Arquivo para janeiro, 2014

Viver tem que ser perturbador!

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/01/2014 by Joe

Seja ousado

Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos, um livro mais ou menos.

Tudo perda de tempo!

Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados e, com eles, sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo.

O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.

By Martha Medeiros.

Trapezistas

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/01/2014 by Joe

Trapezista

Como é belo sermos trapezistas nesse circo em que nossa vida se transforma!

Às vezes estamos na corda bamba, às vezes fazemos papel de palhaços, às vezes rimos dos palhaços que nem sabem que são, outras vezes rimos de nós mesmos, e ainda muitas vezes enfrentamos feras no picadeiro…

Mas vivemos sempre lá em cima, trapezistas da nossa própria existência, bailarinos da nossa própria esperança. Muitas vezes tiramos até as redes de proteção para que o risco seja maior que o riso, para que nossos saltos sejam mais emocionantes e mais altos, para que a aventura seja ainda mais perfeita e mais profunda.

E, se um dia voarmos de encontro ao chão, isso não terá nenhuma importância maior, porque também viveremos a emoção da própria queda.

Quem cai por amor à vida, cai sempre para cima!

By Edson Marques.

Simplificando a vida

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/01/2014 by Joe

Simplificar a vida

De repente, tudo vai ficando tão simples que assusta!

A gente vai perdendo as necessidades, vai reduzindo a bagagem. As opiniões dos outros são realmente dos outros e, mesmo que sejam sobre nós, não têm importância.

Vamos abrindo mão das certezas, pois já não temos certeza de nada. E isso não faz a menor falta.

Paramos de julgar, pois já não existe certo ou errado e, sim, a vida que cada um escolheu experimentar.

Por fim, entendemos que tudo que importa é ter paz e sossego, é viver sem medo, é fazer o que alegra o coração naquele momento… e só.

Desconheço a autoria.

Um bom dia para abrir as gaiolas

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/01/2014 by Joe

Deixar ir

Às vezes, dar adeus é a maneira mais sábia de se encontrar. Dar adeus a tudo que te desperta sentimentos, pensamentos ou atitudes pequenas, mesquinhas, deixe que vá.

Mesmo que doa, mesmo que à primeira vista pareça superficial e até ingrato. Deixe que vá.

Traz junto de ti unicamente o que podes suportar, o que não obscurece teu olhar e nem limita teu voo.

Persistir no arrastar de correntes é uma prova de desamor próprio. É peso desnecessário, não deve ser nem levado e nem compartilhado.

By Gi Stadnicki.

Para refletir

Posted in Reflexão with tags , , , , , , on 20/01/2014 by Joe

Corra riscos

“Corra riscos, seja um jogador! O que você pode perder?”

Viemos com as mãos vazias, iremos com mãos vazias.

Esta é uma pequena vida, dada a você como uma escola. Treine-se para todos os prazeres.

By Roberto Shinyashiki.

Tempos de violência

Posted in Atualidade, Reflexão, Videos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/01/2014 by Joe

Tempos de violência

Estamos vivendo tempos de muita violência, de pouco amor e respeito ao próximo. E, principalmente, de poucos exemplos também.

Ver noticiário na televisão hoje em dia é submeter-se a uma verdadeira lavagem cerebral onde somos anestesiados pela violência, pouco a pouco, diariamente, e vamos nos acostumando com as barbáries que só víamos em filmes policiais. Hoje elas estão bem aqui do lado de fora de nossas portas.

E, não bastasse a realidade, ainda somos bombardeados constantemente por filmes, jogos, novelas, onde o que vale é matar, roubar, trair, levar vantagem em tudo, etc. Ótimos exemplos de que a vida não vale mais nada!

Crimes hediondos, assassinatos a sangue frio, pais e mãe matando filhos, filhos matando avós, bebês abandonados, estupros, racismo, homofobia, violência doméstica contra a mulher e a criança, tráfico de drogas e seres humanos, vandalismo, violência desmesurada em estádios de futebol, roubos, assaltos, acidentes nas estradas e ruas das cidades causados pelo excesso de bebidas e drogas, corrupção ativa e passiva, crimes políticos… a lista é enorme!

Valores que mudaram de rumo, falta deles, exemplos que deveriam vir da família, a falta dela, falta de amor e de respeito pelo próximo, por si próprio…

A pergunta que faço é: em que ponto da escalada da humanidade nos desviamos da verdadeira evolução? Em que momento se deu o u-turning?

Outro dia vi um desenho onde um filhotinho de macaco perguntava a seu pai:

– “Papai, o que são humanos?”

E o pai, com um olhar triste, respondeu:

– “São macacos sem rabos que pensam que são donos de tudo que existe na floresta. Constroem cavernas de pedras que quase chegam ao céu. Seus egos, sua ambição, não têm limites… Tomam mais terra do que precisam para viver, destroem as florestas, sujam os mares, poluem o ar…”

À medida que ia explicando, seu filhote ia ficando aterrorizado. E o pai continuava:

– “Humanos escravizam humanos e deixam parte da manada morrer de fome para que poucos tenham muito e sejam ricos. Constroem máquinas para matar humanos. Um dia, meu filho, os humanos se exterminarão… eles são macacos loucos…”

O filhote, olhar perdido e triste, olhou para o pai e disse:

– “Pai… não me deixe jamais ser humano, por favor!”

Talvez o ponto da virada tenha sido aí, quando os macacos começaram a evoluir para algo pior que a sua própria espécie. Talvez a fórmula tenha dado errado. Talvez o mundo teria sido bem melhor só com os macacos…

São muitos “talvez” que não nos respondem o que queremos saber: tem volta?

Eu, particularmente, acho que tem volta, sim, mas não sem antes passarmos por uma terrível peneira que irá separar o joio do trigo. E essa peneira será longa, terrível, violenta e levará ao quase extermínio dessa raça de macacos que não deu certo!

Um dia, num futuro longínquo, talvez um filho de ser humano, talvez conhecido por um outro nome qualquer, irá perguntar a seu pai:

– “Papai, o que são humanos?”

A resposta só o tempo dirá….

O vídeo abaixo é uma produção mexicana e foi veiculado nas TVs daquele país como uma forma de alerta para o que as crianças estão fazendo, seus comportamentos e atitudes, muito parecidos aos de adultos.

Serve também para percebermos que o que está realmente faltando… são bons exemplos!

By Joemir Rosa.

Gelatina de cerejas com maria-mole

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/01/2014 by Joe

Gelatina de cerejas e maria-mole

Por diversas vezes eu postei receitas de mousses e outras sobremesas onde coloquei informações sobre o quão importante e saudável é o consumo da gelatina! Ela deveria estar presente na nossa dieta praticamente todos os dias.

Então, acredito não ser preciso repetir aqui tudo que já foi postado anteriormente. Quem não leu, pode procurar pelo Busca aqui do lado e ver todas as vantagens do consumo desse alimento.

Aproveitando que o verão está em alta em todo o país, com temperaturas absurdas, recomenda-se a ingestão de bastante líquidos, o consumo de frutas, legumes e verduras e alimentos com pouca gordura e açúcar.

Desta forma, a gelatina pode ser uma ótima opção para quem quer manter o corpo em forma e ter uma alimentação leve e saudável.

Aproveitando que a época é de cerejas ainda., trazemos a receita de uma sobremesa deliciosa, fácil e rapidíssima de preparar. Com gelatina, claro!

Gelatina de cerejas com maria-mole

Ingredientes

Gelatina

2 embalagens de gelatina sabor cereja

Pudim

1 caixa de pó para maria mole
1 xícara (chá) de água quente
4 colheres (sopa) de água
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
50 gramas de cerejas picadas
50 gramas de coco ralado fino

Modo de preparo

Dissolva a gelatina conforme as instruções da embalagem. Coloque em taças individuais e leve-as à geladeira até começar a endurecer. A consistência é semelhante à de clara de ovo.

Bata, no liquidificador, o pó para maria-mole com a água quente, por aproximadamente 5 minutos, até espumar. Adicione o leite condensado, o creme de leite e misture bem. Finalmente, acrescente as cerejas picadas, misture e despeje sobre a gelatina. Polvilhe o coco ralado e enfeite com uma cereja. Leve para gelar por 6 horas.

Retire da geladeira apenas na hora de servir.

Você pode substituir as cerejas por outras frutas e até por pêssegos em calda.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: