (o colesterol ruim) no organismo, podendo aumentar também os riscos de problemas no coração. A indicação de consumo dessa gordura – encontrada principalmente na pele do frango e na gordura aparente das carnes vermelhas – é de, no máximo, 2 g por dia.

Portanto, nada de exageros no consumo de carnes gordas.

Hoje trazemos uma receita bem simples e fácil de preparar, que fica bem crocante e saborosa!

Frango com iogurte e bacon

Ingredientes

3 peitos de frango desossados
sal a gosto
2 colheres (sopa) de páprica doce
3 dentes de alho amassados
1/2 colher (chá) de canela
1 cebola ralada
1 colher (chá) de casca ralada de limão
6 fatias de bacon
1/4 de xícara de azeite
1 xícara de iogurte natural
1 pimenta-malagueta amassada

Modo de preparo

Aqueça o forno a 200º C. Divida os peitos de frango em duas partes no sentido vertical.

Misture, numa tigela, o sal, a páprica, o alho, a canela, a cebola, a casca de limão e passe essa mistura sobre as partes de peito de frango. Cubra cada um deles com uma fatia de bacon.

Misture bem o azeite com o iogurte e banhe bem os peitos. Leve ao forno para assar por 30 minutos ou até a carne ficar macia e assada.

By Joemir Rosa.

Atum à moda oriental

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20/09/2014 by Joe

Atum à moda oriental

O atum é um peixe muito nutritivo! É rico em proteínas de alta qualidade, excelente fonte de nutrientes importantes como o selênio, magnésio, potássio, complexo de vitamina B, ômega-3 e outros minerais.

Os benefícios dos ácidos graxos ômega-3 para a nossa saúde são muitos, principalmente para o nosso sistema cardio-vascular, auxiliando na prevenção de ataques cardíacos, evitando a formação de coágulos, melhorando o colesterol bom e combatendo o ruim. Também reduz os níveis de triglicerídeos, controlam a pressão alta e reduzem o risco de fibrilação atrial (tipo mais comum de arritmia cardíaca).

A vitamina B6 mais o ácido fólico ajudam a reduzir os níveis de homocisteína, altamente prejudiciais para as paredes das artérias, importante fator de risco para aterosclerose.

Não bastasse tudo isso, ainda faz bem para a saúde dos nossos olhos! Os ácidos graxos ômega-3 (olha eles aí novamente!) combatem a degeneração macular do olho e a síndrome do olho seco. Estudos mais recentes relatam que o consumo de atum ajuda na prevenção de câncer de mama, de ovários, pâncreas e outros órgãos do aparelho digestivo (inclusive boca, faringe, esôfago, estômago e cólon).

E, pra finalizar, o ômega-3 ainda ajuda a combater doenças do cérebro, como mal de Alzheimer, principalmente.

Depois dessa imensa lista de benefícios desse saboroso peixe, só nos resta trazer uma deliciosa receita para este sábado. Escolhi um prato muito fácil e rápido de preparar, à moda oriental e que inclui o atum entre seus ingredientes!

Espero que gostem!

Atum à moda oriental

Ingredientes

4 dentes de alho picados
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
400 gramas de atum em postas
8 colheres (sopa) de sementes de gergelim
10 edamames (grãos de soja ainda na vagem) pré-cozidos
1/2 cenoura média bem picada
4 ramos de cebolinha picados
1/2 cebola fatiada
4 colheres (sopa) de vinagre de arroz
6 colheres (sopa) de vinagre balsâmico
1 tomate, sem sementes, em cubinhos
1/2 avocado médio, cortado em cubinhos
cebolinha fatiada

Modo de preparo

Em uma frigideira, frite o alho na metade do azeite. Reserve.

Em um prato, passe as postas de atum nas sementes de gergelim (reserve um pouco para decorar) até que fiquem cobertas por inteiro. Aqueça uma chapa de ferro ou frigideira com o azeite restante e sele as postas de atum, virando-as de um lado para o outro, por cerca de dois minutos. Reserve.

Com as mãos, esprema as vagens do edamame para retirar os feijões de soja. Em outra frigideira, em fogo baixo, aqueça a cenoura, a cebolinha, a cebola, o alho frito e os feijões de soja. Aos poucos, junte o vinagre de arroz e o balsâmico. Misture por um minuto. Acrescente o tomate e o avocado. Misture bem.

Em um prato, disponha a cebolinha fatiada e, por cima, as postas de atum. Cubra com o mix de vegetais e decore com as sementes de gergelim reservadas. Se preferir, sirva com arroz.

By Joemir Rosa.

Ataif

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13/09/2014 by Joe

Ataif

Os doces árabes, muito elaborados, são geralmente preparados com nozes, amêndoas, frutas secas e mel, e aromatizados com deliciosas essências, como a de rosas e a de flor de laranja, que evocam lembranças às “mil e uma noites”. Em alguns países, ainda são usadas as flores de laranja para aromatizar a água que servirá à preparação de pratos.

Comparados à maioria dos doces ocidentais, a doçaria árabe é bem mais acentuada no açúcar, característica que cai bem no gosto dos brasileiros, pois se assemelham na doçura à confeitaria portuguesa e às nossas compotas regionais e doces de fazenda.

Uma iguaria da doçaria árabe muito conhecida no mundo inteiro é a Baklava, torta de massa folhada de origem turca, e o ataif, servido quente e coberto com calda de flor de laranjeira.

Ataif são pequenas panquecas recheadas de nozes ou queijo e umedecidas com uma calda rala feita de água, açúcar, limão, água de rosas ou de flor de laranjeira. Também é usado o mel no lugar da calda. É uma sobremesa luxuosa, muito usada em casamentos por todo o Oriente Médio e mundo árabe.

E hoje trazemos exatamente essa receita deliciosa, muito ao gosto dos brasileiros!

Ataif de nozes

Ingredientes

Massa

500 ml de leite tipo B
1 ½ colher (sopa) de fermento biológico
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
óleo de canola para untar uma chapa (frigideira)

Recheio

500 g de nozes moídas
1 colher (sopa) de açúcar refinado
1 colher (café) de canela em pó

Calda

300 ml de água
½ kg de açúcar
2 colheres de sopa de água de flor de laranjeira
suco de 1 limão

Modo de preparo

Massa

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador. Aqueça bem uma chapa (ou frigideira), e unte-a com o óleo. Em fogo médio, coloque uma concha pequena da massa de ataif e espalhe pela chapa formando discos de mais ou menos uns 10 cm de diâmetro. Asse apenas de um lado. Depois de cozidos, retire-os da chapa com o auxílio de uma espátula.

Entre uma panqueca e outra, limpe a chapa ou frigideira com um guardanapo umedecido em óleo.

Recheio

Misture bem as nozes com o açúcar e a canela.

Montagem

Recheie cada crepe (deixe as massas com o lado mais claro para cima) com 1 colher (de sopa) do recheio de nozes. Feche formando uma meia lua e pressione bem a borda para lacrar o ataif.

Calda

Em uma panela, derreta o açúcar na água, em fogo médio até engrossar. Quando estiver em ponto de fio, acrescente o suco de limão, misture bem e retire do fogo. Acrescente a água de flor de laranjeira, misturando bem, regue as panquecas e sirva imediatamente.

Experimente também preparar a calda com água de rosas, encontrada em lojas de produtos árabes.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: