Arquivo para Jael Coaracy

A realidade reflete aquilo em que acreditamos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/09/2013 by Joe

Mudar para vencer

O vencedor usa filtros de percepção que faz com que encontre motivação para acreditar que pode alcançar o que quer. Ele foca sua atenção no que pode funcionar, no que dá certo, nas possibilidades de superação de limites e no poder da solução que está ao alcance de todos.

O mal-sucedido usa seus filtros de percepção para ver no mundo dificuldades e impossibilidades, buscando exemplos nas vidas de outras pessoas para confirmar aquilo em que acredita. Ele coloca o foco sobre as dificuldades, as derrotas e tudo o que não funciona na vida de quem está ao seu redor. Com isso, fortalece suas crenças limitantes.

Enquanto o primeiro está em continua expansão, o segundo vai desenhando um círculo de medo e desilusão. Muitos tentam diversas vezes, mas quase sempre acabam repetindo aquilo que viveram antes e que consideram fracasso. A cada tentativa, mais se convencem de que não existem bons relacionamentos, os homens não prestam, as mulheres são interesseiras, não é fácil se dar bem nos negócios, é tarde demais para (re)começar qualquer coisa na vida, o mercado profissional está saturado, não há chances para quem passou dos 40, não se pode confiar em ninguém, e tantos outros “não posso”, “não funciona”, “não adianta”, “não vou conseguir”…

Não é tanto o que aconteceu antes, mas a maneira como você interpreta o que aconteceu que irá influenciar a sua vida. Em vez de colocar as experiências malsucedidas do passado no escaninho das “derrotas”, você pode se conectar com outra forma de compreender o que se passou. Descobrir o que não funcionou e aprender como fazer diferente é a essência do aprendizado.

Talvez você se de conta de que precisa desenvolver uma habilidade específica ou adotar um novo comportamento para obter sucesso. Um pré-requisito para mudar os resultados que você tem obtido na vida é tornar-se consciente das suas crenças.

Seja nos relacionamentos, na vida profissional, pessoal, no dia-a-dia, a não ser que desenvolva a confiança na sua capacidade de ser bem sucedido, não conseguirá êxito. É preciso mudar suas crenças que não dão suporte à realização dos seus projetos!

Pense nisso e comece a mudar!

By Jael Coaracy, em “Vai dar certo – Atitudes de alto impacto para mudar sua vida”.

Relacionamentos amorosos se conjugam no presente

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/04/2013 by Joe

Relacionamentos no presente

A vida acontece no momento presente. É aqui e agora que encontramos as oportunidades para sermos felizes!

Esse momento mágico, insubstituível, está ao nosso alcance e se oferece em toda a sua plenitude, a fim de que possamos mergulhar inteiramente.

O presente é o resultado de tudo o que se viveu, o único terreno onde é possível plantar as sementes do futuro que se deseja. Sejamos, pois, agradecidos ao presente do tempo.

Colocar o foco da própria vida no passado é escolher manter-se preso ao que já não existe e ficar apegado ao que passou.

Da mesma forma, querer antecipar o futuro e preocupar-se com ele, é desperdiçar as chances de construí-lo, vivendo, intensamente, cada momento.

O passado aprisiona e o futuro é fantasia.

Muitas pessoas perdem a chance de estabelecer relacionamentos gratificantes, apenas porque se mantém presas ao passado. Valorizam a pessoa que já foi embora de sua vida, o relacionamento que, por alguma razão, não deu certo.

Ao fazerem isso, deixam de perceber a pessoa que está ali, pronta para ser conhecida, para amar e ser amada. Quando essa pessoa cansa e vai embora, repetem o padrão e passam a valorizá-la.

Esse é um modo de viver o que já foi, o que não existe mais. O resultado é o desperdício da energia vital que se perde em medos imaginários.

Há quem esteja recriando o passado em cada nova oportunidade de se relacionar. São aquelas pessoas que sentem necessidade de contar o quanto sofreram, os traumas e desencontros que tiveram. Sem perceber, continuam aprisionadas ao lixo emocional do que não funcionou e que já não existe. Quando o novo parceiro se afasta, sentem-se injustiçados pelo destino.

Mas… quem tem prazer em ficar ao lado de alguém que cultiva um fardo de aflições passadas? É preciso libertar-se para viver o agora. Aprender a se perdoar, e a perdoar o outro é a essência da libertação, pois o ressentimento é uma camisa de ferro que tortura.

Não podemos perder de vista que somos responsáveis pelos sentimentos que abrigamos em nosso interior. Na vida a dois, o ressentimento é tão real quanto o veneno que corrói. Rouba o oxigênio do amor e da confiança. A relação amorosa só tem lugar no presente.

“Cultivar ressentimentos é o mesmo que tomar veneno e esperar que o outro morra”.

É aqui e agora que se encontra a possibilidade de dizer aquela palavra de carinho, de força, de incentivo, o gesto de solidariedade, de compreensão, de companheirismo.

Deixar o passado ir embora e seguir com a vida, é adquirir o passaporte que conduz à felicidade.

Conscientes de que, ao viver no presente, conquistamos o talismã que nos permitirá, a cada instante, cultivar o amor em nossos relacionamentos.

By Jael Coaracy.

A vida anda pra frente

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/09/2012 by Joe

Quando nos propomos a fazer algo diferente do que fizemos antes, e que não funcionou para nós, precisamos nos mover adiante. Em geral, a ideia de refazer remete à lembrança de frustrações passadas. Se isso acontece com você, atenção com o uso que faz da sua energia!

Uma das primeiras lições que aprendemos com a vida é que não dá para acertar sempre. Algumas vezes, dependendo do grau de dificuldade que encontramos, erramos bastante. Experiência é tudo: experimentar, fazer, repetir, até conseguir o que se deseja.

Isso se aplica a relacionamentos, vida profissional e o que mais alguém possa querer realizar.

Se não desistirmos diante das frustrações e das tentativas mal sucedidas, iremos nos aprimorando até adquirir a habilidade desejada.

O processo de aprendizagem requer que possamos lidar com a frustração. Em vez de nos deixarmos abater, precisamos aceitar com naturalidade o que não deu certo.

A aceitação é a chave para deixar ir embora o que não funcionou antes.

Enquanto a pessoa ficar lamentando o passado, ou imaginando como teria sido se tivesse agido diferente, vai patinar no mesmo lugar, sem se mover adiante.

Fazemos o melhor que podemos com os recursos emocionais, mentais, materiais de que dispomos, em determinado momento. Essa idéia deve ser suficiente para afastar sentimentos de culpa e outras emoções negativas.

A mudança de percepção e de atitude diante de uma situação acontece quando passamos de um grau de maturidade para outro, maior.

By Jael Coaracy.

%d blogueiros gostam disto: