Arquivo para setembro, 2011

Auto-estima

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/09/2011 by Joe

Podemos dizer, de uma forma bastante sucinta, que auto-estima é o sentimento que nutrimos em relação a nós mesmos, é a imagem que temos de nós, é o que pensamos quando nos olhamos no espelho. Enfim, podemos “medir” a nossa auto-estima de acordo com o quanto nos amamos, nos respeitamos, nos aceitamos e nos valorizamos.

Caso você não saiba, manter em alta estes sentimentos em relação à você mesmo é quesito indispensável para que você consiga atrair, envolver e conquistar uma pessoa. Lembre-se também que estas três artes são independentes e, ao mesmo tempo, totalmente inter-relacionadas uma com a outra. Ou seja, você pode atrair uma pessoa, mas não envolvê-la e nem conquistá-la. Pode também atraí-la, envolvê-la, mas não conquistá-la. No entanto, para conquistá-la, você precisará, obrigatoriamente, atraí-la e envolvê-la!

Temos duas notícias para você: uma boa e outra ruim! A notícia ruim é que existem muitas pessoas que não se amam, nem um pouquinho; que se consideram um peso e não conseguem enxergar em si mesmas nada de especial. Mas o pior é que, uma vez que a pessoa acredita-se assim, ela corre o sério risco de se tornar exatamente assim, ou seja, feia, chata, apática, sem brilho, etc., o que, certamente, só vai reforçar a idéia de que ela tinha razão.

A notícia boa é que todos nós podemos acreditar no que quisermos. E também que podemos mudar de crença no momento em que desejarmos, pois temos todas as ferramentas que necessitamos para transformar a nossa vida. Isto é, se você tem baixa auto-estima e não consegue ver seus pontos positivos, pode decidir mudar, pode escolher, conscientemente, ser uma pessoa diferente, mais atraente e mais interessante.

Num primeiro momento, esta pode parecer uma escolha racional demais e sem nenhum embasamento. E é mesmo! Mas depois, com o tempo, ela passará a fazer parte de você, pode ter certeza disso! Para exemplificar, pense em alguma pessoa famosa que, quando apareceu na mídia pela primeira vez, era feia ou “normalzinha” e, depois de algum tempo, tornou-se linda, bem cuidada, cheia de magnetismo e brilho!

Você pode argumentar: “Claro! Com dinheiro, qualquer um pode ficar maravilhoso!”. E nós lhe responderíamos: “Não conte com isso!”. É verdade que dinheiro ajuda, sim. Mas, definitivamente, o que faz uma pessoa tornar-se mais bonita, mais atraente e mais interessante é o que ela exala, é o seu estilo, o seu jeito de se colocar, de falar, de andar, de se sentir, enfim, é o que a transforma em dona de uma beleza própria.

Todos nós somos conchas e guardamos em nosso interior verdadeiras pérolas, mas as pessoas só enxergarão essas preciosidades se nos abrirmos, se mostrarmos a elas o que temos de especial. Tudo na vida é uma questão de escolha e, definitivamente, só podemos fazer boas escolhas quando conhecemos todas as opções, quando buscamos muitas alternativas e quando estamos dispostos a mudar, a aprender, a crescer e, principalmente, a nos transformar, cada vez mais, em nós mesmos.

Todo este discurso sobre auto-estima foi preparado para que você, como proposto no início, sinta-se capaz de atrair, envolver e conquistar alguém. Realmente, não é possível conquistar uma pessoa sem dar a ela, mesmo que inconscientemente, bons motivos para que ela se deixe conquistar. Afinal, se você perguntar para qualquer pessoa apaixonada, o que a faz sentir-se assim, certamente ela não lhe responderá algo parecido com: “sinto-me apaixonada porque sou normal e os seres normais costumam se apaixonar”.

Não! Mais do que depressa, ela sentirá um enorme prazer em poder enumerar uma série de motivos que fazem com que ela se sinta apaixonada: “Ah! Estou apaixonada porque ele é maravilhoso, bem-humorado, alegre, divertido, sincero, gentil, atencioso, charmoso…” e se você deixar, ela passa uma tarde inteira falando das qualidades desta pessoa por quem se apaixonou!

É importante lembrar que, apesar de parecer demagogia, a beleza física é realmente relativa. Existem muitas pessoas que não se encaixam nos padrões pré estabelecidos de beleza e, ainda assim, são irremediavelmente apaixonantes, imperdíveis! E isso é tão verdadeiro quanto o fato de que existem pessoas belíssimas, conforme os padrões ditados pela sociedade e, apesar disso, são absolutamente sem graça.

Dê uma chance à sua preciosidade. Pense nisso!

By Rosana Braga.

Ingredientes para o amor

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , on 29/09/2011 by Joe

Fiquei com muita vontade de colocar o título deste texto de “Receita de Amor”. Acho que ficaria mais interessante, mas infelizmente não acredito em receitas para o amor e estaria começando com a consciência pesada. Então, resolvi dar apenas os ingredientes. A sua receita é você quem cria!

Há alguns anos, conversando com uma amiga psicóloga (Sandra Macedo) ela me disse que um relacionamento só poderia dar certo se estivesse baseado em três sentimentos. Eu, obviamente, imaginei que o primeiro seria o amor e os outros, nem teriam tanta importância. Qual não foi a minha surpresa quando ela citou os três ingredientes: admiração, respeito e confiança … e o amor ficou de fora!

Passei bastante tempo refletindo se concordava com o que ela havia dito e somente depois de alguns anos compreendi que, na verdade, aquela era a “fórmula” do amor. Ou seja, não é possível sentir e, principalmente, manter-se sentindo amor por uma pessoa caso não a admiremos, não a respeitemos e não confiemos nela!

Mas descobri que cada um de nós, quando usa essa “fórmula”, obtém o seu próprio resultado, dependendo também da combinação entre o que somos e o que o outro é! Isto é, eu posso confiar, admirar e respeitar um homem, mas nem por isso amá-lo como homem. Posso tê-lo apenas como amigo ou irmão.

Mas quando acontece uma alquimia entre a química contida em dois corações, aí sim sentimos o amor pulsar e expandir nossa existência como uma espécie de magia (embora o amor não tenha nada de mágico, mas sim de sublime)!

Na verdade, o que quero dizer é que existem muitas pessoas que acreditam estar vivendo o amor, quando na verdade estão alimentando algum outro tipo de sentimento muito aquém. Sentem-se tristes, desesperadas, perdidas, angustiadas e insistem em justificar todo esse pavor através da palavra “amor”. Sentem-se rejeitadas, desmerecidas e enganadas e, ainda assim, acreditam que amam!

Mas se essas pessoas parassem por um instante, se elas se desprendessem desses sentimentos tão dolorosos e respondessem, sinceramente, três perguntinhas, talvez descobrissem e se espantassem com o fato de que não estão vivendo o amor.

Faça o teste! Pense na pessoa que você acredita que ama. Pense na relação de vocês e responda:

1 – você admira essa pessoa? Admira o jeito dela, o caráter, a personalidade, a maneira como ela encara a vida, as atitudes dela diante dos problemas, diante das alegrias, enfim, você admira a alma dessa pessoa?

2 – você confia nessa pessoa? Você acredita que pode contar com ela, pode confiar no que ela diz? Está certo de que ela faz o possível para cumprir o que promete e está disposta a construir uma relação baseada na sinceridade e na verdade, por mais difícil que seja?

3 – você respeita essa pessoa? Considera o que ela pensa, o que ela sente e está disposta a aceitá-la, por mais diferente que ela possa ser de você? Você realmente consegue dar espaço para que ela seja como é, sem tentar o tempo todo fazer com que ela mude o seu jeito, as suas opiniões e o seu comportamento?

É … talvez você se surpreenda com suas próprias respostas. Talvez você descubra que o que sente não é amor, mas capricho, falta de auto-estima, medo de ficar sozinho, conveniência, acomodação, carência … Talvez você descubra que se acostumou com uma relação desgastante e cheia de desentendimentos, mas nunca se questionou sobre o que realmente quer.

Muitas pessoas preferem acreditar que não têm sorte no amor ou que é preferível ficar numa relação ruim a ficar sozinho, quando, na verdade, estão apenas com medo de tentar, com medo de sair em busca de um amor intenso, com medo de se livrar de uma pessoa que só lhes faz mal e perder o lugar de vítima!

É bem mais fácil ter argumentos para justificar um amor que não deu certo do que se arriscar a encontrar uma pessoa maravilhosa, companheira, sincera e profunda e ter de lidar com seus próprios defeitos, com suas próprias inseguranças e culpas.

Pois eu sugiro que você não aceite menos, não aceite pouco. Exija o melhor de você mesmo e do outro. Exija respeito, confiança e admiração. Sinta isso pela pessoa amada. Sinta isso, acima de tudo, por si mesmo! E se não puder, pare onde estiver e proponha-se a aprender e se preparar para o verdadeiro amor! Sempre há tempo … mas não demore muito!

By Rosana Braga.

Estamos com fome de amor

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/09/2011 by Joe

Uma vez Renato Russo disse, com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Pretensiosamente digo que assino embaixo, sem dúvida alguma. Parem para notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e … sozinhos.

Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos “personal dancers” … incrível, né? E não é só sexo não, se fosse era resolvido fácil, alguém duvida?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçados … sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega…

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamo-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”! Só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo é só dar uma olhada no site de relacionamentos Orkut, o número de comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” e até a desesperançada “Nasci pra ser sozinho!”. Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos cada dia mais belos e … mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever estas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, demodèe, brega.

Alô, gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados … mas e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir, mais cedo ou mais tarde, que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta.

Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que, se um problema é grande demais não pense nele, e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele? Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois (ou quem sabe até os dois), vai querer pular fora. Mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza que vou me arrepender pelo resto da vida”.

Antes idiota que infeliz!

Texto atribuído a Arnaldo Jabor.

Entregue-se ao imprevisível …

Posted in Relacionamentos with tags , , , , , , , , , , , , , on 27/09/2011 by Joe

… e encontre o amor!!!

Se existem verdades absolutas neste mundo, uma delas é que todos nós temos medo de sofrer. Assim, ingenuamente tentamos controlar as situações ao nosso redor, como se isso fosse possível.

Obcecados por esse desejo de nos proteger, gastamos nossa energia e nosso tempo tentando controlar os pensamentos, as atitudes e até os sentimentos das pessoas que amamos e que, sobretudo, desejamos que nos amem.

No entanto, não nos damos conta de que a vida se baseia no imprevisível, no incontrolável, no surpreendente! Nenhum sentimento é garantido, nenhuma consequência é revelada antecipadamente. O futuro é totalmente incerto. E, apesar de tamanha imprevisibilidade, temos em nosso coração toda a possibilidade de conquistarmos o que e quem amamos, o que é muito diferente de controlar, prever ou obter garantias!

Muitas pessoas não conseguem encontrar um amor, não se entregam a uma relação profunda e verdadeira simplesmente porque estão, todo o tempo, tentando obter certezas. As perguntas não param de gritar, as dúvidas não têm fim e o medo de se deparar com a dor parece assombrar milhares de corações, impedindo-os de enxergar uma outra possibilidade, tão plausível quanto a de sofrer. Será que ele me ama? Será que vale a pena perdoar e tentar de novo? Será que ele não vai me trair? Será que não estou sendo idiota? Será que não vou sofrer mais do que se ficar sozinho? Será? Será?

O que será, eu responderia com muita tranquilidade, não importa agora! Na verdade, nunca importará! A pergunta correta é: “Eu quero?” Quando aprendermos a responder, com respeito e responsabilidade, essa simples perguntinha, teremos previsto qualquer possibilidade. Sim, porque o amor é uma chance, uma oportunidade, não uma garantia, nunca uma certeza! Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração ou … passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto! Jamais teremos como saber se o outro está sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesma medida, se vamos sofrer ou se seremos felizes. Jamais saberemos do amanhã ou do outro.

Então, que usemos nossa inteligência, a despeito de todo o medo que isso possa nos fazer sentir. Ou seja, que possamos, de uma vez por todas, abrir mão dessa tentativa inútil de controlar o amor, a vida e o outro e nos concentremos em nós, em nosso coração e em nossos reais objetivos!

Descobriremos que nos ocupar com nossos próprios sentimentos já é trabalho para vida inteira. Descobriremos que agir conforme nossa vontade é o bastante para que nos sintamos preenchidos, embora possamos mesmo vir a sofrer … simplesmente porque o sofrimento é uma possibilidade tão possível quanto a felicidade!

E digo mais: só conseguiremos entrar de fato no coração de alguém, mesmo sem termos certeza disso, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao imprevisível, quando conseguirmos compreender que a segurança é mérito pessoal, interno, sentimento que não se pode ter em relação a ninguém além de nós mesmos.

Portanto, para todas as pessoas que perguntam sobre qual é o “segredo” para viver o amor sem sentir tanta insegurança, tanto ciúme e tanto medo de sofrer, aproveito este momento para responder: o segredo está em saber se você quer, se você realmente quer! Porque se você quiser e fizer por merecer, agindo você com sinceridade, qualquer possibilidade de dor e sofrimento valerá a pena. Porque quando a gente quer de verdade, com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do caminho e, no final das contas, é tudo crescimento, aprendizagem, evolução e, por fim, a tão desejada felicidade. E não que ela esteja no final do caminho ou no final da vida, simplesmente porque ser feliz é isso: entregar-se ao imprevisível e aceitar a dor e a  alegria como partes do amor!

E quando penso que essa entrega é realmente difícil, me  lembro de uma frase que gosto muito:

– “Se o seu problema tem solução, relaxe … ele tem solução. E se o seu problema não tem solução, relaxe … ele não tem solução!”

É uma frase engraçada, mas muitíssimo sábia.

Portanto, quando estiver doendo muito, não resista! Simplesmente relaxe e aceite, pois a resposta virá!

By Rosana Braga, escritora, jornalista e consultora em relacionamentos, palestrante e autora dos livros “Alma Gêmea – Segredos de um Encontro” e “Amor – sem regras para viver”, entre outros.

A razão de viver

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , , , on 26/09/2011 by Joe

– Mestre, o que estamos fazendo nesta Terra?

– Sinceramente? Não sei. Já procurei em muitos cantos, em lugares iluminados e escuros; hoje estou convencido que ninguém sabe – apenas Deus.

– Não é uma boa resposta para um mestre.

– É uma resposta honesta. Conheço muita gente que irá explicar-lhe em detalhes a razão da existência. Não acredite, são pessoas ainda presas à antiga linguagem e só acreditam nas coisas que têm explicação.

– Quer dizer que não há uma razão para viver?

– Você não entendeu o que estou dizendo. Eu disse que não sei a razão. Mas claro que existe um motivo para estar aqui e Deus o conhece.

– Por que não nos revela?

– Revela a cada um de nós, mas numa linguagem que às vezes não aceitamos, porque ela não é lógica – e estamos por demais acostumados a receitas e fórmulas.

O nosso coração sabe por que estamos aqui. Quem escutar o coração, seguir os sinais, e viver sua Lenda Pessoal, vai entender que está participando de algo, mesmo que não compreenda racionalmente. Diz a tradição que, no segundo antes da nossa morte, a gente se dá conta da verdadeira razão da existência. E neste momento, nasce o Inferno e o Paraíso.

– Não entendi.

– O Inferno é, nesta fração de segundo, olhar para trás e saber que desperdiçamos uma oportunidade de honrar a Deus e dignificar o milagre da vida. O Paraíso é poder dizer, neste momento: “Cometi alguns erros, mas não fui covarde: vivi minha vida, e fiz o que devia fazer. “Tanto o Inferno como o Paraíso irão nos acompanhar por muito tempo, mas não para sempre.”

– Como posso saber se estou vivendo minha vida?

– Porque, ao invés de amargura, você sente entusiasmo. Essa é a única diferença. De resto, há que respeitar o Mistério e aceitar – com humildade – que Deus tem um plano para nós. Um plano generoso, que nos conduz em direção à Sua presença, e que justifica estes milhões de estrelas, planetas, buracos negros, etc., que estamos vendo nesta noite, no céu .

– É muito difícil viver sem uma explicação.

– Você pode explicar porque o homem necessita de dar e receber amor? Não. E você vive com isso, não vive? Não apenas você vive com isso, como é a coisa mais importante da vida: o amor. E não existe explicação nenhuma. Da mesma forma, tampouco há explicação para a vida. Mas existe uma razão para estarmos aqui, e você precisa ser humilde o suficiente para aceitar isso. Confie em minhas palavras: a vida de cada um dos seres humanos tem um sentido, embora ele cometa o erro de passar grande parte do seu tempo na terra buscando uma resposta, enquanto se esquece de viver.

Posso lhe dar um exemplo de uma época em que cheguei perto de entender tudo isso. Eu tinha comparecido à festa de comemoração dos 50 anos da minha formatura do ginásio. Ali, na escola onde estudei enquanto adolescente, encontrei muitos amigos. Bebemos, fizemos as mesmas piadas de meio século atrás.

Em um dado momento, olhei para o pátio da escola. Então, me vi criança, brincando com eles, olhando a vida com surpresa e intensidade. De repente, aquela criança que eu fui pareceu ganhar forma e se aproximou se mim. Me olhou nos olhos e sorriu. Então, eu entendi que não havia traído os meus sonhos de infância. Que a criança que eu tinha sido um dia, ainda estava orgulhosa de mim. Que a mesma razão que eu tinha para viver quando criança, continuava viva em meu coração.

Procure viver com a mesma intensidade de uma criança. Ela não pede explicações; mergulha em cada dia como se fosse uma aventura diferente e, de noite, dorme cansada e feliz.”

By Paulo Coelho, da série “Diálogos com o Mestre”.

Simplifique!

Posted in Reflexão with tags , , , , on 25/09/2011 by Joe

Um professor de Filosofia entra na sala de aula, põe a cadeira em cima da mesa e escreve no quadro:

“Provem-me que esta cadeira não existe”.

Apressadamente, os alunos começam a escrever longas dissertações sobre o assunto. No entanto, um dos alunos escreve apenas duas palavras numa folha e entrega-a ao professor.

Este, quando a recebe, não pode deixar de sorrir depois de ler:

Que cadeira?

Conclusão: não procure chifres em cabeça de cavalo ou pelo em ovo. Opte pela simplificação.

Simplifique sua vida!

Desconheço a autoria.

Frozen de frutas

Posted in Receitas with tags , , , , , , , on 24/09/2011 by Joe

Primavera chegou e a meteorologia já promete clima de verão. Dias quentes e abafados pedem uma alimentação mais leve, mais saudável e, de preferência, refrescante.

E nada mais refrescante que um delicioso frozen de frutas logo após uma refeição leve, à base de saladas e legumes.

Escolhi duas receitas à base de morangos (uma com uma dosagem alcoólica pequena) e  uma receita light à base de limão (sem álcool). Em todas elas o destaque fica para o sabor natural das frutas.

Aproveite a época para variar as frutas: pêssego, goiaba, abacate, kiwi, etc.

Frozen de morangos 1

Ingredientes

10 morangos limpos e fatiados
2 envelopes (24 gr) de gelatina vermelha sem sabor
1 xícara (chá) de água
1,5 xícaras (chá) de creme de leite
1 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro

Modo de preparo

Bata os morangos no liquidificador. Ponha em uma tigela e deixe no freezer por 4 horas. Hidrate a gelatina na água e dissolva em banho-maria, sempre mexendo bem. Deixe esfriar.

Depois, num liquidificador, bata os morangos gelados com o creme de leite e o açúcar. Despeje a gelatina e bata rapidamente.

Coloque a mistura em taças individuais e leve à geladeira por umas 2 horas. Na hora de servir enfeite com pedaços de morango.
.

Frozen de morangos 2

Ingredientes

1 lata de leite condensado
200 ml de vodka
200 ml de vinho moscatel
12 morangos limpos
1 limão espremido (suco)
açúcar a gosto
gelo a gosto

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o suco de limão e o açúcar.

Coloque o suco de limão em um pires e passe a borda de uma taça vazia. Coloque o açúcar em outro pires e passe a borda da taça molhada em limão, formando um crosta muito gostosa.

Cuidadosamente, coloque a mistura batida nas taças e decore com um morango. Sirva logo em seguida.
.

Frozen de limão

Ingredientes

4 colheres de sopa de suco de limão
1 envelope (12 gr) de gelatina em pó sem sabor
3 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de adoçante em pó
1 pote (200 g) de iogurte desnatado

Modo de preparo

Coloque a gelatina em uma tigela e hidrate com 3 colheres (sopa) de água. Leve ao fogo, em banho-maria, por 5 minutos ou até dissolver.

Depois, coloque no liquidificador a gelatina, o iogurte, o suco de limão, o adoçante e bata por 2 minutos até ficar uma mistura bem homogênea. Distribua em 2 taças individuais e leve para gelar por 2 horas, ou até endurecer. Decore com tirinhas da casca do limão.

By Joemir Rosa.

%d blogueiros gostam disto: