Arquivo para Comer

Você é…

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , on 02/12/2015 by Joe

Você é

Você não é só o que come e o que veste.

Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê.

Você é o que ninguém vê.

By Martha Medeiros.

Fricassée de frango com batata palha

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/04/2014 by Joe

Fricassée de frango com batatapalha

O mundo está globalizado, com os meios de comunicação (leia-se Internet) cada vez mais unindo os povos dos mais recônditos cantos do planeta.

E, quando isso acontece, todos têm contato com diferentes culturas, costumes, história e … gastronomia! A culinária atual, globalizada, mistura sabores e línguas de todo o mundo!

Um dos meus pratos prediletos tem origem na França, uma receita deliciosa e muito simples de se preparar! Do francês “fricasser”, que significa guisar, formado a partir do verbo “frire” (fritar, mas que também significa comer) mais “casser” (partir, cortar, quebrar), o fricassée é um guisado de vitela ou frango, cortados em pedaços e cozidos em molho bem temperado.

Esta receita é uma verdadeira tentação! Como sempre comento nas receitas que costumo publicar, existem muitas variações de ingredientes e modos de preparo. A receita de hoje é uma dessas variações que adaptei ao meu gosto pessoal, preparada com frango e, em vez do tradicional creme de leite, utilizo requeijão cremoso e finalizo com batata palha.

Outras variações usam o próprio creme de leite em vez do requeijão, e adicionam presunto em cubinhos, ervilhas e noz moscada para dar um toque mais exótico ao sabor final.

Uma coisa é comum a todas elas: qualquer que seja sua preferência, tenho certeza que ficará deliciosa!

Fricassée de frango com batata palha

Ingredientes

1 kg de peito de frango dessossado
1 colher (sopa) de manteiga
2 cebolas raladas
6 dentes de alho moídos
2 cubos de caldo de galinha
quanto baste de água para cozer o frango
2½ xícaras (chá) de leite
1 colher (sopa) de amido de milho
1 copo de requeijão cremoso sabor cheddar
sal
salsa
pimenta-do-reino branca moída
200 gr de mussarela ralada
100 gr de batata palha (de preferência sabor cebola e salsa)

Modo de preparo

Cozinhe, em panela de pressão por uns 25 minutos, o peito de frango em um caldo temperado com metade do alho, os cubos de caldo de galinha, uma cebola ralada e a salsa. Estando cozido, tire do fogo, desfie e reserve. Guarde a água temperada do cozimento para preparar o arroz.

Numa panela, coloque a manteiga, deixe aquecer e refogue a outra cebola e os três dentes de alho até dourarem. Junte o frango desfiado e a pimenta. Refogue bem. Enquanto isso, dissolva o requeijão em duas xícaras de leite e leve ao fogo, numa panelinha pequena, até que fique mais líquido. Junte o amido de milho dissolvido em meia xícara de leite e mexa até quase engrossar. Despeje essa mistura no frango refogado e acerte o sal, corrigindo, se necessário. Misture bem, corrija com mais leite, caso fique muito seco para que fique bem cremoso.

Coloque esta pasta num refratário untado. Cubra com a mussarela ralada, espalhe por cima a batata palha e leve ao forno para gratinar ou até que a mussarela esteja bem derretida.

Pode ser servido com salada completa e arroz preparado com a água utilizada no cozimento do frango, sem necessidade de acrescentar mais temperos.

Um bom vinho branco é o acompanhamento ideal!

Bon appétit!!

By Joemir Rosa.

Modo de usar-se

Posted in Reflexão, Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/12/2013 by Joe

Foi usada

Coitada, foi usada por aquele cafajeste!

Ouvi essa frase na beira da praia, num papo que rolava no guarda-sol ao lado. Pelo visto a coitada em questão financiou algum malandro, ou serviu de degrau para um alpinista social, sei lá, só sei que ela havia sido usada no pior sentido, deu pra perceber pelo tom do comentário. Mas não fiquei com pena da coitada, seja ela quem for.

Não costumo ir atrás dessa história de que “foi usada”. No que se refere a adultos, todo mundo sabe mais ou menos onde está se metendo, ninguém é totalmente inocente. Se nos usam, algum consentimento a gente deu, mesmo sem ter assinado procuração. E se estamos assim tão desfrutáveis para o uso alheio, seguramente é porque estamos nos usando pouco.

Se for este o caso, seguem sugestões para usar a si mesmo: comer, beber, dormir e transar, nossas quatro necessidades básicas, sempre com segurança, mas também sem esquecer que estamos aqui para nos divertir. Usar-se nada mais é do que reconhecer a si próprio como uma fonte de prazer.

Dançar sem medo de pagar mico, dizer o que pensa mesmo que isso contrarie as verdades estabelecidas, rir sem inibição – dane-se se aparecer a gengiva. Mas cuide da sua gengiva, cuide dos dentes, não se negligencie. Use seu médico, seu dentista, sua saúde.

Use-se para progredir na vida. Alguma coisa você já deve ter aprendido até aqui. Encoste-se na sua própria experiência e intuição, honre sua história de vida, seu currículo, e se ele não for tão atraente, incremente-o. Use sua voz: marque entrevistas.

Use sua simpatia: convença os outros. Use seus neurônios: pra todo o resto.

E esse coração acomodado aí no peito? Use-o, ora bolas. Não fique protegendo-se de frustrações só porque seu grande amor da adolescência não deu certo. Ou porque seu casamento até-que-a-morte-os-separe durou “apenas” 13 anos. Não enviuve de si mesmo, ninguém morreu.

Use-se para conseguir uma passagem para a Patagônia, use-se para fazer amigos, use-se para evoluir. Use seus olhos para ler, chorar, reter cenas vistas e vividas – a memória e a emoção veem muito do olho. Use os ouvidos para escutar boa música, estímulos e o silêncio mais completo. Use as pernas para pedalar, escalar, levantar da cama, ir aonde quiser. Seus dedos para pedir carona, escrever poemas, apontar distâncias. Sua boca pra sorrir, sua barriga para gerar filhos, seus seios para amamentar, seus braços para trabalhar, sua alma para preencher-se, seu cérebro para não morrer em vida.

Use-se. Se você não fizer, algum engraçadinho o fará. E você virará assunto de beira de praia.

By Martha Medeiros.

Atitude é tudo!

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/11/2012 by Joe

Quem já assistiu o filme Comer, Rezar e Amar com a atriz Júlia Roberts? Em uma cena ela diz que havia um cara que todo dia pedia a Deus que ele ganhasse na loteria.

Sempre era o mesmo pedido. Até que Deus respondeu:

– “Então joga, meu filho!”

Otimismo não é só pensar positivo, também é atitude! É lógico que é preciso querer, pois nada acontece se você não quiser ou mesmo desejar.

Ver o lado bom das coisas também tem que ser levado em conta. Quando acontece alguma coisa que a gente não estava esperando, qual a atitude tomada? Sempre é reclamar. Mas se olharmos por outro ângulo, será que não foi melhor assim?

Sempre temos duas escolhas. Ter medo ou coragem. Passar o dia triste ou alegre. Cabe a nós decidirmos qual escolher.

Eu sou! Eu posso! Eu consigo! Eu realizo!

E você?

By Valeria Folegatti.

Passado

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , on 13/04/2012 by Joe

O passado não é mais real. Ele tem valor porque fez de você o que você é hoje, mas esse é todo o valor que tem. Portanto, não viva no passado. Viva agora.

Quando está comendo, coma. Quando está amando, ame. Quando está conversando com alguém, converse. Quando está olhando uma flor, olhe.

Capte a beleza de cada momento!

By Leo Buscaglia.

A arte de comer bem

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , on 26/12/2011 by Joe

Se você está sentado à mesa, comendo, e você come restritamente e sua fome permanece, então você continuará a pensar em comida o dia inteiro. Você pode tentar jejuar e você verá: você continuará pensando em comida.

Mas se você comer bem – e quando eu digo comer bem, não quero dizer apenas que você tenha enchido seu estômago – isso não quer dizer necessariamente que você tenha realmente comido bem, pois você pode ter apenas se recheado.

Comer bem é uma arte. Não é apenas encher o estômago. É uma grande arte: saborear a comida, sentir os aromas da comida, tocar a comida, mastigar a comida, digerir a comida, e digerí-la como alguma coisa divina. Ela é divina, é um presente do divino.

Os hindus dizem: Anam Brahma, a comida é divina. Assim, com profundo respeito, você come e enquanto estiver comendo esqueça-se de tudo, porque isso é uma prece. Uma prece existencial. Você está comendo o divino e o divino irá lhe dar o nutrimento. É um presente a ser aceito com profundo amor e gratidão.

E não empanturre o corpo, porque empanturrar o corpo é ser anticorpo. É o outro polo. Há pessoas que têm obsessão por jejum, e há pessoas que têm obsessão em se empanturrar. Ambos estão errados porque, nos dois casos, o corpo perde o equilíbrio.

Um verdadeiro amante do corpo come somente até o ponto onde o corpo se sente perfeitamente calmo, equilibrado, tranquilo; onde o corpo não se sente nem inclinando-se para a direita, nem inclinando-se para a esquerda, mas exatamente no meio. É uma arte também compreender a linguagem do corpo, compreender a linguagem do seu estômago, compreender o que é necessário, dar somente aquilo que é necessário, e dar de uma maneira artística, de uma forma estética.

Os animais comem, o homem come. Então qual é a diferença? O homem faz do ato de comer uma grande experiência estética. Qual é o sentido de se ter uma bela mesa de jantar? Qual o sentido de se ter velas acesas à mesa? Qual é o sentido de se convidar amigos para virem participar? É fazer daquilo uma arte, não apenas um enchimento do estômago.

Mas esses são sinais externos da arte; os sinais internos se referem à compreensão da linguagem do seu corpo: ouví-lo e ser sensível às suas necessidades. E então você come; e então o dia todo, de modo algum, você se lembrará de comida. Somente quando o corpo estiver com fome novamente, a lembrança virá.

E então ela é natural!

By Osho.   

Matemática para se viver melhor

Posted in Saúde with tags , , , , , , , on 15/03/2011 by Joe

Um ocidental em visita à China ficou surpreso de ver a quantidade de velhos saudáveis.

Curioso a respeito da milenar medicina chinesa, indagou de um experiente médico qual o segredo para se viver mais e melhor.

Ouviu do mesmo a sábia resposta:

– É muito simples. É só:

Comer a metade.
Andar o dobro.
E rir o triplo.

Autoria desconhecida.

%d blogueiros gostam disto: