Arquivo para Aroma

Cocada com morangos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 06/09/2014 by Joe

Cocada com morangos

A história do morango vem de uma longa trajetória em busca do aprimoramento do sabor e do prazer. Embora existam espécies de morangos nativas na maioria das regiões temperadas, os frutos cultivados atualmente são provenientes do cruzamento e da união de várias espécies, entre as quais algumas encontradas apenas sob a forma silvestre nas Américas.

Embora por toda a Europa existam registros de que diferentes espécies de morangos silvestres já eram conhecidos e apreciados desde os tempos mais antigos, presumindo-se que essas frutas tenham sido levadas para cultivo em hortas caseiras apenas por volta do século XV. No entanto, apesar de fornecerem frutos de excelente qualidade e notável aroma, os morangos de então eram pequenos e sua produção era bastante irregular.

Até que os colonizadores europeus chegaram à América do Norte. Ali encontraram uma espécie de morangueiro nativo extraordinariamente vigoroso e produtivo (Fragaria virginiana) que, logo no início do século XVII, foi levado para o continente europeu.

Um século depois, um novo e feliz encontro: mais ao sul, nas terras que hoje pertencem ao Chile, os colonizadores se depararam com uma outra espécie nativa, de maior tamanho, que há muito tempo já era cultivada pelos indígenas da terra (Fragaria chiloensis), que foi também levada para a Europa.

Acredita-se que o cruzamento casual entre estas diferentes espécies de Fragaria nos viveiros europeus originou as matrizes das inúmeras variedades de morangos que se conhecem hoje em dia.

Atualmente no Brasil, como em quase todo o mundo, existem inúmeras variedades diferentes de morangos sendo cultivadas e, em geral, utilizam-se as mais adaptadas localmente. O Estado de São Paulo destaca-se como o maior produtor de morangos do país, sendo o extremo sul de Minas Gerais também um pólo considerável de cultivo da fruta.

O consumo de morango traz diversos benefícios ao organismo, principalmente para quem deseja emagrecer. Ele diminui a fome, pois graças às fibras, ele aumenta a sensação de saciedade, impedindo que você coma mais do que deveria durante as refeições. E ele não engorda!

O morango também controla o colesterol, afinal, quanto mais fibras um alimento tem, maior a capacidade de absorver o colesterol do sangue e eliminá-lo pelas fezes. Ele também evita as rugas, pois é dotado de antioxidantes que previnem o envelhecimento precoce, combatendo os radicais livres. Além disso, reduz o inchaço, equilibrando o nível de sódio que retém líquidos, combate a gordura graças à vitamina C, que previne a obesidade e auxilia na formação de colágeno, dando firmeza à pele. Ele também diminui a barriga e regula o intestino.

E o que pouca gente sabe: ele previne o câncer, pois contém ácido elágico, substância que trabalha para impedir a formação de tumores no aparelho digestivo. E mais uma boa notícia para quem quer emagrecer: a fruta aumenta a produção da leptina, que estimula o metabolismo, melhora o funcionamento de outros hormônios que trabalham no emagrecimento, reduzem a velocidade de digestão de alguns alimentos e controlam os níveis de açúcar no sangue.

Já que os benefícios são enormes com a ingestão de morangos, o melhor é provarmos uma deliciosa sobremesa com essa fruta saborosíssima!

Cocada com morangos

Ingredientes

1 pacote (100 g) de coco ralado
1 colher (sopa) de manteiga
1 lata de leite condensado
200 g de morangos

Modo de preparo

Em uma panela, misture o coco ralado, a manteiga e o leite condensado. Leve ao fogo brando, mexendo sem parar até desgrudar do fundo da panela. Deixe baixar um pouco a temperatura, mas não até esfriar totalmente porque a cocada estará mais consistente.

Lave bem, pique os morangos e misture na cocada. Distribua em copinhos e leve à geladeira. Decore com mais morangos picados na hora de servir.

Dica: aproveite a safra de morangos e congele. Lave-os bem em água corrente, enxugue e passe no açúcar. Distribua em saquinhos e congele.

By Joemir Rosa.

Frango assado de padaria

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , on 09/03/2013 by Joe

Frango assado de padaria 3

Acho que não tem uma pessoa que não tenha ficado com a boca cheia de água ao se deparar com aqueles frangos de padaria, sendo assados lentamente, aquele aroma se espalhando pelo ar ….

Esse frango assado é consumido em praticamente todo o Brasil, preparado e vendido em padarias e rotisseries, principalmente nos finais de semana! Aqueles fornos em que os frangos ficam assando são conhecidos como “televisão de cachorro”, pois é muito comum vermos os animais parados em frente, olhando, “assistindo”!

Saborosíssimo, esse frango parecia ser impossível de ser feito em casa com o mesmo sabor e o mesmo aroma! Muitos acreditam que o segredo é o tempero, outros dizem que é por causa do forno, ou o tipo de frango, que não pode ser o congelado.

Depois de algumas tentativas, encontrei esta receita que não deixa nada a desejar àquela das padarias!!

Espero que gostem e deixem seus comentários!

Frango assado de padaria

Ingredientes

1 frango inteiro sem miúdos
½ kg de batatas-bolinhas com casca e aferventadas
1 cebola grande cortada em rodelas para forrar a forma

Tempero

1 copo (americano) de vinho branco seco
2 copos (americanos) de água
½ copo (americano) de óleo
¼ copo (americano) de vinagre branco
1 colher (sopa) de colorífico
1 colher (sopa) de sal
3 dentes de alho
1 cebola
½ pimentão verde
1 pedaço pequeno de cenoura
1 xícara (chá) de salsa

Modo de preparo

No liquidificador, bata todos os ingredientes por 2 minutos. Em seguida, espalhe bem o tempero batido por todo o frango, por dentro e por fora. Coloque o frango em um saco plástico, feche bem e deixe na geladeira de um dia para o outro.

No dia seguinte, retire o frango do saco plástico, coloque-o em uma assadeira sobre as cebolas cortadas em rodelas, espalhe as batatas ao redor, regue com o tempero da marinada, cubra com papel alumínio e leve ao forno quente (200ºC) por 40 minutos.

Depois desse tempo, tire o papel alumínio, reduza a temperatura para 160ºC e mantenha no forno até ficar bem dourado.

Sirva com arroz à grega, que é muito simples de preparar.

Arroz à grega

Arroz à gregaIngredientes

2 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara (chá) de cenoura picada
1 xícara (chá) de vagem picada
1 xícara (chá) de pimentões coloridos picados
1 xícara (chá) de ervilhas
4 xícaras (chá) de arroz cozido
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, derreta a manteiga e refogue os legumes pela ordem. Acerte os temperos, coloque o arroz, misture delicadamente e sirva. Se gostar, adicione uvas-passa na mistura.

By Joemir Rosa.

A arte de comer bem

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , on 26/12/2011 by Joe

Se você está sentado à mesa, comendo, e você come restritamente e sua fome permanece, então você continuará a pensar em comida o dia inteiro. Você pode tentar jejuar e você verá: você continuará pensando em comida.

Mas se você comer bem – e quando eu digo comer bem, não quero dizer apenas que você tenha enchido seu estômago – isso não quer dizer necessariamente que você tenha realmente comido bem, pois você pode ter apenas se recheado.

Comer bem é uma arte. Não é apenas encher o estômago. É uma grande arte: saborear a comida, sentir os aromas da comida, tocar a comida, mastigar a comida, digerir a comida, e digerí-la como alguma coisa divina. Ela é divina, é um presente do divino.

Os hindus dizem: Anam Brahma, a comida é divina. Assim, com profundo respeito, você come e enquanto estiver comendo esqueça-se de tudo, porque isso é uma prece. Uma prece existencial. Você está comendo o divino e o divino irá lhe dar o nutrimento. É um presente a ser aceito com profundo amor e gratidão.

E não empanturre o corpo, porque empanturrar o corpo é ser anticorpo. É o outro polo. Há pessoas que têm obsessão por jejum, e há pessoas que têm obsessão em se empanturrar. Ambos estão errados porque, nos dois casos, o corpo perde o equilíbrio.

Um verdadeiro amante do corpo come somente até o ponto onde o corpo se sente perfeitamente calmo, equilibrado, tranquilo; onde o corpo não se sente nem inclinando-se para a direita, nem inclinando-se para a esquerda, mas exatamente no meio. É uma arte também compreender a linguagem do corpo, compreender a linguagem do seu estômago, compreender o que é necessário, dar somente aquilo que é necessário, e dar de uma maneira artística, de uma forma estética.

Os animais comem, o homem come. Então qual é a diferença? O homem faz do ato de comer uma grande experiência estética. Qual é o sentido de se ter uma bela mesa de jantar? Qual o sentido de se ter velas acesas à mesa? Qual é o sentido de se convidar amigos para virem participar? É fazer daquilo uma arte, não apenas um enchimento do estômago.

Mas esses são sinais externos da arte; os sinais internos se referem à compreensão da linguagem do seu corpo: ouví-lo e ser sensível às suas necessidades. E então você come; e então o dia todo, de modo algum, você se lembrará de comida. Somente quando o corpo estiver com fome novamente, a lembrança virá.

E então ela é natural!

By Osho.   

A arte de comer bem

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , on 21/04/2010 by Joe

Se você está sentado à mesa, comendo, e você come restritamente e sua fome permanece, então você continuará a pensar sobre comida o dia inteiro. Você pode tentar jejuar e você verá: você continuará pensando sobre comida. Mas se você comer bem – e quando eu digo comer bem, não quero dizer apenas que você tenha enchido seu estômago – isso não quer dizer necessariamente que você tenha realmente comido bem, pois você pode ter apenas se recheado.

Comer bem é uma arte. Não é apenas encher o estômago. É uma grande arte: saborear a comida, sentir os aromas da comida, tocar a comida, mastigar a comida, digerir a comida, e digerí-la como alguma coisa divina. Ela é divina, é um presente do divino.

Os hindus dizem: Anam Brahma, a comida é divina. Assim, com profundo respeito você come, e enquanto estiver comendo, esqueça-se de tudo, porque isso é uma prece. Uma prece existencial. Você está comendo o divino e o divino irá lhe dar o nutrimento. É um presente a ser aceito com profundo amor e gratidão.

E não empanturre o corpo, porque empanturrar o corpo é ser anticorpo. É o outro polo. Há pessoas que têm obsessão por jejum, e há pessoas que têm obsessão em se empanturrar. Ambos estão errados porque, nos dois casos, o corpo perde o equilíbrio.

Um verdadeiro amante do corpo come somente até o ponto onde o corpo se sente perfeitamente calmo, equilibrado, tranquilo; onde o corpo não se sente nem inclinando-se para a direita, nem inclinando-se para a esquerda, mas exatamente no meio. É uma arte também compreender a linguagem do corpo, compreender a linguagem do seu estômago, compreender o que é necessário, dar somente aquilo que é necessário, e dar de uma maneira artística, de uma forma estética.

Os animais comem, o homem come. Então qual é a diferença? O homem faz do ato de comer uma grande experiência estética. Qual é o sentido de se ter uma bela mesa de jantar? Qual o sentido de se ter velas acesas à mesa? Qual é o sentido de se convidar amigos para virem participar? É fazer daquilo uma arte, não apenas um enchimento do estômago.

Mas esses são sinais externos da arte; os sinais internos se referem à compreensão da linguagem do seu corpo: ouví-lo e ser sensível às suas necessidades. E então você come; e então o dia todo, de modo algum, você se lembrará de comida. Somente quando o corpo estiver com fome novamente, a lembrança virá.

E então ela é natural!

By Osho.

%d blogueiros gostam disto: