Arquivo para Aipim

Escondidinho de carne desfiada com polenta

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17/05/2014 by Joe

Escondidinho de carne desfiada com polenta

O frio vem chegando aos poucos e o corpo começa a pedir alimentos um pouco mais quentes e aconchegantes. Sabe aquele prato que, quando a gente sai da mesa, dá uma vontade de ficar quieto num canto (na verdade, eu quis dizer pegar uma cama!)? É exatamente isso!

Eu sempre digo que a gastronomia é uma alquimia! Transformar ingredientes em algo mais rico, saudável e saboroso é uma arte, uma verdadeira alquimia mesmo!

A receita de hoje vem de um prato muito apreciado no nordeste e alguns estados do sudeste. Mas como gastronomia não tem bússola, acredito que tudo é uma questão de experimentar… e ousar!

Por isso o escondidinho foi sendo modificado, principalmente aqui em São Paulo, e seus elementos foram sendo substituídos por outros com sabores mais regionais. Desta forma, a mandioca (ou aipim) foi trocada pela batata, a carne seca foi substituída pela carne moída (ou boi ralado, como é conhecida em outras regiões), frango, camarão e até bacalhau.

E hoje vou deixar com vocês uma variação desse prato. Claro que essas variações podem ser feitas ao gosto de cada um. O preparo é super simples e vai agradar a quase todos os paladares.

Escondidinho de carne desfiada com polenta

Ingredientes

Recheio

2 colheres (sopa) de óleo de milho
1 cebola grande
3 dentes de alho bem picados
4 tomates sem pele e sem sementes picados
1 kg de fraldinha cozida e desfiada
sal e pimenta a gosto
½ xícara (chá) de azeitonas verdes picadas
4 colheres (sopa) de cheiro-verde picado

Polenta

1 de xícara (chá) de fubá
1 ½ xícara (chá) de água fria
2 colheres (sopa) de óleo de milho
2 dentes de alho picados
2 xícaras (chá) de caldo de legumes
1 colher (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

Modo de preparo

Comece preparando o recheio: doure a cebola e o alho no óleo. Junte o tomate e a carne cozida e desfiada e refogue até o tomate desmanchar. Tempere com o sal e a pimenta. Adicione a azeitona e o cheiro-verde. Misture e reserve, mantendo aquecido.

Prepare a polenta misturando bem o fubá com a água fria em uma vasilha pequena. Reserve.

Em uma panela de pressão, aqueça o óleo e doure levemente o alho. Junte o caldo de legumes e deixe ferver. Com uma escumadeira, coloque o fubá molhado, aos poucos, no caldo fervente, mexendo sempre. Tampe a panela e, assim que levantar pressão, conte 15 minutos. Retire do fogo e deixe sair a pressão. Incorpore a manteiga e o queijo ralado.

Distribua metade da polenta em um refratário. Recheie com a carne e cubra com a polenta restante. Polvilhe mais queijo ralado e sirva.

Sugestão? Um ótimo vinho tinto!

Enjoy!

By Joemir Rosa.

Vaca atolada

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , on 14/05/2011 by Joe

A Vaca Atolada é um prato típico da comida caipira brasileira cuja origem remonta aos tropeiros que carregavam carne mergulhada na gordura em seus embornais, o que garantia alimento por um bom tempo, sem deteriorar.

Ao longo das trilhas colhiam mandioca, que era misturada e cozida junto com as carnes, obtendo assim uma comida forte e saudável para os dias mais frios da serra.

Quando eles iam da serra para as Minas Gerais, passavam por terrenos irregulares e íngremes. No período das chuvas, os terrenos ficavam em lama, e o gado, que empurrava as carroças, ficava encalhado e não prosseguia. Como transportavam carne e tinham que se alimentar quando encalhavam, preparavam esse prato com mandioca e carne de vaca, ao qual chamaram de Vaca Atolada.

No entanto, a receita de Vaca Atolada era tradicionalmente feita com costelas de boi, uma carne que não era aproveitada para compor a comida dos viajantes, e nem servia para fazer o charque ou carne seca. Mas provavelmente é que era uma comida preparada após o abate do gado, cozinhando as costelas e sua gordura com pedaços de aipim e cebolas.

A receita de hoje é isso: um prato simples, caipira, tradicional, mas muito, muito saboroso! Típico daqueles que a vovó fazia!!

Vaca atolada

Ingredientes

1 ½ kg de costela de vaca cortada em pedaços
1 kg de mandioca cortada em cubos
2 cebolas grandes cortadas em rodelas
3 colheres (sopa) de óleo
8 dentes de alho espremidos
3 tomates picados, sem pele e sem sementes
2 folhas de louro
2 tabletes de caldo de carne
1 ½ litro de água
1 tomate sem semente picado
sal a gosto
algumas gotas de pimenta malagueta
cheiro verde picado

Modo de preparo

Tempere a carne com alho e sal. Em uma panela de pressão sem a tampa, coloque o óleo, leve ao fogo e vá colocando aos poucos a carne para dourar. Caso sua panela de pressão seja pequena, frite a metade, reserve e depois frite a outra metade. A carne deve ficar bem dourada, bem frita, porém sem queimar. É muito importante que ela fique bem dourada por todos os lados.

Em seguida adicione a cebola e o alho para dar uma dourada, sempre mexendo. Acrescente os tomates picados, os dois tabletes de caldo de carne dissolvidos em  água fervente, o suficiente para cobrir a carne, as duas folhas de louro, a pimenta dedo-de-moça picada, feche a panela e deixe cozinhar. Quando começar a chiar, deixe cozinhar por 40 minutos.

Uma vez cozida a carne, coloque a mandioca em pedaços para cozinhar dentro da panela. Se precisar, coloque um pouco mais de água. Caso a mandioca custe a cozinhar, coloque mais água para dar um “susto” nela, como se diz lá em Minas Gerais, que ela cozinha. O caldo da costela vai ficar um pouco mais grosso, mas delicioso! Fique sempre atento para ver se não precisa de mais água para evitar que grude no fundo da panela.

Na hora de servir adicione cheiro verde picado à panela! Arroz e salada verde completam a mesa!

Com o frio que começa a chegar, este prato promete aquecer e alimentar!!

Enjoy!!!

By Joe.

Escondidinho

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , on 24/04/2010 by Joe

Outono vem chegando e o corpo começa a pedir alimentos um pouco mais quentes e aconchegantes. Sabe aquele prato que, quando a gente sai da mesa, dá uma vontade de ficar quieto num canto (na verdade eu quis dizer pegar uma cama!)? É exatamente isso!

Eu sempre digo que a gastronomia é uma alquimia! Transformar elementos da natureza em algo mais rico, saudável e saboroso é uma arte, uma verdadeira alquimia mesmo!

A receita de hoje vem de um prato muito apreciado no nordeste e alguns estados do sudeste. Mas como gastronomia não tem bússola acredito que tudo é uma questão de experimentar …. e ousar!

Por isso o Escondidinho foi sendo modificado, principalmente aqui em São Paulo, e seus elementos foram sendo substituídos por outros com sabores mais regionais. Desta forma, a mandioca (ou aipim) foi trocada pela batata, a carne seca foi substituída pela carne moída (ou boi ralado, como é conhecida no sul), frango, camarão e até bacalhau.

Mas hoje eu vou ficar na receita original, que é como o prato surgiu. As variações podem ser feitas ao gosto de cada um. O preparo é super simples e vai agradar a quase todos os paladares.

Bom apetite!!!

Escondidinho de carne seca

Ingredientes

1 kg de carne seca dessalgada, cozida e desfiada
1 xícara (chá) de azeite de oliva
2 cebolas em rodelas
1 xícaras (chá) de salsinha picada
2 kg de mandiocas descascadas, cozidas com sal e espremidas
1 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de margarina
3 xícaras (chá) de requeijão
1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado grosso

Modo de preparo

Em uma panela, aqueça o azeite e doure as cebolas. Acrescente a carne seca, refogue bem e depois coloque a salsinha. Reserve.

Em outra panela, coloque o purê de mandiocas, acrescente o leite, a margarina e o requeijão e misture delicadamente.

Em um refratário, coloque uma camada do creme de mandioca, outra camada de carne seca refogada e cubra com o restante do creme Polvilhe queijo ralado e leve ao forno para gratinar a 180ºC por 15 minutos.

Uma variação na montagem que também fica deliciosa é colocar requeijão sobre a última camada e levar ao forno para dar uma gratinada.

By Joe.

%d blogueiros gostam disto: