Arquivo para Luta

Atitude decidida

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/09/2015 by Joe

Uma atitude decidida é aquela que nos impulsiona a agir com determinação.

É a que nos faz dar um basta no relacionamento que não está funcionando, deixar aquele emprego chato para buscar outro mais de acordo com o nosso desejo, afastar da nossa vida as pessoas invejosas.

Ela aumenta o nosso poder sobre nós mesmos e ajuda a escolher as experiências que desejamos ter.

Uma atitude decidida nos faz olhar para dentro de nós mesmos a fim de que possamos verificar se estamos nos movendo em direção às nossas metas ou se, descuidados, estamos nos afastando delas sem perceber.

Se fosse uma cor, seria uma cor vibrante, que não deixasse dúvidas.

Se fosse uma palavra, seria uma palavra forte, sonora, cujo significado brilha.

Se fosse um animal, seria um animal forte, corajoso, que corre em direção à caça e se deixa guiar pelo instinto, sem medo.

Se fosse uma pessoa, seria alguém que não tem tempo a perder e que coloca o foco naquilo que busca na vida.

Uma atitude decidida pode ser exercitada através das pequenas escolhas do dia-a-dia.

É fortalecida com a transformação de crenças limitantes em crenças que apoiam a concretização dos objetivos desejados.

Uma atitude decidida exige liberdade, confiança, a habilidade de mudar sempre que necessário.

Ela implica na sabedoria de que, mais importante do que acertar, é assumir o poder da escolha e decidir o que nos nos parece melhor.

Uma atitude decidida deixa para trás cargas emocionais e não permite que frustrações passadas atrapalhem o presente.

Ela tem a consciência de que a vida acontece aqui e agora e de que é preciso ser o agente da própria história.

Quando optamos por ser quem somos e assumimos a responsabilidade por nossas escolhas sem medo da crítica ou de julgamentos, descobrimos a magia da atitude decidida.

Uma atitude decidida é aquela que nos leva à vitória!

Através dela exercitamos o poder sobre as nossas vidas e descobrimos que cabe a cada um de nós o privilégio de lutar e alcançar os próprios objetivos.

Você toma uma atitude decidida quando…

Termina aquele namoro que já vem se arrastando há tempos.

Pede demissão do emprego e vai à luta, porque descobriu que é preciso trabalhar com amor e dar o seu melhor naquilo que faz.

Joga fora o maço de cigarros e resolve que não vai mais fumar.

Esclarece mal entendidos com quem quer que seja, abre mão dos julgamentos e da crítica e exercita a aceitação. E assim descobre a paz de viver sem seguir pela vida carregando lixo emocional.

Decide sair da casa dos pais e viver a sua própria vida, assumindo a responsabilidade pelas suas escolhas.

Assume um compromisso com quem você ama.

Começa aquela dieta há tanto tempo adiada e decide que está na hora de gostar mais de si mesmo(a) e adotar hábitos saudáveis no seu dia a dia.

Procura uma terapia para se conhecer melhor. Mas não se deixa levar pela ilusão de que alguém poderá fazer o trabalho de transformação interior por você.

Compra uma passagem e tira férias para fazer aquela viagem sonhada.

Pede desculpas para quem você ama.

Abandona a falsa segurança de um casamento confortável para buscar a felicidade no amor.

Descobre que, às vezes, o melhor que se tem para tirar de uma situação é sair dela.

E você? Tem atitude?

By Tatiana Mutaf.

Não chores

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/06/2015 by Joe

Não chores

Não chores pelo que perdeste, luta pelo que tens.

Não chores pelo que acabou, luta por aquilo que nasce em ti.

Não chores por quem te abandonou, luta por quem está ao teu lado.

Não chores por quem te odeia, luta por quem te quer feliz.

Não chores pelo teu passado, luta pelo teu presente.

Não chores pelo teu sofrimento, luta pela tua felicidade.

Não é fácil ser feliz, porque temos que abrir mão de várias coisas, fazer escolhas e ter coragem de assumir o ônus de ser feliz.

Mas, com o tempo, vamos aprendendo que nada é impossível de solucionar e que apenas devemos seguir em frente com quem quer seguir conosco, com quem luta para estar ao nosso lado.

Engana-se quem acha que a riqueza e o status são motivos de inveja. O que as pessoas invejam de verdade é o sorriso fácil, a luz própria, a felicidade simples e sincera, e a paz interior.

By Papa Francisco.

O coração como método

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 07/05/2015 by Joe

O coração como método

O homem pode funcionar a partir de três centros: um é a cabeça, outro é o coração e o terceiro é o umbigo!

Quando você funciona a partir da cabeça, você produz pensamentos e pensamentos e pensamentos. Eles são muito insubstanciais, da matéria dos sonhos – eles prometem muito e não entregam nada.

A mente é uma tremenda trapaceira, tem uma grande capacidade de iludir porque ela pode projetar. Ela pode lhe dar grandes utopias, grandes desejos e vai sempre dizendo: “Amanhã vai acontecer…” e nunca acontece. Nada acontece na cabeça – a cabeça não é o lugar para as coisas acontecerem.

O segundo centro é o coração. É o centro do sentir – sentimos através do coração. Você está mais perto de casa – não ainda em casa, mas mais próximo. Quando você sente, você é mais substancial, você tem mais solidez. Quando você sente há a possibilidade de algo acontecer.

Não há nenhuma possibilidade com a cabeça, mas há uma pequena possibilidade com o coração!

A coisa real não é o coração ainda. A coisa real é mais profunda que o coração – é o umbigo. É o centro do ser.

Pensar, sentir e ser – esses são os três centros. Mas, certamente, o sentir está mais próximo do ser do que o pensar, e o sentir funciona como um método.

Se você quiser descer da cabeça, precisará passar pelo coração – esse é o ponto de cruzamento onde as estradas se separam. Você não pode ir diretamente ao ser, não é possível; você precisará passar pelo coração. Assim, o coração deve ser usado como um método.

Sinta mais e você pensará menos. Não lute contra os pensamentos, porque lutar contra os pensamentos significa, novamente, criar outros pensamentos de luta. Então, a mente nunca é derrotada. Se você ganhar, foi a mente que venceu; se você for derrotado, você é o derrotado.

Nunca lute contra os pensamentos; isso é inútil. Em vez de lutar contra os pensamentos, mova a sua energia para o sentir. Cante em vez de pensar, ame em vez de filosofar, leia poesia em vez da prosa. Dance, olhe a natureza, e tudo o que você fizer, faça-o através do coração.

Por exemplo, quando você tocar alguém, toque com o coração, toque sentindo, deixe seu ser vibrar. Quando olhar para alguém, não olhe simplesmente com olhos mortos como pedra. Deixe sua energia verter através dos olhos e, imediatamente, você sentirá que algo está acontecendo no coração. É apenas uma questão de experimentar.

O coração é o centro negligenciado. Quando você começa a prestar atenção nele, ele começa a funcionar. Quando ele começa a funcionar, a energia que estava automaticamente indo para a mente, começa a se mover através do coração. E o coração está mais próximo do centro de energia. O centro de energia está no umbigo. Assim, bombear energia para a cabeça é, na verdade, um trabalho árduo.

É para isso que existem todos os sistemas educacionais: para ensiná-lo a bombear energia do centro, diretamente para a cabeça. De fato, todo o sistema educacional desenvolvido em todo o mundo é para ensiná-lo a evitar o coração, a como tornar-se mais e mais mental e a como bombear a energia diretamente para a cabeça.

Assim, o amor é negado, o sentimento é negado, condenado – é quase um pecado sentir. A pessoa tem de ser lógica e racional, não emocional. Se você for emocional, as pessoas dirão que você é infantil – de certa forma, eles estão literalmente certos, porque só uma criança sente.

Uma pessoa adulta instruída, culta, condicionada, para de sentir. Ela se torna quase seca, madeira morta – não flui mais nenhum sumo dali. Daí haver tanto sofrimento: o sofrimento é por causa da cabeça.

A cabeça não pode celebrar, não há nenhuma celebração possível através da cabeça – ela pode pensar sobre e sobre e sobre, mas ela não pode celebrar. A celebração acontece através do coração.

Assim, a primeira coisa é começar a sentir cada vez mais e mais. Torne-se uma morada de amor, um santuário de amor; este é o primeiro passo. Uma vez que você dê este primeiro passo, o segundo será muito, muito fácil.

Primeiro, você ama – a metade da jornada está completa. E, assim como é fácil mover-se da cabeça para o coração, é ainda mais fácil mover-se do coração para o umbigo. No umbigo você é simplesmente um ser, puro ser.

By Osho, da obra “For Madmen Only”.

Aprenda a gostar de você

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/03/2015 by Joe

Aprenda a gostar de você

Aprenda a gostar de você, a cuidar e você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você…

A idade vai chegando e, com o passar do tempo, nossas prioridades na vida vão mudando. A vida profissional, a monografia de final de curso, as contas a pagar. Mas uma coisa parece estar sempre presente: a busca pela felicidade com o amor da sua vida.

Desde pequenas ficamos nos perguntando “quando será que vai chegar”? E a cada nova paquera, vez ou outra nos pegamos na dúvida “será que é ele”? Como diz o meu pai, “nessa idade tudo é definitivo”… ou pelo menos a gente achava que era!

Cada namorado era o novo homem da sua vida. Faziam planos, escolhiam o nome dos filhos, o lugar da lua-de-mel e de repente… PLAFT! Como num passe de mágica, ele desaparecia, fazendo criar mais expectativas a respeito “do próximo”.

Você percebe que cair na guerra quando se termina um namoro é muito natural, mas que já não dura mais de três meses. Agora, você procura melhor e começa a ser mais seletiva. Procura um cara formado, trabalhador, bem resolvido, inteligente, com aquele papo que a deixa sentada no bar o resto da noite.

Você procura por alguém que cuide de você quando está doente, que não reclame em trocar aquele churrasco dos amigos pelo aniversário da sua avó, que jogue “Imagem & Ação” e se divirta como uma criança, que sorria de felicidade quando te olha, mesmo quando está de short, camiseta e chinelo.

A liberdade, ficar sem compromisso, sair sem dar satisfação já não têm o mesmo valor que tinha antes. A gente inventa um monte de desculpas esfarrapadas, mas continuamos com a procura incessante por uma pessoa legal, que nos complete e vice-versa.

Enquanto tivermos maquiagem e perfume, vamos à luta… e haja dinheiro para manter a presença em todos os eventos da cidade: churrasco, festinhas, boates na quinta-feira. Sem falar na diversidade que vai do Forró ao Beatles.

Mas o melhor dessa parte é se divertir com as amigas, rir até doer a barriga, fazer aqueles passinhos bregas de antigamente e curtir o som. Olhar para o teto, cantar bem alto aquela música que você adora.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquele cara que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o homem da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas: é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Texto atribuído a Mário Quintana.

Agradeça

Posted in Astral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/01/2015 by Joe

Agradeça

Dizem que tudo o que estamos procurando, também nos está procurando e que, se pararmos quietos, nos encontrará.

Quando chegar, não se mova e veja o que acontece em seguida.

Desejo que hoje experimente a paz dentro de você, confie que está exatamente onde você deve estar e não se esqueça das infinitas possibilidades que nascem da confiança em você mesmo e nos outros. Utilize os dons que você recebeu e transmita aos outros o amor que você também recebeu.

Seja feliz consigo mesmo por quem você é.

Deixe esta sabedoria penetrar em você e deixe sua alma cantar, dançar e amar livremente.

Hoje, eu agradeço por ter você!

“O destino une e separa as pessoas, mas nenhuma força é tão grande para nos fazer esquecer pessoas que, por algum motivo, um dia nos fizeram felizes”.

Chega um momento na vida em que você sabe quem é importante para você, quem nunca foi, quem não é mais e quem o será sempre.

Pense em todas as pessoas que você não quer perder de vista. Cada uma das pessoas com quem você convive está travando, neste momento, algum tipo de batalha, sua própria luta interior.

Viva com simplicidade. Ame generosamente. Cuide-se intensamente. Fale com gentileza e, principalmente, não julgue, não reclame, não critique.

Preocupe-se em agradecer pelo que você é e por tudo o que tem! E deixe o restante com o Universo!

Desconheço a autoria.

Vida

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/11/2014 by Joe

Vida

Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso.

Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger.

Já dei risada quando não podia.

Já fiz amigos eternos.

Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado.

Já fui amado e não soube amar.

Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, mas “quebrei a cara” muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos.

Já liguei só pra escutar uma voz.

Já me apaixonei por um sorriso.

Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e…

… tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)!

Mas sobrevivi!

E ainda vivo!

Não passo pela vida… e você também não deveria passar!

Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve!

A vida é muito para ser insignificante!

By Augusto Branco (texto atribuído erroneamente a Charles Chaplin).

A diferença entre preço e valor

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/08/2014 by Joe

Preço X Valor

Frequentemente recebo e-mails de um amigo. O que vem me chamando a atenção é a forma como ele assina seu e-mail. Logo abaixo do seu nome, ele escreve:

– “Não eduque seu filho para ser rico, eduque para ser feliz! Assim ele saberá o valor das coisas, e não o seu preço!”

Sabiamente essa frase tem consumido meu pensamento sobre a importância do valor da coisas. Concordo plenamente e acredito que educar filhos fica mais fácil quando ensinamos valores. E não estou sozinho: essa premissa é defendida por todos os educadores deste país.

Tenho comigo que Deus dá a oportunidade aos pais, durante os primeiros anos de vida de seus filhos, para educar, ensinar, moldar. Se os filhos não são aquilo que os pais sonhavam, o erro não está no filho, mas na forma como foram ensinados. Por isso a importância de se preparar para uma educação através dos princípios básicos, como o da família.

Os pais de hoje estão preocupados em ter, ou seja, um homem em nosso mundo capitalista vale pelo que tem, não pelo que é. E nessa corrida em “ter”, em melhorar seu status, ele trabalha horas e horas a fio, sábados, domingos, feriados e dias santos são atropelados. Mães e pais vão à luta deixando seus filhos em escolas, creches e, na melhor das hipóteses, na casa da sogra ou da mãe, desde os primeiros dias de vida! E o que dizer daqueles que negligenciam a educação de seus filhos apenas porque são péssimos como pais? É qual é a forma de recompensa por essa ausência?

Tem pais que suprem – ou pensam que suprem – essa ausência com presentes; outros deixam os filhos à vontade, sem repreensão, sem querer apoiam um crescimento sem valores, de crianças mal educadas, que a única coisa que enxergam pela frente é a vontade de ter seus desejos realizados. Então, eu pergunto: “e isso é bom?”

Talvez você pense: “que pai horrível deve ser ele!” Pelo contrário, dedicar tempo ao filho não tem presente que pague. Quer um exemplo? Se você tem mais que 30 anos, como eu, deve lembrar-se de algum presente de infância, certo? Acho que não… eu, por exemplo, não me lembro dos presentes que ganhei, mas lembro que quando caía, era meu pai ou minha mãe que me levantava; lembro-me dos momentos em frente o pinheiro de Natal em companhia da família, dos abraços que recebia, dos jantares à luz de vela em família… tempo bom que não volta mais!

Por isso que procuro melhorar a cada dia.

Falando em família, a diferença entre valores e preço é simples: preço cai, sobe e você sabe quanto custou. Valor, simplesmente, não tem preço e é isso mesmo que faz a diferença.

By Douglas Dias.

%d blogueiros gostam disto: