Arquivo para Comentários

O poder da palavra

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 09/07/2014 by Joe

O poder da palavra

Punhais e armas de fogo deixam vestígios de sangue. Bombas abalam edifícios e ruas. Venenos terminam sendo detectados. Mas a palavra destruidora consegue despertar o mal sem deixar pistas.

Crianças são condicionadas durante anos pelos pais, artistas são impiedosamente criticados, mulheres são sistematicamente massacradas por comentários de seus maridos, fiéis são mantidos longe da religião por aqueles que se julgam capazes de interpretar a voz de Deus…

Procure ver se você está utilizando esta arma. Procure ver se estão utilizando esta arma contra você!

E não permita nenhuma destas duas coisas.

By Paulo Coelho.

Estratégias para uma vida melhor

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 29/04/2014 by Joe

Estratégias para uma vida melhor

Vivemos reclamando da vida, da sorte, do destino, das pessoas, da falta de amor, da falta de dinheiro, enfim, de uma série de coisas que achamos serem importantes para nossa felicidade.

Mas quanto realmente estamos dispostos a mudar para que consigamos tudo isso e muito mais?

Abaixo, algumas dicas aqui que podem colaborar com a estratégia para chegarmos aos nossos melhores objetivos.

De dentro para fora:

1. Pense sempre de forma positiva. Toda vez que um pensamento negativo vier à sua cabeça, troque-o por outro! Para isso, é preciso muita disciplina mental. Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, treine muito.

2. Não tenha medo de nada nem de ninguém. O medo é uma das maiores causas de nossas perturbações interiores. Tenha fé em você mesmo. Sentir medo é acreditar que os outros são poderosos. Não dê poder ao outro. Fique longe de notícias sobre violência, crimes, fofocas e outros programas de televisão que só exploram a desgraça humana!

3. Não se queixe. Quando você reclama, tal qual um ímã, atrai para si toda a carga negativa de suas próprias palavras. A maioria das coisas que acabam dando errado começa a se materializar quando nos lamentamos. Troque a queixa pela gratidão!

4. Risque a palavra “fracasso” do seu dicionário. Não se permita essa sensação pois, quando nos punimos, abrimos nossa retaguarda para mentes opressoras e agressoras, que vibram com a nossa melancolia. Ignore-as. Fale sempre em “resultados”! Assim, se o resultado não for o esperado, você pode analisar o caminho que o levou até ali e rever onde se desviou dos objetivos!

5. Não deixe que interferências externas tumultuem o seu cotidiano. Livre-se de fofocas, comentários maldosos e gente deprimida. Isto é contagioso. Seja prestativo com quem presta. Sintonize com gente positiva e alto astral. Procure conviver com gente alegre, feliz e próspera!

6. Não se aborreça com facilidade e nem dê importância às pequenas coisas. Quando nos irritamos, envenenamos nosso corpo e nossa mente. Procure viver com serenidade e, quando tiver vontade de explodir, conte até dez.

7. Viva o presente. O ansioso vive no futuro. O rancoroso vive no passado. Aproveite o aqui e agora. Nada se repete, tudo passa. Faça o seu dia valer a pena. Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças.

De fora para dentro:

1. A água purifica. Sempre que puder, vá à praia, a um rio ou a uma cachoeira. Em casa, enquanto toma banho, embaixo do chuveiro, de olhos fechados, imagine que seu cansaço físico e mental estão indo por água abaixo, junto tudo que o aborrece e magoa.

2. Ande descalço quando puder, na terra, de preferência. Em casa, massageie seus pés com um creme depois de um longo dia de trabalho. Escalde-os em água morna. Acrescente um pouco de sal para relaxar mais.

3. Mantenha contato com a natureza; tenha em casa um vaso de plantas, pelo menos. Adote um animal de estimação. Cuide deles com amor e carinho. O amor que dedicamos às plantas e animais acalma o ser humano e funciona como relaxante natural.

4. Ouça músicas que o façam cantar e dançar. Seja qual for o seu estilo preferido, a vibração de uma canção tem o poder de nos fazer sentir vivos, aflorando a nossa emoção e abrindo o nosso canal com alegria.

5. Não deixe que a saudade o sufoque, que a rotina o acomode, que o medo o impeça de tentar. Liberte-se! Sempre que puder, livre-se da rotina e pegue a estrada, nem que seja por um único dia. Conheça novos lugares e novas pessoas. Viva a vida real!

6. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando, porque “embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.”

7. O medo nos afasta das derrotas, mas das vitórias também!

Desconheço a autoria.

Torta aerada de liquidificador

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/04/2014 by Joe

Torta de liquidificador

A sugestão deste sábado não tem história e nem artistas vinculados. Porém, ela é ótima para um lanche de fim de tarde ou um sábado à noite, para quem quer fugir um pouco daquela pizza nossa de cada fim de semana.

A receita é bem simples e é preparada no liquidificador. O que diferencia esta receita de outras tantas é a massa, que fica bem leve e aerada. O recheio fica a critério de cada um, podendo variar de acordo com a vontade e o gosto de cada pessoa. Eu curto muito o recheio de frango e também o de carne moída refogada. Outras opções são: sardinhas, palmito, camarão com catupiry, queijo, presunto e orégano ou legumes.

Se alguém tiver outras sugestões de recheios, pode deixar nos comentários, não esquecendo o modo de preparar, ok?

Vamos à receita!

Torta de liquidificador

Ingredientes

Massa

2 xícaras (chá) de leite
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 ovos
1 tablete de caldo de galinha
1 colher (sopa) de açúcar
20 gr de fermento biológico seco instantâneo
queijo parmesão ralado grosso

Recheio

1 peito de frango desossado (em torno de 800 gr)
1 colher de azeite
2 cebolas picadas
4 dentes de alho picados
sal a gosto
pimenta do reino a gosto
1 lata de ervilhas ou milho
1 tomate grande picado, sem sementes
1 xícara de leite
1 copo de requeijão (sugiro sabor cheddar)
salsa e cebolinha picados

Modo de preparo

Massa: coloque o leite numa panela e leve ao fogo até amornar. Retire do fogo e despeje no liquidificador. Adicione o azeite (reserve 1 colher de sopa), a farinha de trigo, os ovos, o sal e o açúcar. Bata até obter uma mistura homogênea. Acrescente o fermento e bata apenas por alguns segundos. Cubra o copo do liquidificador com filme plástico e deixe descansar entre 45 e 60 minutos, até a massa dobrar de volume. Se o copo de liquidificador for de 1 litro, sugiro dividir a massar em outro recipiente pois ela cresce bastante e fica bem aerada.

Recheio: cozinhe o peito de frango em panela de pressão e depois desfie bem. Em uma panela, com uma colher de azeite, refogue o alho e as cebolas. Adicione o frango desfiado e refogue bem, acertando o sal e a pimenta. Adicione a ervilha (ou milho), os tomates e misture tudo. Cuide para que o recheio não fique seco. Adicione a salsa e cebolinha picados e reserve.

Pré-aqueça o forno à temperatura média (180ºC).

Numa panela pequena coloque o requeijão e o leite, leve ao fogo baixo e dissolva tudo muito bem até obter um creme. Despeje sobre o frango reservado e misture bem. Com o azeite de oliva reservado, unte uma assadeira de 30 cm de diâmetro e polvilhe com farinha de trigo. Em seguida, despeje metade da massa e distribua uniformemente o recheio. Cubra com o restante da massa, polvilhe com o queijo parmesão ralado e leve ao forno por 50 minutos, ou até a torta dourar. Retire do forno, fatie e sirva.

Vinho tinto ou cerveja são ótimos acompanhamentos!

By Joemir Rosa.

Homus

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/03/2014 by Joe

Homus

Essa tradicional pasta, feita de grão de bico e pasta de gergelim (tahine), é considerada o “prato nacional” de todo o Oriente Médio, região em que chega a ser consumida até cinco vezes por semana.

A primeira menção ao prato foi feita por Platão e Sócrates em 400 a.C, quando enalteciam as qualidades do grão-de-bico para a saúde. Porém, acredita-se que os egípcios apenas misturavam o grão com vinagre, formando uma pasta, que pode ter sido o princípio do que conhecemos hoje como homus.

Outra versão do surgimento do homus afirma que a iguaria foi uma criação do sultão Saladin, que era líder dos muçulmanos nas últimas cruzadas contra os cristãos. Essa lenda afirma que a receita original do sultão é guardada até hoje com seus descendentes e que o homus que conhecemos é apenas uma imitação do que seria de fato a receita do governante.

Apesar de a data de origem do homus ser incerta, o local de surgimento do prato é o Oriente Médio, e lá também existem polêmicas acerca da receita. Vários países da região reivindicam a autoria do homus. Israel e Líbano são os países que levam a disputa mais a sério.

Mas essa briga também tem seus momentos divertidos e os dois países travaram uma “guerra” pelo título do maior homus já produzido na terra. A batalha foi vencida pelos libaneses, que concluíram um prato de patê de grão-de-bico de mais de 10 toneladas! Com esse feito, o Líbano entrou para o Guinness Book e deixou Israel para trás.

Brincadeiras à parte, o homus é tão apreciado que existem restaurantes que são especializados em servir apenas o prato e até competições para premiar a melhor receita da iguaria. Entre na disputa e prepare a sua versão também! Deixe a sua receita nos comentários!

Hoje eu deixo a versão mais tradicional do homus, um prato delicioso que pode ser consumido de várias maneiras!

Homus

Ingredientes

250 gramas de grão de bico
4 colheres de sopa de tahine (pasta de gergelim)
suco de 1 limão grande
5 dentes de alho
1 colher de sobremesa de pimenta síria
sal a gosto

Modo de preparo

Na panela de pressão, coloque o grão de bico, cubra com água e leve para o fogo. Deixe cozinhar – depois que levantar pressão – por uns 30 minutos ou até que fique macio. Depois de cozido, escorra a água (reserve) e passe os grãos pelo processador por, mais ou menos, uns 3 minutos. Caso não tenha processador, use o liquidificador mesmo. Reserve alguns grãos de bico para decorar, se gostar.

Depois de bem processado, misture o tahine, o suco de limão, os dentes de alho e processe novamente. Neste ponto, se você a pasta estiver muito grossa, coloque um pouco da água do cozimento e processe novamente. Repita esta operação até que a pasta fique cremosa, porém encorpada (não pode ficar muito mole).

Tempere com a pimenta síria e acerte o sal.

Coloque sobre uma travessa, decore com os grãos reservados e regue com azeite de ótima qualidade. Se preferir, espalhe mais um pouco de pimenta ou salsinha.

Sirva com fatias de pão sírio levemente grelhados na frigideira só com azeite e sal.

By Joemir Rosa.

A prisão das relações

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/02/2014 by Joe

Prisão dos relacionamentos

Já fui de esconder o que sentia, e sofri com isso. Hoje não escondo nada do que sinto e penso e, às vezes, também sofro com isso, mas ao menos não compactuo mais com um tipo de silêncio nocivo: o silêncio que tortura o outro, que confunde, o silêncio a fim de manter o poder num relacionamento.

Assisti ao filme “Mentiras Sinceras” com uma pontinha de decepção – os comentários haviam sido ótimos, porém a contenção inglesa do filme me irritou um pouco – mas, nos momentos finais, uma cena aparentemente simples redimiu minha frustração. Embaixo de um guarda-chuva, numa noite fria e molhada, um homem diz para uma mulher o que ela sempre precisou ouvir. E eu pensei: como é fácil libertar uma pessoa de seus fantasmas e, libertando-a, abrir uma possibilidade de tê-la de volta, mais intensa!

Falar o que se sente é considerado uma fraqueza. Ao sermos absolutamente sinceros, a vulnerabilidade se instala. Perde-se o mistério que nos veste tão bem, ficamos nus. E não é este tipo de nudez que nos atrai.

Se a verdade pode parecer perturbadora para quem fala, é extremamente libertadora para quem ouve. É como se uma mão gigantesca varresse, num segundo, todas as nossas dúvidas. Finalmente, se sabe. Mas sabe-se o quê? O que todos nós, no fundo, queremos saber: se somos amados.

Tão banal, não? E, no entanto, esta banalidade é fomentadora das maiores carências, de traumas que nos aleijam, nos paralisam e nos afastam das pessoas que nos são mais caras. Por que a dificuldade de dizer para alguém o quanto ele é – ou foi – importante? Dizer, não como recurso de sedução, mas como um ato de generosidade, dizer sem esperar nada em troca. Dizer, simplesmente.

A maioria das relações – entre amantes, entre pais e filhos, e mesmo entre amigos – ampara-se em mentiras parciais e verdades pela metade. Pode-se passar anos ao lado de alguém falando coisas inteligentíssimas, citando poemas, esbanjando presença de espírito, sem alcançar a delicadeza de uma declaração genuína e libertadora: dar ao outro uma certeza e, com a certeza, a liberdade. Parece que só conseguiremos manter as pessoas ao nosso lado se elas não souberem tudo. Ou, ao menos, se não souberem o essencial. E assim, através da manipulação, a relação passa a ficar doentia, inquieta, frágil. Em vez de uma vida a dois, passa-se a ter uma sobrevida a dois.

Deixar o outro inseguro é uma maneira de prendê-lo a nós – e este “a nós“ inspira um providencial duplo sentido.

Mesmo que ele tente se libertar, estará amarrado aos pontos de interrogação que colecionou. Somos sádicos e avaros ao economizar nossos “eu te perdoo”, “eu te compreendo”, “eu te aceito como és” e o nosso mais profundo “eu te amo” – não o “eu te amo” dito às pressas no final de uma ligação telefônica, por força do hábito, mas sim o “ eu te amo” que significa: “seja feliz da mesma maneira que você escolher, meu sentimento permanecerá o mesmo”.

Libertar uma pessoa pode levar menos de um minuto. Oprimi-la é trabalho para uma vida. Mais que as mentiras, o silêncio é que é a verdadeira arma letal das relações humanas.

By Martha Medeiros.

Pão de alho

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/01/2014 by Joe

Pão de alho

Um dos melhores acompanhamentos para um bom churrasco é o famoso pão de alho. Não me perguntem a origem ou a história dessa delícia porque não encontrei e também não faz diferença.

Uma rápida consulta aos churrasqueiros de plantão nos mostra que existem diversas receitas para o preparo do pão de alho e até aqueles encontrados em supermercados e açougues modernos.

Mas tem coisas que são gostosas de se preparar em casa, com ingredientes conhecidos, de qualidade e a um custo bem menor. Este é o caso da receita de hoje: o delicioso pão de alho, que pode ser assado no forno ou sobre a grelha da churrasqueira!

Espero que gostem! Se alguém tiver receitas diferentes, com outros ingredientes e formas de preparo, por favor, deixe nos comentários!

Pão de alho

Ingredientes

1 copo de requeijão cremoso de boa qualidade
1 xícara (chá) de mussarela ralada fina
4 colheres (sopa) de pasta de alho sem sal
sal a gosto
salsinha a gosto
pimenta do reino a gosto
4 pãezinhos para hot-dog

Modo de preparo

Em uma vasilha, junte o requeijão, a pasta de alho (encontrada nos supermercados), a mussarela ralada, a pimenta do reino, o sal e a salsinha. Misture tudo muito bem para que que fique um creme homogêneo.

Corte os pãezinhos para hot-dog em fatias, tomando o cuidado para não cortar até o final. Espalhe o creme preparado entre as fatias e também na parte de cima do pãozinho.

Leve os pãezinhos recheados para uma assadeira e ao forno médio por, mais ou menos, 5 minutos. Fique atento para não deixar torrar!

Sirva como acompanhamento de churrascos!

By Joemir Rosa.

Testes de abreviação

Posted in Testes de inteligência with tags , , , , , , , , , , , , on 15/12/2013 by Joe

Testes de inteligência

Este teste é muito simples e envolve o uso de observação, conhecimentos e inteligência!

Instruções:

– Você deverá preencher a linha logo abaixo da dica seguindo o exemplo dado.
– Use apenas o Português e a acentuação correta.
– Não há diferenças entre letras maiúsculas e minúsculas.
– Não há limite de tempo
– Deixem suas respostas nos comentários.
– Seja honesto consigo mesmo e não olhe as respostas deixadas nos comentários.
– Sugiro que copiem o teste para o Bloco de Notas e respondam lá.

Exemplo:

24 H em um D
24 horas em um Dia

Testes de abreviação:

12 M em um A
____________

3 R em um T
____________

27 E da B do B
____________

3 D
____________

12 S do Z
____________

0 é a T em G C que A C
____________

7 C no A-I
____________

5 a 7 C no M
____________

6 F do S W
____________

666 é o N da B
____________

15 C H
____________

8 H em uma J de T
____________

2 G na A do S
____________

3 S do T P
____________

27 L do N T
____________

2 L de uma M
____________

40 D de Q
____________

6 é o M N P
____________

12 N em um R
____________

101 D
____________

4 C do A
____________

206 a 214 O no C H
____________

26 L do A
____________

8 P no S S
____________

52 T B em um P
____________

M: 1000 em A R
____________

8 B em um B
____________

3 C P
____________

1 é o N A do H
____________

7 P C
____________

################################

Deixe suas respostas nos comentários do post!

################################

Pontuação do jogo:

– 1 a 5: abaixo da média. Você parece estar muito cansado, né?
– 6 a 11: mais ou menos na média. Normal, mas você pode melhorar de verdade.
– 12 a 20: inteligente. Você está muito bem, talvez você consiga responder mais uma ou outra setença se tentar se esforçar mais.
– 21 a 26: muito inteligente. Parábens você mandou muito bem!
– mais de 26: gênio. Se você não trapaceou no teste, você está realmente acima da média e merece meus parábens!

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: