Arquivo para Molho

Bloomin’ Onion

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , on 01/09/2012 by Joe

Há algum tempo eu publiquei a receita das Aussie Cheese Fries, famosas e deliciosas batatas fritas com queijo e bacon de uma rede de fast food americana, também presente no Brasil, e foi um grande sucesso de visitas no blog!

Agora trago mais um delicioso prato dessa rede de fast food, que é um verdadeiro ícone junto com as batatas!

A Bloomin’ Onion é um aperitivo de cebola em formato de flor, empanada em tempero delicioso e servida com um molho especial.

Nos EUA o prato é preparado com cebolas especiais, cujo tamanho chega a ser quatro vezes maior que as nossas cebolas tradicionais. Em alguns mercados municipais é possível encontrar cebolas bem maiores que as encontradas em feiras livres e supermercados.

Apesar do tamanho da receita passar a ideia que é muito trabalhoso (o que não é verdade), garanto que o resultado final vale a pena, até para aqueles que não curtem muito as comidas de fast foods! O fato de prepararmos em casa deixa o prato muito mais saudável, até pelo fato de não reaproveitarmos o óleo!

Espero que gostem e deixem seus comentários!

Bloomin’ Onion

Ingredientes

4 cebolas grandes (porções individuais)
óleo para fritar

Mistura para empanar

1/3 de xícara de amido de milho
1 ½ colher (chá) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de alho picado
1 colheres (chá) de páprica
1/2 colher (chá) de sal
pimenta-do-reino a gosto
2 latinhas de cerveja

Modo de preparo

Numa vasilha, junte o amido de milho, a farinha de trigo e os temperos até ficarem bem misturados. Em seguida, adicione a cerveja e misture bem. Reserve.

Farinha temperada

2 xícaras de farinha de trigo
4 colheres de chá de páprica
2 colheres de chá de alho em pó
1/2 colher de chá de pimenta-do-reino
1/4 colher de chá de pimenta vermelha

Modo de preparo

Em uma vasilha, junte todos os ingredientes até ficarem bem misturados. Reserve.

Modo de preparo final

Corte o topo da cebola e retire a casca. Corte a cebola em fatias verticais, começando com um corte a cada 90 graus (formando uma cruz) e depois cortando as seções da cebola, aproximadamente 12 a 16 fatias verticais, mas não indo até a raiz do fundo.

Após cortá-las, mergulhe-as em água quente por um minuto e depois em água bem gelada (coloque pedras de gelo na água para acelerar o processo para que a cebola se abra em flor) e deixe na geladeira por uns vinte ou trinta minutos. Desta forma, as pétalas vão se abrir muito mais fácil.

Tire da geladeira, coloque com as pétalas viradas para baixo para escorrer bem a água e deixe secar bem sobre papel-toalha antes de começar a prepará-las.

Leve-as para a geladeira novamente e deixe por mais 1/2 hora antes de fritar.

Após esse período, mergulhe a cebola aberta na farinha temperada, fazendo com que ela fique toda impregnada pela mistura. Remova o excesso dando umas batidas leves e depois mergulhe na mistura para empanar, de modo que todas as pétalas fiquem cobertas.

Em uma frigideira funda, coloque o óleo e deixe aquecer bem (entre 190 e 200 graus). Mergulhe a cebola de modo que fique toda coberta e frite por um minuto e meio a dois minutos. Retire e escorra em papel-toalha.

Coloque a cebola em uma tigela rasa e remova o centro com um desencaraçador de maçãs e sirva quente com o Molho Bloom.

Molho Bloom

Ingredientes

1/2 copo de maionese
2 colheres (chá) de ketchup
2 colheres de suco de limão
1/4 colher (chá) de páprica
1/4 colher (chá) de sal
1 pitada de orégano seco
1 pitada de pimenta do reino em pó
1 pitada de pimenta vermelha em pó

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes em uma tigela e deixe-a coberta até a hora de servir. Ah, claro: cerveja estupidamente gelada é um ótimo acompanhamento.

By Joemir Rosa.

Australian meat pie

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/08/2012 by Joe

A “meat pie”, ou “torta de carne”, é considerada um ícone na Austrália e na Nova Zelândia.

A origem da torta de carne é um pouco obscura, com muitos países reivindicando sua criação. Acredita-se que as primeiras versões tenham sido feitas na Grécia Antiga. Eram as chamadas “artocreas“, uma simples massa, na qual se colocava carne cozida.

Os antigos romanos deram um passo adiante, com uma massa inferior e outra superior.

Os franceses acreditam que a torta é o seu bolinho recheado, um prato quase exclusivo da nobreza.

As tortas de carne faziam parte da cozinha inglesa desde os tempos medievais, quando a massa moldada era recheada de carne cozida.

Quase todos os países do mundo têm a sua própria versão da torta de carne. No Brasil temos os empadões, em Chipre tem bourekias e na Polônia tem pierogis.

As primeiras tortas eram preparadas com uma mistura de farinha e água. No entanto, a massa nem sempre era destinada a comer, mas simplesmente um recipiente para molhos e demais alimentos. Mais tarde, o óleo foi adicionado à mistura, para torná-la mais macia, flexível e melhorar seu sabor.

Os primeiros colonizadores levaram a torta para a Austrália que, imediatamente, ganhou popularidade devido à sua base e ingredientes.

A massa recheada com carne e molho estava disponível em Sydney em meados da década de 1800, muitas vezes vendida como um pequeno lanche em restaurantes em hotéis.

Nos anos seguintes as tortas começaram a ser vendidas em carrinhos parados perto de locais de entretenimento ou onde havia grandes grupos reunidos. Uma visão comum nas ruas de Sydney e Melbourne era a de um homem vendendo tortas quentes em uma grande caixa de lata, mantida aquecida em um fogão de carvão de pequeno porte.

Atualmente os australianos consomem mais de meio bilhão de tortas a cada ano, uma media de 12 por habitante. Na Nova Zelândia o consumo anual é de 15 tortas por habitante.

Uma torta de carne da Austrália ou da Nova Zelândia tem o tamanho de uma mão e é normalmente consumida como um lanche ou como comida para levar. A carne bovina é ainda o sabor mais popular, embora haja crescente demanda por mais sabores, como as de legumes e de queijo. As tortas vegetarianas podem ainda conter proteína de soja e cogumelos.

Uma torta de carne típica australiana tem massa grossa no fundo e fina na tampa, recheio de carne bovina macia picada, cozida e preparada com molho. Depois de assada acrescenta-se molho de tomate ou ketchup por cima e se come segurando com a mão.

Vamos à receita, que é muito fácil de se preparar e muito saborosa!

Australian meat pie

Ingredientes

Massa

2 xícaras de farinha de trigo
175 g de manteiga amolecida
1 pitada de sal marinho
1 ovo caipira batido
água à temperatura ambiente, conforme o necessário.

Recheio

500 g de carne bovina, macia e magra, picadinha
2 colheres de sopa de óleo
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1 xícara de polpa de tomate
3 colheres de sopa de molho inglês
1/2 xícara de água
Sal marinho a gosto
pimenta vermelha a gosto

Modo de preparo

Massa

Peneire a farinha e junte com o sal em uma tigela, misture bem e adicione a manteiga (o ideal é deixá-la em temperatura ambiente para que fique amolecida). Esfregue a mistura suavemente entre os dedos, até a massa se assemelhar à uma farinha de rosca. Adicione uma pequena quantidade de água e misture bem. Não adicione água demais, pois a massa deve ter consistência macia, não grudenta. Caso adicione muita água, acerte o ponto colocando um pouco mais de farinha.

Despeje a mistura sobre uma superfície enfarinhada e amasse delicadamente até ficar homogênea. Embrulhe-a em filme plástico e deixe descansar na geladeira por 30 minutos. Enquanto isso, prepare o recheio.

Recheio

Aqueça o óleo em uma frigideira média. Adicione a carne picada e o sal, mexendo com uma colher de pau até dourar.

Polvilhe a farinha sobre a carne e cozinhe por mais um minuto. Adicione a polpa de tomate, o molho inglês, a pimenta picadinha e a água. Deixe ferver, reduza o fogo para médio, mexendo ocasionalmente para evitar que a carne grude no fundo da panela. Cozinhe por cerca de 10 minutos, ou até que o molho fique espesso. Retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Montagem

Pré-aqueça o forno a 200 °C. Corte a massa em duas partes, sendo uma menor que a outra. Em uma superfície enfarinhada, usando um rolo, abra a massa maior com uma espessura não muito fina, que não se rompa ao adicionar o molho. Corte em discos usando um prato como guia. Forre os fundos e laterais de formas de empadas grandes.

Adicione o recheio, evitando o derramamento nas bordas. Umedeça as bordas das tortas com água.

Pegue a parte menor da massa e abra um pouco mais fina. Corte em discos e cubra as formas. Pressione as bordas e corte o excesso de massa com uma faca afiada. Frise as bordas usando as pontas de um garfo. Faça cortes em forma de uma pequena cruz no centro de cada tampa e pincele com ovo batido.

Asse as tortas por 10 minutos, reduza a temperatura do forno para 180 °C e asse por mais 20 minutos, ou até que a massa esteja dourada. Desenforme e sirva passando um pouco de molho tomate (preparado separadamente), no topo de cada torta. Caso prefira, sirva com ketchup.

By Joemir Rosa.

Poutine

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , on 14/01/2012 by Joe

A receita básica é bem simples: batata, queijo e molho.

Trata-se de um prato tradicional canadense cuja origem é um tanto controversa pois existe uma disputa entre duas cidades próximas a Quebec: Victoriaville e Drummondville.

O que se sabe com certeza é que o prato teria sido criado em 1957 por Fernand La Chance que, ao atender o pedido de um cliente que havia solicitado batatas fritas e queijo, gritou para o cozinheiro “ça va faire une maudite poutine” (Vamos fazer uma grande bagunça).

Um famoso dicionário de francês de Quebec traz vários significados para a palavra “poutine“: pode ser uma gíria que descreve uma bagunça; pode ser de origem inglesa, vindo de pudding, e que acabou virando, no francês, “a mess” (bagunça, sujeira).

O que se sabe mesmo é que o prato inventado por Fernand LaChance ficou muito popular entre os moradores da zona rural e acabou ganhando adoradores por todo o Canadá, ganhando diversas versões, sendo servido até com ingredientes da alta gastronomia, como o foie-gras (fígado de pato ou ganso).

O prato ganhou destaque internacional, chegando a Nova York nos anos 1970, conhecido como “disco fries” entre o pessoal da balada da época.

O único problema desse prato é o alto valor calórico, em média, 700 calorias, o que lhe rendeu o slogan de “uma verdadeira orgia de carboidratos”! Mas, de vez em quando, não vai causar tantos estragos assim.

Então, vamos à uma das possíveis receitas, visto que o prato ganhou inúmeras versões, dependendo da região. A versão básica é preparada com batatas, coalho do queijo Frommage Beaucronne e molho de carne de boi. As outras versões são as seguintes:

Poutine Itallienne: com molho de tomato no lugar do molho de carne de boi.
Poutine Bourguinonne: adicionando-se carne moída ao molho de tomate.
Poutine BBQ: com molho de churrasco americano.
Disco Fries: adiciona-se molho de frango com o queijo e coloca-se sobre as fritas.

Poutine

Ingredientes

7 batatas grandes
1 colher de sopa de óleo vegetal
1 cebola pequena cortada em tiras
1 dente de alho picado
1 litro de caldo de carne
2 colheres de sopa de molho de tomate
1 colher de sopa de vinagre de maçã
1 colher de sopa de pimenta verde em grãos
½ colher de chá de molho inglês
2 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 xícaras de queijo cheddar fresco cortado em cubinhos
Sal e pimenta a gosto
Óleo vegetal para fritura

Modo de preparo

Lave, descasque e corte as batatas em tiras médias. Coloque-as em uma vasilha grande com água fria e deixe descansar por uma hora para que fiquem mais crocantes.

Aqueça 1 colher de óleo vegetal em uma panela em temperatura média e frite o alho e a cebola por 3 minutos, até ficarem transparentes. Adicione o caldo de carne, o molho de tomate, o vinagre de maçã, a pimenta em grão, o molho inglês, misture bem e deixe ferver.

Enquanto isso, em uma panela separada, derreta a manteiga em temperatura média-alta. Adicione a farinha e misture por 2-3 minutos até formar uma massa homogênea. Deixe dourar um pouco. Adicione a mistura com o caldo de carne, bata bem e depois cozinhe em fogo brando por 20 minutos até reduzi-la pela metade e engrossar. Tempere com sal e pimenta. Mantenha aquecido.

Aqueça uma frigideira funda a 120°C e frite as batatas por 2 minutos no óleo. Retire, escorra e deixe descansar por 5 minutos. Em seguida, frite novamente por mais 2 minutos ou até ficarem douradas. Retire, escorra e coloque em uma bandeja com papel toalha para absorver o excesso de óleo. Coloque um pouco de sal e pimenta.

Coe o molho e aqueça novamente. Arrume as batatas fritas em uma vasilha rasa, guarneça com o queijo fresco e despeje o molho por cima.

Sugestão: você pode trocar o queijo cheddar por outro de sua preferência.

By Joemir Rosa.

Fricassée de frango com batata palha

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/06/2011 by Joe

O mundo está globalizado, com os meios de comunicação (leia-se Internet) cada vez mais unindo os povos dos mais recônditos cantos do planeta.

E, quando isso acontece, todos têm contato com diferentes culturas, costumes, história e … gastronomia! A culinária atual, globalizada, mistura sabores e línguas de todo o mundo!

Um dos meus pratos prediletos tem origem na França, uma receita deliciosa e muito simples de se preparar! Do francês “fricasser”, que significa guisar, formado a partir do verbo “frire” (fritar, mas que também significa comer) mais “casser” (partir, cortar, quebrar), o fricassée é um guisado de vitela ou frango, cortados em pedaços e cozidos em molho bem temperado.

Esta receita é uma verdadeira tentação! Como sempre comento nas receitas que costumo publicar, existem muitas variações de ingredientes e modos de preparo. A receita de hoje é uma dessas variações que adaptei ao meu gosto pessoal, preparada com frango e, em vez do tradicional creme de leite, utilizo requeijão cremoso e finalizo com batata palha.

Outras variações usam o próprio creme de leite em vez do requeijão, e adicionam presunto em cubinhos, ervilhas e noz moscada para dar um toque mais exótico ao sabor final.

Uma coisa é comum a todas elas: qualquer que seja sua preferência, tenho certeza que ficará deliciosa!

Fricassée de frango com batata palha

Ingredientes

2 peitos de frango desossados
1 colher (sopa) de manteiga
2 cebolas raladas
6 dentes de alho moídos
2 cubos de caldo de galinha
quanto baste de água para cozer o frango
2½ xícaras (chá) de leite
1 colher (sopa) de amido de milho
1 copo de requeijão cremoso (pode ser sabor cheddar)
sal
salsa
pimenta-do-reino branca moída
200 gr de mussarela ralada
100 gr de batata palha (de preferência sabor cebola e salsa)

Modo de preparo

Cozinhe, em panela de pressão por uns 25 minutos, os peitos de frango em um caldo temperado com metade do alho, os cubos de  caldo de galinha, uma cebola ralada e a salsa. Estando cozidos, tire-os do fogo, desfie e deixe esfriar. Guarde a água temperada para preparar o arroz.

Numa panela, coloque a manteiga, deixe aquecer e refogue a outra cebola e os três dentes de alho até dourarem. Junte o frango desfiado e a pimenta. Refogue bem. Enquanto isso, dissolva o requeijão em duas xícaras de leite e leve ao fogo, numa panelinha pequena, até que fique mais líquido. Junte o amido de milho dissolvido em meia xícara de leite e mexa até quase engrossar. Despeje essa mistura no frango refogado e acerte o sal, corrigindo, se necessário. Misture tudo e mexa bem (corrija com mais leite, se ficar muito seco) para que fique bem cremoso.

Coloque esta pasta num refratário untado. Cubra com a mussarela ralada, espalhe por cima a batata palha e leve ao forno para gratinar ou até que a mussarela esteja bem derretida.

Pode ser servido com salada completa ou com arroz, que pode ser preparado com a água utilizada no cozimento do frango, sem necessidade de acrescentar mais temperos.

Um bom vinho branco é o acompanhamento ideal!

Bon appétit!!

By Joemir Rosa.

Guacamole

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/01/2011 by Joe

Guacamole é um molho cremoso e consistente, típico da culinária Mexicana. De preparação simples, é indicado para ser servido com batatas, aves, burritos, tacos e tortillas.

Confesso que a primeira vez que me falaram sobre este prato eu achei um tanto estranho. É que, tradicionalmente, o abacate é consumido no Brasil em preparações doces. Então, esta receita é uma ótima oportunidade para se quebrar uma tradição e experimentar um delicioso molho que pode ser servido como pretexto para um bom papo regado a cerveja!

Antes, porém, alguns dados sobre o ingrediente principal deste prato. Segundo pesquisas recentes:

– o abacate ajuda a controlar o colesterol, melhora o sistema circulatório e a pele.
– colabora para equilibrar o funcionamento do fígado e acalmar o sistema nervoso.
– rico em gorduras monoinsaturadas e fibras.
– rico em ácido fólico, que ajuda a prevenir defeitos congênitos.
– rico em potássio, indicado para fadiga, depressão, problemas cardíacos e derrame.
– tem alto teor de antioxidantes e contém uma substância única que combate as bactérias e os fungos.

História e propriedades medicinais apresentadas, vamos à receita!

Guacamole

Ingredientes

3 abacates médios maduros
2 tomates sem pele e sementes cortados em cubinhos
1 cebola média picada
1 dente de alho picado e amassado com 1/2 colher (chá) de sal
1 pimenta-malagueta sem sementes e picada (opcional)
1½ colheres (sopa) de suco de limão
2 colheres (sopa) de coentro fresco picado (ou salsinha fresca)
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Corte os abacates ao meio, retire a polpa com uma colher e coloque em uma tigela. Amasse bem com um garfo. Em seguida adicione os demais ingredientes (exceto sal e pimenta do reino) e misture bem até obter um creme uniforme. Tempere com o sal e a pimenta do reino. Sirva com batatas cozidas, aves, burritos, tacos e tortillas. Ou, se preferir, com salgadinhos do tipo Doritos.

Neste prato o acompanhamento é uma boa cerveja (sugiro experimentar com limão)!

Onservação: sirva o guacamole logo depois de pronto, para evitar que o abacate escureça e fique amargo. Caso não sirva imediatamente, conserve o guacamole na geladeira junto com o caroço do abacate, que deve ser lavado e seco com toalha de papel.

By Joe.

Polenta recheada

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , on 15/01/2011 by Joe

Polenta é um alimento típico da culinária italiana, com grande aceitação em diversos países, como Argentina e Brasil. Sua base é a farinha de milho.

Antes da chegada de imigrantes italianos, já se consumia no Brasil uma forma de polenta de milho denominada angu que pode ter a consistência de uma polenta firme ou cremosa.

A polenta tem origem na região norte da Itália. Constituía a base alimentar da população e dos legionários romanos. Era feita de principalmente de aveia, mas podiam ser utilizados outros cereais como a farinha de trigo.

Pouco depois da chegada dos espanhois ao Caribe, em 1492, o milho foi introduzido na Europa. Na Itália, o milho passou a ser cultivado, onde as chuvas são abundantes. A partir de então é que a polenta passou a ser feita de milho.

A polenta de milho tornou-se o principal prato nas regiões de Veneza e Friuli, onde passou a substituir o pão (feito com trigo) e o macarrão. Inicialmente restrita a essas regiões, em pouco tempo a polenta passou a dominar todos os aspectos da culinária italiana. A polenta sempre foi feita da mesma forma: com bastante esforço e paciência, misturando a pasta de milho com água em caldeirões de cobre, aquecidas sobre o fogo.

Pode ser servida mole, dura, grelhada ou frita. Pode ser recheada com uma imensa quantidade de molhos ou outros ingredientes, acrescentados enquanto ela ainda está quente e mole.

Antigamente considerada “comida de pobres”, a polenta hoje é usada em diversas casas e restaurantes, sem essa conotação.

Recentemente, a indústria alimentícia lançou polentas pré-preparadas, para serem feitas em refeições instantâneas.

A receita do post de hoje é uma das diversas formas de se preparar esse delicioso prato, associando-se a famosa dupla frango com polenta!

Polenta recheada com frango

Ingredientes

Para a polenta

1 colher (sopa) de manteiga
4 tabletes de caldo de galinha
2 xícaras (chá) de fubá
azeite ou margarina para untar a forma

Para o molho

1 peito de frango (± 500 g)
1 xícara (chá) de vinagre
2 tabletes de caldo de galinha
1 folha de louro
2 colheres (sopa) de óleo
2 cebolas picadas
meia xícara (chá) de azeitonas verdes picadas
1 xícara (chá) de polpa de tomate
1 colher (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de salsa picada

Modo de preparo

Polenta

Coloque para ferver dois litros de água com a manteiga. Dissolva os tabletes de caldo de galinha e adicione à água. Em seguida adicione também o fubá (polvilhando) e misturando bem com uma colher de pau. Cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, até aparecer o fundo da panela (cerca de 25 minutos).

Molho

Cozinhe o frango com duas xícaras (chá) de água, o vinagre, o caldo de galinha e o louro em uma panela de pressão, por cerca de 30 minutos. Espere sair a pressão, destampe a panela, retire e desfie o frango. Reserve.

Em uma panela, aqueça o óleo, refogue a cebola e as azeitonas. Junte a polpa de tomate, o açúcar e meia xícara (chá) de água. Junte o frango desfiado e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos ou até apurar o molho.

Montagem

Espalhe metade da polenta em um refratário médio (20 x 30 cm) untado com azeite ou margarina. Espalhe metade do molho e polvilhe a mussarela ralada. Espalhe a outra metade da polenta por cima, a outra parte do molho, o queijo parmesão e leve ao forno por alguns minutos para derreter bem a mussarela.

Um bom vinho Chianti vai bem como acompanhamento.

By Joe.

Bife acebolado com molho espanhol

Posted in Receitas with tags , , , , , on 08/01/2011 by Joe

Nada mais prático e saboroso do que um bife acebolado! Receita infalível para o dia-a-dia ou quando o tempo é curto para se preparar algo mais elaborado.

Porém, é possível preparar o mesmo bife acebolado, dando um toque um pouco mais sofisticado ao prato, sem comprometer o tempo.

Com ingredientes que sempre temos em casa, a receita de hoje pode ser preparada em poucos minutos e, com certeza, vai agradar toda a família!

Bife acebolado com molho espanhol

Ingredientes

500 g de alcatra cortada em bifes
1 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de óleo
1 cebola grande cortada em tiras finas
1/2 xícara (chá) de água
1/2 xícara (chá) de maionese
1 colher (chá) de açafrão-da-terra (cúrcuma)
1 pimentão vermelho pequeno cortado em tiras finas
salsinha picada

Modo de preparo

Tempere os bifes com o sal. Em uma frigideira grande, aqueça o óleo e coloque os bifes para fritar até dourar dos dois lados. Retire da frigideira e mantenha-os aquecidos.

Na mesma frigideira em que fritou os bifes, coloque a cebola e o pimentão, em fogo baixo. Mexa até murchar um pouco (se preciso, coloque algumas gotas de óleo para que não queimem).

Coloque metade da água na frigideira e mexa até soltar todo o fundo da frigideira. Coloque a maionese e a água restante. Misture até ficar bem homogêneo. Acrescente o açafrão-da-terra e a salsinha e misture. Em seguida, coloque o molho sobre os bifes.

Sirva com arroz branco e salada.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: