Bolinhos de chuva

Bolinhos de chuva

A receita original do bolinho, lá pelo final do século XVIII, levava mandioca ou cará em sua composição. O trigo era um pouco caro, pois vinham de Portugal e raras eram as receitas com a “farinha do Reino”.

Em compensação, o bolinho era feito com muitos ovos, açúcar, leite e frito em gordura de porco. Recebia nomes um tanto curiosos, como “Quero Mais”, “Quero Quero”, “Desmamados”, entre outros.

Ele nunca teve a pretensão de ser doce de Sinhá, nem ter a delicadeza dos complicados pontos de caldas, das massas moldadas durante horas por mãos finas e delicadas. Sua vocação sempre foi o sabor e o encanto dos olhos das crianças, que ansiavam pela hora em que eles saíam dos tachos dos fogões de lenha, quando eram generosamente polvilhados com açúcar e canela perfumada.

Descontraídos, afetivos, leves, por muito tempo foram a comida do entrudo, do carnaval de então. Eram chamados de “Filós de Carnaval”, assim, com sotaque português. Levavam o sabor de mãos escravas e, talvez por isso, alguma sinhazinha ciumenta tenha lhes apelidado de Bolinhos de Negra.

Muitas escravas saíram do anonimato para ligar seus nomes a essa receita, homenagem que atravessou os séculos: ainda se encontram cadernos de receitas onde ele é chamado de “Bolinhos da Negra Ambrósia” ou da “Negra Marcionila”. Porém, a mais famosa entre as autoras do bolinho foi, sem dúvida, criada por Monteiro Lobato. Não há episódio entre as histórias do Sítio do Picapau Amarelo que não termine com Narizinho, Emília e Pedrinho comendo os “Bolinhos de Tia Nastácia”. Lembra infância.

Porque bolinho de chuva? Alguém, em alguma tarde de chuva já no século XX, disse que os bolinhos traziam a alegria às horas em que não se podia correr ou brincar nos quintais por causa do tempo chuvoso. Daí o novo nome que pegou e perdura até hoje!

Como sempre, versões da receita existem várias. Basta uma rápida pesquisa na própria internet ou nos cadernos de receitas de nossas avós e tias para descobrirmos algum detalhe diferente ou um ingrediente diferente.

Optei pela receita mais básica que conheço, praticada pela minha família há anos. Espero que gostem!

Bolinhos de chuva

Ingredientes

3 xícaras de farinha de trigo
2 ovos
1 xícara de leite
1 xícara de açúcar
1 pitada de sal
3 colheres (chá) de fermento em pó químico
óleo para fritar
açúcar e canela para polvilhar

Modo de preparo

Misture a farinha, os ovos, o leite, açúcar, sal e fermento. Misture bem e vá batendo a massa até que fique bem lisa e homogênea.

Aqueça o óleo em uma frigideira funda e vá colocando a massa às colheradas. Antes de colocar a colher na massa, molhe-a no óleo para que ela escorregue mais fácil para a frigideira. Faça bolinhos pequenos para que não fiquem crus por dentro.

Misture o açúcar e a canela em pó e passe por uma peneira fina. Depois de fritos os bolinhos, polvilhe-os nessa mistura de açúcar e canela. Sirva em seguida, ainda quentinhos.

By Joemir Rosa.

Anúncios

Uma resposta to “Bolinhos de chuva”

  1. Bom dia Joemir, adorei o artigo. Voce pode me informar qual a fonte das informaçoes historicas sobre o bolinho de chuva?
    Muito agradecida

    Curtir

O que achou do post acima? Deixe seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: