Arquivo para PNL

O que você quer da vida?

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/10/2012 by Joe

É lógico que eu sei o que eu quero: Paz! Harmonia! Dinheiro! Um amor! Saúde! Equilíbrio!

Estas são as respostas mais comuns que ouço no meu trabalho do dia-a-dia com desenvolvimento pessoal. Daí eu busco extrair um pouco mais de conteúdo, e pergunto:

– “Seja mais específico; o que significa equilíbrio, saúde, amor, harmonia, paz, dinheiro… Vamos por partes: explique-me o que quer dizer saúde pra você.”

E então ouço a resposta:

– “Bem, sabe o que é; estou um pouco gordo, tenho taquicardia só de subir escadas. Quero emagrecer”.

Insisto:

– “E amor, o que é isso?”

– “Ah, alguém que me compreenda, seja carinhosa, compartilhe os bons e maus momentos…”

Infelizmente, estes tipos de metas não funcionam. Por melhor intenção que se tenha, querer paz e amor, por exemplo, são desejos absolutamente sem força de motivar praticamente qualquer ser humano e portanto, são desejos irrealizáveis. Vou explicar melhor.

Embora cada mente humana tenha conteúdos, crenças, informações e emoções diferentes uma das outras, todas possuem a mesma forma de funcionar, de processar dados. É isto o objeto de estudo da programação neurolinguística, conhecida pela sigla PNL.

Qual a estratégia mental adotada pelas pessoas bem-sucedidas? O que eles fazem de diferente daqueles que não alcançam seus objetivos?

A PNL é uma ciência comportamental e psicológica que dá ferramentas para melhorar o rendimento humano em qualquer área de atuação: seja nos esportes, na arte, no show-business, nas empresas, em vendas, no dia-a-dia, esta série de técnicas oferece uma gama enorme de possibilidades para qualquer ser humano se superar. E uma dessas ferramentas, talvez uma das principais, é a arte de formular metas corretamente.

Partimos do seguinte princípio: quem não sabe onde quer ir, qualquer lugar serve. Em contrapartida, o inverso também é verdade: o lugar onde estamos hoje é exatamente aquele que desejamos, que planejamos e executamos.

– “Mas como é isso? Eu não estou bem! Não quero estas dívidas, meu relacionamento não está legal, não tenho autoestima… Como você pode dizer que eu planejei tudo isso?”

Eu respondo:

– “Quando não planejamos deliberada e conscientemente, somos levados por forças inconscientes, emocionais, que nos empurram daqui para lá e de lá para cá, como folhas jogadas ao vento. Entramos em relacionamentos desastrados, contraímos dívidas perfeitamente evitáveis, adotamos hábitos alimentares prejudiciais, simplesmente porque não estamos conscientes das nossas metas.

Como eu disse acima, querer paz, amor, saúde, dinheiro, não são metas realizáveis, porque elas não despertam a motivação. Para formular metas fortes e com possibilidade de se concretizar, há a necessidade de três fatores:

1 – sua meta deve ser positiva e definida em termos claramente positivos;
2 – sua meta deve ser específica e possível de ser escrita;
3 – sua meta deve ser verificável.

Vamos ver: querer paz, apesar de ser positivo, não é específico. Paz onde? Para quem? Quando? E também paz não é verificável: como posso saber que alcancei a paz que queria? Qual o parâmetro para medir?

O mesmo se aplica a dinheiro: geralmente as pessoas me dizem que querem dinheiro para pagar as dívidas e viver confortavelmente. Isto pode parecer positivo, mas não é. A mente humana, quando se foca na frase “pagar dívidas”, buscará em si mesma todas as situações onde houve dívidas, para então dizer: “vou pagá-las”. Este tipo de frase desperta medo, tensão, ansiedade, e portanto, não há motivação em ganhar dinheiro para “pagar dívidas”. Mesmo que se trabalhe para pagar dívidas, a experiência é amarga, não dá prazer. Ganhar dinheiro também não e específico: quanto eu quero ganhar? Em quanto tempo? Como? O que vou fazer para isso? E, por fim, não é verificável: como vou saber que atingi a minha meta de “ganhar dinheiro”?

Você se sairá melhor, no trabalho e na vida pessoal, quando souber exatamente o que quer e para que quer a sua meta. Uma meta bem formulada trabalha por si mesma pela própria realização. Ela é fonte de inspiração, transpira motivação e energia e lhe empurra para frente, sem esforço, naturalmente.

Utilizando o exemplo anterior, “ganhar dinheiro”, é necessário transformar esta meta em claramente positiva. Ganhar dinheiro para quê? Para pagar dívidas. E o que acontecerá quando você pagar as dívidas? Vou me sentir respeitado e honesto. O que lhe faz não sentir respeitado e honesto agora? O fato de ter dívidas. O que lhe impede de perceber que você é honesto e respeitado, agora? As pessoas me criticando. Quem lhe critica, especificamente? Hummmm…. Neste ponto, a pessoa geralmente percebe que quem critica é ela mesma, quem não está se achando honesta e respeitada é ela mesma.

Então, auxilio um pouco mais a especificar a sua meta, em termos objetivos. Bem, você percebeu que não há ninguém criticando você, ok? Sim! Então vamos lá, novamente: você quer dinheiro. Quanto? Muito! O quanto é muito? Ah, uns 10 mil por mês. Ok, então você acha que 10 mil por mês é muito, certo? Acho que é o suficiente. Você tem condições de ganhar 10 mil por mês? Sim, creio que sim. O que aconteceria se você trabalhasse, fizesse seus negócios, e ganhasse esta quantia? Ah, eu estaria bem, pagaria logo minhas dívidas e ainda poderia programar minhas viagens, comprar coisas que as crianças precisam, enfim, melhorar muito o meu padrão de vida! Então, você saberá que concretizou a sua meta quando estiver com um padrão de vida bom, podendo viajar e comprando o que seus filhos necessitam, certo? Certo!

Aí chegamos à meta real, que tem força: ganhar dinheiro através do trabalho, em princípio 10 mil por mês, que servirão para aumentar o padrão de vida, dando mais conforto à pessoa e à família. As dívidas são pagas naturalmente. O prazer que esta pessoa encontrará em trabalhar e ganhar dinheiro, por si só, fará com que a meta vá se concretizando, porque ela está formulada em termos positivos, é específica e pode ser verificável.

Lembre-se, este é apenas um exemplo. Não é todo mundo que se motiva em proporcionar conforto para a família. Existem pais de família que se motivam por conquistas profissionais. Outros, por status social. Cada um deve saber exatamente para que se motiva, e aceitar a si mesmo do jeito que é!

By Alex Possato, palestrante, consultor de comunicação e terapeuta em PNL.

A força dos pensamentos positivos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/10/2012 by Joe

“A energia vai aonde está a atenção”.

Cada um de nós, consciente ou inconscientemente, emite, a cada momento, uma energia ligada a um pensamento ou a uma idéia, energia esta que pode atuar de modo favorável ou desfavorável a nós. Nossos pensamentos criam nossas emoções e comportamentos.

Nossos pensamentos são nossas crenças, nossa atitude mental determina como vamos agir e pode, inclusive, manter o comportamento, que por sua vez vai reforçar o pensamento e assim por diante, estabelecendo-se deste modo, a dinâmica psíquica que é criada e mantida pela própria pessoa.

Podemos dizer que o pensamento é capaz de “criar” um sentimento, ou um estado emocional que lhe seja compatível e contribui também para mantê-lo. Ao longo do tempo, a pessoa passa a ser vítima do esquema montado pelo próprio sistema de pensamentos, sem perceber esta ligação.

É muito comum percebermos este esquema em casos de depressão, onde a pessoa pensa que tudo é muito difícil, que não consegue fazer nada direito, e tende a isolar-se, evita pedir ajuda, passa muito tempo sem vontade de fazer nada, etc. Neste caso, a pessoa logo percebe que tem algo errado acontecendo com ela e procura um médico.

Mas, e o contrário? E as pessoas que estão sempre bem humoradas, alegres, confiantes, cheias de vontade de realizar coisas? O que temos a dizer sobre elas? Parece que, a esta parcela de indivíduos, a pesquisa científica não voltou seu interesse, ou talvez não tenha tido tanto ibope, pois por longos anos estas pessoas passaram despercebidas, criando vidas prósperas, criando bons relacionamentos sem serem “diagnosticadas” como felizes, alegres ou bem humoradas.

Porém, com o livro “O Segredo” e a lei da atração, veio à tona a experiência de vida destas pessoas e isto causa tanto furor que parece que é algo totalmente novo, mas como o próprio livro mostra, isto é tão antigo quanto a história da humanidade. O fato é que, atualmente, o mundo está voltando sua atenção para a relação entre o tipo de pensamento que abastece uma pessoa e suas emoções e qualidade de vida.

Tudo começa com a percepção individualizada de cada pessoa dos eventos apresentados a ela. Suas emoções e comportamentos são influenciados pela sua percepção. Não é a situação em si que determina o que as pessoas sentem, mas, antes, a interpretação delas da situação.

A consciência de que cada um de nós cria a própria realidade é um bom começo para começarmos a ter domínio e controle dos próprios pensamentos, uma vez que escolhemos, mesmo sem perceber aquilo que pensamos, e isto determina como vamos nos sentir.

Bem, se criamos a própria realidade, o que nos impede de criarmos para nós aquilo que realmente nos faz bem? Nada! A simples reorganização dos pensamentos disfuncionais podem fazer uma diferença muito grande em nossas vidas.

A força do pensamento positivo é explicada nestes mesmos termos, pois pensamentos de sucesso criam realidades de sucesso. Os elementos positivos contidos no pensamento conspiram para criar dentro da mente uma crença profunda no positivo, o que vai fazer com que a pessoa focalize mais intensamente aquilo que a levará ao positivo.

Para quem possui o hábito arraigado de pensar e esperar o negativo, a solução para viver melhor é a reprogramação mental, que exigirá, naturalmente, considerável reeducação do modelo de pensamentos e linguagem. Isto poderá parecer difícil no começo, mas o processo é bastante simples, na operação. Começa com a consciência e identificação de que a maneira de pensar deve ser corrigida e uma nova reorientação mental positiva deve ser instalada. A partir daí, você pode controlar sua mente e deixar de ser controlado por ela.

Você pode, se pensa que pode; você não pode, se pensa que não pode. Isto pode lhe trazer muita energia, fé e coragem … ou desânimo, descrença e sentimentos de fracasso. Você escolhe!

Aqui vão algumas dicas para conhecer o seu pensamento-padrão e suas crenças. Responda honestamente:

– O que você espera do futuro?

– O que você pensa sobre o fracasso?

– O que você pensa sobre o sucesso?

– Como você lida com os obstáculos e as frustrações?

Suas respostas sinceras devem situá-lo em relação ao pessimismo ou otimismo e também em relação às sua emoções.

Finalmente, você identifica onde está, para onde quer ir e continua caminhando, se este for o caminho escolhido, ou muda o curso das coisas para chegar aonde deseja.

Boa sorte!

By Mirtes Carneiro, terapeuta na área de PNL e psicanálise transpessoal.

Programação Neurolinguística

Posted in Ciência with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/05/2010 by Joe

Muito mais do que uma maneira de falar ou de pensar positivamente, este sistema de conhecimentos, surgido na Califórnia (EUA) no início dos anos 70, vem revolucionando os métodos de comunicação e desenvolvimento humano, sendo largamente procurado por pessoas das áreas de terapia, RH, vendas, treinamento, educação e marketing (entre outras).

A Programação Neurolinguística pode ser definida como o estudo da experiência subjetiva humana, um modelo de se entender como o cérebro registra informações, como gera comportamentos e emoções a partir deste material registrado, e de como se alterar estes registros de maneira a se obter novas respostas emocionais ou comportamentais, seja em um indivíduo ou equipe. Mas como?

A PNL parte do pressuposto de que todo o comportamento tem uma estrutura que o sustenta, compostas por estratégias automáticas como sensações, imagens, diálogos internos, crenças, valores, decisões inconscientes. Estas estruturas ou programações podem ser possibilitadoras ou limitadoras para o momento presente da vida. Por exemplo: uma pessoa espiritualizada que, em algum momento da vida, adotou a crença de que quem tem muito dinheiro não vai para o céu, provavelmente vai se causar escassez financeira por toda a vida. E, se de repente, algum dia tiver dinheiro em abundância, pode, inconscientemente, arrumar uma maneira de perdê-lo.

Um outro exemplo, o da timidez excessiva que normalmente tem como principal causa “imprints” de vergonha na infância, ou seja, o inconsciente muito exposto da criança registrou fortemente aquela emoção e, a partir daí, passou a dispará-la diante de qualquer estímulo vagamente semelhante.

Na verdade, segundo a PNL, o nosso livre arbítrio é limitado. Isto é, agimos conforme podemos e não conforme queremos, nossos comportamentos e emoções estão condicionados às nossas configurações inconscientes. Normalmente temos aquele mesmo repertório de emoções e comportamentos diante daquelas pessoas ou situações. E estes são resultantes de nossas tais programações e são justamente sobre elas que a PNL atua.

Através de um conjunto de técnicas específicas pode-se detectar e alterar as determinadas programações emocionais inconscientes responsáveis por comportamentos e sensações limitantes na vida da pessoa.

E uma das razões que faz da PNL uma ferramenta de resultados extremamente eficientes e rápidos é que, ao invés de trabalhar genericamente a vida da pessoa como um todo, ela age cirurgicamente justamente sobre as estruturas ou registros inconscientes específicos referentes àquelas questões que se quer mudar, economizando-se, assim, tempo e dinheiro.

Uma outra característica importante desta abordagem é que quem passa por um processo de atendimento pessoal não fica se esforçando para conseguir resultados. O processo é feito em seus registros inconscientes de maneira que com o passar do tempo, a pessoa vai se surpreendendo agradavelmente com as mudanças em sua vida, emoções e comportamentos.

Hoje em dia as pessoas que mais procuram esta abordagem são justamente aquelas que já passaram por processos longos terapêuticos e obtiveram poucos resultados e que agora buscam uma mudança rápida e objetiva em alguns aspectos da vida.

Por tudo isso a PNL é hoje considerada o um dos métodos mais eficientes para mudanças emocionais ou comportamentais breves. Pode ser utilizada tanto para questões emocionalmente complexas como depressão, pânico, timidez e insegurança, como para questões comportamentais mais simples como uma dificuldade de estudar ou de levantar cedo. Mais do que um tratamento, a PNL oferece um processo catalisador de desenvolvimento pessoal em qualquer área da vida. Vale a pena conferir.

By Plínio de Souza, consultor pessoal e empresarial, coach pessoal com mais de 4.000 horas de prática, coach executivo certificado pelo European Coaching Association (ECA), Trainer credenciado pela “Corporate Coach U” para ministrar o programa de certificação internacional “The Coach Clinic” de formação de líderes, Master Practitioner e Trainer em Programação Neurolinguística com certificação Internacional em Constelações Familiares pelo Instituto de Filosofia Prática da Alemanha, Bacharel em Psicologia. Sócio diretor da Ápice Desenvolvimento Humano que presta serviços de consultoria, coaching executivo e pessoal e realiza treinamentos  de desenvolvimento  abertos e in company.

%d blogueiros gostam disto: