Arquivo para Carne seca

Batata rösti de peito de peru com gorgonzola

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/02/2014 by Joe

Batata rösti com peito de peru e gorgonzola

Há tempos postei receitas tendo a batata como ingrediente principal. Sabemos que ela teve origem nas regiões montanhosas da América do Sul, mais precisamente, nas Cordilheiras dos Andes, onde começaram a ser cultivadas pelos índios andinos que viviam nessas áreas há uns 8.000 anos.

Boas fontes de vitamina C, elas são atualmente o quarto alimento mais consumido do mundo, com milhares de variedades de diferentes cores, sabores e tamanhos, sendo utilizadas em receitas no mundo todo. O maior produtor mundial é a China, cuja produção em conjunto com a da Índia corresponde a mais de um terço da produção mundial.

A dica de hoje é mais uma variação da batata rösti que já publiquei anteriormente, um prato muito difundido por toda a Suiça, sendo presente nas casas como acompanhamento de carnes de embutidos, ou como um prato mais leve para ser servido com saladas.

Existem diferentes formas de prepará-la, seja com batata cozida ou crua, com diversos recheios. A tradição suiça manda que seja com queijo e bacon. Aqui no Brasil, o prato caiu no gosto da nossa população e ganhou recheios regionais, como carne seca, linguiça calabresa, presunto, carne moída, camarões, mas sempre com queijos!

Espero que gostem desta versão!

Batata rösti de peito de peru com gorgonzola

Ingredientes

500 g de batata pré-cozida ralada em tiras grandes
200 g de gorgonzola ralado
200 g de peito de peru picado
4 colheres (sopa) de azeite extra virgem
1 colher (sopa) de cebola ralada
1 colher (sopa) de alho triturado
1 colher (sopa) de caldo de galinha
½ xícara (chá) de farinha de trigo

Modo de preparo

Em uma frigideira, doure o alho e a cebola no azeite. Junte a batata ralada, a farinha de trigo e o caldo de galinha e reserve.

Prepare o recheio, misturando o gorgonzola ralado com o peito de peru.

Em uma frigideira pequena de teflon, coloque um pouco de azeite e metade das batatas reservadas, acrescente o recheio, espalhando bem, e cubra com o restante das batatas e frite até dourar. Com a ajuda de um prato, vire e frite as batatas do outro lado.

Sirva com salada verde ou legumes cozidos e temperados.

By Joemir Rosa.

Batatas com carne-seca e requeijão

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/01/2013 by Joe

Batata com carne-seca e queijão

Contam os pesquisadores que a batata teve origem nas regiões montanhosas da América do Sul, mais precisamente, nas Cordilheiras dos Andes, onde começaram a ser cultivadas pelos índios andinos que viviam nessas áreas há uns 8.000 anos.

Ao contrário de muitos outros alimentos, as batatas foram capazes de ser cultivadas nas altitudes elevadas típicas daquela região e acabaram se tornando um alimento básico para aquelas pessoas.

Da família das solanáceas (Solanun tuberosum), as batatas são boas fontes de vitamina C, e foram posteriormente utilizadas em navios espanhóis para evitar o escorbuto. Elas foram introduzidos na Europa através dos exploradores espanhóis, que as descobriram na América do Sul, no início do século XVI, e se tornaram um importante alimento também naquele continente.

Atualmente, o tubérculo é o quarto alimento mais consumido do mundo, com milhares de variedades de diferentes cores, sabores e tamanhos, sendo utilizadas em receitas no mundo todo. O maior produtor mundial é a China, cuja produção em conjunto com a da Índia corresponde a mais de um terço da produção mundial.

Graças à sua versatilidade na gastronomia, a batata pode ser utilizada de muitas e variadas formas. Há tempos publiquei as receitas de Batata Rösti e Tortilla de Batatas, dois pratos práticos e saborosos que toda a família curte!

Hoje decidi postar uma receita que, podemos dizer, é uma variação desses dois pratos, bem mais adaptada ao nosso sabor brasileiro. Na prática, é um prato bem completo, mas que também pode ser servido até como aperitivo.

Espero que curtam a ideia e saboreiem esta delícia!

Batatas com carne-seca e requeijão

Ingredientes

3 batatas grandes sem casca
sal e pimenta a gosto
2 colheres (sopa) de salsa picada

Recheio

1 colher (sopa) de óleo
1 cebola média picada
2 dentes de alho bem picados
300 g de carne-seca dessalgada, cozida e desfiada
1 pimenta dedo-de-moça sem sementes picada
200 g de requeijão

Modo de preparo

Lave bem as batatas e de uma pré-cozida por uns dez minutos. Deixe esfriar e leve à geladeira por umas três horas.

Na hora de preparar o prato, aqueça o óleo em uma frigideira e doure levemente a cebola e o alho. Junte a carne desfiada e refogue por alguns minutos. Adicione a pimenta e o requeijão, misture bem e retire do fogo.

Retire a casca das batatas e rale no ralo grosso. Tempere com sal e pimenta e misture com cuidado.

Aqueça uma frigideira com 20 cm de diâmetro ou omeleteira e unte-a com óleo. Coloque metade da batata e aperte levemente, subindo um pouco nas laterais. Recheie com a mistura de carne-seca e cubra com a batata restante, apertando levemente.

Deixe dourar e, em seguida, passe para um prato ou tampa de panela para virar. Transfira novamente para a frigideira e deixe dourar do outro lado. Faça o mesmo com a massa e o recheio restante. Sirva em seguida.

Uma boa salada completa é um ótimo acompanhamento.

By Joemir Rosa.

Escondidinho de bacalhau

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 23/06/2012 by Joe

Inverno chegou e o corpo começa a pedir alimentos um pouco mais quentes e aconchegantes. Sabe aquele prato que, quando a gente sai da mesa, dá uma vontade de ficar quieto num canto (na verdade eu quis dizer pegar uma cama!)? É exatamente isso!

Eu sempre digo que a gastronomia é uma alquimia! Transformar elementos da natureza em algo mais rico, saudável e saboroso é uma arte, uma verdadeira alquimia mesmo!

A receita de hoje vem de um prato muito apreciado no nordeste e alguns estados do sudeste. Mas como gastronomia não tem bússola acredito que tudo é uma questão de experimentar … e ousar!

Por isso o Escondidinho foi sendo modificado, principalmente aqui em São Paulo, e seus elementos foram sendo substituídos por outros com sabores mais regionais. Desta forma, a mandioca (ou aipim) foi trocada pela batata, a carne seca foi substituída pela carne moída (ou boi ralado, como é conhecida no sul), frango, camarão e até bacalhau.

As variações podem ser feitas ao gosto de cada um. A receita de hoje é exatamente isso: uma variação do escondidinho!  O preparo é super simples e vai agradar a quase todos os paladares.

Escondidinho de bacalhau

Ingredientes

600 gramas de bacalhau dessalgado, aferventado e em lascas grandes
1 cebola grande picadinha
1 kg de batatas
100 gramas de azeitonas pretas picadas
3 dentes de alho
salsinha a gosto
2 colheres de sopa de manteiga
200 ml de leite
100 ml de creme de leite
pimenta do reino
sal
parmesão ralado

Modo de preparo

Cozinhe as batatas em água com sal e passe na peneira, ainda quente. Faça um purê com a manteiga e o leite. O purê deve ficar mole, como um creme. Acerte o sal.

Numa frigideira, coloque o azeite e refogue a cebola e o alho. Quando estiverem dourados, acrescente o bacalhau em lascas e misture. Junte as azeitonas picadas. Acerte o sal e tempere com pimenta do reino moída na hora. Por último, acrescente a salsinha picada.

Em um refratário, coloque metade do purê de batatas. Espalhe o bacalhau por cima do purê. Na metade de purê restante, adicione o creme de leite fresco e volte ao fogo para que incorpore bem. Acerte o sal e espalhe por cima do bacalhau. Polvilhe queijo parmesão ralado e leve ao forno a 200 graus por uns 15 ou 20 minutos até que o queijo fique gratinado.

Sirva com salada de brócolis!

Bom apetite!

By Joemir Rosa.

Vaca atolada

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , on 14/05/2011 by Joe

A Vaca Atolada é um prato típico da comida caipira brasileira cuja origem remonta aos tropeiros que carregavam carne mergulhada na gordura em seus embornais, o que garantia alimento por um bom tempo, sem deteriorar.

Ao longo das trilhas colhiam mandioca, que era misturada e cozida junto com as carnes, obtendo assim uma comida forte e saudável para os dias mais frios da serra.

Quando eles iam da serra para as Minas Gerais, passavam por terrenos irregulares e íngremes. No período das chuvas, os terrenos ficavam em lama, e o gado, que empurrava as carroças, ficava encalhado e não prosseguia. Como transportavam carne e tinham que se alimentar quando encalhavam, preparavam esse prato com mandioca e carne de vaca, ao qual chamaram de Vaca Atolada.

No entanto, a receita de Vaca Atolada era tradicionalmente feita com costelas de boi, uma carne que não era aproveitada para compor a comida dos viajantes, e nem servia para fazer o charque ou carne seca. Mas provavelmente é que era uma comida preparada após o abate do gado, cozinhando as costelas e sua gordura com pedaços de aipim e cebolas.

A receita de hoje é isso: um prato simples, caipira, tradicional, mas muito, muito saboroso! Típico daqueles que a vovó fazia!!

Vaca atolada

Ingredientes

1 ½ kg de costela de vaca cortada em pedaços
1 kg de mandioca cortada em cubos
2 cebolas grandes cortadas em rodelas
3 colheres (sopa) de óleo
8 dentes de alho espremidos
3 tomates picados, sem pele e sem sementes
2 folhas de louro
2 tabletes de caldo de carne
1 ½ litro de água
1 tomate sem semente picado
sal a gosto
algumas gotas de pimenta malagueta
cheiro verde picado

Modo de preparo

Tempere a carne com alho e sal. Em uma panela de pressão sem a tampa, coloque o óleo, leve ao fogo e vá colocando aos poucos a carne para dourar. Caso sua panela de pressão seja pequena, frite a metade, reserve e depois frite a outra metade. A carne deve ficar bem dourada, bem frita, porém sem queimar. É muito importante que ela fique bem dourada por todos os lados.

Em seguida adicione a cebola e o alho para dar uma dourada, sempre mexendo. Acrescente os tomates picados, os dois tabletes de caldo de carne dissolvidos em  água fervente, o suficiente para cobrir a carne, as duas folhas de louro, a pimenta dedo-de-moça picada, feche a panela e deixe cozinhar. Quando começar a chiar, deixe cozinhar por 40 minutos.

Uma vez cozida a carne, coloque a mandioca em pedaços para cozinhar dentro da panela. Se precisar, coloque um pouco mais de água. Caso a mandioca custe a cozinhar, coloque mais água para dar um “susto” nela, como se diz lá em Minas Gerais, que ela cozinha. O caldo da costela vai ficar um pouco mais grosso, mas delicioso! Fique sempre atento para ver se não precisa de mais água para evitar que grude no fundo da panela.

Na hora de servir adicione cheiro verde picado à panela! Arroz e salada verde completam a mesa!

Com o frio que começa a chegar, este prato promete aquecer e alimentar!!

Enjoy!!!

By Joe.

Escondidinho

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , on 24/04/2010 by Joe

Outono vem chegando e o corpo começa a pedir alimentos um pouco mais quentes e aconchegantes. Sabe aquele prato que, quando a gente sai da mesa, dá uma vontade de ficar quieto num canto (na verdade eu quis dizer pegar uma cama!)? É exatamente isso!

Eu sempre digo que a gastronomia é uma alquimia! Transformar elementos da natureza em algo mais rico, saudável e saboroso é uma arte, uma verdadeira alquimia mesmo!

A receita de hoje vem de um prato muito apreciado no nordeste e alguns estados do sudeste. Mas como gastronomia não tem bússola acredito que tudo é uma questão de experimentar …. e ousar!

Por isso o Escondidinho foi sendo modificado, principalmente aqui em São Paulo, e seus elementos foram sendo substituídos por outros com sabores mais regionais. Desta forma, a mandioca (ou aipim) foi trocada pela batata, a carne seca foi substituída pela carne moída (ou boi ralado, como é conhecida no sul), frango, camarão e até bacalhau.

Mas hoje eu vou ficar na receita original, que é como o prato surgiu. As variações podem ser feitas ao gosto de cada um. O preparo é super simples e vai agradar a quase todos os paladares.

Bom apetite!!!

Escondidinho de carne seca

Ingredientes

1 kg de carne seca dessalgada, cozida e desfiada
1 xícara (chá) de azeite de oliva
2 cebolas em rodelas
1 xícaras (chá) de salsinha picada
2 kg de mandiocas descascadas, cozidas com sal e espremidas
1 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de margarina
3 xícaras (chá) de requeijão
1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado grosso

Modo de preparo

Em uma panela, aqueça o azeite e doure as cebolas. Acrescente a carne seca, refogue bem e depois coloque a salsinha. Reserve.

Em outra panela, coloque o purê de mandiocas, acrescente o leite, a margarina e o requeijão e misture delicadamente.

Em um refratário, coloque uma camada do creme de mandioca, outra camada de carne seca refogada e cubra com o restante do creme Polvilhe queijo ralado e leve ao forno para gratinar a 180ºC por 15 minutos.

Uma variação na montagem que também fica deliciosa é colocar requeijão sobre a última camada e levar ao forno para dar uma gratinada.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: