Arquivo para Desastre

Você é o que acredita ser

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/07/2013 by Joe

Mude suas crenças

Conta a lenda que os alquimistas da Idade Média eram pessoas capazes de transformar o chumbo em ouro: um belo trabalho, se você conseguir!

De certo modo, todos nós precisamos ser alquimistas para ver além das aparências superficiais. Nosso desafio cotidiano consiste em enfrentar situações que parecem infelizes – perder o avião, acidentes de carro, divórcios, garçons mal-educados – e transformá-las em intervalos felizes.

Isso significa que você deve rezar para quebrar a perna? Não, mas se tal coisa acontecer, trate de encontrar uma oportunidade dentro do “desastre”. Aí você pergunta: “que bem isso pode me fazer?”. E eu respondo: “você passa a viajar no ônibus da vida em vez de empurrá-lo”. À medida que você para de reagir com pavor ante o inesperado, torna-se mais equilibrado e passa para uma posição de poder.

Enquanto você acreditar que alguma coisa em sua vida é um desastre, isso resultará num desastre contínuo. Digamos que você se divorciou recentemente e imagina que sua vida está arruinada. Enquanto acreditar nisso será assim. Digamos que você é demitido aos 50 anos e chega à conclusão que o seu tempo já passou. Enquanto acreditar nisso, assim será.

Ou seja: enquanto a sua atitude for negativa, você não fará nada para melhorar de vida. Enquanto você enxergar somente o desastre, atrairá mais desastres. Os acontecimentos se darão conforme as suas expectativas. Mas no minuto que você mudar de crença sobre a situação, seus pensamentos diferentes atrairão pessoas diferentes e novas oportunidades!

A vida deve ser divertida! Os pássaros acordam todos os dias cantando. Os bebês riem sem nenhum motivo. Observe os golfinhos, os cachorros… quem disse que a vida não tem graça?

O universo é brincalhão. Se você herdou a ideia de que a vida não foi feita para ser divertida, compreenda o que isso significa: é apenas uma crença da qual você pode descrer.

Em poucas palavras: os “desastres” da vida não são propriamente desastres, são situações que esperam que você mude de atitude.

By Andrew Matthews, no livro “Siga seu coração”.

Olhos no futuro

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/06/2013 by Joe

Olhos no futuro

Os acontecimentos do passado são muito bons para aprender com os erros e criar referências de nossas capacidades! Quando você esquece o passado, corre o risco de repetir os mesmos erros. Seus e dos outros.

Na Segunda Guerra Mundial, Hitler levou seus exércitos para o desastre no inverno da Rússia – exatamente como Napoleão havia feito no início do século 19.

O passado pode ser fonte inesgotável de autoconfiança. Quando você olha com orgulho para o passado, lembra de suas vitórias e pode entrar em contato com uma força interior que te leva à superação. Mas, ao mesmo tempo, você deve cuidar para não estimular a nostalgia, ou viver de arrependimentos passados.

Orgulhar-se permanentemente do que já aconteceu também não funciona e pode levar à decadência… nada de frases do tipo: “no meu tempo…” ou “antigamente…”.

O antigamente não existe mais; é só uma lembrança. Não entre nessa de remoer o passado; isso traz ressentimentos. E o ressentimento dói e imobiliza.

O passado deve ser usado para se trabalhar no presente, com olhos no futuro!

By Roberto Shinyashiki, do livro “Os Donos do Futuro”.

Importante X Interessante

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/05/2013 by Joe

Lobo cuidando das ovelhas

Você sabe que há algumas coisas, poucas, que são importantes e também interessantes, para serem feitas em sua vida. Geralmente, fazemos todas elas com grande prazer, porque são interessantes, embora costumemos dizer que fazemos por serem importantes.

Você também sabe que há centenas, talvez milhares de coisas interessantes para fazer, em sua vida. Talvez mais de 100, apenas hoje. Festas, passeios, diversão. Mas não há horas suficientes, em um dia, nem mesmo dias suficientes, em uma vida, para fazermos tudo o que gostaríamos de fazer. Tudo o que é interessante, divertido, único, alegre e “imperdível”, geralmente não é importante.

Geralmente é apenas para obter prazer.

Também há algumas coisas importantes a serem feitas, em sua vida. Talvez, mais de cinco coisas, hoje. Talvez, menos. Não são tantas, mas por não serem necessariamente interessantes, geralmente não ganham nossa atenção e nosso foco.

A maioria das pessoas não consegue fazer 1 coisa importante por dia, ou 365 coisas importantes por ano. Ficam adiando o quanto podem, e acabam realizando 10 ou 15 muito importantes em um ano. E esta média já está ótima, pensam.

Ocorre que a vida se desdobra devido às coisas importantes que realizamos, não as que são meramente interessantes. A vida nos premia pelo que fazemos de diferente, não pelo que fazemos igual a todos os outros. Quando somos carneiros, e fazemos algo apenas porque “todo mundo faz”, entregamos nossa própria senha para o lobo, e vamos calmamente para o matadouro do desastre.

Jamais troque o importante pelo interessante. Jamais troque qualidade por quantidade. Jamais troque o que deve ser feito pelo que você deseja fazer, mas que não tem importância nenhuma em sua vida.

Porque, como disse Alex Bach, “trocar o importante pelo interessante, é o melhor modo de perder os dois”.

By Aldo Novak.

Pássaro ou árvore

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/11/2012 by Joe

Há momentos na vida em que somos pássaros. Queremos voar, mas nossas asas são curtas e não nos permitem chegar além do horizonte. O que podemos está sempre aquém do que desejamos.

Há momentos na vida em que temos longas asas. Podemos alçar extensos voos, mas nossos limites são determinados pelo peso das bagagens que a vida nos dá. São malas que atendem por diversos nomes: bom senso, juízo, medo…

Há os que se livram de seu peso e conseguem voar muito alto. Alguns atingem destinos fantásticos; muitos conhecem o sabor do desastre.

Mas há momentos na vida em que deixamos de voar. É quando nos tornamos árvores, quando nos percebemos enraizados à terra, presos no espaço e no tempo.

Não nos damos conta desta mudança, que nos tira as asas, mas nos empresta galhos e ramos. Apenas descobrimos que somos assim.

Mas quando deixamos de procurar a luz, ou desistimos de cavar em busca de energia, paramos de crescer. Mas não há árvores assim! As árvores perseguem seu destino, que é crescer e se alimentar.

Assim como há pássaros que só buscam voar.

Saber o momento do vôo ou o instante de se enraizar é a grande sabedoria humana.

Saber viver intensamente o momento de polinizar as flores, ou o momento de deixar ao vento e à chuva que espalhem nossas sementes, eis o destino da vida.

Se você é pássaro, voe em busca de seu sonho.

Se você se descobriu árvore, cresça o mais alto que puder e deixe a terra cuidar de suas sementes.

Desconheço a autoria.

%d blogueiros gostam disto: