Arquivo para Pranto

A caminho do sol

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17/04/2014 by Joe

A caminho do sol

Tome a tua vida em tuas mãos e não entregue a direção dela a ninguém. Por mais que te amem, por mais que desejem o teu bem, só você é capaz de sentir o que realmente sente, e aquilo que você passa de impressão para os outros nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.

Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa? Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto? Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo?

Quantas vezes desejou apenas um beijo e ficou com a boca seca esperando o que não veio? Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço, um consolo, uma palavra amiga… e só recebeu ingratidão?

Quantos passos foram necessáriospara chegar até onde você chegou? Quantos sabem dar o valor que você realmente merece? Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, saber dos seus problemas, só se for por curiosidade…

Por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa você não vai viver!

Vai viver sim, o mundo continua girando e, se você deixar, pode te trazer algo muito melhor. Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul, lá onde a placa diz “caminho do sol”, bem na curva da felicidade que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade!

Desconheço a autoria.

A fonte dos sentimentos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13/11/2012 by Joe

Nada carrega felicidade em si mesmo.

Nada.

Pense no cenário ideal, no objetivo que mais te estimula, naquilo que você mais quer. Ainda que pense na pessoa amada, nos desejos mais legítimos, na companhia ideal, entre cenários, projetamos na vida aquilo que vive em nós. Pensamos que ela nos deixa felizes, mas não é. Pensamos: “este lugar lindo tem o poder de me deixar feliz”! Engano.

O que lugares, pessoas, acontecimentos fazem é servir de mídia para extrairmos o que mora em nós e são imantados pelo que sai da gente.

O mesmo vale para cenários de tristeza. Você pode conviver anos sem sentir a perda, sem perceber a dor, sem sequer intuir a tragédia que só nasce quando vira informação.
Pronto. Materializa-se a mídia que recebe sua projeção da dor.

Quando a gente descobre que é assim, aprende a “sacar” de dentro o que antes precisava do imã. Continuamos a curtir as coisas, mas sabemos que aquilo só reflete o bem que antes viveu em mim.

Quem se alegra com algo, ainda que não saiba, enxerga a alegria própria, peculiar, absolutamente vinculada ao que é. Esse alegra-se em si mesmo.

Quem chora diz as razões. Chora a perda, o luto, a doença a dor ou seja o que for, mas só chora porque alegria e tristeza, vida e luta, festa e pranto são elementos de nossa natureza, vivos em nossos corações refletindo o tempo todo naquilo que nos cerca.

Olhar pra si mesmo ilumina a fonte dos sentimentos e nos ensina que, antes de tudo, sou eu que projeto na vida aquilo que sou.

Quem puder, enxergue-se.

By Flavio Siqueira.

%d blogueiros gostam disto: