Arquivo para Camponeses

Zuccotto

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/03/2014 by Joe

Zuccotto

O zuccotto é uma deliciosa sobremesa de chocolate e nozes, de origem fiorentina, muito comum nas meses italianas, principalmente na época do Natal.

A cozinha Toscana é constituída principalmente por pratos e doces tradicionais que mantém suas receitas inalteradas por muitos anos. Também conhecida como “la cucina povera” (a cozinha pobre), esta definição faz alusão à origem camponesa da maioria dos pratos típicos da Toscana. Há uma máxima que diz que a culinária toscana resume-se à três bases: pão, vinho e azeite.

A Toscana é a terra dos contadini, dos camponeses e agricultores, uma região que já sofreu muito com a escassez de produtos e nem sempre foi uma terra cheia de fartura como vemos hoje. O camponês toscano tinha que se virar com os poucos recursos que tinha, com os produtos da região para fazer o seu alimento.

Como a cozinha Italiana de maneira geral, é uma cozinha simples saudável e saborosa. Entre os doces não faltam surpresas: cantucci, ricciarelli, castagnaccio alla pistoiese e o zuccotto, famoso no mundo como o primeiro semi-frio da história.

Acredita-se que a origem do zuccotto tenha sido inspirada pela cúpula da catedral (Duomo) de Santa Maria Del Fiore, uma igreja cuja obra de arte gótica da primeira renascença italiana levou nada menos que seis séculos para ser construída. A sua cúpula é obra de um dos principais renascentistas, Brunelleschi.

E é justamente esta receita que trazemos hoje: o zuccoto, uma sobremesa deliciosa, para ser servida fria, como se fosse um sorvete!

Zuccotto

Ingredientes

6 ovos
6 colheres (sopa) de açúcar
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (café) de fermento em pó
1/2 xícara (chá) de morangos picados
1/2 xícara (chá) de uvas-passas
1/2 xícara (chá) de nozes
4 colheres (sopa) de conhaque
300 g de chocolate meio amargo
1 xícara (chá) de cream-cheese
2 latas de creme de leite
200 g de chocolate ao leite
morangos inteiros para decorar

Modo de preparo

Comece preparando o recheio: coloque os morangos, as uvas-passas e as nozes picadas em uma tigela, regue com 3 colheres (sopa) de conhaque. Deixe descansar por 1 hora.

Enquanto isso, prepare o pão-de-ló: comece batendo as claras em neve. Acrescente as gemas, uma a uma, sempre batendo. Junte o açúcar e continue batendo. Retire da batedeira, acrescente a farinha com o fermento e mexa delicadamente. Leve ao forno em uma forma e asse em forno baixo, pré-aquecido.

Derreta o chocolate meio amargo no banho-maria. Junte uma lata de creme de leite, bata bem, adicione as frutas escorridas e metade do bolo picado.

Forre um refratário redondo com papel-alumínio. Corte fatias finas do restante do bolo e disponha-as na tigela de modo a cobrir toda a lateral e o fundo. Borrife com o conhaque restante e acrescente o recheio. Cubra com mais fatias de bolo e leve à geladeira coberto com papel-alumínio até o dia seguinte.

Para a cobertura, aqueça a outra lata de creme de leite. Retire do fogo e junte o chocolate ao leite picado. Mexa bem até dissolver.

Na hora de servir, desenforme o doce e cubra-o com o chocolate ainda quente. Decore com morangos inteiros e leve novamente à geladeira. Sirva gelado.

By Joemir Rosa.

Minestrone

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 29/09/2012 by Joe

A sopa, junto com o pão, foi a primeira refeição completa da história da humanidade.

Caldos, consommés, veloutés … palavras tão complicadas para algo tão simples e nutritivo como um belo prato de sopa!

O antigo vocábulo “sop”, em latim arcaico, significava o pão sobre o qual se despejava o caldo quente. Sua história vem de muito tempo atrás, sendo a mesma consumida pelo homem desde a Idade da Pedra.

Sabe-se que há milhares de anos, a sopa era o principal alimento dos camponeses em todos os cantos do planeta. Até mesmo na arte, o prato era celebrado nas telas de grandes pintores – onde os personagens satisfaziam sua fome bebendo uma tigela deste alimento.

Na Grécia, há milhares de anos, ficou famoso um “caldo negro” da cidade de Esparta, onde era preparado com sangue de alguns animais, misturado a vinagre e especiarias. Era também costume colorir as sopas com açafrão, para ficarem
amareladas, ou amêndoas, para deixá-las brancas.

Daquela época até a atualidade muita coisa mudou, a sopa adaptou-se às diversas culturas e gerou inúmeras variações como, por exemplo, o Minestrone (italiana); Won Ton (chinesa); o Caldo Verde (portuguesa); Gaspacho (espanhol), Consommés (francês); o Oxtail (inglês), entre tantas outras.

O prato deste sábado é o Minestrone, de origem italiana, cujo nome vem da palavra minestra (sopa) acrescida do sufixo one, significando sopão, ou seja, uma sopa com vários ingredientes, muito espessa, composta por uma grande variedade de legumes cortados e, quase sempre, arroz ou macarrão. Os ingredientes mais usados são: tomates, feijões, cebolas, cenouras, aipo, toucinho, caldo de galinha, de carne, etc.

Não existe uma receita específica para o minestrone, justamente por ele ser feito com quaisquer legumes da época. O minestrone pode ser vegetariano, conter carne, ou conter algum caldo à base de carne.

Embora o inverno já tenha terminado, os últimos dias têm sido frios e as noites geladas. Então, aproveitando esta oportunidade, vamos à receita de um minestrone típico que, além de ser uma refeição deliciosa, ainda ajuda a esquentar e dar aquela sensação de bem-estar e prazer!

Minestrone

Ingredientes

4 colheres (sopa) de azeite de oliva
50 g de bacon cortado em cubinhos
1 cebola média picada
200 g de carne de primeira cortada em tirinhas
1 alho-poró bem picado
1 talo de salsão bem picado
1 cenoura cortada em cubinhos
1 batata média picada em cubos
2 tomates picados, sem pele e sem sementes
1/2 repolho pequeno cortado em tirinhas
1,5 litros de caldo de carne (2 cubinhos dissolvidos)
200 g de feijão cozido em água e sal
200 g de macarrão conchinha

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite, aqueça e frite o bacon e a cebola. Adicione a carne e frite bem. Coloque o alho-poró, o salsão, a cenoura e a batata e refogue bem. Em seguida, acrescente o purê de tomate, vá despejando o caldo de carne, misture bem e deixe ferver em fogo baixo até que os legumes fiquem macios.

Acrescente o feijão e o repolho, misture tudo muito bem e, por fim, o macarrão. Deixe cozinhar até que o macarrão esteja no ponto, de preferência “al dente”. Acerte o sal, se precisar. Caso seja necessário, adicione mais um pouco de água quente, não esquecendo que o Minestrone é uma sopa mais grossa, encorpada.

Sirva bem quente, com um fio de azeite e, se gostar, queijo parmesão ralado.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: