Arquivo para Proteína

Bauru

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/12/2013 by Joe

Bauru

Muitas pessoas no mundo todo saboreiam o sanduíche Bauru e nem imaginam que o lanche foi batizado com este nome por causa de um bauruense.

A receita, embora simples e hoje conhecida internacionalmente, foi inventada em 1933 pelo então estudante de direito Casimiro Pinto Neto, o Bauru, apelido que recebeu dos amigos quando chegou à capital por causa da sua cidade de origem, no interior de São Paulo. Casimiro, na época, era um dos frequentadores da famosa lanchonete paulistana – o Ponto Chic – instalado no largo do Paissandu, considerado naquela época como o centro novo e elegante de São Paulo.

Numa noite, chegando atrasado ao Ponto Chic para um compromisso, Casimiro quis comer algo rápido e substancioso. Chamou Carlos, o principal sanduicheiro da casa, e orientou, com base num livreto sobre alimentação para crianças:

– “Abra um pão francês, retire o miolo e ponha dentro queijo derretido”.

Enquanto Carlos anotava, Bauru comentou:

– “Está faltando proteína nisso”.

Deu então a ordem:

– “Acrescente umas fatias de rosbife”.

O sanduicheiro se afastava, quando Bauru completou a receita:

– “Carlos, bota também umas fatias de tomate”.

Quando Bauru estava comendo o segundo sanduíche, um amigo chegou, pegou um pedaço de seu lanche, gostou e gritou para o garçom:

– “Me vê um destes do Bauru!”

A partir daí, os amigos foram experimentando e o nome foi ficando. Todos quando iam pedir, falavam:

– “Me dê um do Bauru”, “…me dê um Bauru”, e assim ficou o nome para o sanduíche inventado por Casimiro Pinto Neto … Sua Excelência, o Bauru!!!

Com a intenção de deixar o lanche ainda mais saboroso, os chefes de cozinha foram adicionando, nas últimas décadas, novos ingredientes à receita original do Bauru. Assim, o lanche passou a incluir, além de tomates frescos, fatias de pepino curtido em vinagre de vinho branco (picles) e vários tipos de queijo.

E hoje eu trago a receita original deste lanche famoso e muito saboroso!

De passagem por São Paulo, não deixe de visitar o Ponto Chic e experimentar esse e outros deliciosos pratos preparados pela casa.

Bauru

Ingredientes

250 gramas de rosbife cortado fino
80 g de queijo prato
80 g de queijo suíço
80 g de queijo estepe
10 g de queijo provolone
3 copos de água
1/2 colher de sopa de manteiga
6 rodelas de tomate
6 fatias de pepino*
3 pães franceses
sal a gosto

* Antes de começar a preparar o sanduíche, é preciso deixá-lo por quatro dias em uma conserva de vinagre de vinho branco.

Modo de preparo

Leve uma panela ao fogo, com três copos de água. Acrescente a manteiga e aqueça, até que se forme uma camada de óleo por cima. Baixe o fogo. Coloque primeiro o queijo provolone na água. Em seguida, vá acrescentando os outros queijos, aos poucos, e vá mexendo sempre e acrescentando água quando necessário, até que se forme uma pasta uniforme.

Corte um pão ao meio, no sentido do comprimento. Em uma das partes, coloque quatro fatias do rosbife, temperadas com sal (na hora). Sobre o rosbife, disponha duas rodelas de tomate e duas fatias de pepino. Retire um pouco do miolo da outra parte do pão e acrescente um terço do queijo fundido, quente.

Feche o sanduíche e corte no sentido diagonal. Repita o procedimento com os outros dois pães e sirva imediatamente.

By Joemir Rosa.

Pudim cremoso de chocolate

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/08/2013 by Joe

Pudim cremoso de chocolate

Novas pesquisas científicas comprovam: chocolate faz bem para a nossa saúde, protege o coração, ajuda a prevenir o diabetes tipo 2, reforça as nossas defesas, e auxilia no controle do apetite!

O chocolate pode ser saboreado com prazer, pois é considerado saudável e nutritivo. O cacau, um de seus componentes, era considerado pelos maias e astecas o alimento dos deuses. Tamanha veneração talvez tenha se originado da dedução de que as sementes do fruto do cacaueiro escondiam diversas propriedades.

Se eram realmente divinas, isso ainda carece de comprovação. No entanto, quase cinco séculos depois de os espanhóis enriquecerem o paladar europeu com um dos sabores do Novo Mundo, sobram evidências científicas de que o chocolate amargo, guloseima com um gosto peculiar justamente por ter maior teor de cacau na sua composição, promove uma série de benefícios para a nossa saúde. Possui flavonoides que atuam como antioxidantes e mantém o coração saudável. Outra substância em sua composição é a cafeína, que aumenta a euforia e o raciocínio.

Seu consumo rotineiro reduz os níveis de pressão arterial, minimizando os riscos de AVC. E quando falamos em “consumo rotineiro, estamos falando numa porção de 30 gramas diárias no máximo, de preferência o chocolate amargo ou meio amargo e consumido na parte da manhã.

Os chocolates brancos possuem mais gorduras por serem feitos de manteiga de cacau. O chocolate amargo ou meio amargo é mais benéfico em razão da grande quantidade de cacau. O chocolate ao leite, por receber leite em pó na massa, apresenta mais proteína e cálcio.

O chocolate passa a ser um perigo à saúde quando consumido em excesso, pois é rico em calorias, carboidratos, gorduras e uma pequena quantidade de proteínas, o que faz dele um dos alimentos que mais engorda.

A receita deste sábado é facílima e rápida, não tem nenhuma história ou origem, e é preparada com o nosso delicioso chocolate! Na receita eu usei chocolate ao leite, mas pode ser preparada também com chocolate meio amargo que fica uma delícia!

Pudim cremoso de chocolate

Ingredientes

1 xícara (chá) de açúcar
200 g de chocolate ao leite picado
2 latas de leite condensado
1 potinho de cream-cheese
5 ovos
2 colheres (café) de café instantâneo

Modo de preparo

Leve uma forma para pudim, com furo no meio, ao fogo com o açúcar até o ponto de caramelo. Reserve.

Em banho-maria, ou no microondas, derreta o chocolate. Depois, no liquidificador, bata o chocolate derretido, o leite condensado, o cream-cheese, os ovos e o café instantâneo. Bata bem até que fique uma mistura bem homogênea.

Despeje a mistura na forma caramelizada e asse em banho-maria no forno, pré-aquecido a 200 °C, durante 1 hora.

Deixe amornar, leve à geladeira e depois desenforme na hora de servir.

By Joemir Rosa.

Gelatina de manga

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20/07/2013 by Joe

Gelatina de manga

Gelatina é uma sobremesa que quase todo mundo gosta. Ela é bem fácil de preparar, combina com vários pratos e pode ser encontrada em diversas cores e sabores.

Mas aí pinta uma dúvida? Você sabe do que é feita a gelatina? Não? Então prepare-se porque, acredito, algumas pessoas vão torcer o nariz quando souberem a sua origem!

A gelatina é produzida a partir da pele, ossos, tendões e fibras que unem músculos aos ossos de porcos e bois! Eca, né? Essa ideia pode não parecer muito apetitosa, mas faz sentido quando paramos pra analisar e vemos que a gelatina é um tipo de proteína chamada colágeno e que existe em grande quantidade nessas partes do corpo dos animais, além do nosso próprio.

É sempre bom lembrar os benefícios que o colágeno (além da queratina e proteínas encontradas nessas partes dos porcos e bois) possui e auxilia na prevenção de dores nas articulações, combate a flacidez, impede a deformação dos ossos, auxilia em dietas, fortalece cabelos e unhas, fortalece os ossos, auxilia na cicatrização e previne o organismo contra doenças como a artrose e a osteoporose. Sua composição contém nove dos dez aminoácidos que o organismo necessita. Não possui gordura, colesterol e nem contra-indicações, devendo ser consumida, no mínimo, 250 ml por dia.

Para virar gelatina, essa pele, tendões e ossos de porcos e bois passam por um processo um tanto longo. Lavados e fervidos (para tirar a gordura), ficam de molho numa solução ácida ou alcalina para que as moléculas do colágeno sejam quebradas em pedaços menores, permitindo que se torne solúvel.

Depois é preciso submetê-los à secagem, formando as folhas de gelatina. Trituradas, essas folhas viram pó e, depois de misturadas a açúcar, corantes e aromatizantes, vão para os supermercados em saquinhos e viram sobremesas deliciosas!

E, por falar em sobremesa deliciosa, bem simples de preparar, saborosíssima, nutritiva, além de um visual muito lindo.

Gelatina de manga

Ingredientes

2 pacotes de gelatina em pó branca, sem sabor
1/3 de xícara (chá) de água para dissolver a gelatina
6 mangas descascadas cortadas em pedaços
1 ½ xícara (chá) de água
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de creme de leite

Modo de preparo

Dissolva as gelatinas na água, em banho-maria, mexendo bem até que estejam bem diluídas.

Bata a manga com a água no liquidificador. Passe por uma peneira, acrescente ½ xícara do açúcar e misture bem. Numa tigela, coloque cinco xícaras da mistura de manga, junte a gelatina e o creme de leite. Mexa bem até ficar homogêneo. Despeje numa forma de 25 cm de diâmetro untada com óleo e deixe na geladeira até firmar. Desenforme e reserve.

Misture a manga e o açúcar restantes e use como calda ao servir.

By Joemir Rosa.

Falafel

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16/02/2013 by Joe

Falafel

Sabe-se que o paladar, muitas vezes, é o último a perder a referência da cultura original. A comida tem o poder de aliar inimigos, diminuir tensões e desentendimentos.

Mas os conflitos também existem, por exemplo, quanto à propriedade da origem de alguns pratos ou bebidas. Como exemplo, temos turcos e gregos brigando pelo café.
Irlandeses católicos e protestantes discutem sobre o whisky. Judeus e árabes discutem a origem do falafel.

Há quem diga que Israel “roubou” o falafel dos árabes. Outros dizem que grupo algum tem o direito de ser proprietário de um bolinho de legumes frito. Dizem que o falafel é uma comida do Oriente Médio, originária do Egito e que se espalhou por Marrocos e Arábia Saudita.

Nessa guerra de milhares de anos, encontramos também o nosso falafel tupiniquim correndo por fora, de origem africana, chamado de akara, que significa “bola de fogo”, e que é também um ícone da nossa cozinha baiana: o acarajé!

O falafel, um prato tradicional e histórico, é um bolinho preparado com grão-de-bico ou feijão-fava. Os pedaços de falafel são geralmente servidos com salada, um molho quente e legumes em conserva. Em seguida, são regados com um pouco de molho à base de tahine para um dar um sabor extra.

Em função dos ingredientes em seu preparo, o falafel é um tipo saudável de alimento, fonte de proteína, aminoácidos, baixo teor de gordura saturada e elevado teor de
fibras.

Bom… depois de tantas informações sobre origem e benefícios desse bolinho, o que resta é darmos a receita e esperar que todos apreciem essa iguaria deliciosa!

Falafel

Ingredientes

Modelador de falafel

Modelador de falafel

Massa

1 kg de grão-de-bico seco
1 maço de salsinha picado
1 maço de coentro picado
2 dentes de alho picados
2 cebolas grandes picadas
2 colheres (sopa) de farinha
4 colheres de água morna
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio

Temperos

1 colher (chá) de pimenta do reino
1 colher (chá) de canela
1 colher (chá) de cominho
1 colher (chá) de páprica doce
1 colher (chá) de coentro seco
sal a gosto

1 litro de óleo vegetal para fritar

Molho

1/2 xícara de iogurte natural
3 colheres (sopa) de molho tahine
1 dente de alho amassado
2 colheres (sopa) de suco de limão
1/4 de xícara de água fria
sal e pimenta do reino

Guarnição

pepino
cebola
tomates
salsinha

Modo de preparo

Lave bem os grãos-de-bico e coloque-os de molho por 12 horas em água fria. Escorra bem e coloque em um processador. Junte os demais ingredientes para a massa, exceto o bicarbonato. Dissolva o bicarbonato de sódio na água morna e acrescente aos demais ingredientes no processador. Processe bem até obter uma massa firme e homogênea.

Junte os temperos e misture bem com a mão, ou com a ajuda de uma colher, e deixe descansar por uns 30 minutos.

Unte as mãos com um pouco de óleo e faça bolinhas da massa um pouco menores do que uma bolinha de ping-pong. O ideal é usar o aparelho para modelar os disquinhos (encontrado em casas de especialidades árabes), mas se não tiver, faça pequenas almôndegas com as mãos, amassando-as para formar um disco espesso com a massa bem prensada.

Aqueça o óleo em uma panela funda. Frite os bolinhos aos poucos no óleo quente até que estejam dourados e crocantes. Escorra em papel absorvente e sirva quente.

Para o molho, basta misturar bem todos os ingredientes.

Prepare uma salada com pepinos, tomates e cebolas cortados em cubos de 1 centímetro, salpique a salsinha, coloque os falafel sobre a salada e regue com o molho.

By Joemir Rosa.

Manjar de abóbora com coco

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/12/2012 by Joe

Manjar de abóbora com coco

A abóbora é, em termos botânicos, uma planta rasteira da família das cucurbitáceas, a mesma da melancia e do pepino. Vulgarmente classificada como hortaliça, a abóbora possui diferentes denominações no Brasil, como moranga, na região Sul, e jerimum, na região Norte e Nordeste.

Segundo pesquisadores, ela é originária da América, e fez parte da alimentação de muitos povos, como os astecas, incas e maias. Posteriormente, teria sido levada à Europa por colonizadores portugueses e espanhóis.

Em sua composição nutricional encontramos carboidratos, proteína, cálcio, sódio, potássio, fósforo, ferro, magnésio, vitamina A, C, E e outras vitaminas. Possui também bastante água e fibras e pouquíssima gordura.

Por toda essa composição, a ela é atribuída a propriedade de reduzir o risco de certos tipos de câncer, doenças do coração, derrames e problemas de visão.

Além da polpa, devemos aproveitar também as sementes, pois nelas estão 40% do óleo que dela aproveitamos. As sementes de abóbora são excelentes vermífugos no combate aos áscaris e às tênias, com a vantagem de não serem irritantes nem tóxicas. Há centenas de anos, os camponeses europeus usam as sementes de abóbora para manter a virilidade em idade avançada e evitar as doenças da próstata.

As sementes são, ainda, ricas em fitoestrógeno, outra substância funcional que pode auxiliar na redução dos sintomas da menopausa e TPM, além dos níveis de colesterol. O óleo feito dessa semente possui efeitos antioxidantes, que previnem o envelhecimento celular devido à concentração de vitamina E. São boas fontes de zinco e gorduras insaturadas.

O suco natural de abóbora age como estimulante suave dos rins, diminuindo a retenção de água, sem efeitos colaterais. A seiva obtida das folhas da aboboreira é aplicada sobre o corpo para tratamentos de pneumonia, erisipela, verrugas e queimaduras. Para combate à bronquite, moi-se as sementes descascadas, misturando-se mel à pasta e ingerindo-se várias colheradas por dia. Por sua natureza alcalinizante, seu suco é excelente para os que sofrem de artrite.

Por ser muito versátil, a abóbora pode ser consumida de diversas formas, como ingrediente em saladas, pratos quentes, refogados, sopas, pães, bolos, doces, etc. Suas sementes, ricas em ferro, também podem ser torradas e consumidas como aperitivo. Na hora da compra, é aconselhável optar por abóboras sem sinais de ferimentos e que apresentem cascas lisa, sem brilho, visto que isso significa que elas já amadureceram.

As receitas mais deliciosas que podemos preparar à base de abóbora são os doces, geralmente com a adição do coco ralado em suas composições. Hoje eu escolhi um desses doces, um tanto diferente no preparo, mas muito saboroso também! Espero que gostem!

Manjar de abóbora com coco

Ingredientes

500 g de abóbora picada
¾ de xícara (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de leite
5 colheres (sopa) rasas de amido de milho
50 g de coco ralado

Modo de preparo

Cozinhe a abóbora no vapor, escorra bem e leve a uma panela com apenas ½ xícara (chá) de açúcar. Cozinhe até a mistura ficar bem seca e reserve.

Em outra panela, coloque o leite, o amido de milho dissolvido em um pouco de leite, o coco e o açúcar restante. Vá mexendo até engrossar. Tire do fogo e misture com o doce de abóbora reservado de modo que fique um creme bem homogêneo.

Coloque em uma forma untada com óleo e água fria e leve à geladeira até endurecer.

By Joemir Rosa.

Mousse de amoras light

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/04/2011 by Joe

Há algum tempo eu discursei sobre as propriedades da gelatina e seus benefícios para a saúde humana, principalmente porque ela é um tipo de proteína chamada colágeno e que existe em grande quantidade na pele, ossos, tendões e fibras que unem músculos aos ossos de porcos e bois! Além do nosso próprio corpo.

É sempre bom lembrar que o colágeno auxilia e previne dores nas articulações, combate a flacidez, impede a deformação dos ossos, auxilia em dietas, fortalece cabelos e unhas, fortalece os ossos, auxilia na cicatrização e previne o organismo contra doenças como a artrose e a osteoporose. Sua composição contém nove dos dez aminoácidos que o organismo necessita. Não possui gordura, colesterol e nem contra-indicações. Deve ser consumida, no mínimo, 250 ml por dia.

A receita de hoje é particularmente saudável e deliciosa por ser à base de gelatina, amoras e iogurte! Além disso, para quem abusou de pratos nem sempre muito leves na sexta-feira santa, esta sobremesa é bem light!

Mousse de amoras light

Ingredientes

4 colheres (chá) de gelatina vermelha em pó sem sabor
3 colheres (sopa) de água fria
300 g de amoras
2 potes (400g) de iogurte desnatado
4 colheres (sopa) de adoçante dietético em pó, forno e fogão

Modo de preparo

Em um refratário, hidrate a gelatina com as 3 colheres (sopa) de água fria. Em seguida, leve o refratário ao fogo, em banho-maria, por 5 minutos, ou até a gelatina estar bem dissolvida.

Retire do fogo e transfira para o liquidificador. Junte as amoras, o iogurte e o adoçante e bata até obter um creme bem homogêneo. Distribua em quatro taças rasas e leve à geladeira por 2 horas. No momento de servir, decore com amora e hortelã.

By Joe.

Gelatina colorida 2

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/08/2010 by Joe

Gelatina é uma sobremesa que, praticamente, todo mundo gosta. Ela é bem fácil de preparar, combina com vários pratos e pode ser encontrada em diversas cores e sabores. Mas aí pinta uma dúvida? Você sabe do que é feita a gelatina? Bom, então prepare-se porque, acredito, algumas pessoas vão torcer o nariz quando souberem da sua origem!

A gelatina é produzida a partir da pele, ossos, tendões, e fibras que unem músculos aos ossos de porcos e bois! Eca, né? Essa ideia pode não parecer muito apetitosa, mas faz sentido quando paramos pra analisar e vemos que a gelatina é um tipo de proteína chamada colágeno e que existe em grande quantidade nessas partes do corpo dos animais, além do nosso próprio.

É sempre bom lembrar que o colágeno (além da queratina e proteínas encontradas nessas partes dos porcos e bois)  auxiliam e previnem dores nas articulações, combate a flacidez, impede a deformação dos ossos, auxilia em dietas, fortalece cabelos e unhas, fortalece os ossos, auxilia na cicatrização e previne o organismo contra doenças como a artrose e a osteoporose. Sua composição contém nove dos dez aminoácidos que o organismo necessita. Não possui gordura, colesterol e nem contra indicações, deve ser consumida, no mínimo, 250 ml por dia.

Para virar gelatina, essa pele, tendões e ossos de porcos e bois passam por um processo um tanto longo. Lavados e fervidos (para tirar a gordura), ficam de molho numa solução ácida ou alcalina para que as moléculas do colágeno sejam quebradas em pedaços menores, permitindo que se torne solúvel.

Depois é preciso submetê-los à secagem, formando as folhas de gelatina. Trituradas, essas folhas viram pó e, depois de misturadas a açúcar, corantes e aromatizantes, vão para os supermercados em saquinhos e viram sobremesas deliciosas!

E, por falar em sobremesa deliciosa, tem uma que eu adoro. Aliás, quando faço, tem que ser receita dupla pra durar dois dias! Bem simples de preparar, é saborosíssima, além de muito bonita de se ver.

Gelatina colorida

Ingredientes

1 envelope de gelatina sabor morango
1 envelope de gelatina sabor abacaxi
1 envelope de gelatina sabor limão
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 xícara (chá) de leite de coco
1 envelope de gelatina incolor sem sabor

Modo de preparo

Prepare as gelatinas com sabores, uma de cada vez, usando metade da água indicada pelo fabricante, colocando-as em três vasilhas separadas e levando-as para gelar. Quando estiverem firmes, pique-as em cubinhos e coloque-as num refratário. Aqui cabe uma dica importante: para cortar as gelatinas em cubinhos sem depedaçá-las, use uma faca com a ponta quente. Ferva um pouco de água e coloque a ponta da faca na água por alguns segundos (até que esquente), corte a gelatina normalmente e vá repetindo esse procedimento para as demais gelatinas. Reserve.

Hidrate a gelatina incolor e dissolva-a em banho-maria. No liquidificador, bata o leite condensado, o creme de leite, o leite de coco e a gelatina incolor dissolvida. Despeje esse creme sobre os cubinhos de gelatina reservados, mexa levemente para misturá-los para que as corem fiquem bem distribuídas. Leve para a geladeira até que fique bem firme.

E, caso queira uma opinião sincera sobre o resultado …. me convide para saboreá-la!

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: