Arquivo para maio, 2013

Dez dicas para o dia a dia

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/05/2013 by Joe

Dicas para o dia a dia

1. Tenha sempre por perto algum objeto que o faça lembrar de alguma conquista importante;

2. Busque sempre o lado positivo das coisas. Isto atrai coisas ainda melhores;

3. Compartilhe ideias e opiniões, respeitando a posição dos outros, mas sem abrir mão de seus ideais;

4. Trabalhe com bom humor; isso integra as equipes e traz harmonia ao ambiente profissional;

5. Pergunte sempre, seja curioso. Esta é a maneira de se conhecer melhor e de demonstrar interesse pelas pessoas;

6. Instaure o seu happy-day. Regularmente, reserve um dia só para você fazer tudo o que mais gosta;

7. Seja solidário, pratique boas ações diariamente;

8. Enfim, desafie-se! Faça tudo diferente, pelo menos um dia por mês.

9. Use o bom senso, escute o coração e dispense a lógica sem culpas ou medos.

10. Simplesmente, seja feliz!

By Leila Navarro, agenda Atitude 2006.

Persistência X Mudanças

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/05/2013 by Joe

Moscas

Parte 1

Contam que, certa vez, duas moscas caíram num copo de leite. A primeira era forte e valente; assim, logo ao cair, nadou até a borda do copo, mas como a superfície era muito lisa e ela tinha suas asas molhadas, não conseguiu sair. Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de nadar, de se debater e afundou.

Sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte, era tenaz, continuou a se debater, a se debater e a se debater por tanto tempo que, aos poucos, o leite ao seu redor, com toda aquela agitação, foi se transformando e formou um pequeno nódulo de manteiga, onde a mosca conseguiu, com muito esforço, subir e dali levantar voo para um lugar seguro.

Durante anos, ouvi esta primeira parte da história como um elogio à persistência que, sem dúvida, é um hábito que nos leva ao sucesso.

No entanto…

Parte 2

Tempos depois a mosca, por descuido ou acidente, novamente caiu num copo. Como já havia aprendido em sua experiência anterior, começou a se debater, na esperança de que, no devido tempo, se salvaria. Outra mosca, passando por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na beira do copo e gritou:

“Tem um canudo ali, nade até lá e suba pelo canudo”.

A mosca tenaz não lhe deu ouvidos e, baseando-se na sua experiência anterior de sucesso, continuou a se debater e a se debater até que, exausta, afundou no copo cheio … de água.

Quantos de nós, baseados em experiências anteriores, deixamos de notar as mudanças no ambiente e ficamos nos esforçando para alcançar os resultados esperados até que afundamos na nossa própria falta de visão? Fazemos isto quando não conseguimos ouvir aquilo que, quem está de fora da situação, nos aponta como solução mais eficaz. Assim, perdemos a oportunidade de “reenquadrar” nossa experiência. Ficamos paralisados, presos aos velhos hábitos, com medo de errar.

“Reenquadrar” é uma das ferramentas que temos a oportunidade de usar no apoio ao nosso aprendizado e crescimento. As pessoas já perceberam que nem sempre pais, esposos, amigos, familiares, ou mesmo o conselheiro espiritual, podem mostrar-lhes a visão isenta do ambiente ou da situação que estão vivendo.

“Reenquadrar” é permitir-se olhar a situação atual como se ela fosse inteiramente diferente de tudo que já vivemos.

“Reenquadrar” é buscar ver através de novos ângulos, de forma a perceber que, fracasso ou sucesso, tudo pode ser encarado como aprendizagem.

Desta forma, todo o medo se extingue e toda experiência é como uma nova porta que pode nos levar à motivação de continuar buscando o que queremos, à autoestima que nos sustenta.

Este artigo é dedicado a todos nós que queremos vencer!

Desconheço a autoria.

Os iguais se atraem

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/05/2013 by Joe

Iguais se atraem

Uma das grandes estratégias para o sucesso é agir como se você já estivesse onde quer estar. Isso significa pensar, falar, vestir-se e comportar-se como alguém que já alcançou a sua meta.

Agindo assim você envia comandos poderosos para o subconsciente e ele trata de encontrar caminhos criativos para ser bem-sucedido em sua missão.

A primeira vez que percebi esse fenômeno foi no banco onde eu trabalhava. Entre todos os funcionários, notei que um deles usava terno e gravata, enquanto o restante usava apenas camisa e gravata. Um ano mais tarde ele foi promovido. Dois anos depois passou a ser responsável pela seção de empréstimos e logo se tornou gerente de filial.

Nesse dia conversei com ele a respeito de sua carreira e ele me disse que sempre soube que seria gerente. Tinha estudado a maneira como os gerentes se vestiam e como tratavam as pessoas, passou a se vestir e se comportar da mesma forma. Ou seja, passou a agir como se fosse gerente de filial muito antes de se tornar um deles.

Quando decidi investir em uma carreira de conferencista internacional, no final dos anos 1970, tratei de deixar meu passaporte atualizado, comprei um relógio que mostrava o horário de todas as zonas em que o mundo está dividido, mandei fazer cartões de visita como consultor internacional e, finalmente, decidi que a Austrália seria o primeiro lugar no mundo que gostaria de visitar.

Colei na porta da geladeira um pôster da Ópera de Sidney e de um sinal de transito mostrando a passagem de cangurus; todas as manhãs, eu tomava o café olhando para o pôster e me imaginava na Austrália. Em menos de um ano fui convidado para coordenar seminários em Sidney e em Brisbane. Ou seja, o universo conspirou a meu favor – a poderosa lei da atração em ação.

A lei da atração diz que os iguais se atraem. Quanto mais você vibrar – mental e emocionalmente – por algo, ou por alguém, mais rápido você atrai o que deseja.

Desconheço a autoria.

Aja como se fosse impossível fracassar

Posted in Inspiração with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/05/2013 by Joe

Sucesso

Não tenha medo daquilo que você desconhece. A melhor hora para você entrar no desconhecido é qualquer hora. Compreenda que o medo faz com que você se acomode diante da vida, mas o medo não será vencido apenas se você pensar positivamente.

Não! Você precisa agir!

A ação te ajudará a ter menos ansiedade e mais confiança em si mesmo. Toda prova pode ser desafiadora, mas possível. Não é fácil vencer o medo, mas é possível. O medo pode ter a capacidade de te fazer recuar, de manter teu talento reprimido e de fazer com que você não alcance a plenitude da vida.

Se você já se sentiu ameaçado demais pelo fracasso na busca de algo que tanto quer… Apreensivo demais para dividir seus sentimentos… Confortável demais para aproveitar uma chance de tornar sua vida melhor… Intimidado demais para se defender quando humilhado por alguém… Com medo demais de não ser amado novamente para por fim a um relacionamento ruim… Nervoso demais com a idéia de se ferir para arriscar confiar em alguém… Sem confiança suficiente para se aventurar em novos projetos porque acha que o desafio é demais para você…

Não tente encobrir o teu medo… enfrente-o! E aja como se fosse impossível fracassar, pois assim você terá mais chance de chegar ao sucesso!

Desconheço a autoria.

Listando seus objetivos

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , on 20/05/2013 by Joe

Listando objetivos

Todos nós gravitamos em direção àquilo que pensamos com mais frequência. Se você tem alguns objetivos definidos em mente, seus pensamentos o ajudarão a alcançá-los conforme você tiver de lidar cada vez mais com eles.

Se você não tiver objetivos, seus pensamentos o levarão em direção àquilo que você pensa com mais frequência. Sua mente tomará seus pensamentos predominantes e o impelirá naquela direção, deduzindo que seus pensamentos predominantes são seus objetivos.

Você pode observar: todos os palestrantes motivadores têm uma coisa em comum: sugerem, instruem, insistem e imploram para que você escreva seus objetivos. Que você faça isso como faz a lista de compras do supermercado ou quando está preparando uma festa.

Nessas listas você coloca tudo o que precisa e deseja – escreve e revisa item por item para ter certeza de que terá tudo o que deseja. O mais estranho, porém, é que, embora as pessoas saibam que usar listas funciona, apenas três por cento delas as utilizam para por a vida em ordem. Para o evento mais importante de todos – a própria vida – elas seguem em frente às cegas, nunca fazendo uma lista daquilo que querem e se perguntando a todo tempo porque nunca conseguem ter o que desejam!

Tá certo que a elaboração de uma lista não é a única coisa que precisamos fazer para nos organizar, mas pelo menos é algo que nos fornece um método e uma estrutura para alcançarmos aquilo que desejamos na vida.

Ainda assim, a maioria das pessoas passa mais tempo planejando listas de supermercado e festas de aniversário do que a própria vida. As listas funcionam! Funcionam para as compras e funcionam para a vida!

Em poucas palavras: os objetivos são os veículos por meio dos quais podemos vir a ser algo além daquilo que já somos. Nós precisamos de objetivos, não pelo que eles podem nos trazer, mas pelo que eles podem nos fazer.

E você? Já tem sua lista?

Desconheço a autoria.

Sobrevivendo às mudanças

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/05/2013 by Joe

Mentes sem fronteiras

Já é consenso que a modernidade, a globalização e a tecnologia acarretam necessárias e constantes mudanças, com velocidade antes desconhecida.

Talentos surgem e desaparecem, a tecnologia de ponta torna-se obsoleta em poucos dias e as relações já não são mais as mesmas. Sabemos disso, é fato. E até buscamos acompanhar, entender e absorver. Mas, quando estas mudanças estão relacionadas com aspectos pessoais de nossas vidas, parece ser mais difícil aceitá-las com tanta “naturalidade”.

Abrir mão de uma zona de conforto, que já conhecemos tão bem e dominamos este “terreno”, provoca insegurança, nos faz sentir medo e confusão. Nestes momentos, identificar o que está sendo mudado, buscar compreender “a novidade” que chega, e identificar nossa nova posição neste contexto, pode fazer com que sintamos o “chão mais firme”. Assim, impedimos que fantasias com monstros e com príncipes tomem o espaço do que realmente existe.

Muitas vezes, tendemos a supervalorizar aquilo que está findando, não recordando que havia falhas, erros ou insatisfação, seja no emprego que estamos deixando ou uma relação amorosa que acabou. Nos apegamos ao que era bom, somente ao que era bom.

Mudar significa desejar, acreditar e buscar o melhor. Corrigir erros do passado pode ser impossível, mas não cometê-los novamente é um desafio presente na mudança.

Olhe para a possibilidade de mudar como uma nova oportunidade, e com grandes chances de acertos. Pois a cada mudança que você viveu, tornou-se mais experiente.

Então, viva esta mudança!

Desconheço a autoria.

Pimentões gratinados

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , on 18/05/2013 by Joe

Pimentões gratinados 1

Quando se fala de pimentão, a polêmica é certa. Alguns adoram seu sabor proeminente, que sempre se sobressai em um prato. Outros não podem nem sentir o cheiro.

O fato é que as variedades de pimentões são usadas e apreciadas em todo o mundo, por seu sabor semelhante ao das pimentas, mas sem a ardência delas.

A história dos pimentões se confunde, de fato, com a das pimentas, já que fazem parte do mesmo gênero, chamado capsicum. E a sua história também é polêmica: alguns dizem que eles se originaram na América do Sul, onde foram encontradas sementes da planta de 7 mil anos atrás. Outros dizem que ele veio do sul do México e da América Central.

Espanhóis e portugueses se incumbiram de levá-los para o continente europeu e para outras partes da América. E, por ser um vegetal versátil e adaptável a diversos climas, o cultivo se expandiu rapidamente em todo o planeta.

O pimentão também se adaptou bem a diversas cozinhas: é bastante usado na culinária brasileira e portuguesa, na italiana e na mexicana. Na Europa, ele é seco para dar origem à páprica, um condimento muito usado em cozidos típicos do leste europeu, como o húngaro goulash.

Os maiores produtores de pimentão são a China, Turquia, Romênia e México.

Polêmicas à parte, a receita de hoje é muito saborosa, por aliar o sabor marcante dos pimentões à carne bovina, com o toque do creme de leite e queijo parmesão para gratinar. Vale a pena experimentar!!!

Pimentões gratinados

Ingredientes

3 pimentões vermelhos (ou variados)
500 g de carne moída
2 colheres (sopa) de azeite
1 xícara de arroz cozido
½ cebola picada
2 tomates sem pele e sementes
2 colheres de salsinha picada
1 cubo de caldo de carne
sal a gosto

Para gratinar

2 ovos
½ xícara de creme de leite
½ xícara de parmesão ralado

Modo de preparo

Lave bem e corte os pimentões ao meio, retirando suas sementes e a parte branca. Reserve.

Em uma panela, refogue a cebola e a carne moída no azeite. Em seguida, adicione o arroz, o caldo de carne dissolvido em um pouco de água, a salsa e o tomate. Refogue bem. Recheie os pimentões.

Em um refratário, bata os ovos e acrescente o creme de leite. Com o auxílio de uma colher grande, cubra a carne moída e espalhe o queijo parmesão ralado por cima. Leve ao forno, em fogo alto, para gratinar.

Sirva quente com sua salada preferida.

Sugestão: utilize, na receita, um pimentão verde, um vermelho e um amarelo.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: