Arquivo para Corações

More no seu amor próprio

Posted in Inspiração with tags , , , , , on 04/12/2015 by Joe

Amor próprio

More no seu amor próprio…

É muito complicado morar de aluguel em corações alheios!

By Zack Magiezi.

Tentações

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 10/04/2015 by Joe

Tentações

Se a vida é um milagre, por que desprezar esse milagre?

Por que afastar esses anjos delicados que todo dia me trazem fantasias inocentes e gloriosas? Por que repelir esses vibrantes e belos seres vivos que transformam meu peito num ensolarado jardim de corações? Por que desperdiçar energias tentando afastar as tentações que me tocam tão profundo? Por que recusar girassóis?

Gastamos mais energia para afastar as tentações do que para vivê-las com amor e risco. Aliás, só o prazer nos livra da loucura. Até porque, como dizia Jesus, “toda tentação é criativa”.

Por isso, em verdade, em verdade eu vos digo:

“A tentação é que nos leva para o Céu”.

By Edson Marques.

A mudança é uma obrigação!

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/02/2015 by Joe

Mudança

A mudança não é uma necessidade, não é uma opção; é uma obrigação!

É uma obrigação para nós que temos a convicção necessária de que só com uma mudança podemos empreender a evolução e o crescimento que precisamos para atrair felicidade, amor, prosperidade e progresso em todos os âmbitos das nossas vidas.

E esclareço: quando digo que é uma “convicção” é porque a decisão de aceitar ou não a mudança é um poder absoluto que cabe só a nós, pois ela se inicia nos nossos modelos mentais, na nossa maneira de pensar e, sobre isso tudo, só nós temos o controle. Quando digo “necessária”, refiro-me a que quando não aceitamos esta realidade, quando não aceitamos a mudança, ficamos encerrados em ciclos de contínuas experiências repetitivas que nos perturbam ou acabam por encerrar-nos na mediocridade e no conformismo, ou na tristeza e na desesperança.

E quando falo de “evolução” não estou falando da possibilidade de que saiam “asinhas” nas nossas costas; as asas se desenvolvem nos nossos pensamentos e elevarão as nossas ambições e a visão das nossas próprias vidas por ilimitados e abundantes espaços do universo. E lá encontraremos nossos próprios espaços individuais onde desenha definida e claramente nossos objetivos e metas, nossa visão de vida; definir nossos sonhos.

Então, falo de crescimento, mas crescer não significa chegar às alturas esticando nossos corpos, senão fazer crescer a força dos nossos corações, a riqueza da nossa personalidade, a determinação e a coragem das nossas ações, para assim conseguir o crescimento que nos leve para a altura de todos nossos sonhos, sem importar quão altos eles estejam, e poder alcançá-los. Estou convencido destas ideias e por isso hoje quero compartilhá-las.

Em algumas ocasiões tenho recebido mensagens – e estou ciente desta posição – em que me dizem que o que escrevo é irreal, que são palavras que pertencem a um mundo de ilusão e fantasia. Eu mesmo, às vezes, tenho pensado isso. Sei que antigamente algumas pessoas liam minhas propostas e em algum momento se sentiram “enjoadas” de tanto ler sobre “céus despejados” quando realmente as nuvens não param de aparecer nas nossas vidas.

É por isso que estou escrevendo isto, pois também tenho que encarar muitos problemas e sinto tristeza ao ver a dor e a frustração, e inclusive os momentos de fraqueza de pessoas que aprecio, algumas ao meu redor, outras conhecidas nos espaços que a Internet nos oferece, mas todas próximas em carinho e sentimento.

Desde a perspectiva de quem tem encarado e ainda encara muitos desafios e inseguranças, adversidades e contradições, só me resta insistir em compartilhar aquilo no que acredito e que tive que experimentar. A única maneira de alcançar mudanças positivas nas nossas vidas é aceitando a mudança, com todo o desconforto e todas as turbulências que isso possa representar. Comecemos pelos menores detalhes, comecemos por nossos pensamentos. A mudança é movimento e o movimento atrai oportunidades para nossas vidas.

Todos merecemos, podemos e devemos ser felizes, viver em prosperidade e abundância, amar e ser amados. Cultivemos no nosso entorno e, sobre tudo, no nosso interior, o terreno fértil para aceitar estas benções nas nossas vidas.
Iniciemos a mudança imediatamente!

Desconheço a autoria.

A saudade que fica

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/12/2014 by Joe

A saudade que fica

Todas as pessoas que passam pelas nossas vidas deixam as suas marcas num ir e vir infinito.

As que permanecem é porque, simplesmente, doaram seus corações para entrar em sintonia com a nossas almas. As que se vão nos deixam um grande aprendizado…

Não importa que tipo de atitude tiveram, mas com elas aprendemos muito!

Com as vaidosas e orgulhosas aprendemos que devemos ser humildes…

Com as carinhosas e atenciosas aprendemos a ter gratidão…

Com as duras de coração aprendemos a dar o perdão…

Com as pessoas que passam pelas nossas vidas aprendemos também a amar de várias formas: com amizade, com dedicação, com carinho, com atenção, com atração, com paixão ou com desejo…

Mas nunca ninguém nos ensinou e nunca aprenderemos como reagir diante da “saudade” que algumas pessoas deixaram em nós.

By Marilene Laurelli Cypriano.

Você entregou o seu poder?

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/11/2014 by Joe

Perdão

Quando culpamos o outro, entregamos o nosso poder, porque estamos colocando a responsabilidade pelos nossos sentimentos em outra pessoa. As pessoas em nossas vidas podem se comportar de maneiras que desencadeiem reações desconfortáveis em nós. Entretanto, elas não entraram em nossas mentes e criaram os botões que foram empurrados.

Assumir a responsabilidade pelos nossos próprios sentimentos e reações é dominar a nossa “capacidade de responder.” Em outras palavras, aprendemos a escolher conscientemente, ao invés de simplesmente reagirmos.

Não podemos falar de ressentimento sem também falarmos sobre o perdão. Perdoar alguém não significa que toleremos o seu comportamento. O ato do perdão ocorre em nossa própria mente. Ele realmente nada tem a ver com a outra pessoa. A realidade do verdadeiro perdão está em deixarmos de nos agarrarmos à dor. É simplesmente um ato de nos liberarmos da energia negativa.

O perdão não significa permitir que as ações ou comportamentos dolorosos do outro continuem em sua vida. Algumas vezes, o perdão significa liberação. Você os perdoa e os libera. Tomar uma posição e estabelecer limites saudáveis são, muitas vezes, as coisas mais amorosas que você pode fazer – não somente para si mesmo, mas para a outra pessoa também.

Eu realmente acredito que não há erros. Quando os nossos corações estão fechados e sentimos ressentimento, raiva e tristeza, é difícil ver alguma coisa boa. No entanto, quando os nossos corações estão abertos, é como se grande parte desta negatividade desaparecesse e fôssemos capazes de liberar estes velhos pensamentos e despertarmos para a alegria. Para cada um de nós, há sempre a alegria interior. E precisamos saber que somos muito perfeitos como somos.

Não importa quanto caos possa estar acontecendo ao nosso redor, não importa quantas coisas possam estar acontecendo de errado ou não da forma como queremos, não importa o que os nossos corpos possam estar fazendo no momento – podemos amar e aceitarmos a nós mesmos. Pois a nossa verdade – a verdade do nosso ser – é que somos eternos. Sempre fomos e sempre seremos. E esta parte de nós mesmos continua para sempre. Alegre-se que assim seja.

Quando nos amamos e nos aceitamos exatamente como somos, torna-se mais fácil passarmos pelos momentos difíceis. Não estamos mais lutando contra nós mesmos. Estamos nos aceitando. Estamos nos tornando sensíveis. Estamos nos valorizando. Estamos nos confortando e tornando as coisas mais fáceis para nós mesmos.

Veja-se na frente de um espelho, olhando para os seus próprios olhos e dizendo:

– “Eu o amo e o aceito exatamente como você é!”

E respire. Permita-se sentir o que você está sentindo. Você não tem que ser perfeito. Você já é perfeito como é: você é você. Você é exatamente o que escolheu ser nesta existência. De todos os corpos e de todas as personalidades que estavam disponíveis, você escolheu ser quem você é – experienciar este mundo, esta vida, através do seu corpo, através de sua personalidade. Assim, ame a sua escolha, pois é parte da sua evolução espiritual.

By Louise Hay.

Às mulheres!

Posted in Homenagem with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/10/2014 by Joe

Às mulheres

Conquistar vai muito mais além do ato de atrair alguém. Diariamente, temos que conquistar pessoas no trabalho, na vida social, nos relacionamentos, nos pequenos detalhes. Detalhes que não podem passar despercebidos em mulheres especiais, como nós.

Basta colocar para fora coragem, ousadia e perseverança e fazer com que estes talentos vivam no dia-a-dia com você, e não simplesmente se escondam em algum cantinho qualquer do medo, preconceitos e outros sentimentos pequenos, que não tornam ninguém mais feliz.

Seja você mesma com suas qualidades e defeitos como todo ser humano.

Seja natural, mas valorize-se, cuide-se, ame-se, tenha tempo para você mesma e para as coisas que gosta. Você é a pessoa mais importante do mundo.

Você escreve sua história diariamente e esta história pode ser muito feliz e apaixonada. Depende do seu querer e do quanto você se quer bem.

A felicidade está dentro de nós, mas às vezes boicotamos nosso caminho. É necessário, eventualmente, reavaliarmos nosso modo de pensar e ver a vida.

Não acredite em solidão. Tem muitas pessoas precisando de você, muitos amigos para conversar, muitos momentos bons para acontecer e muitos homens para se apaixonar.

Os homens também querem relacionamentos sólidos, companheiras, mas às vezes são meninos grandes com medo de decepções, medo das mulheres muito apressadas e que sufocam o relacionamento, medo das mulheres independentes que nos tornamos e que agora cobram seu espaço. Temos que ter paciência com eles.

Seja inteligente e paciente e você vai ser muito feliz no amor. Seja autoconfiante, você vai arrasar corações.

Seja feminina e use seus inúmeros atributos, cuide do seu visual sem neuroses, da sua pele, do seu humor, você vai se sentir maravilhosa e você merece.

Talvez nem tudo saia como planejamos, mas não são derrotas, são aprendizados, a vida se renova diariamente.

Não tenha pressa em conquistar o mundo ou aquele homem especial; tenha calma. Tudo tem seu tempo.

Não deposite toda a felicidade em um único homem ou relacionamento, pois você vai se decepcionar. Espere bons momentos, e saiba que a felicidade jorra de muitas fontes.

Abra as portas do seu coração para as novidades, você vai se surpreender.

Sempre existe alguém especial esperando para entrar em nossa vida. Permita-se.

Mude seus critérios, não seja inflexível, exigente demais, intolerante… você vai se machucar.

Acredite no seu poder de sedução que a torna única e maravilhosa do jeito que você é.

Viva a vida intensamente, conquiste-se diariamente. A vida nos reserva tantas surpresas, deixe-se seduzir, viver.

Jamais esqueça que você é uma mulher para quem tudo é possível, basta acreditar, explorar sua sensibilidade, seu poder feminino.

Lembre-se: conquistar é um verbo fácil de conjugar, mas deve ser exercitado diariamente.

Desconheço a autoria.

Procura-se afeto

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 07/07/2014 by Joe

Procura-se afeto

A impressão que tenho é de que estamos todos tentando satisfazer um mesmo desejo, porém de maneira tão individualista e ansiosa que perdemos a noção do que realmente importa.

Assim, a carência afetiva tem se transformado numa verdadeira epidemia. Vivemos num mundo onde tudo o que fazemos nos induz a “ter” cada vez mais. Um celular novo, um sapato de outra cor, uma jaqueta diferente, uma viagem em suaves prestações…

E, enquanto isso, nos sentimos cada vez mais vazios. Nossa voz interna faz um eco que chega a doer; e tudo o que poderia nos fazer sentir melhores seria “apenas” um pouco de carinho.

A carência é tão grande, a sensação de solidão é tão forte que nos dispomos a pagar por companhia, por uma remota possibilidade de conseguir um pouco de carinho. Talvez você argumente: “de forma alguma, eu nunca saí com uma garota ou um garoto de programa; jamais pagaria para ter carinho!”.

Pois é, mas não é de dinheiro que estou falando. Estou falando das escolhas que fazemos, indiscriminadamente, em busca de afeto; das relações sexuais fáceis e fugazes, da liberação desenfreada de intimidade, da cama que chega às relações muito antes de uma apresentação de corações… Expomos nossos corpos, mas escondemos nossos sentimentos de qualquer maneira!!!

Ou, ao contrário de tudo isso, estou falando da amargura e do mau-humor que toma conta daqueles que não fazem nada disso, que se fecham feito ostras, criticando e maldizendo quem se entrega, quem transa, quem sai em busca de afeto…

Enfim, os extremos demonstram exatamente o quanto pagamos. De uma forma ou de outra, estamos pagando pelo carinho que não damos e pelo carinho que, muitas vezes, não nos abrimos para receber.

Ou seja, se sexo realmente fosse tão bom, poderoso e suficiente quanto “prometem” as revistas femininas, as cenas equivocadamente exageradas das novelas ou os sites eróticos, estaríamos satisfeitos, não é? Mas não estamos, definitivamente não estamos!

Sabe por quê? Porque falta conteúdo nestas atitudes, nestes encontros. Não se trata de julgamento de valor e nem de pudor hipócrita. Não se trata de contar quantas vezes já saiu com alguém para saber se já pode transar sem ser chamada de “fácil”…

Trata-se de disponibilidade para dar e receber afeto de verdade, sem contabilizar, sem morrer de medo de parecer tolo; sem ser, de fato, pegajoso ou insensível… apenas encontrar a sua medida, o seu verdadeiro desejo de compartilhar o seu melhor!

Muito mais do que orgasmos múltiplos, precisamos urgentemente de um abraço que encoste coração com coração, de um simples deslizar de mãos em nosso rosto, de um encontro de corpos que desejam, sobretudo, fazer o outro se sentir querido, vivo. Tocar o outro é acordar as suas células, é revivescer seus poros, é oferecer um alento, uma esperança, um pouco de humanidade, tão escassa em nossas relações.

Talvez você pense: mas eu não tenho ninguém que esteja disposto a fazer isso comigo, a me dar este presente. Pois é. Esta é a matemática mais enganosa e catastrófica sob a qual temos vivido. Quem disse que você precisa ficar à espera de alguém que faça isso por você?!?

Não! Você não precisa, acredite! De pessoas à espera de soluções o mundo está farto! Precisamos daqueles que estejam dispostos a “serem” a solução! Portanto, se você quer vivenciar o amor, torne-se o próprio amor, o próprio carinho, a própria carícia. Torne-se a diferença na vida daqueles com quem você se relaciona, para quem você se disponibiliza.

A partir de hoje, ao invés de sair por aí dizendo que vai “beijar muuuuito”, concentre-se na sua capacidade de dar afeto e surpreenda-se com o resultado. Beije sim, sem se preocupar se é muito ou pouco. Beijar é bom, muito bom, sem dúvida, mas empenhe-se, antes, em trocar afeto, em se relacionar exercitando o respeito pelo outro, o respeito por si mesmo… e estou certa de que os encontros valerão muito mais a pena!

By Rosana Braga.

%d blogueiros gostam disto: