A vida é um palco

Imagine você sendo um ator ou uma atriz, fazendo o papel de um personagem numa peça. A peça está em cartaz há muito tempo. Você já conhece muito bem os diálogos e como a historia se desenrola.

Todas as noites, a mesma história. Não há mais surpresas. Você sabe muito bem seu papel e dos outros também. Sabe exatamente o que deve falar, quando e o que o outro vai responder e assim por diante…

Tudo previsível,  “perfeito”.

Imagine agora que a peça está perdendo público e logo vai sair de cartaz. Você terá de procurar outra peça para continuar atuando. Aí você recebe um convite para uma nova peça, onde fará um papel bem diferente, totalmente novo.

Você, como um ator responsavel, irá naturalmente estudar o novo personagem. Irá treinar as falas, os gestos, os movimentos. Irá estudar eventualmente o contexto histórico, a cultura, etc.

Talvez faça aulas de dança, de artes marciais, de canto, etc. para dar maior credibilidade à sua atuação. E, assim, você terá maiores chances de se sair bem na nova peça.

Isso parece uma atitude sensata e até óbvia.

Mas na vida real tem muita gente que faz diferente…

A pessoa tem um papel muito bem ensaiado. Está perfeitamente encaixada na “peça”. Faz algo e é criticada por uma pessoa próxima – há muito tempo essa cena se repete.

Mas, em algum momento, sente-se insatisfeita com aquele papel. Quer fazer mudanças. Mudanças significam assumir um novo personagem para poder atuar em uma outra peça.

É de se esperar, então, que ela estude bem esse novo personagem. É também esperado que ela estude o contexto histórico, a cultura, etc. Que aprenda e desenvolva novas habilidades para dar mais credibilidade ao personagem.

No entanto, prefere estudar o passado da personagem antiga, da peça que está saindo de cartaz. Faz isso perguntando: por que aquilo não deu certo? O que levou aquele personagem a ter aqueles sofrimentos? Quem foram os culpados?

E, assim, acaba negligenciando a preparação para o novo papel. Com as mesmas características do papel que representava na peça anterior… Não sendo bem preparada, sua atuação será desastrosa…

Mas esse não seria o papel antigo dela, justamente o que quer abandonar?

Pense bem nisso tudo. Veja como, na maioria das vezes, ficamos presos a um determinado papel, esperando que o teatro mude ao nosso redor.

Será que não é hora de você mudar de papel? Mudar o personagem?

By Mizuji.

2 Respostas to “A vida é um palco”

  1. Muito bacana, é sempre momento de mudarmos os rumos que não estão nos levando a lugar nenhum. Ampliando as nossas opções, sempre teremos mais chances de sermos quem realmente queremos e trilhar caminhos significativos para nós. Adorei, Joemir! Abs.

    Curtir

  2. sueli felix da silva Says:

    MUITO CERTO

    Curtir

O que achou do post acima? Deixe seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: