Arquivo para Ano

Quebrando ovos

Posted in Humor, Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17/04/2015 by Joe

Quebrando ovos

Chega um momento em que a relação precisa quebrar os ovos. É bom estar preparado.

Será como o trabalho doméstico: transparente. Lava-se louça, roupa, estende, retira os vincos com ferro, limpa casa, recolhe o lixo, arruma os brinquedos e os filhos nem reparam que tudo está novamente no lugar e no armário, apesar da bagunça feita recentemente. É óbvio que não vão agradecer. É o que chamo de passado secreto. Aconteceu, mas não merece memória.

Entretanto, a raiva fica: não fui valorizado e resta um desmemoriado mal-estar.

Minha namorada resolveu comer omelete. Ela já preparou o prato outras vezes em seu apartamento. Estava na minha casa e me antecipei na captura dos ingredientes, louco para agradá-la. Mas a minha menção de executar a tarefa a desagradou. Entenda, é o passado secreto. O ardiloso passado secreto. Com minha efusiva disposição, ela desconfiou de que eu não gostava de suas omeletes e que, somente agora, decorrido um ano, estava com coragem de falar.

Raciocinei que significava uma informação dispensável, meu modo era dourar os dois lados e o dela era envelopar a massa ao final, mas ela tratava o assunto com tamanha energia que até me assustou.

– “Quer que eu faça?”, perguntei.

– “Não gosta do jeito que faço?”

– “Gosto, é que eu mostraria minha predileção…”

– “Gosta nada, quem já fez omelete para você? Quer do jeito de quem? Confessa?”

– “De ninguém…”

– “Ora, vai nessa, qual é a receita? Com queijo ralado, requeijão, tomates fatiados? Por que nunca me disse que não gostava da minha omelete? Eu me sinto uma idiota…”

– “Eu gosto, só busquei uma maneira diferente!”

– “Que maneira?”

(Daí eu me danei)

Levamos mais tempo discutindo na tentativa de prevenir a discussão. A conversa durou duas horas. Duas horas sobre absolutamente nada, a não ser o medo do que não foi vivido junto. Se aliso seu umbigo, acreditará que repito um convite libidinoso com uma antiga namorada. Quanto mais a gente se entrega, maior é o pânico de estar sozinho na doação, de ser uma miragem afetiva. Tanto que, após desfiar um “eu te amo tanto”, não ouse nunca mais declarar “eu te amo” – é como se amasse menos.

O ciúme está dobrado em cada gesto, fazendo contas e pedindo estornos. Não há saída; passe manteiga na conversa, aqueça a frigideira e admire os ovos quebrados na pia.

Repare como o negócio é tinhoso. Durante as compras, no caixa, costumava perguntar se ela estava naquele momento com troco. Não falava dinheiro, mas troco. Uso troco para tudo. Para quê? Ela já formulou uma tese de que empregava o código com a ex. Igual sina em nossas rotas românticas. Relaxados, sozinhos e prontos para namorar, peço que ela me alcance o champanhe do balde:

– “Por favor, me passe a “champs”?”

– ““Champs”?”

Pronto! Feito o entrevero. Usava também esse dialeto com a ex.

O grave é que ela tem razão. Só não desejava brigar, ainda mais quando não tenho defesa. Ela poderia ser mais justa e me dar tempo para preparar uma mentira.

By Fabrício Carpinejar.

Anúncios

O Demodelando vai demodelar!

Posted in Atualidade with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/12/2014 by Joe

Fechado para férias

Eu explico: “demodelar” significa quebrar moldes, modelos, rotinas. Assim, pela primeira vez em quase 6 anos, o Demodelando vai quebrar essa rotina e tirar uns dias de férias, descansar um pouco (quebrando pedras, é verdade!), devendo voltar no começo do ano que se aproxima!

Deixo meus votos de um Feliz Ano Novo, de muitas mudanças, de muitas quebras de modelos – principalmente aqueles sem sentido, hipócritas e ultrapassados – que tantos conflitos e infelicidade trazem às pessoas!

Um grande abraço a todos os amigos e seguidores!!

By Joemir Rosa.

Viver vale a pena

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/06/2014 by Joe

Viver vale a pena

Este dia, que chamamos de hoje, significa o quê exatamente, para você? Ele é um começo? Um meio? Um final? Só mais um dia, ou é realmente “O DIA”?

E você por acaso já parou para observar que todos os começos são entusiasmados?

Por exemplo, no começo do ano, as crianças, jovens e adultos retornam às aulas, ou iniciam cursos de qualquer natureza, e todos têm uma carga positiva de entusiasmo. Todo mundo animado.

Para algumas pessoas, começar uma nova semana também tem essa qualidade. No entanto, para outras, isto não acontece. Por que será? Será que existe alguma fórmula para fazer de cada novo dia uma nova esperança? Existe alguma maneira de ser otimista diante de tantos desafios que o mundo tem aí fora? Tem alguma maneira de carregar uma reserva de entusiasmo para os momentos em que parece terrível recomeçar?

Se existem fórmulas, mágicas ou maneiras para isto, eu não sei! Sei apenas que o resultado do que será meu dia, depende muito mais de mim mesmo, do que das circunstâncias que tenho disponíveis, a favor ou contra.

Por isso eu proponho que você faça uma promessa a si mesmo, logo no inicio do dia! Assim, você irá preparar um terreno onde poderá semear as esperanças de um dia melhor. Pelo menos de encará-lo de forma mais corajosa e otimista.

Algo assim:

Prometo a mim mesmo, que somente hoje, serei forte, para que nada venha perturbar minha paz de espírito. Assim não serei atingido pelo desânimo.

Hoje, ao encontrar com as pessoas, vou falar de saúde, felicidade e prosperidade, evitando comentar as últimas tragédias vistas nos noticiários.

Hoje, procurarei mostrar para as pessoas que estão próximas de mim que elas têm grande valor. Que sua existência é importante na minha vida.

Hoje, ao olhar para os lados, vou procurar ver o lado bom das coisas, fazer com que o otimismo se torne realidade.

Hoje, vou pensar o melhor das pessoas, trabalhar para o melhor e esperar apenas que o melhor aconteça.

Hoje, sentirei o verdadeiro entusiasmado tanto pelo sucesso dos outros quanto pelo meu próprio.

Quanto aos erros que eu tenha cometido no passado, vou procurar esquecê-los, pelo menos por hoje, e me empenhar para obter melhores realizações no meu futuro.

Ao encontrar alguém que não esteja tão animado, vou lhe oferecer meu melhor sorriso.

Também vou me esforçar para aprender algo novo, que me ajude a melhorar a mim mesmo.

Evitarei todas as formas de criticar os outros.

Hoje, prometo a mim mesmo, ser maior que as preocupações, e não me irritar, e nem ter medo de ser feliz.

Portanto, se você conseguir fazer esta pequena autopromessa, eu desejo que você viva com mais entusiasmo, hoje, mas só hoje, com toda alegria e entusiasmo que lhe é permitido pelo Criador do Universo.

Afinal de contas, amanhã já é outro dia, onde todas as promessas deverão se renovar.

Tenha certeza que isto criará um ciclo de otimismo em sua vida. Reforçando em você, cada vez mais a coragem para encarar a vida de frente, dia após dia.

E lembrando que “viver vale a pena, sempre”!

By Sigmar Sabin.

Para uma vida melhor

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/10/2013 by Joe

Para uma vida melhor

Um granjeiro pediu a um sábio que o ajudasse a melhorar o rendimento de sua granja. O sábio escreveu algo em um papel, o colocou numa caixa, entregou ao granjeiro e disse:

– “Leve esta caixa por todos os lados de sua granja, três vezes ao dia, durante um ano”.

E assim fez o granjeiro. Pela manhã, ao ir ao campo levando a caixa, encontrou um empregado dormindo, quando deveria estar trabalhando. Acordou-o e chamou sua atenção. Ao meio-dia, foi ao estábulo, encontrou o gado sujo e os cavalos ainda sem sua alimentação. À noite, indo à cozinha, deu-se conta de que estavam desperdiçando os alimentos.

A partir daí, ao percorrer a granja de um lado para outro com seu amuleto, encontrava coisas que deveriam ser corrigidas…

No final do ano, como combinado, disse ao sábio:

– “Deixe a caixa comigo mais um ano. Minha granja melhorou desde que estou com o amuleto!”

O sábio riu e abriu a caixa que continha um papel com a seguinte frase:

“Se queres que as coisas melhorem, deves acompanhá-las a cada instante, e bem de perto”.

By Alan Watts, filósofo e teólogo.

Importante X Interessante

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/05/2013 by Joe

Lobo cuidando das ovelhas

Você sabe que há algumas coisas, poucas, que são importantes e também interessantes, para serem feitas em sua vida. Geralmente, fazemos todas elas com grande prazer, porque são interessantes, embora costumemos dizer que fazemos por serem importantes.

Você também sabe que há centenas, talvez milhares de coisas interessantes para fazer, em sua vida. Talvez mais de 100, apenas hoje. Festas, passeios, diversão. Mas não há horas suficientes, em um dia, nem mesmo dias suficientes, em uma vida, para fazermos tudo o que gostaríamos de fazer. Tudo o que é interessante, divertido, único, alegre e “imperdível”, geralmente não é importante.

Geralmente é apenas para obter prazer.

Também há algumas coisas importantes a serem feitas, em sua vida. Talvez, mais de cinco coisas, hoje. Talvez, menos. Não são tantas, mas por não serem necessariamente interessantes, geralmente não ganham nossa atenção e nosso foco.

A maioria das pessoas não consegue fazer 1 coisa importante por dia, ou 365 coisas importantes por ano. Ficam adiando o quanto podem, e acabam realizando 10 ou 15 muito importantes em um ano. E esta média já está ótima, pensam.

Ocorre que a vida se desdobra devido às coisas importantes que realizamos, não as que são meramente interessantes. A vida nos premia pelo que fazemos de diferente, não pelo que fazemos igual a todos os outros. Quando somos carneiros, e fazemos algo apenas porque “todo mundo faz”, entregamos nossa própria senha para o lobo, e vamos calmamente para o matadouro do desastre.

Jamais troque o importante pelo interessante. Jamais troque qualidade por quantidade. Jamais troque o que deve ser feito pelo que você deseja fazer, mas que não tem importância nenhuma em sua vida.

Porque, como disse Alex Bach, “trocar o importante pelo interessante, é o melhor modo de perder os dois”.

By Aldo Novak.

A vida não é uma corrida

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20/12/2012 by Joe

A vida não é uma corrida

Está chegando o fim do ano e é momento de reflexão de como foi este e como será o que ano que chega. É tempo de estratégia pessoal. O que quero para mim e para minha família? Qual são meus sonhos? Estou realizando-os ou postergando-os? Ou nem tive tempo para pensar sobre eles?

A tecnologia trouxe facilidades técnicas, mas trouxe também dificuldades de lidar com o tempo. Tudo é muito rápido, tudo é para ontem, e assim o ano passa veloz e nem “sentimos”.

Para aprofundar um pouco o tema, trago uma carta de uma menina com uma doença terminal, internada em um hospital em Nova York. Não tenho notícias atuais dela. Mas o que ela diz é profundo e cada frase merece uma parada para meditação.

“Alguma vez você já viu crianças brincando de roda? Ou ouviu o som da chuva batendo no chão? Já seguiu o voo errático de uma borboleta? Ou olhou para o sol dando lugar à noite?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Você passa batido por cada dia? Quando você pergunta “como vai você?” ouve a resposta? Quando acaba o dia, você se deita em sua cama com a próxima centena de tarefas percorrendo sua cabeça?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Alguma vez disse a seu filho “pode ser amanhã?” e, na sua pressa, percebeu a tristeza em seu rosto? Já perdeu contato e deixou morrer um amigo porque nunca teve tempo de ligar e dizer “oi”?

É melhor desacelerar… não dance tão rápido. O tempo é curto e a música acaba…

Quando você corre para chegar a algum lugar, perde metade da graça em chegar lá. Quando se preocupa e atropela seu dia é como um presente que vai para o lixo sem ser aberto.

A vida não é uma corrida, vá devagar. Ouça a música antes que ela acabe.”

Desconheço a autoria.

%d blogueiros gostam disto: