Arquivo para Joemir Rosa

Tempo

Posted in Reflexão with tags , , , on 10/12/2015 by Joe

Tempo

O problema maior de se esperar pelo tempo é que pode não haver mais tempo para aquilo que se esperava!

Pense muito nisso antes de ficar esperando pelo tempo!

By Joemir Rosa.

Anúncios

Nossa mente

Posted in Ciência with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 08/06/2015 by Joe

A nossa mente original é um microcosmos onde tudo que existe está ali registrado. Trazemos toda a história do Universo em nossos neurônios como uma grande biblioteca, disponível para qualquer consulta.

Um determinado trecho do livro “Ilusões”, de Richard Bach, diz assim:

“Aprender é descobrir aquilo que você já sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você”.

Portanto, tudo já está em nossa mente, nossa HD com capacidade ilimitada, inclusive as coisas que, por padrão, classificamos como ruins ou não aceitáveis. Mas estão lá!

Cabe a nós, através das vivências e experiências, saber quais arquivos acessar e qual uso fazer deles!

By Joemir Rosa.

Pergunto…

Posted in Reflexão with tags , , on 14/05/2015 by Joe

Seja uma pessoa melhor

Se você pode ser uma pessoa melhor… por que insiste em ser você mesmo?

By Joemir Rosa.

O Demodelando vai demodelar!

Posted in Atualidade with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/12/2014 by Joe

Fechado para férias

Eu explico: “demodelar” significa quebrar moldes, modelos, rotinas. Assim, pela primeira vez em quase 6 anos, o Demodelando vai quebrar essa rotina e tirar uns dias de férias, descansar um pouco (quebrando pedras, é verdade!), devendo voltar no começo do ano que se aproxima!

Deixo meus votos de um Feliz Ano Novo, de muitas mudanças, de muitas quebras de modelos – principalmente aqueles sem sentido, hipócritas e ultrapassados – que tantos conflitos e infelicidade trazem às pessoas!

Um grande abraço a todos os amigos e seguidores!!

By Joemir Rosa.

Somos muito pequenos

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 04/07/2014 by Joe

Somos muito pequenos

Quando olhamos o Universo, percebemos que somos criaturas muito pequenas!

Então, não se preocupe tanto com tantas coisas; aproveite cada momento, faça tudo o que você deseja fazer, amplie sua vista, amplie sua mente, amplie seus horizontes.

Não se prenda tanto a modelos que nos são impostos culturalmente: questione, indague, procure saber os porquês. E se eles não te satisfizerem, busque o seu próprio modelo. Trilhe novos caminhos! Mude!

Não se preocupe tanto com coisas que te aborrecem no dia a dia; viva sua vida com amor, segurança e paz no coração!

Agradeça todos os dias ao Universo pelo sol que te aquece e alimenta e pela oportunidade de estar vivo!

Curta o por do sol como o se fosse o fechar das cortinas de mais uma jornada!

Procure olhar as coisas sempre pelo lado positivo: pode ter certeza que sempre existe um lado positivo, mesmo quando os problemas parecerem tão grandes e você chegou ao fundo do poço!

Não esqueça que todo poço tem um fundo, todo poço tem uma corda. E quando estamos no fundo dele, a luz só vem de um ponto: do Alto! Então, nessa hora, é preciso reunir todas as forças, pegar a corda e começar a subida rumo à Luz. Você vai chegar lá em cima!

E mesmo que tudo pareça tão grande, acredite: ainda assim, tudo é muito pequeno.

Existe algo maior: a vida!

By Joemir Rosa.

Tempos de violência

Posted in Atualidade, Reflexão, Videos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/01/2014 by Joe

Tempos de violência

Estamos vivendo tempos de muita violência, de pouco amor e respeito ao próximo. E, principalmente, de poucos exemplos também.

Ver noticiário na televisão hoje em dia é submeter-se a uma verdadeira lavagem cerebral onde somos anestesiados pela violência, pouco a pouco, diariamente, e vamos nos acostumando com as barbáries que só víamos em filmes policiais. Hoje elas estão bem aqui do lado de fora de nossas portas.

E, não bastasse a realidade, ainda somos bombardeados constantemente por filmes, jogos, novelas, onde o que vale é matar, roubar, trair, levar vantagem em tudo, etc. Ótimos exemplos de que a vida não vale mais nada!

Crimes hediondos, assassinatos a sangue frio, pais e mãe matando filhos, filhos matando avós, bebês abandonados, estupros, racismo, homofobia, violência doméstica contra a mulher e a criança, tráfico de drogas e seres humanos, vandalismo, violência desmesurada em estádios de futebol, roubos, assaltos, acidentes nas estradas e ruas das cidades causados pelo excesso de bebidas e drogas, corrupção ativa e passiva, crimes políticos… a lista é enorme!

Valores que mudaram de rumo, falta deles, exemplos que deveriam vir da família, a falta dela, falta de amor e de respeito pelo próximo, por si próprio…

A pergunta que faço é: em que ponto da escalada da humanidade nos desviamos da verdadeira evolução? Em que momento se deu o u-turning?

Outro dia vi um desenho onde um filhotinho de macaco perguntava a seu pai:

– “Papai, o que são humanos?”

E o pai, com um olhar triste, respondeu:

– “São macacos sem rabos que pensam que são donos de tudo que existe na floresta. Constroem cavernas de pedras que quase chegam ao céu. Seus egos, sua ambição, não têm limites… Tomam mais terra do que precisam para viver, destroem as florestas, sujam os mares, poluem o ar…”

À medida que ia explicando, seu filhote ia ficando aterrorizado. E o pai continuava:

– “Humanos escravizam humanos e deixam parte da manada morrer de fome para que poucos tenham muito e sejam ricos. Constroem máquinas para matar humanos. Um dia, meu filho, os humanos se exterminarão… eles são macacos loucos…”

O filhote, olhar perdido e triste, olhou para o pai e disse:

– “Pai… não me deixe jamais ser humano, por favor!”

Talvez o ponto da virada tenha sido aí, quando os macacos começaram a evoluir para algo pior que a sua própria espécie. Talvez a fórmula tenha dado errado. Talvez o mundo teria sido bem melhor só com os macacos…

São muitos “talvez” que não nos respondem o que queremos saber: tem volta?

Eu, particularmente, acho que tem volta, sim, mas não sem antes passarmos por uma terrível peneira que irá separar o joio do trigo. E essa peneira será longa, terrível, violenta e levará ao quase extermínio dessa raça de macacos que não deu certo!

Um dia, num futuro longínquo, talvez um filho de ser humano, talvez conhecido por um outro nome qualquer, irá perguntar a seu pai:

– “Papai, o que são humanos?”

A resposta só o tempo dirá….

O vídeo abaixo é uma produção mexicana e foi veiculado nas TVs daquele país como uma forma de alerta para o que as crianças estão fazendo, seus comportamentos e atitudes, muito parecidos aos de adultos.

Serve também para percebermos que o que está realmente faltando… são bons exemplos!

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: