Arquivo para Expansão

Sericaia

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/11/2014 by Joe

Sericaia

Sericaia, ou sericá, é um doce tipicamente alentejano cuja receita é de origem duvidosa. Não existe consenso sobre sua origem. Encontram-se referências a origens indianas, brasileiras e portuguesas. Na obra “Gastronomia e Vinhos do Alentejo”, Alfredo Saramago nos conta:

– “A dúvida nunca mais se resolve. Uns dizem que a receita veio da Índia, outros que ela veio do Brasil. O que é certo é que, desde os tempos da nossa expansão, a sericaia, ou sericá, era preparada, com todo o esmero, por dois conventos alentejanos que se arrogavam de direitos de importação da receita.” (Saramago, pg. 242).

Neste caso, o autor referia-se ao convento das Chagas de Cristo, de Vila Viçosa e o de Santa Clara, de Elvas. Há até a alusão à competição entre estes dois conventos para justificar os dois nomes atribuídos ao doce – Sericá e Sericaia. No caso das freiras do Convento de Elvas, estas preparavam o doce e decoravam com as famosas ameixas da região, juntamente com uma calda doce.

Segundo contam, a Sericaia teria origem no Convento das Chagas, mas no Convento das Clarissas acrescentou-se canela à receita e, a partir daí, a Sericaia passou a fazer mais sucesso. Neste caso, a sericaia seria uma receita contemporânea da origem da doçaria conventual em Portugal no século XV. Foi nessa altura que o açúcar entrou na gastronomia dos conventos, com a produção da cana de açúcar da Ilha da Madeira.

Sobre a origem oriental, a lenda diz que a sericaia é uma receita mais remota e terá tido a sua origem em Malaca, e a sua receita foi trazida pelo copeiro de D. Constantino de Bragança, sétimo vice-rei da Índia.

Independente da origem, o mais importante é que o toque de canela e a textura fofa fazem deste doce uma verdadeira delícia. No entanto, o segredo dele, mais do que os ingredientes utilizados, é a forma de colocá-lo no prato (que dever de barro ou estanho), ou seja, às colheradas desencontradas!

Sericaia

Ingredientes

12 ovos, separadas as claras das gemas
1 litro de leite
½ kg de açúcar
90 g de farinha
casca de um limão
1 canela em pau
1 colher (chá) de sal
canela em pó a gosto

Modo de preparo

Comece pré-aquecendo o forno a 225º C.

Em uma panela, ferva o leite com a casca do limão, o pau de canela e o sal. Retire do fogo e deixe amornar.

Enquanto isso, bata muito bem as gemas dos ovos com o açúcar até que a mistura fique bem cremosa. Reserve.

Em seguida, dissolva a farinha, aos poucos, no leite morno, junte o creme de gemas e açúcar, leve novamente ao fogo baixo e vá mexendo bem até engrossar. Desligue o fogo, tire a casca do limão e o pau de canela e deixe amornar.

Enquanto isso, bata as claras em neve, na batedeira, em velocidade média, até que fiquem em ponto de picos altos (para saber se estão no ponto, vire a tigela de cabeça para baixo e as claras não podem cair). Incorpore-as com cuidado ao creme preparado anteriormente.

Leve ao forno um prato de barro, fundo e largo, para aquecer. Uma vez aquecido, espalhe o creme sobre ele em colheradas desencontradas (uma colherada no sentido do centro para as bordas do prato e a outra atravessada).

Polvilhe bastante canela em pó e leve para assar por cerca de 1 hora. Para saber se está no ponto, faça o teste do palito: se ele sair seco ao colocá-lo no centro do prato, a sericaia está pronta. É normal que ela apresente “rachaduras” após estar assada.

By Joemir Rosa.

A realidade reflete aquilo em que acreditamos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/09/2013 by Joe

Mudar para vencer

O vencedor usa filtros de percepção que faz com que encontre motivação para acreditar que pode alcançar o que quer. Ele foca sua atenção no que pode funcionar, no que dá certo, nas possibilidades de superação de limites e no poder da solução que está ao alcance de todos.

O mal-sucedido usa seus filtros de percepção para ver no mundo dificuldades e impossibilidades, buscando exemplos nas vidas de outras pessoas para confirmar aquilo em que acredita. Ele coloca o foco sobre as dificuldades, as derrotas e tudo o que não funciona na vida de quem está ao seu redor. Com isso, fortalece suas crenças limitantes.

Enquanto o primeiro está em continua expansão, o segundo vai desenhando um círculo de medo e desilusão. Muitos tentam diversas vezes, mas quase sempre acabam repetindo aquilo que viveram antes e que consideram fracasso. A cada tentativa, mais se convencem de que não existem bons relacionamentos, os homens não prestam, as mulheres são interesseiras, não é fácil se dar bem nos negócios, é tarde demais para (re)começar qualquer coisa na vida, o mercado profissional está saturado, não há chances para quem passou dos 40, não se pode confiar em ninguém, e tantos outros “não posso”, “não funciona”, “não adianta”, “não vou conseguir”…

Não é tanto o que aconteceu antes, mas a maneira como você interpreta o que aconteceu que irá influenciar a sua vida. Em vez de colocar as experiências malsucedidas do passado no escaninho das “derrotas”, você pode se conectar com outra forma de compreender o que se passou. Descobrir o que não funcionou e aprender como fazer diferente é a essência do aprendizado.

Talvez você se de conta de que precisa desenvolver uma habilidade específica ou adotar um novo comportamento para obter sucesso. Um pré-requisito para mudar os resultados que você tem obtido na vida é tornar-se consciente das suas crenças.

Seja nos relacionamentos, na vida profissional, pessoal, no dia-a-dia, a não ser que desenvolva a confiança na sua capacidade de ser bem sucedido, não conseguirá êxito. É preciso mudar suas crenças que não dão suporte à realização dos seus projetos!

Pense nisso e comece a mudar!

By Jael Coaracy, em “Vai dar certo – Atitudes de alto impacto para mudar sua vida”.

O princípio da fartura

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13/10/2010 by Joe

A razão pela qual ninguém pode dizer quantas maçãs existem numa semente é que a resposta é: infinitas.

Sem fim. É nisso que consiste o princípio da fartura: infinidade.

Parece um paradoxo porque nós, como formas humanas, parecemos começar e terminar num período de tempo específico e, portanto, a infinidade não faz parte de nossa experiência em forma.

Mas é difícil imaginar que o Universo tenha fronteiras ou que ele simplesmente termine em algum lugar. Se termina, o que há no fim, e o que há do outro lado do que é o fim? Assim, sugiro que o Universo não tem fim e que não há um fim para o que você pode ter para si mesmo quando este princípio de tornar-se parte de sua vida.

Sabemos que uma grande parte do que somos como seres humanos não tem forma, e que esta parte, os pensamentos, não têm limites. E disso eu deduzo que nós também somos infinitos. Consequentemente, a fartura, com sua ausência de fronteiras e limites, é a própria senha do universo. Aplica-se a nós todos tanto quanto a tudo o mais no Universo.

Deveríamos ser conscientes da abundância e da prosperidade e não fazer da escassez a pedra angular de nossas vidas. Se temos uma mentalidade de escassez significa que acreditamos em escassez, que avaliamos nossas vidas em termos de suas carências. Se nos fixamos na escassez, estamos colocando energia no que não temos, e esta continua a ser a nossa experiência de vida.

O lema da história de vida de tantas pessoas:

“Eu simplesmente não tenho o suficiente”.

“Como posso acreditar em fartura quando meus filhos não têm nem as roupas de que precisam?”.

“Eu seria muito mais feliz se tivesse…”.

As pessoas acreditam que vivem uma vida de escassez porque não têm sorte, em vez de reconhecerem que seu sistema de crenças está enraizado no pensamento de escassez. No entanto, enquanto viverem com uma mentalidade de escassez, isto é o que atrairão para suas vidas. Tudo que seria necessário para eliminar esta condição de vida já está aqui neste mundo em que vivemos e respiramos.

Todos os dias. Onde mais poderia estar?

A verdade é que existe o bastante para todos no Universo, e somos parte desse Universo infinito. Quando, sinceramente, acreditarmos neste princípio, nós o veremos funcionar para nós de milhares de maneiras diferentes. Todas as pessoas que conheci que passaram de uma vida de escassez para uma de fartura descobriram como acreditar e viver este princípio. E digo todas as pessoas, inclusive eu mesmo. Mas como nos livramos de uma mentalidade de escassez?

Transcendendo uma consciência de escassez!

O primeiro passo para descartar uma mentalidade de escassez é compreender e dar graças por tudo que você é e tudo que você tem .

É assim mesmo: agradeça, mas não de uma maneira inexpressiva. Aprecie verdadeiramente o milagre que é você!

O fato de estar vivo. De ter olhos, ouvidos, pés, e de estar aqui neste exato instante, neste sonho maravilhoso. Faça um esforço para começar a se concentrar no que você tem, e não naquilo que lhe falta.

Nada falta.

Como poderia te faltar alguma coisa num Universo perfeito?

Quando você começa a se concentrar em ser agradecido por tudo que tem – a água que bebe, o sol que o aquece, o ar que respira e tudo que é uma dádiva de Deus – você estará usando seus pensamentos (sua essência inteira) para se fixar na abundância e na sua humanidade.

Lembre-se de que você é uma única célula num corpo da humanidade, e esta célula requer harmonia interior a fim de cooperar com as células adjacentes.

Quando você assim proceder sua energia mudará para o milagre de você estar aqui.

Enquanto estiver concentrado no milagre que você é e no milagre de tudo que o cerca, você não pode estar concentrado no que não é e no que parece estar faltando no seu mundo. À medida que praticar ser agradecido, vá aumentando a lista das coisas pelas quais você agradece.

Amigos e família. Roupas e alimentos. Qualquer dinheiro que tenha. Todos os seus bens, tudo que tenha surgido em sua vida para você usar enquanto está aqui.

Enfim, tudo e toda e qualquer coisa.

O lápis, o garfo, a cadeira, tudo. Comece a se concentrar no quanto você é agradecido por ter todas estas coisas em sua vida agora, quando precisa delas.

Pense nelas como suas para usar temporariamente antes de devolvê-las para a Circulação.

Quando estiver pronto para iniciar o processo de ser agradecido por todos e tudo que surgem em sua vida, bem como apreciar sua própria humanidade, você estará no caminho para eliminar a mentalidade da escassez.

Tudo em que você focaliza seus pensamentos se expande!

Leia de novo.

Tudo em que você focaliza seus pensamentos se expande!

É perfeitamente lógico. Tudo que você tende a pensar é o que você se concentra e é o que você cria mais. Por exemplo, se você tem algumas dívidas e algum capital e todo o seu foco é o que você tem, você expandirá seu capital.

Se o capital é de apenas quinhentos reais e suas dívidas são de cinco mil, e você se concentra no dinheiro que tem, você começará a fazer alguma coisa com ele. O que quer que faça com ele de maneira positiva ajudará a expandi-lo.

Ao contrário, se você concentra todos os seus pensamentos no seu endividamento, sempre lembrando a si mesmo o quanto é pobre, fazendo disso o foco de sua vida emocional, será precisamente isso o que expandirá.

Isso é perfeitamente claro quando se trata de pequenas doenças. Se você se concentra em seu resfriado, sempre falando nisso, sempre se queixando a todos com quem encontra o quanto se sente mal, você expandirá o que está sufocando.

Isto é, sua energia fluirá para o resfriado de que você tanto “se orgulha”. Mas se você se concentra na grande parte de você que não está doente e diz às outras pessoas o quanto se sente bem, você expandirá seu bem-estar .

Nós agimos segundo nossos pensamentos. Estes pensamentos literalmente se tornam nossa experiência diária de vida.

Em conseqüência, se você despende uma grande parte da energia de sua vida concentrando-se em escassez, isto é o que você vai expandir em sua vida.

Para vivenciar somente a fartura, você na verdade tem que deliberadamente resistir a concentrar-se em escassez.

Quando você vive e respira prosperidade, e com a crença de que existe um enorme suprimento de tudo, e de que todos temos direito a ter tudo que podemos ter, você começa ativamente a tratar a si e os outros desta forma.

Este princípio aplica-se a aquisição de riqueza, felicidade pessoal, saúde, atividades intelectuais e tudo o mais.

Está relacionado à uma antiga promessa bíblica:

“Ao que tem, mais deve ser dado.”

Realmente dá certo!

Este Universo é um empreendimento incomensuravelmente grande, grande demais para que qualquer um de nós comece a percebê-lo da perspectiva dos limites do nosso corpo.

A fartura reina por toda a parte.

Os únicos limites que temos são os que alimentamos com nossa crença nestes mesmos limites.

By Wayne W. Dyer.

%d blogueiros gostam disto: