Arquivo para Homenagem

Manoel de Barros (1916 – 2014)

Posted in Homenagem with tags , , , , , , , , , , , , , on 16/11/2014 by Joe

Manoel de Barros

Manoel Wenceslau Leite de Barros, cuiabano nascido em 19 de dezembro de 1916, em Campo Grande nos deixou no último dia 13 de novembro.

Manoel de Barros foi um poeta brasileiro do século XX, pertencente, cronologicamente à Geração de 45, mas formalmente ao pós-Modernismo brasileiro, se situando mais próximo das vanguardas europeias do início do século e da Poesia Pau-Brasil e da Antropofagia de Oswald de Andrade.

Recebeu vários prêmios literários, entre eles, dois Prêmios Jabutis. É o mais aclamado poeta brasileiro da contemporaneidade nos meios literários. Enquanto ainda escrevia, Carlos Drummond de Andrade recusou o epíteto de maior poeta vivo do Brasil em favor de Manoel de Barros . Sua obra mais conhecida é o “Livro Sobre Nada” de 1996.

Manoel de Barros ocupava a cadeira nº 1 da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Foram muitas obras, a maioria delas traduzida para várias línguas por todo o mundo.

O Brasil se despede com emoção desse brasileiro que deixou um legado para o mundo… a poesia!

Não existe a morte para alguém como Manoel de Barros. Não cabe bem, até por sinal de respeito. O poeta nunca gostou que colocassem data na existência. Então, o dia foi de mais uma daquelas inutilezas que a vida inventa e que ele por tantas vezes substantivou.

Alguns trechos de suas poesias:

“A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como
sou – eu não aceito.
Não aguento ser apenas um
sujeito que abre
portas, que puxa válvulas,
que olha o relógio, que
compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora,
que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem
usando borboletas.”

By Manoel de Barros

.

“Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo.”

By Manoel de Barros.

Perdas

Posted in Homenagem with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 04/11/2014 by Joe

Perdas

Primeiro: não queremos perder…

É lógico não querer perder. Não deveríamos ter de perder nada: nem saúde, nem afetos, nem pessoas amadas.

Mas a realidade é outra: experimentamos uma constante alternância de ganhos e perdas!

Segundo: perder dói mesmo…

Não há como não sofrer. É tolice dizer “não sofra”, “não chore”. A dor é importante. O luto também.

Terceiro: precisamos de recursos internos para enfrentar a tragédia e a dor…

A força decisiva terá que vir de nós, de onde foi depositada a nossa bagagem. Lidar com a perda vai depender do que encontrarmos ali.

A tragédia faz emergir forças inimagináveis em algumas pessoas. Por mais devorador que seja, o mesmo sofrimento que derruba faz voltar a crescer.

Quando é hora de sofrer não temos de pedir licença para sentir e esgotar a dor. O luto é necessário, ou a dor ficará soterrada, seu fogo queimando nossas últimas reservas de vitalidade e fechando todas as saídas.

Aprendi que a melhor homenagem que posso fazer a quem se foi é viver como ela gostaria que eu vivesse: bem, integralmente, saudavelmente, com alegrias possíveis e projetos até impossíveis.

By Lya Luft.

Homenagem à minha mãe, que se foi há exatos 5 anos hoje… (Joe).

Só a morte desperta nossos sentimentos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 27/08/2014 by Joe

Só a morte desperta nossos sentimentos

Não amaremos talvez insuficientemente a vida?

Já notou que só a morte desperta os nossos sentimentos? Como amamos os amigos que acabam de deixar-nos, não acha?! Como admiramos os nossos mestres que já não falam, com a boca cheia de terra!

A homenagem surge, então, muito naturalmente, essa mesma homenagem que talvez eles tivessem esperado de nós, durante a vida inteira. Mas sabe porque nós somos sempre mais justos e mais generosos para com os mortos? A razão é simples! Para com eles, já não há deveres.

É assim o homem… tem duas faces. Não pode amar sem se amar.

Observe os seus vizinhos, se por acaso acontece um falecimento no prédio. Dormiam na sua vida monótona e eis que, por exemplo, morre o porteiro. Despertam imediatamente, atarefam-se, enchem-se de compaixão.

É preciso que algo aconteça, eis a explicação da maior parte dos compromissos humanos. É preciso que algo aconteça, mesmo a servidão sem amor, mesmo a guerra ou a morte.

Vivam, pois, os enterros!

By Albert Camus.

A Sombra do Vento

Posted in Livros with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 06/10/2013 by Joe

A Sombra do VentoLivro: A Sombra do Vento
By Carlos Ruiz Zafón
Editora Suma de Letras

“A Sombra do Vento” é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica.

Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias.

Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra.

É lá que Daniel encontra um exemplar de “A Sombra do Vento”, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta.

Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível.

Uma obra eletrizante, que vale a pena ser devorada de uma só vez!!

By Joemir Rosa.

Amy Winehouse

Posted in Homenagem with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 24/07/2011 by Joe

“Crônica de uma morte anunciada” poderia ser o título deste post. Parece que, de certa forma, todos sabíamos qual o final que aguardava Amy Winehouse. Fácil dizer isso agora, diriam uns …

Mas a vida que a cantora levava, regada à drogas, álcool e relacionamentos complicados, só poderia acabar do jeito que recebemos a triste notícia deste último sábado.

Uma pena para quem gosta de boa música, pois Amy era dona de uma voz poderosa em uma mulher que parecia muito frágil. Voz comparável à das grandes divas do jazz, como Sarah Vaughn, Macy Gray e outras grandes intérpretes.

Bom … acho que tudo que pudesse ser dito e sentido sobre Amy Winehouse já aconteceu nestas últimas vinte e quatro horas…

Então, melhor que dizer o óbvio é ver e ouvir uma das mais lindas interpretações dessa fantástica cantora, que vai nos deixar muita saudades. A letra de “Back to Black” (Volta ao Luto) é triste (como quase todas que Amy compunha) e fala de um amor que se foi, de um adeus, e de um luto. Como o que estamos sentindo agora …

Amy se foi, mas sua voz será eterna! Descanse em paz, Amy …

By Joemir Rosa.

À Vossas Excelências

Posted in Homenagem with tags , , , , , , , , , , , , , on 10/07/2011 by Joe

Na música e vozes dos Titãs, a homenagem do povo brasileiro a todos os “artistas” que tem colaborado para manter, há muito tempo, o Circo da Política Brasileira em alta, com capítulos inéditos de hipocrisia, mentiras, corrupção, roubalheiras, caras de pau, e a ratificação do coronelismo na política nacional.

O vídeo é um pouco antigo, mas serve para verificarmos que algumas “moscas” mudaram, mas o “açúcar” continua o mesmo!!

Até quando?

Vossa Excelência
(P. Miklos, T. Bellotto, C.Gavin)

Estão nas mangas dos Senhores Ministros
Nas capas dos Senhores Magistrados
Nas golas dos Senhores Deputados
Nos fundilhos dos Senhores Vereadores
Nas perucas dos Senhores Senadores
Senhores!
Senhores!
Senhores!
Minha Senhora!
Senhores!
Senhores!
Filha da Puta!
Bandido!
Corrupto!
Ladrão!
Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado
Isso não prova nada!
Sob pressão da opinião pública
É que não haveremos de tomar nenhuma decisão!
Vamos esperar que tudo caia no esquecimento
E aí então…
Faça-se a justiça!
Vamos arrumar vossas acomodações, Excelência.
Filha da Puta! Senhores! Corrupto!
Senhores! Bandido! Senhores! Ladrão!

By Joemir Rosa.

Danette de chocolate

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 09/10/2010 by Joe

Dia 12 de Outubro comemora-se o Dia das Crianças, junto com o dia de Nossa Senhora de Aparecida.

O Dia das Crianças no Brasil foi criado na década de 1920 por um político chamado Galdino do Valle Filho, que resolveu criar um dia em homenagem às crianças.

Os deputados aprovaram o projeto e o dia 12 de outubro acabou sendo oficializado como Dia da Criança pelo então presidente Arthur Bernardes.

Porém, a data ficou apenas no papel, como tantas outras que temos por aqui (dia do Índio, da Árvore, da Sogra, etc). Somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela promoveu uma ação em conjunto com a Johnson & Johnson, para aumentar suas vendas, e lançaram a “Semana do Bebê Robusto”, é que a data passou a ser realmente comemorada. A estratégia deu tão certo que, desde então, o Dia das Crianças passou a ser comemorado da forma que é hoje, com muitos presentes!

Na mesma época outras empresas decidiram criar a Semana da Criança para aumentar as vendas, também. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. Só a partir de então é que o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos (e, claro, para as crianças do país!).

Em muitos outros países essa data é comemorada em 20 de novembro, data que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece como Dia Universal das Crianças, por ser quando se comemora a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças.

Enfim, história à parte, sabemos que criança gosta mesmo é de doces (além de brinquedos, óbvio!). E bom mesmo é chocolate! Quem é que não adora chocolate? (to falando com as crianças) …

Um dos doces mais gostosos (é meu lado criança falando) é aquela sobremesa láctea sabor de chocolate com leite que a gente compra nos supermercados e tem vontade de comer a bandeja toda! É o famoso Danette (ou o Chandelle).

E pra que as crianças (ebaaaa!!!) possam se deliciar com, pelo menos um litro e meio (vale dobrar a receita, sim!) de Danette, aqui vai a receita caseira desta delícia!

Lambuzem-se!!!

Danette de chocolate

Ingredientes

1 litro de leite
1 lata de leite condensado
4 colheres (sopa) de amido de milho
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo

No liquidificador bata o leite, o leite condensado, o amido de milho, o chocolate em pó, o açúcar e a manteiga. Transfira a mistura para uma panela e cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar. Deixe esfriar e bata novamente no liquidificador.

Coloque em potinhos e sirva gelado decorado com raspas de chocolate branco

Se preferir fazer o Danete branco, siga o mesmo modo de preparo, mas preste atenção na troca de ingredientes: elimine o açúcar, substitua o chocolate em pó por 200 g de chocolate branco derretido em banho-maria e o leite condensado por creme de leite.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: