Arquivo para 01/08/2012

O fim da ilusão do tempo

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/08/2012 by Joe

A chave do segredo está em acabar com a ilusão do tempo. O tempo e a mente são inseparáveis. Tire o tempo da mente e ele para, a menos que você escolha utilizá-lo.

Estar identificado com a mente é estar preso ao tempo. É a compulsão para vivermos quase exclusivamente através da memória ou antecipação. Isso cria uma preocupação infinita com o passado e o futuro, e uma relutância em respeitar o momento presente e permitir que ele aconteça. Temos essa compulsão porque o passado nos dá uma identidade e o futuro contém uma promessa de salvação e de realização. Ambos são ilusões. Quanto mais nos concentramos no tempo, no passado e no futuro, mais perdemos o agora, a coisa mais importante que existe.

Por que o agora é a coisa mais importante que existe?

Primeiro porque é a única coisa que existe. É tudo o que existe. O eterno presente é o espaço pelo qual se desenvolve toda a nossa vida, o único fator que permanece constante. A vida é agora. Nunca houve uma época que a vida não fosse agora e nem haverá.

Em segundo lugar, o agora é o único ponto que pode nos conduzir para além das fronteiras limitadas da mente. É o nosso único ponto de acesso para a área atemporal e amorfa do Ser.

Você alguma vez vivenciou, realizou, pensou ou sentiu alguma coisa fora do agora? Acha que conseguirá algum dia? É possível alguma coisa acontecer ou ser fora deste instante? A resposta é óbvia, não é mesmo?

Na vida diária é possível pôr isso em prática dando total atenção a qualquer atividade rotineira, normalmente considerada com um meio para atingir um objetivo, de modo a transformá-la em um fim em si mesma. Por exemplo, toda vez que você subir ou descer escadas em casa ou no trabalho, preste muita atenção a cada passo, a cada movimento, até a sua respiração. Esteja totalmente presente. Ou quando for lavar as mãos, preste muita atenção em todas as sensações provocadas por essa atividade, como o som e o contato com a água, o movimento das suas mãos, o cheiro do sabonete, e assim por diante.

Para medir, sem errar, o seu sucesso nessa prática, verifique o grau de paz dentro de você!

By Eckarth Tolle, trechos do livro “O Poder do Agora”.

%d blogueiros gostam disto: