Arquivo para Águia

Desilusões

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/09/2015 by Joe

DesilusõesNa vida todos nós enfrentamos desilusões.

Nos decepcionamos com amigos, parentes, e até conosco mesmo. Nos desiludimos quando vemos um sonho se transformar em pesadelo, um alvo se transformar numa miragem bem distante, um desejo desaparecer como uma neblina…

A desilusão dói, como um ferimento. Atinge a qualquer um, sem exceção…

Mas o importante é saber que novos sonhos podem ser sonhados, e que um novo dia certamente amanhecerá.

Fomos criados por Deus com a incrível capacidade de nos recuperarmos. Fomos feitos com a capacidade de sair das cinzas para a glória, do nada para o tudo, da derrota para a vitória.

Como a águia, temos dentro de nós o desejo de voar grandes alturas, portanto também acima das desilusões.

Cada desilusão é um convite a um novo sonho, a uma nova visão da vida.

É um convite a um novo desafio, a um novo caminho!

Vamos lá! Sonhar sonhos mais lindos, voar acima das nuvens!!

Desconheço a autoria.

Acima das desilusões

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 04/01/2013 by Joe

Acima das desilusões

Na vida todos nós enfrentamos desilusões.

Nos decepcionamos com amigos, parentes, e até conosco mesmo.

Nos desiludimos quando vemos um sonho se transformar em pesadelo, um alvo se transformar numa miragem bem distante, um desejo desaparecer como uma neblina.

A desilusão dói como um ferimento. Atinge a qualquer um, sem exceção.

Mas o importante é saber que novos sonhos podem ser sonhados, e que um novo dia certamente amanhecerá.

Fomos criados por Deus com a incrível capacidade de nos recuperarmos.

Fomos feitos com a capacidade de sair das cinzas para a glória, do nada para o tudo, da derrota para a vitória.

Como a águia, temos dentro de nós o desejo de voar grandes alturas, portanto também acima das desilusões.

Cada desilusão é um convite a um novo sonho, a uma nova visão da vida.

É um convite a um novo desafio, a um novo caminho…

Desconheço a autoria.

Chega de sofrimento!

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/09/2012 by Joe

A maior parte do sofrimento humano é desnecessária. Ele se forma sozinho, enquanto a mente superficial governa a nossa vida.

O sofrimento que sentimos neste exato momento é sempre alguma forma de não-aceitação, uma forma de resistência inconsciente ao que é. No nível do pensamento, a resistência é uma forma de julgamento. No nível emocional, ela é uma forma de negatividade.

O sofrimento varia de intensidade de acordo com o nosso grau de resistência ao momento atual, e isso, por sua vez, depende da intensidade com que nos identificamos com as nossas mentes. A mente procura sempre negar e escapar do Agora. Em outras palavras, quanto mais nos identificamos com as nossas mentes, mais sofremos. Ou ainda, quanto mais respeitamos e aceitamos o Agora, mais nos libertamos da dor, do sofrimento e da mente.

Por que a mente tem o hábito de negar ou resistir ao Agora? Porque ela não consegue funcionar e permanecer no controle sem que esteja associada ao tempo, tanto passado quanto futuro, e assim ela vê o atemporal Agora como algo ameaçador? Na verdade, o tempo e a mente são inseparáveis.

Imagine a Terra sem a vida humana, habitada apenas por plantas e animais. Será que ainda haveria passado e futuro? Será que as perguntas “que horas são?” ou “que dia é hoje?” teriam algum sentido para um carvalho ou uma águia? Acho que eles ficariam intrigados e responderiam: “Claro que é agora. A hora é agora. O que mais existe?”

Não há dúvidas de que precisamos da mente e do tempo, mas no momento em que eles assumem o controle das nossas vidas, surgem os problemas, o sofrimento e a mágoa.

Para ter certeza de que permanece no controle, a mente trabalha o tempo todo para esconder o momento presente com o passado e o futuro. Assim, a vitalidade e o infinito potencial criativo do Ser, que é inseparável do Agora, ficam encobertos pelo tempo e a nossa verdadeira natureza é obscurecida pela mente. Todos nós sofremos ao ignorar ou negar cada momento precioso ou reduzí-lo a um meio para alcançar algo no futuro, algo que só existe em nossas mentes, nunca na realidade. O tempo acumulado na mente humana encerra uma grande quantidade de sofrimento cuja origem está no passado.

Se não quer gerar mais sofrimento para você e para os outros, não crie mais tempo, ou, pelo menos, não mais do que o necessário para lidar com os aspectos práticos da sua vida. Como deixar de “criar” tempo? Tendo uma profunda consciência de que o momento presente é tudo o que você tem. Faça do Agora o foco principal da sua vida. Se antes você se fixava no tempo e fazia rápidas visitas ao Agora, inverta essa lógica, fixando-se no Agora e fazendo visitas rápidas ao passado e ao futuro quando precisar lidar com os aspectos práticos da sua vida. Diga sempre “sim” ao momento atual.

O que poderia ser mais insensato do que criar uma resistência interior a alguma coisa que já é? O que poderia ser mais insensato do que se opor à própria vida, que é agora e sempre agora? Renda-se ao que é. Diga “sim” para a vida e veja como, de repente, a vida começa a trabalhar mais a seu favor em vez de contra você.

By Eckhart Tolle, do livro “O Poder do Agora”.

Atitude de vencedor

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , on 23/03/2012 by Joe

Problemas sempre existirão, seja na empresa, seja na nossa vida pessoal. Mas para certas pessoas, as dificuldades transformam-se em barreiras que podem levar ao fracasso.

Há uma fábula que conta a história de três leões que se reuniram para decidir qual deles seria o rei dos reis. Resolveram que o leão que chegasse primeiro ao topo de uma montanha seria o rei. O desafio foi aceito.

O primeiro tentou, não conseguiu, foi derrotado. O segundo tentou, não conseguiu, foi derrotado. O terceiro tentou e também não conseguiu. Os animais ficaram, então, sem saber o que fazer, pois os três tinham sido derrotados.

Nesse momento, uma águia sábia apareceu e contou que tinha ouvido o que cada um deles tinha dito à montanha quando não haviam conseguido chegar ao topo. A águia contou que o primeiro leão havia dito:

– “Montanha, tu venceste!”,

E contou que o segundo leão também havia dito a mesma coisa!

Porém, o terceiro leão dissera:

“Montanha, venceste-me, mas só por enquanto! Tu, montanha, já atingiste o teu tamanho final, enquanto eu ainda estou a crescer!”

– “A diferença” – completou a águia – “é que o terceiro leão teve uma atitude de vencedor diante da derrota e aquele que age assim mostra–se maior do que seu problema. Está, portanto, preparado para ser um líder”.

Desconheço a autoria.

Águias ou galinhas?

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/01/2012 by Joe

Um camponês criou um filhote de águia junto com suas galinhas, tratando-a da mesma maneira que tratava as galinhas, de modo que ela pensasse que também era uma delas.

Dava a mesma comida jogada no chão, a mesma água num bebedouro rente ao solo,  fazendo-a ciscar para complementar a alimentação, como se fosse uma galinha.

E a águia passou a se portar como se fosse uma galinha.

Certo dia, passou por sua casa um naturalista, que vendo a águia ciscando no chão, foi falar com o camponês:

– “Isto não é uma galinha, é uma águia!”

O camponês retrucou:

– “Agora ela não é mais uma águia, agora ela é uma galinha!”

O naturalista disse:

– “Não, uma águia é sempre uma águia … e vou mostrar-lhe!”

Levou-a para cima da casa do camponês, elevou-a nos braços e disse:

– “Voa … você é uma águia … assuma sua natureza!”

Mas a águia não voou! O camponês, então, disse:

– “Eu não lhe disse que ela agora é uma galinha?”

O naturalista disse:

– “Amanhã, veremos…”

No dia seguinte, logo cedo, eles subiram até o alto de uma montanha. O naturalista levantou a águia e disse:

– “Águia, veja este horizonte, veja o sol lá em cima e os campos verdes lá embaixo, veja todas essas nuvens, elas podem ser suas! Desperte para sua natureza e voe como águia que és…”

A águia começou a ver tudo aquilo, foi ficando maravilhada com a beleza das coisas que nunca tinha visto, ficou um pouco confusa no início, sem entender porque tinha ficado tanto tempo alienada. Então, ela sentiu seu sangue de águia correr nas veias, perfilou devagar suas asas e partiu num vôo lindo, até que desapareceu no horizonte azul.

Se pararmos para analisar essa história, notaremos que se criam as pessoas como se fossem galinhas também. Porém, elas são águias. Todos podemos voar, se quisermos. Basta enxergarmos os horizontes largos, o céu e as nuvens a nos esperar.

Voe cada vez mais alto e não se contente com os grãos que lhe jogam para ciscar. Nós somos águias, não temos que agir como galinhas, como às vezes querem que sejamos.

Pessoas com mentalidade de galinha são mais fáceis de controlar, pois elas abaixam a cabeça para tudo, com medo, sem confiança.

Conduza sua vida de cabeça erguida, respeitando os outros, sim, mas com medo, jamais!

By Frei Leonardo Boff.

Voem juntos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/06/2011 by Joe

Conta uma velha lenda dos índios Sioux que, uma vez, Touro Bravo, o mais valente e honrado de todos os jovens guerreiros e Nuvem Azul, a filha do cacique e uma das mais formosas mulheres da tribo, chegaram de mãos dadas na tenda do velho feiticeiro da tribo e disseram:

– “Nós nos amamos e vamos nos casar. E nos amamos tanto que queremos um feitiço, um conselho, ou um talismã. Alguma coisa que garanta que possamos ficar sempre juntos. Que nos assegure que estaremos um ao lado do outro até a morte”.

O velho sábio, ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:

– “Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte desta aldeia e, apenas com uma rede e tuas mãos, caçar o falcão mais vigoroso do monte e traze-lo com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia”.

– “E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono, onde encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la, trazendo-a viva”.

Os jovens abraçaram-se com ternura e logo partiram para cumprir a missão recomendada.

No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco.

O velho pediu que, com cuidado, as retirassem. Observou então que se tratava de belos exemplares.

– “E agora, o que faremos?” – perguntou o jovem. “Nós as matamos e depois bebemos à honra de seu sangue?”

– “Ou as cozinhamos e depois comemos o valor da sua carne?” – propôs a jovem.

– “Não!” – disse o feiticeiro. “Apanhem as aves e as amarrem entre si pelas patas, com essas tiras de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres!”

O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram os pássaros.

A águia e o falcão tentaram alçar vôo, mas apenas conseguiram saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela incapacidade de voar, as aves jogavam-se uma contra a outra, bicando-se até se machucarem.

Aí, o velho disse:

– “Jamais esqueçam o que estão vendo. Este é o meu conselho: vocês são como a águia e o falcão; se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, viverão arrastando-se e, cedo ou tarde, começarão a machucar-se mutuamente.  Se quiserem que o amor entre vocês perdure … voem juntos …  mas jamais amarrados!”

Texto baseado em uma lenda dos índios Sioux.

A águia e as galinhas

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , on 27/05/2010 by Joe

Um camponês criou um filhote de águia junto com suas galinhas, tratando-a da mesma maneira que tratava as galinhas, de modo que ela pensasse que também era uma delas.

Dava a mesma comida jogada no chão, a mesma água num bebedouro rente ao solo,  fazendo-a ciscar para complementar a alimentação, como se fosse uma galinha.

E a águia passou a se portar como se fosse uma galinha…

Certo dia, passou por sua casa um naturalista, que vendo a águia ciscando no chão, foi falar com o camponês:

– “Isto não é uma galinha, é uma águia!”

O camponês retrucou:

– “Agora ela não é mais uma águia, agora ela é uma galinha!”

O naturalista disse:

– ‘Não, uma águia é sempre uma águia … e vou mostrar-lhe!

Levou-a para cima da casa do camponês, elevou-a nos braços e disse:

– “Voa … você é uma águia … assuma sua natureza!”

Mas a águia não voou! O camponês, então, disse:

– “Eu não lhe disse que ela agora é uma galinha!?”

O naturalista disse:

– “Amanhã, veremos…”

No dia seguinte, logo cedo, eles subiram até o alto de uma montanha. O naturalista levantou a águia e disse:

– “Águia, veja este horizonte, veja o sol lá em cima e os campos verdes lá embaixo, veja todas essas nuvens, elas podem ser suas! Desperte para sua natureza e voe como águia que és…”

A águia começou a ver tudo aquilo, foi ficando maravilhada com a beleza das coisas que nunca tinha visto, ficou um pouco confusa no início, sem entender porque tinha ficado tanto tempo alienada. Então, ela sentiu seu sangue de águia correr nas veias, perfilou devagar suas asas e partiu num vôo lindo, até que desapareceu no horizonte azul.

Se pararmos para analisar essa história, notaremos que se criam as pessoas como se fossem galinhas também. Porém, elas são águias. Todos podemos voar, se quisermos. Basta enxergarmos os horizontes largos, o céu e as nuvens a nos esperar.

Voe cada vez mais alto e não se contente com os grãos que lhe jogam para ciscar. Nós somos águias, não temos que agir como galinhas, como às vezes querem que sejamos.

Pessoas com mentalidade de galinha são mais fáceis de controlar, pois elas abaixam a cabeça para tudo, com medo, sem confiança.

Conduza sua vida de cabeça erguida, respeitando os outros, sim, mas com medo, jamais!

By Frei Leonardo Boff.

%d blogueiros gostam disto: