Arquivo para Doçura

Uma Nova Era

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/03/2011 by Joe

Qualquer que seja a religião que a ti tenham ensinado, qualquer que seja o modo como te tenham educado e qualquer que seja a maneira como tenhas compreendido teus mestres, nesses níveis compreenderás assimilarás esta mensagem.

Não basta crer nesta mensagem – é preciso  vivenciá-la. A essência da religião universal consiste na paz e na verdade, impregnadas do amor e da bondade para com todas as criaturas da Terra. O momento é chegado de manifestar essa essência na vida pessoal. É preciso começares por ti mesmo e tua vida interior. Queres reformar o mundo? Reforma-te primeiro, meu amigo! A mensagem daquele que não se reformou nunca inspira reforma.

O amor está no cerne de toda religião e a virtude, que é o amor em ação, é a realização cabal da religião. Não ames tão somente a família e os amigos, pois limitar o amor é negá-lo. Busca a paz interior e a divina inspiração, persiste nessas coisas, nem um só instante a ela renuncies.

Com tua fé e tuas ações, aperfeiçoas tua vida e ajudas a aperfeiçoar a vida dos outros. Que responsabilidade! Em ti encontra o espírito seu agente parceiro. Conforme disto estejas consciente, nessa medida serás enriquecido, terás uma revelação mais profunda do que teus sonhos, os mais sublimes.

Despontará a nova era em que nos aperceberemos da unidade de tudo. As diferenças entre as religiões desaparecerão, aquilo que de bom elas encerram será reunido e se tornará o fim comum da humanidade.

Conscientiza-te de que a escolha é tua. Escolhe o amor, de preferência ao ódio; a doçura, de preferência à violência; a santidade, de preferência ao mal. Ousa crer que é chegado o reino do amor e da paz. Estejas preparado, sê virtuoso em toda ação. A virtude abre todas as portas e para além dessas portas encontra-se o amor.

Que a divina inspiração se apodere de toda a tua vida, cumulando-a de recompensas, pelas realizações cotidianas, dos tesouros de uma existência consciente e  da Luz Eterna do paraíso alcançado!

Autoria desconhecida.

O poder do elogio

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , on 09/02/2011 by Joe

Quem é que não gosta de ouvir um elogio? Ele aumenta a confiança e eleva a auto-estima. Faço referência ao reconhecimento sincero digno de aplausos e não da adulação interesseira ou banal.

É preciso ter em mente que um elogio sempre gera um clima de simpatia. Por isso faz bem para a alma reconhecer e ser reconhecido pelas pessoas que nos cercam: amigos, colegas de trabalho ou familiares. Elogiar é louvar as virtudes e os esforços dos outros, da mesma forma como gostaríamos que agissem conosco.

Assim como tem gente que tem dificuldade para praticar o elogio outras se sentem constrangidas quando são elogiadas. E, muitas vezes, respondem: “Eu não mereço”, “Bondade sua”, “Que exagero, nem é pra tanto”. No fundo, se sentem lisonjeadas, mas não assumem. O melhor a fazer é aprender a aceitar com tranqüilidade. Afinal, ninguém é obrigado a dizer aquilo que sente. Recusar por quê?

Um elogio pode operar verdadeiros milagres. Muitas pessoas animam-se quando recebem um elogio sincero. Talvez, naquele dia era tudo o que ela mais precisava para aquietar o seu coração. Infelizmente, movidos pelo nosso egoísmo e nosso orgulho, somos mais propensos a criticar os erros do que elogiar as virtudes de pessoas queridas.

Há quanto tempo você não elogia o seu filho, que fica a sua espera todas as noites? E o seu amor que, pacientemente ouve todas as suas queixas? E aquele colega de trabalho que, dezenas de vezes, tem lhe ajudado nas suas tarefas? As pessoas educadas, gentis e de espírito elevado sabem valorizar seus semelhantes e elogiar o bem que os outros fazem.

Saiba elogiar no seu dia a dia. A melhor fórmula para manter as pessoas queridas à nossa volta é usar a simpatia, a doçura e a gentileza. Tenha em mente que um elogio é um presente. E é dando que se recebe…

Todo mundo gosta e precisa receber elogios, faz bem ao ego. Já elogiou alguém hoje?

By Marlene Heuser.

O Grande Ditador (discurso final)

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/08/2010 by Joe

“Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar, se possível, judeus, gentios, negros, brancos…

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo, não para seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as necessidades.

Caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém, nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma das pessoas… Levantou no mundo as muralhas do ódio e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e a morte.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina que produz abundância tem-nos deixado em penúrias. Nossos conhecimentos fazem-nos céticos; nossa inteligência em pessoas duras e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas feições a vida será de violência e tudo será perdido.

A aviação e o rádio aproximam-nos muito mais. A própria natureza dessas coisas é um apelo eloquente à bondade da pessoa humana, um apelo à fraternidade universal, à união de todos nós.

Neste mesmo instante minha voz chega a milhões de pessoas por este mundo afora. Milhões de desesperados, homens e mulheres, criancinhas, vítimas de um sistemas que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que me podem ouvir, eu digo: “Não se desesperem!”

A desgraça que tem caído sobre nós não é mais produto da cobiça em agonia, da amargura de pessoas que temem o avanço do processo humano. As pessoas que odeiam desaparecerão. Os ditadores sucumbirão e o poder, que do povo foi roubado, há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem pessoas, a liberdade nunca perecerá.

Companheiros, não vos entregueis a seres humanos brutais que vos desprezam, que vos escravizam, que arregimentam as vossas vidas, que ditam os vossos atos, as vossas ideias, os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como um gado humano, que vos utilizam como carne para canhão!

Não sois máquinas! Pessoas é que sois! E, com amor da humanidade em vossas almas!

Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar, os inumanos.

Companheiros, não batalheis pela escravidão! Lutai pela liberdade! Vós, o povo, tendes o poder! O poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela… e fazê-la uma aventura maravilhosa.

Portanto, em nome da democracia, usemos deste poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo… um mundo bom, que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê fruto à mocidade e segurança à velhice.

É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém, escravizam o povo.

Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à aventura de todos nós.

Em nome da democracia, unamo-nos!”

By Charles Chaplin, adaptado do discurso final do filme “O Grande Ditador” (The Great Dictator), dirigido por Charles Chaplin. Foi lançado em 15 de outubro de 1940 e satiriza o nazismo, o fascismo e seus maiores propagadores, Adolf Hitler e Benito Mussolini. Foi o primeiro filme falado de Chaplin também.

Um discurso que, apesar de passados 70 anos, continua muito atual e serve ainda para refletirmos sobre o momento atual de toda a humanidade. Vem aí mais um período eleitoral e muitas promessas são feitas por gente incompetente e gananciosa que só querem o poder!

Parafraseando Chaplin, “em nome da democracia, usemos deste poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo… um mundo bom, que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê fruto à mocidade e segurança à velhice.”

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: