Arquivo para Agora

Viva o agora intensamente

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/10/2015 by Joe

Viver o agora intensamente

O melhor de toda experiência é o agora.
Viva o agora intensamente, torne-se consciente de tudo e do todo que está te rodeando.

Veja, ouça e sinta.
Veja os movimentos – intesifique-os.
Vejas as cores – intensifique-as.

Ouça os sons: quanto mais sons melhor, pequenos animais (cigarras), água, crianças rindo – intensifique.

Sensações: calor gostoso em partes do corpo – coração (o toque do corpo de alguém) – intensifique.

Se quiser, acrescente cheiros e sabores, use a imaginação, pois esta é uma experiência pessoal e única que poderá e será lembrada com riqueza de detalhes acompanhada de riqueza de sensações.

Viva o aqui e agora.
Esteja consciente.
Estude mantendo sua mente ocupada.
Escolha o que pensar pois, se você não escolher, sua mente escolherá.
Mantenha o comando da sua vida.
Seja feliz vivendo no aqui e no agora.
Agradeça ao Poder Maior pelas graças recebidas.
Ame.
Perdoe.

Deixe seu coração leve para experiências positivas.
Mude e todo o teu mundo também mudará.

Ame incondicionalmente.
Jogue fora velhos padrões de pensamentos e dê espaço para o novo.
Reavalie seus valores e suas prioridades.

Leia muito.

By Carin Reiberg.

Não precisa ser para sempre, mas precisa ser até o fim!

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/12/2014 by Joe

Não precisa ser para sempre

“Para sempre”, em minha opinião, é nada mais, nada menos que um dia depois do outro. Ou seja, é construção. Em princípio, não existe. Mas basta que façamos a mesma escolha sucessivamente e teremos construído o “para sempre”.

O que quero dizer é que o “sempre” não é magia, nem tampouco um tempo que pré-exista. Ele é consequência. Nada mais que consequência de uma sucessão de dias, vividos minuto por minuto.

Quanto ao amor, tem gente que acredita que só é de verdade se durar “até que a morte os separe”. Outras, como o grande Vinícius de Moraes poetizou, apostam no “que seja eterno enquanto dure”.

Eu, neste caso, admiro a coragem de quem vai até o fim, de quem se entrega inteiramente ao que sente, de quem se permite viver aquilo que seu coração pede até que todas as chamas se apaguem. Mais do que isso: até que as brasas esfriem e – depois de todas as tentativas – nada mais possa ser resgatado do fogo que um dia ardeu.

Claro que não estou defendendo a constância indefinida de atitudes desequilibradas, exageros desnecessários ou situações destrutivas. Mas concordo plenamente com o que está escrito no comovente “Quase”, de Sarah Westphal (muitas vezes atribuído a Luiz Fernando Veríssimo):

… “Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance, cujo fim é instantâneo ou indolor, não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar” …

Porque de corações partidos por causa de um amor vivido pela metade, as ruas estão cheias. Assim como de almas que perambulam feito pontos-de-interrogação, a se questionar o que mais poderiam ter feito para que o outro também estivesse presente, para que não fugisse tão furtivamente, tão covardemente, tão sordidamente.

É por isso que insisto: muito mais do que nos preocuparmos com o ‘para sempre’, precisamos começar a investir no “até o fim”, para que o “agora” tenha mais significado, para que as intenções, as palavras, as atitudes e todos os recomeços façam parte de uma história mais sólida, menos prostituída, que realmente valha a pena.

Então, questione-se: o coração ainda acelera quando o outro se aproxima? O peito ainda dói de saudade? O desejo ainda grita, perturbando o silêncio da noite? Não chegou ao fim! Não acabou.

Sei que, em alguns casos, motivos de força maior impedem um amor de ser vivido (e daí a separação pode ser sinal de maturidade), mas na maioria das vezes o que afasta dois corações é muito mais intolerância, ilusões ou autodefesas tolas do que algo que realmente justifique o lamentável desfecho.

O outro não quer? Desistiu? Acovardou-se? Ok! Por mais incoerente que pareça, é um direito dele. Esteja certo de que você fez o que estava ao seu alcance e depois… bem, depois recolha-se e pondere: “pros amores impossíveis, tempo”.

Tempo em que você terminará descobrindo que a vida tem seu jeito misterioso de fazer o amor acontecer, mas que – no final das contas – feliz mesmo é quem, apesar de tudo, tem coragem de ir até o fim!

By Rosana Braga.

A vida é agora!

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/03/2014 by Joe

O tempo

Dizem que a vida é curta, mas não é verdade. A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades. E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança traquina, brincando de esconde-esconde.

Infelizmente, às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando e dando muito valor aos nãos: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, o beijo que não roubamos, a festa à qual não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos, o abraço que não demos, o “eu te amo” que não falamos…

A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador, quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria. E como ela é feita de instantes, não pode e nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.

Esta mensagem é um tributo ao tempo. Tanto aquele tempo que você soube aproveitar no passado, quanto aquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro.

Porque a vida é agora…

Viva!!!

Desconheço a autoria.

O permanente e o provisório

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/01/2014 by Joe

Permanente e provisório

O casamento é permanente, o namoro é provisório.
O amor é permanente, a paixão é provisória.
Uma profissão é permanente, um emprego é provisório.
Um endereço é permanente, uma estada é provisória.
A arte é permanente, a tendência é provisória.

De acordo? Nem eu.

Um casamento que dura 20 anos é provisório. Não somos repetições de nós mesmos; a cada instante somos surpreendidos por novos pensamentos que nos chegam através da leitura, do cinema, da meditação. O que eu fui ontem, anteontem, já é memória. Escada vencida degrau por degrau, mas o que eu sou neste momento é o que conta, minhas decisões valem pra agora, hoje é o meu dia, nenhum outro.

Amor permanente… como a gente se agarra a esta ilusão! Pois se nem o amor pela gente mesmo resiste tanto tempo sem umas reavaliações… Por isso nos transformamos, temos sede de aprender, de nos melhorar, de deixar para trás nossos imensuráveis erros, nossos achaques, nossos preconceitos, tudo o que fizemos achando que era certo e hoje condenamos.

O amor se infiltra dentro de nós, mas seguem todos em movimento: você, o amor da sua vida e o que vocês sentem. Tudo pulsando independentemente, e passíveis de se desgarrar um do outro.

Um endereço não é pra sempre, uma profissão pode ser jogada pela janela, a amizade é fortíssima até encontrar uma desilusão ainda mais forte, a arte passa por ciclos, e se tudo isso é soberano e tem valor supremo, é porque hoje acreditamos nisso, hoje somos superiores ao passado e ao futuro, agora é que nossa crença se estabiliza, a necessidade se manifesta, a vontade se impõe – até que o tempo vire.

Faço menos planos e cultivo menos recordações. Não guardo muitos papéis, nem adianto muito o serviço. Movimento-me num espaço cujo tamanho me serve, alcanço seus limites com as mãos, é nele que me instalo e vivo com a integridade possível. Canso menos, me divirto mais, e não perco a fé por constatar o óbvio: tudo é provisório, inclusive nós.

By Martha Medeiros.

Plantar e colher

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/10/2013 by Joe

Plantar e colher

Construir um futuro brilhante e harmonioso depende muito das ações determinadas no presente, no hoje e no agora.

O presente é como um grande espelho da vida: tudo o que você constrói se reflete em gênero, grau e intensidade no seu futuro.

É por isso que muitas vezes não entendemos como certas coisas inesperadas surgem em nossa frente. E é nessas horas que aparece aquela famosa pergunta:

– “Por que isto só acontece comigo?”

Você já parou, alguma vez, para observar uma gota d’água? Sim, uma pequena gota d’água se equilibrando na ponta de um frágil raminho… Creio que ainda não, mas o faça daqui por diante.

Com graciosidade, a gotícula desafia a lei da gravidade, balança-se nas bordas das folhas ou nas pétalas de uma flor.

O que é uma gota d’água perto de um oceano? Nada, mas sem ela o oceano seria menor. Um aperto de mão, em meio à correria do dia-a-dia? Um minuto de atenção a alguém que precisa de ouvidos atentos, para que não caia nas malhas do desespero? A tolerância com quem perdeu o equilíbrio? Um olhar de ternura para quem pena na amargura…

Tenha certeza que coisas grandiosas são compostas de minúsculas partículas. Sem a sua quota de honestidade, o oceano da nobreza seria menor. Sem as gotas de sua sinceridade, o mar das virtudes seria menor. Sem sua caridade, o universo do amor fraternal seria bem menor. Jamais acredite naqueles que desconhecem a importância de um pequeno tijolo na construção de um edifício.

Não esqueça dessas pequenas e frágeis gotas d’água que, com insistência e perseverança, conseguem esculpir a mais sólida rocha.

Plantar bem no presente é colher bem no futuro!

Um adágio popular ilustra bem a tese: “Quem planta vento colhe tempestade”.

Pense bem nisso e uma boa viagem ao seu futuro!

Desconheço a autoria.

Nada pode impedir você de ser feliz

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 12/08/2013 by Joe

Seja feliz

Se a felicidade já foi possível para você um dia, então, ser feliz agora também o é. Se a felicidade vai ser possível no futuro, também é possível ser feliz agora.

Seja feliz com a pessoa que você é hoje. Não, você ainda não é quem gostaria de ser. Mesmo assim, você tem todas as chances de se tornar a pessoa que quer ser. Você gostaria de perder a aventura de alcançar todo seu potencial? Claro que não! Seja feliz por ter ainda muito a conquistar, pois é nesse processo que se experimenta a riqueza da vida.

Se você ainda não tem certeza de qual caminho sua vida deve seguir, fique feliz por ter tantas possibilidades e divirta-se explorando-as. Se você está cheio de problemas e responsabilidades, fique feliz por ter a possibilidade de fazer diferente e fortaleça-se ultrapassando os obstáculos.

Nada pode impedir você de ser feliz. Ninguém pode afastar você da felicidade a não ser você mesmo.

Seja feliz agora mesmo, porque você tem todos os motivos para isso.

Desconheço a autoria.

Relacionamentos amorosos se conjugam no presente

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/04/2013 by Joe

Relacionamentos no presente

A vida acontece no momento presente. É aqui e agora que encontramos as oportunidades para sermos felizes!

Esse momento mágico, insubstituível, está ao nosso alcance e se oferece em toda a sua plenitude, a fim de que possamos mergulhar inteiramente.

O presente é o resultado de tudo o que se viveu, o único terreno onde é possível plantar as sementes do futuro que se deseja. Sejamos, pois, agradecidos ao presente do tempo.

Colocar o foco da própria vida no passado é escolher manter-se preso ao que já não existe e ficar apegado ao que passou.

Da mesma forma, querer antecipar o futuro e preocupar-se com ele, é desperdiçar as chances de construí-lo, vivendo, intensamente, cada momento.

O passado aprisiona e o futuro é fantasia.

Muitas pessoas perdem a chance de estabelecer relacionamentos gratificantes, apenas porque se mantém presas ao passado. Valorizam a pessoa que já foi embora de sua vida, o relacionamento que, por alguma razão, não deu certo.

Ao fazerem isso, deixam de perceber a pessoa que está ali, pronta para ser conhecida, para amar e ser amada. Quando essa pessoa cansa e vai embora, repetem o padrão e passam a valorizá-la.

Esse é um modo de viver o que já foi, o que não existe mais. O resultado é o desperdício da energia vital que se perde em medos imaginários.

Há quem esteja recriando o passado em cada nova oportunidade de se relacionar. São aquelas pessoas que sentem necessidade de contar o quanto sofreram, os traumas e desencontros que tiveram. Sem perceber, continuam aprisionadas ao lixo emocional do que não funcionou e que já não existe. Quando o novo parceiro se afasta, sentem-se injustiçados pelo destino.

Mas… quem tem prazer em ficar ao lado de alguém que cultiva um fardo de aflições passadas? É preciso libertar-se para viver o agora. Aprender a se perdoar, e a perdoar o outro é a essência da libertação, pois o ressentimento é uma camisa de ferro que tortura.

Não podemos perder de vista que somos responsáveis pelos sentimentos que abrigamos em nosso interior. Na vida a dois, o ressentimento é tão real quanto o veneno que corrói. Rouba o oxigênio do amor e da confiança. A relação amorosa só tem lugar no presente.

“Cultivar ressentimentos é o mesmo que tomar veneno e esperar que o outro morra”.

É aqui e agora que se encontra a possibilidade de dizer aquela palavra de carinho, de força, de incentivo, o gesto de solidariedade, de compreensão, de companheirismo.

Deixar o passado ir embora e seguir com a vida, é adquirir o passaporte que conduz à felicidade.

Conscientes de que, ao viver no presente, conquistamos o talismã que nos permitirá, a cada instante, cultivar o amor em nossos relacionamentos.

By Jael Coaracy.

%d blogueiros gostam disto: