Arquivo para maio, 2013

Horizonte

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , on 31/05/2013 by Joe

Horizonte

Certa vez, um aluno chegou à casa de um grande sábio e pediu para falar com ele. Segundo o seu ponto de vista, havia uma coisa na criação do mundo que não tinha nenhum sentido.

O sábio o atendeu de imediato, curioso por saber qual era a falha que havia na criação.

– “Mestre, a criação do mundo é muito bonita, muito funcional, cada coisa tem sua razão de ser, mas, no meu ponto de vista, tem uma coisa que não serve para nada.”

– “E que coisa é essa que não serve para nada?” – perguntou o mestre.

– “É o horizonte. Para que serve o horizonte? Se eu caminho um passo em sua direção, ele se afasta um passo de mim. Se caminho dez passos, ele se afasta outros dez passos. Isto não faz sentido! O horizonte não serve pra nada.”

O mestre sorriu e disse:

– “Mas é justamente para isso que serve o horizonte… para fazê-lo caminhar e nunca desistir de lutar pelo amanhã!”

Desconheço a autoria.

Anúncios

De onde vêm as tuas alegrias?

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 29/05/2013 by Joe

De onde vem as tuas alegrias

Embora a experiência me tenha ensinado que se descobrem homens felizes em maior proporção nos desertos, nos mosteiros e no sacrifício do que entre os sedentários dos oásis férteis ou das ilhas ditas afortunadas, nem por isto cometi a asneira de concluir que a qualidade do alimento se opusesse à natureza da felicidade.

Acontece, simplesmente, que onde os bens são em maior número oferecem-se aos homens mais possibilidades de se enganarem quanto à natureza das suas alegrias: elas, efetivamente, parecem provir das coisas, quando eles as recebem do sentido, que estas coisas assumem em tal império ou em tal morada ou em tal propriedade.

Para já, pode acontecer que eles, na abastança, se enganem com maior facilidade e façam circular mais vezes riquezas vãs.

Como os homens do deserto ou do mosteiro não possuem nada, sabem muito bem donde lhes vêm as alegrias, e é-lhes assim mais fácil salvar a própria fonte do seu fervor.

By Antoine de Saint-Exupéry.

Voe alto

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/05/2013 by Joe

Voe alto

O sucesso torna-o mais autoconfiante. Além disso, o sucesso dá à luz mais uma vitória. Mesmo o mais pequeno pedaço de sorte pode ser um passo para um grande sucesso. Para atingir seu pico de próprio sucesso, você deve escalar os seguintes passos:

> Ousar tentar e ousar vencer

Se você se deparar com algo desconhecido, você está certo de sentir-se duvidoso. Supere suas hesitações e entre no clima de vitória. Certamente você não vai evitar erros. Mas vai servir como uma boa prática. Você vai aprender com seus erros e da próxima vez você vai agir de forma diferente.

> Transforme a ansiedade em autoconfiança

Pare de se preocupar com o que os outros pensam de você. Transforme a ansiedade em autoconfiança. Pense mais em outras pessoas. Cada pessoa é única e especial.

> Tentar apelar para o seu interesse

Se você conseguir ganhar a sua confiança, você estará mais confiante e sua preocupação vai desaparecer. Tente relaxar. Olhar melhor para as pessoas. Fale sobre coisas interessantes para sua empresa ou para o seu chefe.

> Compartilhe a atenção

Se você for ativa e atrair muita atenção – compartilhe. Você deve dar algo para o povo em torno de você, e não apenas desfrutar da sua própria popularidade. Pense mais nos outros. Uma pessoa autoconfiante deve ser compassivo, mostrar interesse para outras pessoas e ser capaz de prosseguir com as pessoas. O mais difícil é transformar a satisfação das necessidades de outras pessoas como meio de alcançar o seu objetivo.

> Acredite em si mesmo e se valorize

Aprenda a ouvir. Esta é a chave para o desenvolvimento de “bem-sucedido” a sua nova personalidade. Ela irá ajudá-lo a definir uma conexão mais estreita com o seu parceiro.

> Supere restrições e fale livremente

O pensamento acrescenta brilho à conversa. Ação é necessário. Você não pode sentar e esperar até que a chuva de ouro caia em você. Não descanse sobre os louros, mas deve desfrutar da sua posição. Aceite elogios e palavras amáveis com prazer.

> Não critique, elogie

Alguém alcançou sucesso pelo trabalho duro, ou foi apenas sorte – divida com eles o sucesso. Não perca a oportunidade para elogiar alguém. Não tenha inveja. Pessoas como essa te enchem de confiança. Se alguém conseguiu fazer isso, então você também é capaz de lidar com ela. Você terá uma atmosfera otimista e bem-sucedida ao seu redor. E este é um apoio substancial.

Junte-se com as águias e você saberá voar com e como elas!

Desconheço a autoria.

Dúvidas

Posted in Reflexão with tags , , , , , on 27/05/2013 by Joe

Grupos de pessoas

As pessoas podem ser dividas em três grupos:

1. Os que fazem as coisas acontecerem;

2. Os que olham as coisas acontecendo;

3. E os que ficam se perguntando o que foi que aconteceu.

Em qual desses grupos você se enquadra?

Nunca deixe de ter dúvidas: quando elas param de existir é porque você parou em sua caminhada.

By Antoine de Saint-Exupéry (adaptado de um texto).

A Travessia

Posted in Livros with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/05/2013 by Joe

A TravessiaLivro: A Travessia
By William P. Young
Editora Arqueiro

Se você leu e gostou de “A Cabana“, de William P. Young, garanto que esta obra também vai tocar seu coração! Não se trata de uma continuação daquele primeiro, embora siga o mesmo gênero e estilo.

“A Travessia” é uma história sobre as escolhas que fazemos e a maneira imprevisível como elas afetam não só a nossa vida, mas também o coração e o mundo das pessoas à nossa volta. É sobre sermos convidados pelas circunstâncias a examinar quem somos e, talvez, a abraçar as escolhas que fizemos e suas consequências – em vez de fugir delas.

O extraordinário se esconde nas coisas mais simples, mas a maioria das pessoas está ocupada demais perseguindo ou alcançando o sucesso, sem se preocupar com o alto preço que terá de pagar, sacrificando os relacionamentos e aquilo que realmente importa em nome de ilusões.

Anthony Spencer, um multimilionário egocêntrico, tem um derrame cerebral que o deixa em coma. Quando “acorda”, ele se vê em um mundo surreal habitado por um estranho, que descobre ser Jesus, e por uma idosa que é o Espírito Santo.

À sua frente se descortina uma paisagem que lhe revela toda a mágoa e a tristeza de sua vida terrena. Jamais poderia ter imaginado tamanho horror. Debatendo-se contra um sofrimento emocional insuportável, ele implora por uma segunda chance.

Sua prece é ouvida e ele é enviado de volta à Terra, onde viverá uma experiência de profunda comunhão com uma série de pessoas e terá a oportunidade de reexaminar a própria vida. Nessa jornada, precisará “enxergar” através dos olhos dos outros e conhecer suas visões de mundo, suas esperanças, seus medos e seus desafios.

Na busca de redenção, Tony deverá usar um poder que lhe foi concedido: o de curar uma pessoa. Será que ele terá coragem de fazer a escolha certa?

Como “A Cabana”, espero que “A Travessia” toque o que existe de mais profundo em você, que o incentive a ter conversas sinceras sobre a vida, Deus e o amor. E que consiga curar parte do que este mundo e as circunstâncias possam ter danificado no precioso milagre que é a sua alma. Vamos torcer juntos para que sim (William P. Young).

By Joemir Rosa.

Picanha ao molho de mostarda

Posted in Receitas with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/05/2013 by Joe

Picanha ao molho de mostarda

A picanha é um tipo de corte de carne bovina tipicamente brasileira. A origem do nome “picanha” vem de uma vara comprida utilizada pelos boiadeiros do Rio Grande do Sul e Mato Grosso para tocar o gado. Esta vara, chamada picaña (em espanhol), possuía um ferrão na ponta e servia para picar o gado na parte posterior da sua região lombar.

Com o passar do tempo esta região do animal passou a ser chamada picaña e posteriormente picanha. Recentemente, o aumento da variedade de cortes de carnes suínas originado de ações promovidas pelos suinocultores, fez surgir um novo corte para os apreciadores deste tipo de carne, que recebeu o nome de picanha suína.

Quando assada no espeto, a picanha é temperada com sal grosso, levada ao braseiro até que esteja dourada e servida em lascas cortadas de forma a “descascar” a peça ainda no espeto. Em seguida, retorna ao braseiro para chegar ao ponto de novamente ser cortada e servida.

Algumas pessoas, porém, acreditam que a peça não deve ser perfurada, pois o suco da carne tende a escapar pelo furo feito pelo espeto.

Na grelha, a picanha deve ser cortada em bifes grossos, temperados com sal grosso e dourados em ambos os lados, por, mais ou menos, 5 ou 10 minutos, até que fique com aquela aparência crocante. Em seguida, faz-se novos cortes em cada posta, desta vez na transversal.

Outro modo de preparo é em bifes de aproximadamente 2 cm. Coloca-se sal grosso 10 minutos antes de ir a grelha. Tira-se o excesso de sal e doura-se dos dois lados até o ponto desejado.

A receita de hoje, porém, foge do tradicional modo churrasco de preparar e leva esse delicioso corte ao fogão, temperado com um delicioso molho de mostarda! Ótimo para estes dias frios e chuvosos!

Picanha ao molho de mostarda

Ingredientes

1 kg de picanha
1 cebola grande picada
3/4 de xícara de mostarda marrom de boa qualidade
1/2 xíc. de azeite de oliva
2 colheres (sopa) de alho picado
2 colheres (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de sementes de mostarda
2 colheres (sopa) de salsinha desidratada
1 folha grande de louro esmigalhada
1/2 colher (chá) de cominho
sal a gosto
pimenta-do-reino preta em pó a gosto
1/2 xícara de creme de leite (ou iogurte natural)

Modo de preparo

Corte a picanha em bifes de mais ou menos 2 cm de largura. Misture muito bem todos os ingredientes, exceto o creme de leite. Envolva toda a carne nesse tempero e deixe marinar por pelo menos 1 hora. O ideal é preparar de um dia para o outro e deixar a carne temperada na geladeira. Assim a carne fica mais macia e com mais sabor.

Em uma frigideira antiaderente grande, coloque os bifes junto com a marinada e deixe cozinhar em fogo bem baixo e sem tampa. A carne vai soltar água. Vire os bifes e deixe cozinhar do outro lado.

Quando a carne estiver cozida, aumente o fogo bem para alto doure um pouco os bifes dos dois lados. Neste processo, a cebola vai dar uma fritada também.

Desligue o fogo, junte o creme de leite e misture tudo muito bem.

Sirva com salada verde e/ou arroz.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: